Google+ Badge

segunda-feira, 16 de julho de 2018

Jungmann é ex-comunista e golpista a subverter a ordem constitucional para Lula não vencer as eleições


Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


Raul Jungmann é um ex-político do PPS, um partido ridículo capitaneado por ex-comunistas, que são os piores tipos de políticos em todos os sentidos, e alugado a direitistas aventureiros, geralmente ligados ao mundo empresarial, que mantém o partido de aluguel por meio de "doações", bem como a lamentável agremiação não passa de um apêndice empodrecido vinculado aos interesses políticos e econômicos dos partidos grandes e médios de direita, a exemplo dos golpistas e usurpadores PSDB, DEM e MDB, do famigerado *mi-shell temer.

Para se ter uma ideia de quem é Jungmann basta verificar, dentre muitos de seus atos e ações contrários aos interesses dos trabalhadores e do País, que ele assumiu o poder por intermédio de um golpe promovido pela "elite" cucaracha, a se transformar verdadeiramente no que ele sempre foi: um usurpador de cadeiras alheias, até porque as cadeiras nas quais tal sujeito pernicioso sentou recentemente não pertenciam ao seu partido — o PPS.

Cadeiras que também jamais pertenceram aos seus aliados de golpes, a exemplo do PSDB, do DEM e até mesmo do MDB, afinal Jungmann é membro da coalizão política de direita que perdeu quatro eleições seguidas e que resolveu tomar o poder central de assalto na mão grande, como os ladrões ou bandidos tomam de assalto as ruas, as casas, os comércios e os bancos em todo o País, a transformá-lo em um lugar sem paz e civilidade.

Por sua vez, é justo e imperioso perguntar ao ex-comunista Raul Jungmann: "O que vossa excelência, partidário de um criminoso golpe de estado terceiro-mundista, que destruiu a economia, a soberania e a autoestima do Brasil, bem como, covardemente, tirou os direitos dos trabalhadores está a fazer em cargos do Governo Federal que não são de seu direito, já que seu partido mequetrefe e rastaquera, que não passa de reles acessório do PSDB não venceu as últimas quatro eleições para presidente da República? Explique sua legitimidade como farsa?"

Certamente que tal senhor ex-comunista praticante de golpe, sem eira nem beira como animal político, responderia: "Estou aqui como todos os outros usurpadores, bárbaros e antidemocráticos estão, a ocupar o poder sem a força e a autoridade do voto popular, como também nossos aliados do Judiciário, do MPF e da PF, com a cobertura seletiva, facciosa e mentirosa da Globo estão também a prender o maior e mais importante político da América Latina, sem ele ter cometido um único crime" — diria o ex-comunista e capitão do mato da casa grande de Pernambuco, do Brasil e dos países hegemônicos.

A verdade é que não tem nada mais funesto, tóxico e abjeto do que um ex-comunista que há anos se bandeou para a direita e dela se tornou seu capataz para fazer o jogo sujo antidemocrático, como fez o vaidoso e candidato a pequeno Mussolini, o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, em uma clara e inconteste subversão da ordem constitucional e do Estado Democrático de Direito.

O usurpador, arbitrariamente, resolveu atender aos pedidos desesperados dos meganhas da PF de Curitiba, que repassaram ao ministro golpista as determinações do juiz de primeiro grau, Sérgio Moro, que estava a se deleitar com suas férias em Portugal, e, com efeito, inapto para dar qualquer ordem, até porque, dentre muitos motivos, encontrava-se fora de sua jurisdição, bem como sua missão desditosa em relação a Lula se encerrou quando, em primeira instância, condenou injustamente o líder brasileiro a inacreditáveis nove anos de prisão. Portanto, Moro é um intruso nesta questão e por isto mais uma vez de inúmeras vezes age de forma persecutória e ilegal. Moro comete crimes em série e um dia terá de responder por eles.

Jungmann foi peça chave da desobediência e do arbítrio contra o desembargador Rogério Favreto e, como o chefe da Polícia Federal, o ministro incompetente da Segurança Pública, um dos principais responsáveis pelo fracasso da intervenção militar no Rio de Janeiro, cujos números e índices são muito piores do que as intervenções anteriores acontecidas na cidade do sofrido povo carioca, interveio e manteve o Lula preso.

Não sei e realmente não compreendo como esse sujeito que foi no passado um político de esquerda se transforma em um carcereiro de quinta categoria, a conspirar contra o Estado Democrático de Direito, a Constituição e os códigos Civil e Penal. Criam jurisprudência de acordo com o "freguês" e submetem aquele que consideram o inimigo a ser abatido às piores truculências, que se baseiam na manipulação das leis, sem ter o mínimo constrangimento e vergonha na cara, enquanto gente como o Henrique Eduardo Alves, do time do traidor e golpista mi-shell temer é solto por habeas corpus, que foi negado pela Justiça a Lula, pois preso político do regime de exceção imposto pelo Judiciário, MPF e Globo.

Orientado pelo presidente do TRF-4, juiz Thompson Flores, Jungmann botou suas manguinhas de fora e passou a sabotar a decisão autônoma e independente do juiz Rogério Favreto, que não é subordinado a qualquer magistrado golpista do TRF-4, cujos juízes são parceiros de Moro, que furioso, pois a babar de ódio em suas férias portuguesas de pequeno burguês, que adora posar ao lado dos ricos da burguesia, entubado em um black tie, telefonou durante o domingo inteiro para seus parças de secessão da PF e do TRF-4.

O juiz caipira do Paraná novamente contou com a complacência e a cumplicidade de magistradas seletivas e partidárias da direita do naipe da juíza desajuizada Carolina Lebbos e a monocrática juíza Laurita Vaz, que vem a ser a presidente do STJ, um tribunal superior que, tal qual ao Supremo Com Tudo (SCT), é a vergonha, o vexame e a desgraça do Brasil. Num país sério esses juízes ricos, golpistas e totalmente dissociados dos interesses da população brasileira e da soberania do País seriam demitidos e presos para o bem do Brasil, de seu povo e da felicidade geral da Nação.

Os direitistas mobilizaram-se desesperados em suas mediocridades e, como verdadeiros niilistas, radicalizaram o cotidiano da vida brasileira, a incomodar e a encher o saco da sociedade, porque esses meganhas de togas são irrefragavelmente arrivistas e, consequentemente, ocuparam o País, como se fossem invasores de um exército estrangeiro com visão colonizadora, porque, além de interditarem a democracia para darem um golpe violento que retirou direitos e abriu mão da soberania do País, sequestraram o corpo do Lula, sua voz e o colocaram injustamente e injustificadamente em um cárcere, pois Lula está proibido de falar e de se movimentar pelo Brasil mesmo sem ter cometido quaisquer crimes.

Essa moça da pequena burguesia e que recebe altos salários pagos pelo contribuinte brasileiro resolveu há muito tempo e de forma ilegal perseguir o maior presidente da história do Brasil. Essa senhora de nome Carolina Lebbos proibiu o líder das pesquisas de fazer campanha política antes mesmo de uma decisão do TSE, sendo que é esse tribunal que decide sobre essas questões. A pequena Mussolini pequeno-burguesa resolveu, ao seu bel-prazer, antecipar a proibição a Lula por motivos ideológicos e ódio de classe, a se comportar, sem nenhuma surpresa, como uma autêntica coxinha batedora de panelas e vestida com a camisa amarela da derrotada CBF. E é o que ela é...

Quanto à Laurita Vaz, tal juíza sempre se mostrou uma militante da causa do golpismo, alinhada ao TRF-4 e à Lava Jato do juiz, dos procuradores e dos delegados que cooperaram, e muito, para a derrocada da economia brasileira em uma desnacionalização do mercado interno sem precedentes, que jamais aconteceria em um país sério e independente. O problema é que temos aqui no Brasil segmentos da sociedade idiotizados e lobotomizados por um monopólio midiático como a Globo, que prejudica, irremediavelmente, o desenvolvimento do Brasil e combate a emancipação total do povo brasileiro.

A verdade é que autoridades da Justiça e da PF se rebelaram e rasgaram a lei, já que essa gente bagunçou o Brasil e anarquizou o devido processo legal de muitos brasileiros, dentre eles o Lula. Flores e Jungmann; Moro e o meganha delegado e diretor-executivo da PF no Paraná, Roberval Vicalci, são os exemplos prontos e acabados da iniquidade e da irresponsabilidade que desmontam o Estado nacional e desempregam dezenas de milhões de trabalhadores.

O quarteto quando soube da decisão de o desembargador Rogério Favreto soltar o Lula, mobilizou-se furiosamente e rapidamente ao ponto de o ex-presidente ser mais uma vez de incontáveis vezes violado em seus direitos civis. São lamentáveis esses meganhas togados e não togados, pois são os maiores responsáveis pela divisão do Brasil, que está a ter suas riquezas naturais e patrimônio público a serem entregues a estrangeiros e a ferrar com o futuro de milhões de brasileiros, que precisarão, certamente, do dinheiro do Pré-Sal, dentre outros setores da nossa economia que foram dizimados, como a indústria naval e o Comperj, ou doados e esquartejados, a exemplo da Petrobras e da Embraer. Somente esses graves fatos e realidades seriam suficientes para condenar à prisão perpétua tais golpistas irresponsáveis e inconsequentes.

Raul Jungmann é uma vergonha e vexame como político e cidadão. Trata-se de um golpista e conspirador da mais rasa estirpe, que se fizesse o que faz nos Estados Unidos, país que a direita e a burguesia atrasada e caipirona deste país tanto admira, estaria preso para o bem da saúde de todas as pessoas que não toleram golpistas e usurpadores de terceiro mundo, que retrocederam o Brasil para o século XIX.

O vaidoso e incompetente Jungmann é um oportunista desprovido de votos, porque o povo pernambucano quer ver o diabo e não quer ver tal golpista novamente eleito. A vida é como uma roda: gira também para quem agora está a sofrer com a opressão e a repressão que dividiu o Brasil ao meio. Essa gente morre de medo que o "Lula Livre!" vença as eleições e dê fim à porcalhada e à esculhambação que a casa grande e seus capitães do mato fizeram no País em apenas dois anos. Raul Jungmann será lembrado apenas como um medíocre e reles golpista. Este é o tamanho de pigmeus políticos perante a história. É isso aí.


domingo, 8 de julho de 2018

O lugar de Moro é a cadeia e o esquecimento de sua sombria criatura — Lula Livre


Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


"Eu acho que deve acontecer alguma coisa juridicamente para que essa alucinação, essa doença, que é uma mente doentia do Moro. Eu fui prestar depoimento, é uma mente doentia, é uma obsessão em que a mentira não tem limite. [...] Pode demorar um pouco, mas eu vou vencer essa batalha". (Luiz Inácio Lula da Silva). 

O juizeco fascistoide Sérgio Moro, de férias em Portugal, a curtir a vida como um verdadeiro, autêntico e genuíno coxinha tucano, afronta decisão do desembargador Rogério Favreto, o Estado de Democrático de Direito, a Constituição, os Códigos Penal e Civil e a democracia para manter injustamente o Lula preso, a fim de afastá-lo das eleições presidenciais.

Trata-se do Brucutu obsessivo ou do homem de Neandertal da direita escravocrata brasileira. É esta desgraça nacional que sequestrou a Justiça deste País atrasado, violento e que não respeita os direitos civis de seus cidadãos. Justiça irresponsável e formada por juízes e procuradores ricos, dissociados das necessidades, do sofrimento e dos sonhos do povo brasileiro, bem como dispostos a impedir que o Brasil seja soberano e desenvolvido.   

A ordem para soltar o maior e mais importante político da América Latina por parte do desembargador do TRF-4, Rogério Favreto, não é absolutamente uma questão para que o político trabalhista e de esquerda, que foi sequestrado, literalmente, por meganhas de togas e de direita para poder concorrer às eleições em paridade com os outros candidatos.

Mais do que isto. Quando o Moro, juizeco de província e de gestos e atos fascistas deixa suas férias de pequeno burguês compromissado até a alma com o golpe de estado contra a democracia e o Estado Democrático de Direito constante na Constituição, é porque o magistrado de primeira instância e umbilicalmente ligado aos tucanos do PSDB e do DEM percebeu que estava em jogo a sobrevivência do Dops-DOI-Codi da Lava Jato.

E explico: Seria uma derrota política acachapante para a direita protofascista, que está encastelada no Judiciário em todos seus níveis, na PGR (MPF) e na PF, aquela que jamais cuidou das fronteiras e se recusa a trocar tiros com os facínoras e homicidas dos tráficos de drogas e armas que tomaram conta de vastos territórios fronteiriços, porque quer ficar na boa, a receber altos salários e tratar apenas de prender ricaços bundas moles, que tem medo do barulho de simples espirros. É a PF do deitar e rolar, bem como fingir que é leitoa para poder mamar deitada.

O impedimento da soltura de Lula tem por propósito, irrevogável, mantê-lo na prisão mesmo sem ele ter cometido crimes, como reconheceu o juiz protofascista, Sérgio Moro, quando afirmou em sua sentença condenatória absurda, pois leviana e mentirosa, que tal condenação do político trabalhista em que a maioria do povo quer votar se baseou em matéria do jornal O Globo.

A empresa de negócios privados e elaboradora do jornalismo de guerra e de esgoto, que oprime e persegue aqueles que são tratados como seus inimigos. O oligopólio que pertence à famiglia Marinho, já de desditosa memória, que combate ferozmente as esquerdas e também os trabalhistas desde a Era Getúlio Vargas, que terá muito a perder economicamente e politicamente se o Lula se tornar pela terceira vez presidente. O Moro sabe disso e os juízes do TRF-4, do STJ e do SCT (STF), os principais garantidores do golpe, também. Ponto.

Moro, um juiz antidemocrático, antinacionalista e antipopular, decide brutalmente sobre a vida de Lula, o preso político em pleno ano de 2018, pois raptado por uma camarilha de togas que age, na verdade, como meganha. Tal juiz já deveria estar preso há muito tempo, pois autor de inúmeros crimes, que se ocorressem em um país civilizado, onde o povo estuda e tem atenção do estado, esse sujeito pernicioso aos interesses da Nação estaria encarcerado para o bem da sociedade e do serviço público.

O magistrado caipirão do Paraná, talvez o estado mais reacionário do Brasil, está a salvar o seu DOI-Codi particular, onde ele brinca de polícia e bandido, sendo que o juizeco tucano e de direita é um verdadeiro transformista, porque atua de várias formas e maneiras, pois a representar ao mesmo tempo os papéis de juiz, promotor e policial. Moro é o máximo do terceiro-mundismo bananeiro e violento, sendo que certamente tal meganha de toga terá um dia de parar atrás das grades, porque realmente é esse seu merecido lugar. Moro, só para lembrar, jamais prendeu um tucano ladrão!

Para manter o Lula preso ilegalmente e injustamente, porque o líder do Partido dos Trabalhadores tem de ser impedido a qualquer custo de participar da eleição presidencial de outubro. Moro recorreu ao seu parceiro de golpe de estado e que também sequestrou o Lula e o colocou em uma prisão do DOI-Codi em Curitiba. O nome dele é João Pedro Gebran Neto, que prontamente atendeu seu parça para revogar o habeas corpus concedido a Lula pelo seu colega Rogério Favreto.

É inacreditável que o relator do processo contra o Lula no TRF-4 se intrometa dessa forma e cometa mais um crime contra a Constituição e a jurisprudência do País. Os juízes golpistas e que decidiram irresponsavelmente criar a maior crise institucional da história do País para consolidar o golpe de terceiro mundo, que é a cara e a carranca deles e de quem esses meganhas de togas representam, tenham tido o despropósito e a infâmia de chegar tão longe para atender os interesses da direita brasileira, dos políticos tucanos, dos empresários e dos países estrangeiros, que estão a comprar o Brasil, que retrocedeu ao século XVIII, pois se transformou em colônia a ser duramente explorada e roubada.

Lula, o líder em todas as pesquisas dos institutos de pesquisas da burguesia, mais cedo ou mais tarde terá de ser libertado das garras de abutres desses mórbidos juízes alcaides da casa grande, que envergonham a Nação e causam ódio coletivo e imensa desconfiança ao povo sobre suas péssimas condutas e propósitos inconfessáveis, pois até o Diabo duvida das boas intenções dos meganhas togados, que perderam o respeito porque não se dão o respeito.

O Supremo Com Tudo (SCT) é o maior responsável pelo barbarismo do golpe do impeachment. O golpismo sem fim e limites praticado por tais juízes, que são, ipsis litteris, a vergonha, o vexame e a desgraça do Brasil. O lugar do tucano Sérgio Moro é a cadeia e o esquecimento de sua sombria criatura. O juiz seletivo, injusto e partidário tem de ser preso por ser um sujeito que comete crimes em série mais do que comprovados. Psicopatia... Lula Livre. É isso aí.

sexta-feira, 29 de junho de 2018

Carminha faz diatribes para Lula ficar preso e atender a Globo e o PSDB

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


Saber de fato e com precisão qual o juiz ou juíza do Supremo Com Tudo (SCT) é o mais comprometido com o golpe de 2016 e com as manobras escancaradas para manter o ex-presidente Lula preso, de forma que ele seja impedido de concorrer às eleições presidenciais em outubro é tarefa das mais difíceis.

Porém, a presidente da SCT, Cámen Lúcia, chamada de “Carminha” pelos golpistas da Globo e tratada como uma tucana pelos políticos do PSDB está realmente a se superar como a pior presidente da história do SCT, e olha que ser a pior é preciso se esforçar, pois se tem uma instituição que está desmoralizada no Brasil, bem como não tem a confiança do povo brasileiro é o Supremo Com Tudo — que vem a ser a vergonha, o vexame e a desgraça do Brasil.

E não é que após as traquinices e chicanas do juiz Edson Fachin, o relator da Lava Jato no SCT, que está a prejudicar a defesa e as reclamações de Lula junto ao tribunal, o magistrado repassa a reclamação a ser julgada à Cármen Lúcia, que, ao invés de devolver a reclamação à Segunda Turma, repassa-a ao juiz Alexandre Lex Luthor de Moraes, membro da Terceira Turma, um tucano dos quatro costados e ligadíssimo ao governador paulista, Geraldo Alckmin. Um juiz faccioso e inimigo declarado do PT.

Além disso, Lex Luthor foi ministro da Justiça do governo golpista e fracassado de *mi-shell temer. A intenção é atrasar ao máximo o julgamento do pedido de Lula pela Segunda Turma, porque a intenção é impedir que o político trabalhista conquiste sua liberdade. Lex Luthor é homem do PSDB no SCT, o partido de direita que liderou um golpe de estado e, com medo de ser derrotado eleitoralmente pela quinta vez consecutiva, optou por ficar no poder por meio do tapetão putrefato do Supremo — o feitor da casa grande.

Mais uma vez Cármen Lúcia, já de desditosa memória, pois no segundo semestre deixa a presidência do Supremo Com Tudo, age maliciosamente e despudoradamente, sem se preocupar com as garantias constitucionais de cidadãos julgados ou não pela Justiça. A pior presidente da história do SCT, depois de apoiar a ação esdrúxula e ilegal de Fachin, que desrespeitou deliberadamente o critério de distribuição, conforme a lei, além de usurpar a competência da Segunda Turma para julgar a matéria.

A falta de respeito por parte de Cármen e Fachin com as normas legais do Direito demonstra, sem sombra de dúvida, o quão esses magistrados estão a se dedicar a interditar o processo eleitoral e democrático do País, bem como dispostos a enfrentar quaisquer situações em prol de consolidar o golpe de terceiro mundo, pois terceiro-mundistas são esses juízes do Supremo Com Tudo (SCT).

O advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins, pediu a correção ao juiz Alexandre de Moraes, que é da Terceira Turma, mas que faz mesmo é o papel de quinta coluna, a partir de quando foi escolhido para ser o ministro da Justiça do desgoverno ilegal e golpista, cujo chefe do bando, vulgo *mi-shell temer, é o recordista mundial de rejeição por parte de uma população. Odiado, o ordinário usurpador e traidor terá como futuro o esquecimento e seu nome escrito nas páginas mais infames, mórbidas e fétidas da história. Uma pocilga só...

Agora poderá ser tarde, pois hoje é dia 29 e será difícil que a matéria seja julgada pela Segunda Turma antes do recesso de vossas excelências togadas e que pensam que o Brasil se resume às suas redomas de cristais, porque totalmente dissociados das realidades brasileiras, mas completamente associados aos interesses da alta burguesia, a proprietária da casa grande,

Os juízes do Supremo Com Tudo são a própria abominação do Direito, do Estado Democrático de Direito, da democracia e das garantias constitucionais, pois rasgaram a Constituição e criaram suas próprias jurisprudências, a legislar no lugar do desmoralizado Congresso e a blindar os políticos do PSDB e DEM, que são os representantes do establishment. Até hoje, após cinco anos de Dops e DOI-Codi da Lava Jato, um único tucano ladrão foi preso. E tem mais: Não vem ao caso!

É inadmissível, inaceitável e inquietante que o Judiciário resolveu interditar a vida brasileira, sequestrar, literalmente, o maior líder político da América Latina, porque enquanto está em andamento o ano eleitoral, Lula estará impedido de andar pelo Brasil e falar ao povo brasileiro, que quer elegê-lo pela terceira vez, porque sabedor de quem desenvolveu o País e melhorou as condições de vida das pessoas.

O jogo sujo e brutal de alguns juízes do SCT é mais amplo do que se pensa, porque o que está em jogo são três ações que questionam a legalidade de prisões em segunda instância. O PCdoB e o PT estão a cobrar que a súmula 122, do TRF-4, seja revogada, porque contraria a Constituição, já que permite a antecipação ilegal da pena, sem que antes os recursos tenham sidos esgotados nos tribunais superiores. Eleição sem Lula é fraude e farsa: é pilantragem. Além disso, o vencedor das eleições sem a participação de Lula será tão ilegítimo quanto o é o traidor e odiado *mi-shell temer. É isso aí.

quinta-feira, 28 de junho de 2018

Fachin, o discricionário; Cármen, a manobrista; e Lula a razão da legalidade – Livre!


Por Davis Sena Filho — Palavra Livre

"Vivam os meus inimigos! Eles, ao menos, não me podem trair". (Henry de Montherlant)

"Ingratidão é uma forma de fraqueza. Jamais conheci homem de valor que fosse ingrato". (Johann Goethe)

Poder-se-ia dizer que as ações contrárias à Constituição e à liberdade de Lula do juiz Edson Fachin, do Supremo Com Tudo (SCT), cabem nos pensamentos de Henry de Montherlant e de Johann Goethe acima. E por quê? Porque antes de ser nomeado pela presidente legítima, Dilma Rousseff, que foi deposta por um golpe de estado praticado criminosamente pela direita, Fachin teve também a confiança e o apoio de Pedro Stédile, líder nacional do MST, pois advogado de movimentos sociais, especialmente do Movimento dos Sem Terra.
Fachin está “fulo da vida”, como se diria popularmente, porque tem sido derrotado sistematicamente nas votações que dispõem sobre o encarceramento ou não de pessoas que foram julgadas em segunda instância, principalmente quando se trata das votações da Segunda Turma do Supremo Com Tudo. Fachin recorre, despoticamente, ao tapetão do SCT contra seus próprios pares.
A verdade é que o juiz Fachin, mancomunado em estratégias políticas e alinhado com os magistrados de TRF-4 em suas ações, resolveu ao seu bel-prazer, que é o mesmo de Cármen Lúcia, decidir no lugar do povo brasileiro se o Lula será presidente ou não. Inacreditavelmente, juízes e procuradores resolveram sequestrar o Lula, de forma que ele não apareça e nem fale ao público, pois candidato favorito a vencer as eleições, assim como político que não interessa ao establishment, que está a fazer negócios bilionários com o governo ilegítimo dos golpistas.
Aliás, Fachin e Cármen são hoje, juntamente como o juiz Luís Roberto Barroso, os magistrados que têm violado as cláusulas da Constituição que edificam o Estado Democrático de Direito, que tem como alicerces os princípios constitucionais do contraditório, da ampla defesa e da presunção de inocência, sendo que nenhum brasileiro poderá ser preso em segunda instância, conforme apregoa a Constituição. Então que se modifique a Carta Magna, ao invés de fazer remendos para que o Lula não possa concorrer ao pleito presidencial de 2018.
Entretanto, Fachin, a ter a juíza Cármen Lúcia como companheira principal em manobras que contrariam a letra da Lei, pois Cármen é presidente do SCT e Fachin é o relator da Lava Jato no Supremo, em nome de não sei “quem” e a atender interesses de “alguém” resolveram, de maneira discricionária, dar continuidade aos desmandos e às incongruências da Lava Jato. A força tarefa policialesca que se transformou em um dos principais partidos do campo da direita.
A direita derrotada em quatro eleições presidenciais e que está a tratar o preso político Luiz Inácio Lula da Silva como se ele fosse corrupto, sem mostrar provas, porque provas não existem, pois o Lula nunca roubou, de acordo, inclusive, com dezenas e dezenas de testemunhas e de presos que deram depoimentos aos fascistas da Lava Jato e sempre disseram não ter conhecimento da participação de Lula em malfeitos. A exceção é o ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro, que teve de mudar suas versões, todas mentirosas e levianas, aos meganhas togados da PF e do MPF até que ele cedesse à pressão e acusasse o Lula.
Fraco e acostumado às mordomias em toda sua vida de negócios com o dinheiro do Estado, o empreiteiro não aguentou a cadeia e disse à PF e ao MPF golpistas o que as duas corporações com almas e espíritos de Dops e DOI-Codi queriam ouvir, para depois, no decorrer do processo draconiano, encarcerar o maior político da história do Brasil, de maneira vil, covarde e injusta.
Trata-se da violência do Estado em forma de lawfare e domínio do fato. Duas excrecências do Direito, como também é excrecência jurisdicional a Lava Jato, que reinaugurou no Brasil o regime de exceção em pleno século XXI do terceiro milênio. Durma-se com um retrocesso e barulho desses. A verdade é que Lula, um político de esquerda e trabalhista tem de ser impedido de qualquer maneira de ser candidato a presidente da República.
Por sua vez, os capitães do mato da casa grande estão aí para fazer o trabalho sujo para a alta burguesia. Só que agora eles usam ternos e gravatas e, neste caso, se valem da manipulação do Direito, mas a ideologia colonizadora é a mesma dos antigos colonizadores, sendo que tal postura é praticada contra o povo brasileiro, que é visto como apenas mão de obra barata a servir a classe média e os ricos, além de serem contrários à soberania do Brasil.
E por quê? Porque um País soberano e independente significa igualmente um povo emancipado e politizado. E é tudo o que a burguesia e a pequena burguesia tupiniquins de índoles escravocratas não querem. Verifica-se, portanto, que o principal inimigo do Brasil e dos brasileiros não é interno e, sim, externo. Para bom entendedor meia palavra basta. Ponto.
A verdade, volto a ressaltar, é que os meganhas togados (juízes, procuradores e delegados) agem e atuam, juntamente com inúmeros setores e segmentos hegemônicos da sociedade, inclusive a classe média, como colonizadores internos desde os tempos do Brasil Colônia, a propósito de combater, de forma consistente e organizada, todo e qualquer movimento social e político de caráter nacionalista e popular.
Esses setores reacionários criam barreiras que impossibilitam a efetivação de medidas que possam até minimamente distribuir renda e riqueza. Do contrário, a direita no Brasil e na América Latina promove golpes de estado, perseguição e prisão geralmente de políticos e ativistas nacionalistas e de esquerda. É para isto e que este tipo de gente está aí: impedir o desenvolvimento econômico e social do País, bem como interditar o processo político e democrático ao perceber que a direita poderá novamente perder para as forças nacionalistas, trabalhistas e de esquerda. Acontece, como comprova literalmente a história.   
Além dos mais, o mote ou a senha da direita é a palavra “corrupção”, que será sempre utilizada para ferir de morte seus adversários, de acordo com o tamanho do inimigo a ser abatido. Todas lideranças populares brasileiras foram acusadas pelas mídias empresariais e golpistas de corruptas. A ver os nomes: Getúlio Vargas, Juscelino Kubitschek, João Goulart, Leonel Brizola, Miguel Arraes, Lula, Dilma Rousseff e todos aqueles que, porventura, realizaram ou estão a realizar políticas públicas que atendam os interesses da Nação.
Acusar a esquerda de agir pela corrupção é a arma principal da direita brasileira para conspirar e consolidar golpes de estado. É desta forma o mau procedimento do campo da direita, que, na verdade, é a dona dos bancos, das grandes empresas rurais e urbanas, da informática/internet e dos poderes constituídos, porque a direita é a dona do patrimônio e, dentre eles, os meios de comunicação, que defendem a ferro e fogo seus interesses.
Porém, por incrível que pareça, “corrupta” é a esquerda, de acordo com a imprensa de negócios privados dos coronéis midiáticos, que, juntamente com os meganhas togados, criaram a maior agremiação de direita da América Latina, e que está a perseguir e a prender as principais lideranças do maior partido da história do Brasil, que é o Partido dos Trabalhadores.
O processo persecutório e de golpismo no Brasil é tão escancarado e sem-vergonha, que o SCT permitiu que um dos líderes dos golpistas no Congresso, o presidiário Eduardo Cunha, levasse adiante um golpe de estado criminoso contra a Nação, bem como até os dias de hoje o Judiciário não prendeu um único tucano ladrão, porque os políticos golpistas do PSDB, DEM e PPS são i-nim-pu-tá-veis! E por quê? Porque não vem ao caso!
Aqui, no Brasil, tal camarilha não responde por seus incontáveis crimes. Os tucanos são vergonhosamente blindados pelos tribunais de juízes que tomaram de assalto o processo político brasileiro, porque sem a participação descarada deles o golpe cucaracha acontecido na Bananolândia seria derrotado com mais celeridade, afinal seria muito difícil para os arruaceiros do golpe de terceiro mundo segurar tanta insatisfação por parte de grande parte do povo brasileiro, que deseja votar em Lula, conforme indicam todas as pesquisas.
A realidade é que a prisão de Lula se torna a cada dia uma bomba de efeito retardado e moral, mas que certamente terá de explodir, porque não há como os juízes considerados agora “garantistas”, depois da porta arrombada pelo golpe, compor com tanta leviandade e malfeitorias que produzem junto à sociedade divisões, violências, inconformismos, rancores e ódios, bem como a degeneração do Brasil como Nação e Estado.
O golpe de 2016 dividiu, desditosamente, a sociedade brasileira e quem não desfilou com o pato ridículo e golpista da Fiesp está também a pagar um preço alto por causa dos irresponsáveis que promoveram tamanha bandalheira, que deixou o Brasil de joelhos e seu povo à míngua, porque retornou a fome, a miséria e o desemprego em larga escala.  
Fachin, Cármen, Barroso, Moraes e Fux, dentre outros juízes, são os maiores responsáveis pela instabilidade institucional do País, porque agem, mesmo se não for consciente, o que realmente não é o caso, como pilares de sustentação para que o golpe possa se consolidar, sendo que esta consolidação só será concretizada por intermédio da prisão de Lula e, consequentemente, seu impedimento como candidato.    
A sociedade percebeu no decorrer dos últimos cinco anos, que as manobras injustas contra o ex-presidente Lula, que desmoralizam o Supremo Com Tudo (SCT) perante a Nação e a comunidade internacional são maquiavélicas.
E por quê? Porque tem o propósito de possibilitar que os “negócios” com o patrimônio do País junto ao empresariado nacional, às multinacionais e aos governos dos países hegemônicos sejam aprovados rapidamente, pois o governante usurpador e sua equipe de golpistas precisam correr com o tempo para vender o patrimônio público, que tal ralé da política jamais e em hipótese alguma construiria, porque membros de uma “elite” bananeira, colonizada, subalterna, que em gerações nunca pensou o Brasil.
Eles são “los macaquitos blancos”, pois criadores da falsa ideia de que são cosmopolitas e cultos, quando a verdade é que são bárbaros, ignorantes e selvagens. Inimigos do País, porque de visão colonizadora quando tratam das questões brasileiras e dos interesses nacionais. Duvida, cara pálida?! Então recomendo que olhe com atenção para o Brasil e verifique sua situação após o golpe do petróleo do pré-sal.
Edson Fachin e Cármen Lúcia não tem o direito de sequestrar a Constituição e impor seus desmandos por questões políticas ou que o valha. Os cidadãos brasileiros somente podem ser presos depois de todos os recursos transitados em julgados, o que não é o caso de Lula e muito menos o que reza a Carta Magna, apesar do casuísmo da segunda instância perpetrado por juízes envolvidos com um golpe de estado violento e que retirou direitos dos brasileiros.
Fachin já recuou e liberou hoje o julgamento de Lula para que ele fique em liberdade. O julgamento poderá ocorrer amanhã, dia 29, se a juíza Cármen não optar pela chicana e fazer o jogo de setores empresariais, políticos e estrangeiros, que lutam para que Lula não seja presidente e acabe com essa farsa do golpe e com a bandalheira que virou este País.
A bagunça do governo ilegítimo e desmoralizado, como demonstrou *mi-shell temer ao ser humilhado pelo vice-presidente boçal norte-americano, que só faltou meter-lhe a mão na cara, quando tratou, em público, das crianças presas nos Estados Unidos e separada de seus pais. Fantoche de terceiro-mundo é assim: tem de ser tratado por gringo como vira-lata. E *temer é um autêntico, verdadeiro e genuíno representante da viralatice da casa grande brasileira. Ponto.
Cármen e Fachin estão isolados. Não dá mais para suportar prisões ilegais no País. Ou se restabeleça a democracia ou que os juízes e todos os setores da burguesia que participaram do golpe cucaracha assumam que este País será um eterno fazendão para gerar riqueza para os países imperialistas ou assuma de vez a ditadura. O que não pode mais ocorrer é a divisão do povo brasileiro por causa de ladrões e sacripantas que resolveram tomar o poder central de assalto, inclusive o direitista PSDB. Lula Livre e o Brasil libertado de seus opressores! É isso aí.

terça-feira, 26 de junho de 2018

Que os golpistas do SCT assumam o golpe ou libertem o Lula — Dirceu livre!


Por Davis Sena Filho — Palavra Livre



As ações e atitudes dos juízes Edson Fachin e Cármen Lúcia, do Supremo Com Tudo (SCT), em relação a colocar em pauta a questão do julgamento que poderá libertar o ex-presidente Lula, por intermédio dos votos da Segunda Turma do referido tribunal, que absolveu a senadora Gleisi Hoffmann, acusada injustamente de corrupção juntamente com seu marido, o ex-ministro Paulo Bernardo, são de uma ausência de caráter à toda prova.

A verdade é que Cármen Lúcia e Edson Fachin há tempos estão a engendrar todo tipo de maquiavelismo barato e a efetivar chicanas sem precedentes dignas de advogados de quinta categoria de porta de delegacia, que leva grande parte da população deste País e de setores democráticos da comunidade nacional e internacional a questionar tanta brutalidade e despropósito contra a Constituição, os códigos civil e criminal em vigor, além de desrespeitar, arbitrariamente, o Estado Democrático de Direito.

A verdade é que os golpistas assumiram o poder central sem a concordância do povo brasileiro, que há quatro eleições consecutivas rejeitava as propostas neoliberais da direita brasileira, que após ser derrotada quatro vezes percebeu que somente conquistaria o poder por meio de um golpe de estado, sendo que este não seria por intermédio das armas, mas através de chicanas jurídicas e judiciárias.

Levaram Dilma Rousseff à deposição por crimes que jamais cometeu e em seu lugar entrou uma quadrilha, a mais poderosa e perigosa do Brasil, que retirou direitos inalienáveis dos brasileiros, entregou o patrimônio público criminosamente e reprimiu o partido mais importante da história da República, o PT, e suas principais lideranças — uma verdadeira caçada às bruxas promovida por servidores públicos do Judiciário, do MPF e da PF. Isto mesmo: servidores públicos que ocuparam deslavadamente o lugar do processo político e democrático brasileiro.

Manter Lula preso é assumir, por parte da direita deste País, que o Brasil é um regime de exceção. Reza a Constituição que nenhum brasileiro poderá ser condenado em segunda instância, ainda mais quando o acusado de crimes, mesmo se ele não os tenha cometido, tem o direito de recorrer em liberdade, com exemplifica, literalmente, o caso de Lula, bem como o de José Dirceu, que foi libertado pela Segunda Turma do Supremo Com Tudo (SCT).

O tribunal que ao que parece está a caminho de redimir a jurisprudência brasileira no que é relativo aos seus gravíssimos erros, no decorrer do golpe do impeachment até chegar a injustificável e injusta prisão de Lula, o principal alvo do Judiciário e dos magnatas bilionários de imprensa, além de preso político do golpe de estado liderado por Aécio Neves, Fernando Henrique, *mi-shell temer, Romero Jucá, Grupo Globo e congêneres, Fiesp e todos os partidos de direita, cujos representantes no Congresso assinaram uma das páginas mais sombrias, abjetas e infames da história do Brasil.  

O “novo” regime ditatorial imposto à Nação, agora não mais pela força das armas, mas por meio de manobras arquitetadas entre a derrotada direita partidária e empresarial e os juízes burgueses do SCT, os verdadeiros garantidores da justiça de joelhos perante os interesses de casa grande brasileira — colonizada, subalterna e submissa —, a portadora de um incomensurável complexo de vira-lata, que nem a gringada ladra, malandra e esperta acredita no que está a ver: uma escumalha que entrega até suas mães somente para ficar sob a égide de influência dos Estados Unidos.

Trata-se da direita desordeira, que rasga as leis, porque possui o crime como cultura e ferramenta para atender suas próprias demandas antirrepublicanas e antipopulares, bem como a conduta de gângster e que infectou setores amplos do MPF, da PF e dos tribunais, desde os de primeira instância, a exemplo da famigerada 13ª Vara Federal de Curitiba, que vem a ser o DOPS ou DOI/Codi do século XXI, assim como tribunais de segunda instância, como o TRF-4, além dos superiores, no que tange ao STJ.

Um a um, tais tribunais se alinharam em praticamente todas as questões sobre a condenação de Lula até chegarem ao Supremo Com Tudo (SCT), o garantidor de todo tipo de chicanas, arbitrariedades e rompimentos por parte dos meganhas e togados em relação à Carta Magna. Uma vergonha, vexame e desgraça para o povo brasileiro, que, ao invés de ficar submetido às leis constitucionais, passou a ficar sob a vontade e o desejo de servidores públicos, que passaram a legislar de acordo com seus bel-prazeres ao invés de executar as leis e proteger a Constituição. Trata-se do Estado de Direita sob tutela.

Pelo contrário, tais juízes e procuradores passaram a legislar conforme os interesses políticos, partidário e ideológicos. Togados e meganhas de direita, conservadores, que se mostraram, sem margem de erro, dissociados dos interesses de soberania do Brasil e dos direitos do povo e dos trabalhadores brasileiros, a classe que sustenta o sistema do capital, onde deitam e rolam os capitalistas e as classes médias tradicional e alta — as que investem dinheiros e controlam os melhores empregos e cargos, tanto no serviço público quanto no privado, sendo que os juízes, procuradores e delegados burgueses tem origens nessas classes. Ponto.

O golpe do impeachment para quem não sabe é um golpe que tem como alicerce principal a luta de classe. A luta que as “elites” golpistas e mentirosas deste País atrasado, por culpa delas, sempre negaram, por intermédio dos meios acadêmicos e, principalmente, através das mídias burguesas e porta-vozes do mercado financeiro, que sempre apostaram na falácia e na farsa de que o Brasil é uma democracia racial e de classes. Ledo engano.

A verdade nua e crua é que a Bananolândia dos golpistas e seus apoiadores é a casa da mãe Joana, onde aconteceu o golpe terceiro-mundista de 2016, sem que ninguém impedisse que tais bárbaros brancos tomassem de assalto, como ladrões e usurpadores, a Presidência da República. E deu no que deu: a maior crise institucional e constitucional da história do Brasil, que começou a se materializar em 2013, quando das micaretas dos coxinhas de direita.

A verdade é que não há como esconder que o golpe mostrou e demonstrou que até os dias de hoje o Brasil ainda se encontra no tempo da casa grande e senzala, apesar da era tecnológica. Mudam-se e modificam-se as ferramentas, mas os espíritos de porcos e almas perversas e mesquinhas da casa grande e de seus agregados da classe média continuam os mesmos.

Contudo e apesar de tudo, bem como se verifica que é insustentável a prisão do preso político Luiz Inácio Lula da Silva, que o juiz Fachin, com a cumplicidade e praticidade da juíza Cármen Lúcia, conspira politicamente para que o líder trabalhista não responda o processo em liberdade, assim como seja impedido de concorrer às eleições presidenciais de outubro, ao ser negado por interferência do TRF-4 que seu pedido para sair da prisão fosse julgado hoje, dia 26 de junho.

Fachin, juntamente com Cármen Lúcia, presidente do SCT que envergonha a Nação por causa de sua atuação política de baixo nível e a desrespeitar o Direito e a Constituição, atendeu aos três juízes do TRF-4, que, indubitavelmente, trouxeram de suas casas a condenação de Lula antes de julgá-lo. Um verdadeiro absurdo, pois para sempre inesquecível.

Após “congelar” o julgamento, Fachin, posteriormente, o deixou para ser analisado pela Segunda Turma do Supremo Com Tudo (SCT) em agosto, após duras críticas que recebeu, assim como sua parceira de ideologia e partidarismo, Cármen Lúcia, em âmbito nacional e internacional.

Além disso, mais do que se preocupar com as críticas, o juiz gaúcho, que se for medido com os grandes gaúchos revolucionários e patriotas da história, revelar-se-á um pigmeu político e citadino em todos os sentidos, resolveu mais uma vez, açodadamente, interferir e, com efeito, adiar o julgamento da liberdade de Lula para depois do recesso do Judiciário.

Trata-se de ação político-partidária, o que denota ser um lugar comum para Fachin, que sempre demonstrou disposição incomum para combater o PT e seus líderes, pois as eleições ocorrem em outubro e tudo o que o Judiciário e o MPF não querem é que o Partido dos Trabalhadores apresente oficialmente o Lula como candidato, quase imbatível, conforme apregoam as pesquisas de institutos vinculados ao grande empresariado, ou seja, à direita — a mesma de tradição golpista.

Não conseguiram prender a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, o que seria demais para a moral severamente combalida do SCT. Realmente seria o máximo da patuscada e do mau-caratismo. Soltaram José Dirceu, uma da prisões mais bárbaras e selvagens deste século. Agora é a vez de Lula. Não é possível encarcerar lideranças cujas culpabilidades nunca, jamais foram comprovadas. Trata-se de deboche e de violência ao estado de direito e às garantias constitucionais sem limites.

Se a burguesia brasileira e todos seus braços são bárbaros, que tratem de se civilizar, pois não é compatível com suas viagens ao exterior e suas condutas no que é referente à admiração pelos países considerados desenvolvidos e civilizados, apesar de serem exatamente os civilizados e desenvolvidos que realizam guerras para roubar os países periféricos ou interferir em suas políticas internas.

As prisões de Lula e de Dirceu são descalabros. O fim da picada! Lula materializa o diálogo e a convergência do Brasil para enfim se pacificar e retomar seu desenvolvimento social e econômico. Se os juízes do SCT não perceberam ainda esta realidade é melhor fechar o Supremo e irem para casa fazer qualquer coisa, menos tratar dos interesses legítimos da Nação brasileira.

Não é possível que, por exemplo, o juiz Edson Fachin e a juíza Cármen Lúcia não sabem, com toda a idade e experiência que têm, diferenciar aqueles (inclusive tucanos) que foram gravados, filmados, fotografados e com contas comprovadamente no exterior e dinheiro não contabilizado pela Receita de Lula, que jamais se corrompeu e foi cooptado pelo establishment. Basta pensar em Aécio Neves, José Serra, Geraldo Alckmin e FHC, dentre muitos outros tucanos de alta plumagem...

Lula não roubou! O status quo do Judiciário sabe disso, como compreende muito bem que tucano ladrão no Brasil não vai preso, mas pode ser corrupto e cometer o crime de golpe de estado. Duvidam? Pergunte ao juiz de província e de direita, o tucano Sérgio Moro. O problema é que o magistrado de primeira instância vai dizer que “não vem ao caso!” Que os golpistas do SCT assumam o golpe ou libertem o Lula. Dirceu e Lula livres! É isso aí.  


quarta-feira, 20 de junho de 2018

Barroso é do SCT, a vergonha, o vexame e a desgraça do Brasil — Lula Livre!


Por Davis Sena Filho — Palavra Livre



Antes de tudo e de qualquer coisa, juiz Luís Roberto Barroso, do SCT: “Por que diabos não tem um único tucano ladrão na cadeia? Eles são blindados e por isto impunes? Se o são, por quem? Ou não vem ao caso?

”Toda vez que algo ou qualquer situação que possa reverter o encarceramento político de Lula, pois o ex-presidente é realmente um preso político e o planeta sabe disso, o oligopólio midiático privado que vive de recursos públicos e que se autodenomina Grupo Globo cria falsas polêmicas e constrói “realidades” que não existem, como ocorre agora com a entrevista de duas páginas do juiz Luís Roberto Barroso.

A “entrevista”, que na verdade é uma ação política vexaminosa e vergonhosa para qualquer magistrado que se dê o respeito, foi concedida aos jornais de direita O Globo e Valor Econômico, que estão totalmente envolvidos com o golpe de estado travestido de legal e legítimo, contra a presidente legítima e constitucional Dilma Rousseff, que obteve do povo, nada mais e nada menos do que 54,5 milhões de votos, que foram solenemente jogados na lixeira, com a cumplicidade conspiratória e pragmática dos juízes do Supremo Com Tudo (SCT).

Inadvertidamente, pois imprudente, parcial e partidário, o juiz Barroso está a pressionar o Supremo Com Tudo (SCT) para que o ex-presidente Lula não conquiste sua liberdade, pois preso, inacreditavelmente, sem provas, porque efetivamente o líder trabalhista e de esquerda jamais cometeu os crimes a ele injustamente e injustificadamente imputados.

Há muito tempo que o juiz Barroso se comporta lamentavelmente como porta-voz da Lava Jato, do juiz tucano Sérgio Moro, bem como se submete ao papel de feitor do Grupo Globo, um monopólio midiático odiado por milhões de brasileiros, os que possuem minimamente discernimento para compreender que a famiglia Marinho e seus empregados, que agem no front político dos seus interesses são, na verdade, um dos principais obstáculos para o desenvolvimento econômico e social do Brasil.

Por sua vez, tal monopólio privado e odiado por grande parte da população décadas a fio inferniza a vida da sociedade, porque, evidentemente, seus interesses em dominar a agenda política e social de governantes eleitos e do País em geral sempre foi e será a causa para que o Brasil continue como uma Nação pequena, sem importância em âmbito até regional, quanto mais mundial, além de servir apenas como um lugar de mão de obra barata, importador de produtos e tecnologias e exportador de commodities, pois um fazendão que por intermédio do golpe de direita retornou ao passado, os seja, para o fim do século XIX e à época da Velha República. Surreal!

A verdade dura e crua é que o juiz Barroso está a blindar o juiz de província, Sérgio Moro, o responsável por ser o capitão do mato do sistema de poderes, cujo chefão é estrangeiro e que mantém relações “carnais” e econômico-financeiras com a casa grande brasileira, a chefe inconteste de muitos dos juízes do SCT, que se tornou um arremedo mambembe de Suprema Corte, que de “suprema” só tem a nomenclatura e o cerimonial.

E por quê? Porque quando juízes e procuradores interferem no processo político, evidentemente que a democracia será rifada e o Estado de Direito, como também a Constituição, não passarão de quimeras no que concerne a este sofrido País se tornar um dia civilizado. País nenhum consegue estabelecer seus marcos civilizatórios com tribunais superiores, polícias judiciárias e procuradorias fragorosamente envolvidos com o processo político e partidário, a ter a ideologia de seus principais autores como marca indelével de suas preferências, seletividades e, o pior, injustiças.  

A postura e a conduta do partidário juiz Barroso apenas ratifica que o Supremo Com Tudo (SCT) se tornou um partido conservador em guerra sistemática com a esquerda representada pelo PT, pois, além de ser o principal garantidor do golpe da “elite” bananeira, ainda se submete a ser o protetor de um juiz de primeira instância com vocação para Torquemada, que condenou um ex-presidente trabalhista sem provas e por motivo de perseguição política e outros motivos que só ele e o diabo sabem ou conhecem tais propósitos de essências draconianas.

A verdade é que o povo é sabedor que com a esquerda no poder a direita não ficaria apenas quatro mandatos sem controlar o poder central, mas cinco, seis e quantos mandatos o brasileiro decidisse, já que com o PT no poder o Brasil avançou, e muito, em todos aspectos (setores e segmentos), inclusive o de elevar a autoestima do brasileiro, um povo que há séculos sofre todo tipo de desrespeito, desconsideração e molecagens por parte dos poderes públicos, principalmente dos setores da sociedade que controlam o poder econômico e as instituições que deveriam ser republicanas.  

A perseguição às lideranças do PT foram tão escrachadas e covardes, ou seja, na cara de todo mundo, sem o mínimo de cuidado até para disfarçar, que o descrédito nas instituições, órgãos e corporações do Judiciário, PF e Procuradoria-Geral (MPF) se tornou algo incomensurável.

Ninguém aguenta mais ver os togados e meganhas a preencherem as vagas dos artistas e dos personagens novelescos como as celebridades de temporadas, a darem pitacos e determinações sobre tudo e todos, porque agem como pequenos mussolinis irremediavelmente prepotentes, arbitrários e arrogantes, características das pessoas egocêntricas, cujas vaidades atingem os píncaros da omissão, da presunção, da iniquidade, do orgulho e da irresponsabilidade, no que é relativo aos interesses do País e de seu povo.

Sérgio Moro, seguramente, será mais um cadáver político descartável do sistema, tal qual o juiz aposentado Joaquim Barbosa. E por quê? Porque ele é tudo, menos juiz. Sendo um dos maiores responsáveis por este estado de coisas no Brasil, agora é a vez do juiz do SCT, Luís Roberto Barroso, por intermédio do golpista Grupo Globo, pressionar seus próprios colegas de Tribunal, porque o magistrado de direita e que trabalha para a direita sabe muito bem que o Lula livre representa o Lula eleito, assim como o Lula irá acabar com a bandalheira dos corruptos e ladrões vendilhões da Pátria, que estão a deitar e rolar em uma farra sem precedentes com o dinheiro e o patrimônio públicos, que tal escória está a desconstruir e alienar com total irresponsabilidade, pois desprovida totalmente de sentimentos patrióticos, nacionais, de soberania e de nação.

Afirmou o magistrado de estimação do Grupo Globo, sem qualquer constrangimento e vergonha: "Sobre a atuação do juiz Sergio Moro, acho que ele é um juiz competente, técnico, sério e que serviu muito bem ao país. Já estive em mais de um evento com ele e não acho que seja uma pessoa deslumbrada. Pelo contrário, acho que é uma pessoa séria e discreta. Todos nós estamos sujeitos a erros, não estou dizendo que ele acerte sempre, porque ninguém acerta sempre. Mas acho que ele, sobretudo fora do Brasil, passou a desempenhar um pouco o papel simbólico do enfrentamento da corrupção em um Estado em que ela havia se tornado sistêmica. Acho que esse símbolo é relevante".

Depois, ainda não satisfeito com tanta insensatez, afirmou o juiz, “que não quer se meter nas decisões de seus colegas”, que julgarão o maior presidente da história do Brasil e que jamais cometeu crimes, no próximo dia 26: "Principalmente depois de ter condenado o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Moro tornou-se alvo de dirigentes do PT e militantes do partido", para logo o togado do SCT complementar suas distorções e manipulações propositais de caráteres políticos sobre as verdades e as realidades que se apresentam: 

“No caso específico do presidente Lula, não vou opinar sobre o mérito {mas opinou}, porque não li e não opino {mesmo assim deita falação} sobre o mérito de decisões que não passaram sob a minha jurisdição. Apenas lembraria que ela {decisão} foi revista em tribunal por três juízes igualmente sérios e competentes” — afirma Barroso, a “esquecer” que o trio de juízes do TRF-4 já tinha antecipado a condenação de Lula ao darem entrevistas, bem como seus votos foram praticamente iguais. Incrível, mas a condenação política aconteceu... Trata-se da verdadeira pantomima: a farsa e o deboche em forma de justiça.

Continua Barroso, a falar o que os golpistas irmãos Marinho querem escutar: “Não estou dizendo que ela está correta ou não está correta, até porque erros acontecem na vida, inclusive erros no Judiciário. Mas a decisão dele {refere-se a Sérgio Moro} foi confirmada pelo tribunal superior por unanimidade” — acredita o “ingênuo” e “puro” Barroso, como as crianças e os tolos acreditam nas histórias da Carochinha, do Saci Pererê, do Lobo Mau, da Mula sem Cabeça e na Alice no País das Maravilhas, dentre outros personagens de contos ou da literatura fantástica. E todas as pessoas que vivem no mundo e na Bananolândia do golpista Grupo Globo e do juiz Barroso são burras, patetas e idiotas! Viva o Brasil!

A verdade é que o juiz conhece profundamente os bastidores do golpe de estado ocorrido na Bananolândia em 2016. Não somente sabe como dele participa, sem qualquer sentimento de constrangimento e vergonha. O golpe foi denunciado e mesmo assim encarou o mundo civilizado com a maior cara de pau, além de pouco se importar com as opiniões nacionais e internacionais decorrentes da deposição da legítima e constitucional Dilma Rousseff — a que se recusou a compor com a canalha!

Alguém precisa avisar urgentemente o juiz Barroso, do Supremo Com Tudo (SCT), que uma presidente legítima e com dezena de milhões de votos foi derrubada por sem-vergonhas e cafajestes, que, quando saírem do poder, deveriam ir direto para o presídio, assim como se houvesse uma mudança real no poder o juiz de província, Sérgio Moro, que adora o jet set internacional e os regabofes da burguesia nacional de caráter escravocrata seria demitido para o bem do serviço público. 

Certamente, cara pálida, que se tal juiz de Maringá ou da republiqueta de Curitiba de ares fascistas morasse em um país civilizado, obviamente que o vaidoso cidadão entubado em um black tie estaria com os dias contados para ter como seu endereço a cadeia. Porque se tem um juiz que cometeu crimes, inclusive de traição e conspiração, este juiz é Sérgio Moro. Só quem não sabe disse são os coxinhas lobotomizados, o Grupo Globo historicamente golpista e o juiz Luís Roberto Barroso, do SCT, que vem a ser a vergonha, o vexame e a desgraça do Brasil. Lula Livre no dia 26! É isso aí.