Google+ Badge

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Vereador João Mendes de Jesus quer legalização do Quilombo Sacopã

 Por Davis Sena Filho — Blog Palavra Livre

O prefeito  Eduardo Paes vetou, em junho, o Projeto de Lei nº 1.092, que trata da Área Especial de Interesse Cultural (AEIC) do Quilombo Sacopã, que fica localizado na Lagoa Rodrigo de Freitas, bairro nobre da cidade do Rio de Janeiro. Segundo o vereador João Mendes de Jesus (PRB), os vereadores deverão rejeitar o veto do prefeito e com isso legalizar uma reivindicação histórica dos quilombolas que ocupam há décadas a área onde vivem e moram.

João Mendes: especulação imobiliária não está acima dos direitos civis.
 O parlamentar republicano disse ainda que os quilombolas do Sacopã estão a ser ameaçados pela especulação imobiliária, que, de olho em terras muito valorizadas, realizam lobby junto ao poder público para que o PL nº 1.092, que garante os direitos das comunidades negras sobre a terra, não seja aprovado, bem como lutam para que os quilombolas se mudem para outras áreas da metrópole carioca.

“Considero um absurdo o que está acontecendo com o quilombo do Sacopã, que fica localizado em um dos bairros mais valorizados da cidade. No papel de vereador e de etnia negra me sinto desconfortável com essa situação e por isso vou solicitar ao prefeito Eduardo Paes, homem que considero justo e preocupado com as questões sociais, para que atenda as justas reivindicações dos quilombolas que ocupam aquelas terras há décadas e até hoje não tem as devidas escrituras. Os meus colegas vereadores tem de rejeitar o veto do prefeito” — afirma João Mendes de Jesus.

O vereador lembrou que na década de 1960 milhares de mulheres e homens negros e seus filhos tiveram de deixar suas casas e terras para que o sistema imobiliário pudessem concretizar seus negócios na Zona Sul carioca. Conforme João Mendes de Jesus, as favelas da Praia do Pinto, da Draga e da Catacumba ficavam em terras consideradas nobres e seus moradores tiveram de ir para bairros longínquos do subúrbio sem, no entanto, receberem o pagamento devido e muito menos as condições de mobilidade e de moradia para que tocassem suas vidas, no que concerne ao trabalho, ao acesso à saúde e à educação.

“Vou votar pela rejeição ao veto do prefeito. Nos tempos de hoje não há mais espaço para privilegiar os ricos em detrimento dos pobres. Vivemos em um estado democrático de direito, onde a informação sobre o que é justo ou injusto é disseminada para a sociedade. Os tempos são outros e os quilombolas do Sacopã podem contar com o meu apoio” — conclui João Mendes de Jesus.

2 comentários:

Wanda Guimarães disse...

Quero parabenizar o digno vereador João Mendes de Jesus por falar sobre assunto tão importante que são os quilombos e os quilombolas. No passado, famílias humildes e simples foram retiradas do Leblon, d Lagoa e de outros bairros do Rio para atender à especulação imobiliária. Essas famílias form levadas para locais longe não só geograficamente mas, sobretudo, longe de suas raízes, do modo de vida e do lugar onde seus antepassados viveram durante décadas. Os quilombolas tem direito à terra, mesmo se essa terra fica locolizada no bairro da Lagoa. Parabéns, vereador João Mendes de Jesus. Sempre fale pelos mais fracos, os mais pobres e os que não tem que olhe para eles.

JCarlos disse...

Prossiga na sua luta nobre vereador. De mim e para quem falar divulgarei sua honestidade de propósito. Terá o meu apoio e, se candidato, terá o meu voto.