Google+ Badge

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Juízes e procuradores manipulam e distorcem a verdade porque não querem responder por crime de responsabilidade e abuso de poder — Carmén e Dallagnol

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre



"A Justiça, cega para um dos dois lados, já não é Justiça. Cumpre que enxergue igual à direita e à esquerda". (Ruy Barbosa).

Os togados do Poder Judiciário, à frente o STF, a PGR e suas subsidiárias, a exemplo da 13ª Vara Federal do Juiz Sérgio Moro e o MPF de Deltan Dallagnol com suas "Dez Medidas Contra a Corrupção", estão revoltados e inconformados porque os deputados, a grande maioria partícipe do golpe de estado contra a presidente legítima e constitucional, Dilma Rousseff, resolveram incluir nas dez medidas dos paladinos da Justiça os itens que incluem tais servidores públicos do Judiciário como cidadãos regidos pela Constituição e pelo Código Penal brasileiros.

Além disso, pois muito salutar ao País e ao seu povo trabalhador cansado de guerra, que os juízes e os procuradores — os que judicializaram a política e criminalizaram as ações do Governo da presidente trabalhista deposta por um golpe cucaracha, a fim de selecionar quem vai ser investigado, julgado e preso, geralmente os políticos e as lideranças do PT — têm de ser obrigatoriamente tratados como seres mortais, porque eles morrem iguais a todos os seres vivos e têm necessidades inadiáveis, como ter fome, dormir e ir ao banheiro, a exemplo de qualquer mortal.

E digo mais: Os togados da República bananeira e terceiro-mundista, muitos deles com a cabeça despolitizada e partidária de coxinha, como comprovou pelo Facebook o juiz "miameiro" Catta Preta, do Distrito Federal, precisam inclusive de dinheiro para pagar suas contas, fazer compras e sustentar suas famílias. Eles, definitivamente, não são deuses, porque Deus, para quem acredita, está acima de suas reflexões, princípios e valores mundanos. Ponto.

Contudo, ora veja, essa gente de toga não se conforma em ser tratada como qualquer cidadão, ou seja, ser submetida pelas mesmas leis as quais os brasileiros são submetidos. Fulos da vida, juízes e procuradores passam, então, a dar declarações estapafúrdias, as mais evasivas possíveis, como se elas fossem sérias, porque a intenção é garantir o aplauso e o apoio do lumpesinato, em forma de classe média, em busca do aplauso fácil, por intermédio de propaganda e publicidade das mídias conservadoras, que fazem parceria com certos membros do Judiciário, que estão envolvidos com a luta partidária, programática e ideológica. A ira dos togados é similar à chantagem.

Poderia citar inúmeros juízes e procuradores, além de delegados da PF que se arvoraram de donos do País e, com efeito, querem governá-lo no lugar dos eleitos, como os que foram derrubados por um golpe promovido pelas oligarquias brasileiras e pela plutocracia internacional. É perceptível, por exemplo, juízes como Gilmar Mendes, Luiz Fux, Cármen Lúcia, Dias Toffoli, Rosa Weber, Edson Fachin e Celso de Mello, além de Sérgio Moro e inúmeros juízes de primeira instância por todo o País, que se esmeraram em aprovar decisões liminares para impedir a posse de Lula como chefe da Casa Civil, em uma clara e indiscutível demonstração de que membros da Justiça estão a fazer política, a escolher lado, cor ideológica e a militar partidariamente, o que é, realmente, o fim da picada.

Procuradores da Lava Jato exemplificados em Diogo Castor, Deltan Dallagnol, Carlos Fernando Lima, Roberson Pozzobon, Orlando Martello, Januário Paludo, além do procurador do DF, Ivan Cláudio Marx, dentre outro recentemente afastado para o bem do serviço público, bem como os promotores de São Paulo, Cássio Conserino e Fernando Henrique de Moraes Araújo, que disputam a "glória" e a "primazia" de perseguir Lula para tentar prendê-lo, mesmo sem quaisquer comprovações sobre os supostos crimes cometidos pelo ex-mandatário de esquerda.

O político trabalhista e republicano, que mostrou, sem sombra de dúvida, em seus governos democráticos e receptivos a todos os grupos sociais e categorias profissionais, que é possível mudar para melhor o Brasil se houver vontade política, assim como fazer deste País uma Nação importante e influente em termos mundiais. Todo mundo viu e percebeu isto e foi exatamente este processo desenvolvimentista que desagradou e enfureceu a casa grande e os coxinhas reacionários e de direita. Aí veio o golpe selvagem à moda cucaracha, com a aquiescência e a cumplicidade do Poder Judiciário. Ponto.

Agora o Brasil está sob a ameaça da força-tarefa da Lava Jato, a liderar essa pantomima o procurador Deltan Dallagnol, que não aceita a decisão da Câmara, por intermédio da imprensa golpista, principalmente as Organizações(?) Globo, de incluir os procuradores e os juízes no que é relativo a tais togados responder pelos crimes de responsabilidade e abuso de poder. Dallagnol tergiversa, bem como os procuradores e os juízes também não querem obedecer o que está estabelecido pela Constituição no que concerne ao teto salarial de tão importante categoria, que é realmente importante e precisa existir, mas que também não são dignos de se considerarem acima das leis e da sociedade e dos contribuintes que lhes pagam muito bem.

Dallagnol se comporta como um ditador, como também a maioria dos membros da Lava Jato, da PGR e do STF. São déspotas que "sequestraram" a política brasileira e os resultados das urnas soberanas, conforme apregoa a Constituição. É inacreditável que o Brasil se tornou refém de um Poder que se arrogou como partido político de caráter ditatorial, arbitrário e tenebrosamente intervencionista. Pobre do País cujo destino fique nas mãos de togados. Pobre do País que não tem recursos para se defender e se proteger de agentes, operadores e executores do Direito e das leis.

A ditadura do Judiciário é a pior, se existe ditadura "melhor". Simplesmente eles não aceitaram que membros do Judiciário sejam punidos, a não ser quando pegos com a mão na botija, a terem como "dura" punição a aposentadoria com todos seus direitos salariais e pecuniários intactos. Trata-se de um deboche, de acinte e de escárnio. Nunca vi nada igual, como tem acontecido no Brasil. Uma barbaridade retumbante! Este País é um vexame!

Enquanto isto, o golpista mão de tesoura e tresloucado fundamentalista do mercado, Pedro Parente, a mando de mi-shell temer e José Serra, vende a Petrobras, arrebenta com a estatal e a esquarteja. Além de vender os ativos de várias subsidiárias da empresa pública, ainda disse que a Petrobras não participará da concorrência pelos lotes do Pré-Sal. Trata-se, indubitavelmente, de uma crime de lesa-pátria contra o País e sua independência no setor de energia. Parente deveria estar preso e a "puxar" uma cadeia de 100 anos, o que seria pouco para o indivíduo perigosíssimo para a Nação brasileira como o é esse sujeito traiçoeiro e divorciado dos interesses do Brasil.

O Brasil se tornou um quintal de terceiro mundo, como nunca foi, a não ser na época de FHC — o Neoliberal Golpista I —, que também está por trás dessas criminosas privatizações. Em um País realmente sério essa gente sem eira e nem beira seria sumariamente fuzilada ou punida com prisão perpétua. Porém, juízes, procuradores e delegados; militares, grande parte dos políticos e empresários, além dos lamentáveis coxinhas de classe média estão quietos, não dão um pio e não movem uma palha. Trata-se de uma Nação de entreguistas, corporativos, individualistas e sem quaisquer noções de brasilidade e nacionalidade. O Brasil é uma Nação onde viceja uma casa grande e parte populosa da sociedade de carácteres colonizados e párias! Esta é a verdade.

Propositalmente e harmoniosamente, Deltan Dallagnol e Cármen Lúcia criticaram a decisão do Congresso de analisar e votar as propostas da Lava Jato, ou seja, independente de ser um Congresso responsável pelo golpe parlamentar, analiso as realidades no sentido de que, constitucionalmente, o Congresso e suas câmaras alta e baixa formam o Poder Legislativo e, evidentemente, que é este poder institucionalizado que legisla.

Como o Brasil é um País surreal e que não pode, pelo menos por enquanto e neste momento ser levado a sério, não é de se estranhar que servidores públicos do Judiciário, hiperinflados pelas mídias corporativas, que, por conseguinte, fazem as cabeças de parte da população que desejou nas ruas até mesmo a efetivação de um golpe militar, arrogam-se agora como "donos" do Brasil e, consequentemente, suas vontades, desejos e interesses têm de ser atendidos, doa a quem doer e dane-se a Constituição.

Para a presidente do STF, Cármen Lúcia, que debochou da presidente deposta, Dilma Rousseff, por causa da palavra presidenta ser escrita e falada com "a" no fim da palavra, e para o procurador do powerpoint mequetrefe, Deltan Dallagnol, incluir no pacote das "Dez medidas" votadas na Câmara, que define punições a juízes e procuradores por abuso de autoridade, é provocação e retaliação. Pura manipulação. É porque eles acham que todo mundo é idiota. Durma-se com um barulho desse.

Seria trágico se não fosse cômico. Volto a ressaltar: trata-se de um Congresso golpista, reacionário e de direita, que deu um golpe para atender às oligarquias e às corporações econômicas e comerciais privadas, mas que incluiu, com acerto, o abuso de poder por parte de juízes e procuradores nas medidas aprovadas, pois a verdade é que é um ato totalmente necessário para a sociedade brasileira em termos macros, independente se os deputados, por interesses próprios ou por retaliação, tenham aprovado o item que o procurador Dallagnol e a juíza Cármen não queriam que fosse aprovado. Porém foi.

O Supremo Tribunal Federal vai intervir e anular a decisão da Câmara dos Deputados? Vai se sobrepor a outro poder e atender os interesses dos coronéis midiáticos e seus empregados, que já estão desesperados com a batata quente que se transformou o governo já fracassado e ilegítimo de *mi-shell temer? Se vai tomar para si o direito de legislar, então por que os juízes do STF permitiram a efetivação de um golpe de estado travestido de legal e legítimo contra uma mandatária constitucional que não cometeu crime de responsabilidade, como ficou mais do que comprovado? Com a resposta a Cármen Lúcia e seus colegas de tribunal...

Entretanto, ratifica-se que o Judiciário NÃO quer que a caixa preta deste Poder da República seja questionado, fiscalizado e, quando um de seus membros cometer crimes, punido com o rigor da lei. Cumpre-se a lei. A lei é para todos, porque todos cidadãos são iguais perante a lei, seja juiz, procurador, delegado ou cidadão brasileiro com seus direitos civis em pleno vigor. Sem justiça não há paz!

Os membros do Judiciário e seus porta-vozes deveriam saber disso desde sempre. Juízes e procuradores manipulam e distorcem a verdade, com o apoio da imprensa de mercado, porque não querem responder por crime de responsabilidade e abuso de poder. Enquanto isso os togados não ouvem, não enxergam, não falam, porque estão a deixar os corruptos e golpistas vender o Brasil e acabar com os programas de inclusão social, que edificaram os mais pobres. É isso aí.



terça-feira, 29 de novembro de 2016

Moro é Calabar e EUA: traição ao Brasil, desemprego em massa, prejuízo à infraestrutura e fim dos programas estratégicos e de inclusão

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


Doze milhões de brasileiros desempregados, uma presidente constitucional deposta, o Brasil humilhado e envergonhado por ser tratado como republiqueta das republiquetas das bananas, um ex-presidente ferozmente perseguido e linchado publicamente sem quaisquer provas de ter cometido crimes, a economia brasileira destruída em apenas dois anos, um "presidente" golpista e usurpador, a ser tratado como pária em todo e qualquer lugar, pois "chefe" de ministros e parlamentares corruptos, de acordo com os delatores da Lava Jato, além de uma imprensa de negócios privados, que atua no Brasil para defender seus interesses e sequestrar a agenda política e administrativa do Brasil. 

Além de toda essa tranqueira, ainda tem a pergunta que se recusa a calar: Lex Luthor — vulgo Alexandre de Moraes—, o ministro da Justiça golpista, vai vazar para a imprensa os grampos de autoria do ex-ministro Marcelo Calero, que gravou o presidente golpista *mi-shell temer, o chefe golpista da Casa Civil, Eliseu Padilha, além do golpista e corrupto que caiu do poder, o tal de Boca de Jacaré, vulgo Geddel Vieira Lima? Afinal, a PF tão acostumada a vazar grampos de autoridades dos governos petistas para sua parceira, a imprensa de mercado, possui o know-how para fazer esse "digno" trabalho de sedição e falta de responsabilidade, o que denota a essência dos golpistas. Eu vou responder à pergunta: Não. 

A PF comandada por Lex Luthor não vai vazar os áudios do Calero, os que interessam de fato, porque os vazamentos são somente dedicados aos inimigos, sendo que os inimigos são os políticos do PT, além de Lula e Dilma, assim como todos aqueles que cooperaram com os governos petistas. Exatamente como procede o seletivo juiz Sérgio Moro, principalmente agora que 11 dos principais delatores, na presença do juiz de província e aliado dos interesses norte-americanos, negaram quaisquer envolvimentos de Lula com a corrupção da Petrobras, bem como afirmaram, categoricamente, que não sabem nada sobre o apartamento do Guarujá, que não é de Lula, nunca foi e, considero, que jamais o será. 

Essa realidade contraria a má intenção de Sérgio Moro em prender Lula, bem como, ao que parece, vai agilizar sua volta aos EUA, onde esse senhor se sente tão bem como peixe na água. Tanto é verdade que o juiz, que também age e atua indevidamente como promotor e delegado, vai passar um ano nos "esteites", lugar onde os coxinhas de classe média e média alta adoram, pois de uma paixão incontrolável, tais quais às pessoas que se tornam fundamentalistas em relação às religiões. 

Já vi isso algumas vezes e já fui alvo de insultos, há dois anos, em um restaurante, a almoçar com alguns amigos e ser abordado desrespeitosamente por um estranho a babar de ódio, um filhote de Mussolini despolitizado, que estava no local e por eu ter dito, de forma informal, que os Estados Unidos têm suas mazelas, muitas delas graves e que não são repercutidas com destaque pelos grandes jornais brasileiros, como ocorre quando algo de ruim acontece na Rússia ou na China. 

O sujeito raivoso surgiu de alguma mesa e me destratou, mesmo a estar com um grupo de amigos. Chega a ser surreal a boçalidade de tal indivíduo, a se vestir com a camisa amarela da Seleção Brasileira. Um autêntico e genuíno selvagem de classe média, que saiu do armário e, hipócrita, certamente se considera civilizado quando está em Miami ou Orlando, mesmo a apoiar um golpe bárbaro, cucaracha e de terceiro mundo. 

Recentemente, gente dessa laia e estirpe foi à Embaixada de Cuba, em Brasília, para pisotear as flores, as fotografias, os santos, as velas, enfim, as homenagens colocadas na calçada em homenagem a Fidel Castro, que, independente de méritos ou de quaisquer questões, inegavelmente é um dos maiores vultos da história da humanidade e do século XX. Sem mais comentários. 

Como asseverei anteriormente, o Brasil não precisa de inimigos externos. Os inimigos do País estão a viver nele, como demonstra, inequivocadamente, o governo usurpador e pária de *mi-shell temer e seus asseclas, que tomaram de assalto o poder, como os assaltantes fazem com os bancos e as lojas comerciais. São responsáveis também por este golpe de estado de 2016 os coxinhas de classe média, que cooperaram para que uma quadrilha assumisse o poder e sangrasse a economia do Brasil.

Contudo, o que chama a atenção da comunidade internacional e de grande parte da sociedade brasileira é o cruel desmanche do Brasil efetivado pelas oligarquias brasileiras, que, enlouquecidas para tomar o poder e, com efeito, assaltar o Estado nacional, não economizaram esforços para cometer inúmeros e diversificados crimes contra os interesses do Brasil e de seu povo, a ter como base para tanto o Poder Judiciário, que tem o apoio e a cumplicidade irrestritos da imprensa meramente mercantilista e de tradição golpista.

Togados e meganhas construíram uma conjuntura perversa e seletiva, injusta e persecutória, de tal modo que quebraram as pernas e as mãos do Brasil e depuseram, como integrantes de um consórcio de direita, a presidente constitucional e eleita legalmente com 54,5 milhões de votos, o que, sobretudo, denota que essa galera mal-intencionada, a despeito do combate à corrupção propiciado pela Lava Jato, tem como propósito principal não permitir que Lula seja candidato a presidente em 2018. 

E por quê? Porque o político trabalhista no poder significa a retomada dos programas e projetos nacionalistas, estruturalistas e de inclusão social, bem como o Brasil certamente voltará a ter uma política externa independente dos Estados Unidos, além de Lula nomear economistas e financistas desenvolvimentistas para assumirem o Banco Central e os ministérios do Planejamento e da Fazenda. 

E é tudo que a burguesia brasileira, os governos dos EUA, os europeus, os rentistas e especuladores do mundo inteiro não querem. Esses são os verdadeiros motivos do golpe bananeiro de estado, que no momento está à frente desse processo draconiano um juiz seletivo, perseguidor, sem isenção e injusto, que sempre responde "não vem ao caso", quando alguém lhe pergunta por que até agora não tem um único tucano do PSDB, do DEM e do PPS preso. Durma-se com um barulho desse. Querer tratar a todos os brasileiros como idiotas é o fim da picada. Será que essa gente togada e dada à meganhagem pensa que escapará do severo julgamento da história?

Depois disso tudo que afirmei até o momento neste artigo, temos aqui, neste País atrasadíssimo e dominado por uma casa grande mais atrasada ainda, um  juiz de província, o Sérgio Moro, que afirmou, peremptoriamente, que o teor das perguntas do ex-deputado e agora encarcerado, Eduardo Cunha, ao presidente golpista da República, *mi-shell temer, é "inapropriado", sendo que o juiz de primeira instância ressaltou que a 13ª Vara Federal de Curitiba "não tem competência para a realização, direta ou indiretamente, de investigações em relação ao exmo. sr. presidente da República".

Sendo assim, das 41 perguntas de Cunha para *mi-shell temer, apenas 20, ao que parece até o momento, foram validadas pelo nobre magistrado. Por seu turno, seria cômico se não fosse trágico se tal juiz de ações persecutórias e de comportamento seletivo não tivesse dado ordem para gravar 25 advogados do escritório que defende o ex-presidente Lula, além de ter vazado o áudio no qual a presidente deposta por bandoleiros da pior espécie conversava com o ex-presidente trabalhista e o maior político da América Latina, Luiz Inácio Lula da Silva. 

Sendo o responsável por essas determinações ilegais e se tivesse acontecido em um país civilizado e realmente democrático, Sérgio Moro, sem sombra de dúvida, seria sumariamente afastado, investigado, demitido para o bem do serviço público e, evidentemente, estaria preso. 

Moro cometeu crime contra a segurança nacional e violou o segredo profissional e constitucional de advogados em relação aos seus clientes, além de ter cometido uma série de arbitrariedades e crimes quanto às prisões e à soltura de delatores que roubaram o Brasil e estão agora a curtir a vida em suas casas confortáveis juntos às suas famílias e amigos. A churrascada e a beberagem será boa. Graças ao Moro, que solta criminosos que assaltaram os cofres públicos em bilhões de reais por delações. Enquanto isso, José Dirceu é condenado à prisão perpétua. E ninguém vê ou percebe, porque para o Moro, os procuradores e a imprensa empresarial todo mundo é idiota...

Como disse agora há pouco, Moro cometeu crime contra a segurança nacional, conforme comentaram juristas, juízes, catedráticos, a OAB e procuradores, que discordam de inúmeras ações realizadas pelos "intocáveis" da Lava Jato. E por quê? Porque gravar uma presidente da República e vazar suas conversas para a imprensa de mercado mais corrupta e golpista do mundo ocidental é realmente um crime de responsabilidade sem precedentes. E o STF cruza os braços... Legal, não? País sério, né? Autoridades confiáveis, não é?

Talvez por isso que o procurador Deltan Powerpoint Dallagnol tenha ido fazer lobby para que o relator das "Dez medidas contra a corrupção", o deputado Onyx Lorenzoni (DEM/RS), político também envolvido com o golpe bananeiro, retirasse do relatório e da pauta de votações os itens que definem o "crime de responsabilidade" e o "abuso de poder" contra juízes e procuradores, que, porventura, possam cometer crimes ou ilegalidades. 

Trata-se, sem sombra de dúvida, de uma casta que se arroga i-nim-pu-tável, ou seja, acima do bem e do mal, tais quais aos tucanos. Só que essa casta é composta de homens e mulheres como quaisquer homens e mulheres e deveria se submeter à Constituição e ao Código Penal, que serve para todos os cidadãos brasileiros. Ponto. 

Juízes e procuradores nascem, crescem, vivem e morrem como qualquer ser mortal. Juízes e procuradores também erram porque a realidade é que são seres humanos, que têm sonhos, desejos, necessidades, vaidades e até mesmo manias de grandeza, como demonstram os guardiões da moral e dos bons costumes da Lava Jato. Nada mais udenista... 

Ao serem retirados tais itens do relatório do deputado Onyx, os juízes e os procuradores que se comportam como seletivos, arbitrários, injustos, não isentos, partidários, partidarizados e promotores de ações e atos persecutórios ficarão impunes e poderão botar para quebrar contra quem eles considerarem seus inimigos políticos, ideológicos e partidários. E são estas condutas que os juízes, os procuradores e os delegados da Lava Jato transformaram em lugares comuns.

Afinal, o Poder Judiciário (STF, PGR/MPF e DPF) resolveu governar no lugar dos eleitos pelo voto popular e constitucional. Isto mesmo: servidores concursados, que provaram que desconhecem os processos políticos e administrativos, resolveram mandar no Brasil, a despeito da Constituição, ou seja, que se danem os cidadãos brasileiros e os eleitores, ao ponto de participarem de um golpe de estado, cuja presidente deposta não cometeu crime de responsabilidade. 

Para resumir, impeachment sem crime de responsabilidade é golpe. Portanto, a convicção de milhões de brasileiros e da imprensa e de governos estrangeiros é que no Brasil houve um golpe de estado travestido de legal e legítimo. Nunca me canso de relembrar esta importante questão. Ponto.

O juiz Sérgio Moro, como uma dos associados do consórcio que promoveu mais um golpe de direita no Brasil, evitou politicamente e criminosamente que Lula assumisse a Casa Civil, bem como seus crimes são protegidos de forma corporativa pelo CNJ, STJ, TRF-4 e, principalmente, pelo STF, que se acumpliciaram, cada ente a cumprir seus papéis, dentro do âmbito do Judiciário e da Justiça. 

A verdade histórica é a seguinte: juízes, procuradores e delegados da PF foram os sustentáculos do golpe da casa grande, com a força da propaganda neofascista por parte das mídias corporativas, extremamente ideológicas, a partir do campo da direita e controladas por cinco famílias bilionárias, que conspiram há décadas contra todo e qualquer presidente trabalhista, que conquiste, por intermédio do voto direto, a Presidência da República. 

Fatos históricos que se repetem agora, em 2016, com a presidente deposta, Dilma Rousseff, vítima de um golpe de estado de terceiro mundo e que reflete como a imagem no espelho as ações nefastas de uma burguesia atrasada, cujo o avanço é o retrocesso.
    
O juiz de primeira instância, Sérgio Moro, gosta muito de utilizar uma frase quando perguntam-lhe por que o magistrado, o principal coordenador da Lava Jato, apenas se preocupa em investigar e punir o PT e, recentemente, o PMDB, em parte, mas jamais o PSDB, o DEM e o PPS. Ele poderia responder, se quisesse, que tais partidos são atores intrínsecos no que é relativo ao golpe de estado, não somente ao que concerne ao golpismo no âmbito doméstico, mas, sobretudo, na parte referente ao governo dos EUA, que defende os interesses dos conglomerados econômicos transnacionais da potência imperialista de caráter beligerante e de ações unilaterais.

Contudo vai ficar por isto mesmo, inclusive a questão de Sérgio Moro viajar tanto para os EUA, a tê-lo como exemplo, como se a potência fosse exemplo no que tange a sabotar e atropelar os países que, porventura, tentam ser independentes e autônomos. A verdade é que a Lava Jato é a fração primordial de um consórcio internacional de índole colonialista, que tem por finalidade ferir de morte o Estado brasileiro e, com efeito, dar fim ao processo de independência energética do Brasil, bem como atrelar o País sul-americano ao círculo de influência do país yankee, a enfraquecer o Mercosul, a Unasul e os Brics. O Brasil colonizado como sempre. A cara e a alma da burguesia e da pequena burguesia nacional de caráter escravocrata e espírito de porco.

Os grandes trustes dos EUA querem ainda dominar o poderoso e multidiversificado mercado interno brasileiro, como comprovou Lula ao fazer a roda da economia girar ao melhorar as condições de vida dos pobres ao transformá-los em consumidores e correntistas de bancos. Milhões de brasileiros, para quem não sabe, não tinham uma simples conta corrente em banco. Agora, os golpistas querem recuperar a economia nos moldes neoliberais do fracassado e entreguista governo  de FHC — o Neoliberal Golpista I —, depois de terem dado um golpe de estado, a ter a quebra da política industrial brasileira liderada pelo Estado como essencial para a deposição de Dilma Rousseff.

Além disso, efetivaram-se, inclusive, as pautas bombas com o objetivo de engessar as ações do Governo Trabalhista, além de paralisar os trabalhos de estatais da importância da Petrobras e da Eletrobras, que eram as âncoras de diversos setores ramificados, como uma teia econômica e financeira, que cooperavam para fortalecer a economia, desde o comércio de parafusos até a indústria pesada da construção civil e dos setores petroleiro, hidrelétrico e naval.

A economia quebrou nas mãos dos golpistas de direita antes mesmo de eles tomarem de assalto o Palácio do Planalto, como o fazem os bandidos nas ruas. Políticos do PSDB, PMDB, PSB, DEM e PP, delegados, procuradores e juízes, empresários ligados à Fiesp, latifundiários do agronegócios e, principalmente, as mídias privadas se associaram em uma milícia extremamente conservadora e violenta, de forma que fosse possível a eles tomar as rédeas do poder central e fazer o que estão a fazer sem a autoridade do voto popular e universal: impedir que o Estado seja o indutor do desenvolvimento e da distribuição de renda e riqueza ao transformá-lo em mínimo para o povo e máximo para os ricos, os que já tem e sempre tiveram muito.

Para concretizar tais crimes de traição e de lesa-pátria é imperativo vender as estatais, que funcionam como dínamos da produção de riquezas e renda para a Nação, extinguir os programas de inclusão social, desde o Bolsa Família até o Minha Casa, Minha Vida, acabar com os ministérios que cuidam dos interesses das minorias, privatizar e terceirizar a educação e a saúde, a prejudicar o Enem, o Fies e o SUS, a favorecer o lucro dos empresários desses setores fundamentais para a vida das pessoas, que são inegociáveis, porque considerar investimentos como gastos, como o faz esse governo golpista, realmente é de uma inconsequência e covardia inomináveis e inenarráveis.

*mi-shell temer, o *mefistófeles, está a cometer crimes sem fim. Trata-se de um homem menor como cidadão e de um pária como político. Seu projeto de desmonte do Estado nacional e de retirada das conquistas sociais e econômicas do povo brasileiro não é apenas covardia e barbárie praticadas por vândalos que destruíram o País para entregá-lo às corporações privadas estrangeiras, assim como evitar parar na cadeia por causa da Lava Jato, que é seletiva e partidária, tanto que o juiz Moro impugnou 21 das 41 perguntas feitas por Eduardo Cunha a *mi-shell temer.

O usurpador que está a ser blindado, já que o consórcio de direita golpista, especificamente a Globo, está desesperado com a tibieza, a pusilanimidade, a incompetência e a falta total de caráter dos golpistas que estão no poder. Colocaram um inconsequente e irresponsável no poder, acompanhado de seu bando, e não sabem o que fazer, porque, na verdade, o Brasil somente voltará à normalidade com a efetivação de eleições diretas, e já! Sem eleições diretas não haverá estabilidade político-institucional, tanto quanto que sem justiça não há paz.

A Globo e suas similares da imprensa alienígena, além do PMDB, do PSDB e seus aliados, com efeito, têm de ser impedidos de criminosamente congelar  durante 20 anos os investimentos para os setores de saúde e educação. Os partidos votam e a Globo apoia com sua propaganda criminosa por meio de seus inúmeros jornais de diferentes mídias, para que a população fique impotente e resignada, como se tivesse sido drogada e, consequentemente, concordar com os crimes cometidos contra ela própria. É o que se chama de tiro no pé. Um povo que também está a ser prejudicado no que é relativo à previdência, ao salário mínimo e à reposição de perdas, no que concerne à inflação.

Como se percebe, trata-se de um governo de direita canalha ocupado por patifes e cafajestes, que têm como primeiro objetivo pagar a conta bilionária do golpe criminoso contra o Brasil para a banca nacional e internacional e seus porta-vozes da imprensa comercial e privada, que, reitero, deram um golpe ao preço de destruir o Brasil e inviabilizar sua luta para se desenvolver e, por conseguinte, tornar-se independente. Só não vê quem não quer ou é um tremendo cidadão de má-fé, não somente no plano intelectual, mas também no que diz respeito à sua formação como cidadão. 

Os setores de engenharia civil, naval, nuclear, petrolífero e químico são os alvos principais dos golpistas brasileiros e das potências estrangeiras, de forma que o País tenha sua economia propositalmente paralisada, realidade que acontece desde quando saíram às ruas os coxinhas de classe média, que ignorantes ou não, são também cúmplices do golpe de estado de 2016, que inviabilizou o Brasil e sangrou sua economia.

O golpismo que acabou na deposição de Dilma Rousseff, o que acarretou um desemprego recorde de 12 milhões de pessoas, além de quedas consecutivas no que é relativo à produção industrial, sendo que o comércio nunca vendeu tão pouco nos últimos 14 anos, desde quando o PT conquistou o poder em 2003. O PT tem programa de governo e projeto de País. Sempre teve, como o tinha o PTB de Getúlio Vargas, João Goulart e Leonel Brizola. Tanto é verdade que são esses dois partidos históricos que são alvos de golpes de estado.

Trata-se de partidos trabalhistas e nacionalistas, que realmente, quando estiveram no poder, desenvolveram o Brasil dentro do que foi possível, ao tempo em que eram infernizados pelas mídias burguesas. Programa de governo e projeto de País é coisa que a direita nunca teve, não tem e nunca terá. Realidade histórica. O projeto da direita é governar para poucos se locupletar e fazer do Estado "seu" patrimônio de transferência de renda e riqueza à iniciativa privada, como o faz agora o traiçoeiro e irresponsável Pedro Parente com a Petrobras, com a supervisão de José Serra, o tucano golpista que recebeu no exterior R$ 20 milhões de forma ilegal e que até agora nada aconteceu com esse sujeito, que vive em um mundo paralelo e desprovido de qualquer realidade no que tange aos interesses do povo brasileiro. Trata-se de uma pústula!

Em contrapartida, os bancos batem recordes de lucros, porque aqui, em Terra Brasilis, estabeleceu-se o paraíso da mamata, da pirataria, da especulação e do rentismo desenfreados, com taxas e juros bancários escorchantes, onde os bancos, os banqueiros e os agentes financeiros privados e do Estado nacional, a exemplo do Banco Central e do Ministério da Fazenda, que tratam dos interesses desse setor, são os maiores responsáveis pela agiotagem desenfreada em tamanho planetário, a tal ponto de ser muito perigoso para pessoas físicas e jurídicas contratar empréstimos ou simplesmente fazer uso do cartão de crédito e do cheque especial, que parecem navalhas. 

É o fim da picada. Realmente e verdadeiramente se trata, concretamente, de uma republiqueta das bananas, dominada por uma burguesia cucaracha e vira-lata, que tem a cara e a alma de *mi-shell temer, José Serra e Aécio Neves, dentre outros usurpadores, ou seja, vulgaridade e a escória desprovidas da grandeza que o povo brasileiro merece, quando se trata de ser governado por líderes políticos. A corja golpista representa a pequenez e a estupidez política em tamanho natural e plena de perversidade. Ponto. 

Tal juiz Moro de ações e atos persecutórios e seletivos contra seus inimigos, no caso o PT e as empreiteiras, parece viver em um mundo paralelo e restrito à 13ª Vara Federal de Curitiba. A demolição das construtoras e da Petrobras, que são responsáveis praticamente por mais da metade das atividades industriais e de construções no País, a garantir dezenas de milhares de empregos no Brasil e no exterior, é um acinte à inteligência alheia e um crime de lesa-pátria contra a Nação. Prendem-se os corruptos e os corruptores, mas jamais se destroem empresas poderosas e multinacionais vinculadas ao Brasil e ao esforço de milhões de brasileiros, geração após geração.

Trata-se de  setores conhecedores de alta tecnologia, pesquisa e ciência, que inclui neste bojo desde a construção de submarino nuclear até o estabelecimento de uma indústria naval poderosa. Um setor que domina o conhecimento para a construção de plataformas petrolíferas, além de as empreiteiras estarem envolvidas com inúmeros programas e projetos, que vão desde a transposição do Rio São Francisco à edificação de hidrelétricas, que permitirão a autonomia e a independência da região Norte do País, por exemplo, no que tange à finalização das obras de Belo Monte, Tucuruí e Jirau.

A região Norte e Nordeste, que tanto necessitam de investimentos para que os brasileiros nascidos nesses locais possam também avançar socialmente e economicamente. É um direito inalienável e inegociável, pois acima de tudo brasileiros. O País não se resume a apenas aos herdeiros e às novas gerações dos imigrantes centenários de São Paulo, das Minas Gerais, do Paraná, de Santa Catarina, do Rio Grande do Sul e das "elites" do Norte, do Nordeste e do Centro-Oeste. De forma alguma, pois um grande equívoco.

O Brasil foi, sobretudo, construído pelos negros, mestiços, índios, ou seja, pelos seus caboclos, que conquistaram os sertões e as terras brasileiras juntamente com os brancos europeus, exemplificados nos portugueses e, séculos depois, por intermédio das grandes imigrações do fim do século XIX e início do século XX. Brancos que, diga-se de passagem, passavam por severas necessidades em seus países, inclusive a fome, pois irremediavelmente pobres. Que esta verdade fique clara e transparente para que as gerações atuais da burguesia e da pequena burguesia não se considerem melhor e mais importante do que a grande maioria dos brasileiros. Lembrem-se: seus antepassados eram pobres e passavam fome. Então é de bom alvitre baixar a bola, ler história e, principalmente, olhar-se no espelho.

Esses são alguns dos motivos que levam as ONGs e a direita brasileira, que lutam para não alforriar e emancipar o povo brasileiro, combater projetos desenvolvimentistas, pois o golpe de estado de 2016 não se trata apenas de impedir a luta pela independência do Brasil, no que concerne ao seu desenvolvimento e ao seu poder como potência energética do século XXI, mas, sobretudo, intervir para que o Brasil não se transforme em País influente na comunidade internacional e, principalmente, na América Latina. Os EUA não dividem poder.

A região do mapa mundi considerada pelos Estados Unidos e pela casa grande brasileira, aliada subalterna e cúmplice dos yankees, como quintal de seus interesses econômicos e com mão de obra barata. O consórcio de direita golpista quer destruir os projetos de autonomia e de independência do Brasil propostos pelo Partido dos Trabalhadores e suas lideranças, bem como aprovados pela maioria do povo brasileiro em quatro eleições consecutivas. 

Por sua vez, esta realidade contraria muito os interesses dos Estados Unidos, de seus aliados da Europa Ocidental e da casa grande brasileira, que age e atua há séculos como capitão do mato dos norte-americanos, pois se trata de uma casta herdeira da escravidão, colonizada, subserviente, subalterna e portadora de um incomensurável e inenarrável complexo de vira-lata, porque, verdadeiramente, jamais as oligarquias brasileiras se deram ao trabalho de pensar o Brasil, a fim de desenvolvê-lo e libertá-lo do jugo dos países ricos, de forma que pudéssemos ter nos trópicos uma Nação desenvolvida, justa, igualitária, democrática e forte o suficiente para proteger seus interesses como País civilizado.  

Porém, torna-se praticamente impossível que este país tão rico e culturalmente diversificado se liberte de suas amarras centenárias, porque em suas terras vicejam grupos econômicos (corporações privadas) e políticos (autoridades do Executivo, do Congresso e do Judiciário), que são mais perigosos para os interesses do País, no que diz respeito à sua independência, do que propriamente os governantes e o empresariado internacional. 

Se o Brasil fosse um País civilizado e democrático, jamais um grupelho de togados e meganhas, que se consideram "ungidos" por Deus e pela imprensa de mercado de magnatas bilionários, que há décadas derrubam presidentes constitucionais, legalmente e legitimamente eleitos fariam o que estão a fazer: rasgar a Constituição, jogar na lixeira o Código Penal, destruir os parques industriais estratégicos ou, no mínimo, paralisá-los por tempo indeterminado, quebrar a economia em geral, além de fazer com que megaempresas brasileiras, responsáveis, em termos mundiais, por milhares de obras e, com efeito, pela criação de empregos, que tornaram a avançada engenharia brasileira uma das mais importantes do mundo.

De repente, surge a Lava Jato, que, evidentemente, cooperou, e muito, para quebrar o País. Obviamente que os meganhas e os togados de tal força-tarefa não são os únicos culpados pela típica e autêntica república bananeira que se transformou o Brasil. Aliás, o Brasil é o país mais bananeiro dentre as repúblicas das bananas. Inacreditavelmente a até então sexta economia do mundo foi relegada a um pardieiro de quinta categoria e do tamanho político e social do pigmeu *mi-shell temer.

É a evidência da vergonha e da humilhação, pois se trata de uma potência que não consegue, há séculos, libertar-se de suas "elites", que, associadas à plutocracia internacional, infligem à Nação uma condição de eterna subalternidade, que tem por propósito final manter o povo brasileiro cativo, pois seu direito à emancipação econômica e social sempre é estancado e prejudicado por intermédio de golpes de estado, no decorrer de sua história, promovidos pela direita brasileira, com a participação, geralmente, de agentes estrangeiros vinculados ao governo dos EUA e às grandes corporações privadas nacionais e estrangeiras.

Dito isto, pensemos nas empreiteiras brasileiras, que estavam a dominar setores da construção civil, além de outros segmentos mais complexos como o nuclear, a ter o domínio da engenharia avançada e que, em apenas 13 anos de governos trabalhistas eleitos legitimamente, passaram a atuar, com mais força e ênfase na África, no Oriente Médio, na América Latina, na Ásia, no Caribe, e, acredite, nos Estados Unidos, que jamais aceitaram que empresas estrangeiras, no caso as brasileiras, conquistassem fatias do mercado norte-americano.

Sim senhor, independente da corrupção, que é sistêmica no mundo inteiro, afinal a crise mundial de 2008, que perdura até hoje é consequência de corrupção, tanto na Europa quanto nos Estados Unidos, sendo que não foi preso um único banqueiro, bem como os tubarões do setor imobiliário, dois dos segmentos da economia que, junto com outros, demoliram o capitalismo mundial, que, na verdade, fracassou, a despeito de quem defende a exploração humana transformada em miséria, pobreza e violência em todo o planeta.

A crise internacional é fundamentalmente propiciada pela violenta concentração de renda e de riqueza, bem como o não pagamento de dívidas por parte da iniciativa privada aos estados nacionais, além da gigantesca sonegação fiscal praticada por capitalistas de toda monta, que não possuem quaisquer compromissos com a humanidade em termos planetários. Trata-se de um processo global estudado, propositado e colocado em prática. O capitalismo é filosoficamente e espiritualmente imoral.

O juiz Sérgio Moro quer prender Lula, quer afastá-lo da corrida presidencial de 2018. É sua parte, de sua responsabilidade, o seu quinhão. Os procuradores, a exemplo de Deltan Dallagnol e Carlos Fernando dos Santos Lima, dentre muitos outros, utilizam-se até de powerpoint  para forjar qualquer realidade e verdade que possa levar Lula à prisão. É lamentável a continuação dessa pantomima de terceiro mundo e de uma irresponsabilidade e crueldade atrozes. 

Sérgio Moro ouviu 11 delatores de grande importância no âmbito da Lava Jato e todos, sem exceção isentaram Lula de ter cometido malfeitos. Foram mais longe: alguns deles disseram nunca ter encontrado Lula pessoalmente. Até o político e ex-senador Delcídio do Amaral disse que Lula nunca deu intimidade a ele para tratar de quaisquer coisas que não fossem legais e institucionais. E Sérgio Moro e sua imensa mediocridade continua em sua cruzada persecutória e injusta... Lamentável.

Toda essa porcaria ou esse processo golpista, abjeto e infame aconteceu no Brasil em apenas dois anos e nenhum demotucano, volto a ressaltar, foi indiciado e preso pelos paladinos da Justiça ou pelos varões de Plutarco da Lava Jato. Um viva à Lava Jato! Viva! Um viva a republiqueta bananeira do juiz Moro e companhia! Viva! O Moro é um bom companheiro; o Moro é um bom companheiro; o Moro é um bom companheiro... Ninguém pode negar! Viva! E todo mundo é idiota... 

O juiz Sérgio Moro tem de explicar e dar satisfação à Nação se a Lava Jato é a ponte entre seus delatores e o governo dos Estados Unidos para processar em bilhões a Petrobras, e, consequentemente, quebrá-la ou inviabilizá-la como estatal de incomensurável importância para o desenvolvimento do Brasil e sua independência energética. Aqui no Brasil, o Pedro Parente, o incompetente, o mão de tesoura e subalterno de José Serra trata de esquartejar e vender a Petrobras. O Moro, os procuradores, os delegados e os juízes do STF não prendem esses caras. Moro é Calabar e EUA! E o Banestado? É isso aí. 

*mi-shell temer - o nome de tal peçonha é sempre escrito em minúsculo, por se tratar de um pigmeu moral, político, citadino e golpista.

*mi-shell temer, além de ter seu nome sempre escrito em minúsculo, a partir de agora terá seu primeiro nome escrito com as letras m-i-s-h-e-l-l. Portanto, o nome de tal desditosa peçonha passa a ser escrito no Palavra Livre como *mi-shell temer. PS: sempre em minúsculo.

*mi-shell é também conhecido pelo vulgo Amigo da Onça — o Usurpador Traidor.

*Golpista é palavra sinônima de *mi-shell temer.

*mefistófeles é *mi-shell temer.

*mi-shell temer é *mefistófeles.


*mefistófeles é sempre escrito em minúsculo.



sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Queda de Geddel — Calero atinge *mi-shell e Padilha — Globo é o poder de fato

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


*mi-shell temer é um pigmeu político e citadino, que a casa grande, ou seja, a direita brasileira o usou como ferrabrás. Todavia, *mi-shell é uma autoridade fraca, porque não tem força política e moral para governar, por ser um governante envolvido com corrupções, de acordo com os delatores presos e também os soltos pela Lava Jato, que é liderada pelo juiz de primeira instância Sérgio Moro, do PSDB do Paraná.

A falta de moral e de coragem de tal mandatário golpista é o que está a causar ira em seus parceiros de golpe de estado travestido, hipocritamente, de legal e legítimo. Parceiros igualmente golpistas como, por exemplo, os irmãos Marinho, proprietários das Organizações(?) Globo, que, inclusive mudou de nome, pois não é mais Organizações(?), mas, sim, "Grupo", talvez porque tais golpistas históricos tenham considerado que o nome "Organizações(?)" dá margem a inúmeras e diferentes definições nada elogiáveis.

Eu, por exemplo, nunca entendi o porquê deste nome e, consequentemente, o imaginário das pessoas, principalmente as que leem a história do Brasil faz com que as Organizações(?) Globo sejam objetos de desconfiança, questionamentos e contestações, como acontece agora, quando a Globo, frontalmente, ataca *mi-shell temer e seus ministros, que caem dos pés de árvores como frutas podres, um a um, sendo que o caso de Geddel Vieira Lima é um escárnio e simboliza, sem dúvida, que este golpe de estado realmente foi efetivado para atender os interesses da burguesia nacional e da plutocracia internacional, a impor, inclusive, o programa neoliberal do PSDB, que foi rejeitado e derrotado nas últimas quatro eleições presidenciais.

A Globo e sua parceiras midiáticas menores, a exemplo da Folha, do Estadão, Veja e IstoÉ não suportam mais ver o capitão do mato escolhido e apoiado por eles a governar o Brasil. Na verdade, a Globo e seus parceiros de plutocracia estão apavorados com os fracassos graves e retumbantes na economia, que reflete na sociedade, que está revoltada com as condições de vida duríssimas que estão a ser impostas por um governo ilegítimo, pária e sem quaisquer condições para se comunicar com a sociedade brasileira.

Trata-se de um governo ocupado criminosamente por golpistas e usurpadores impopulares, que em apenas seis meses está a desmontar o Estado nacional e a suprimir e extinguir os programas de inclusão social, que, em passado recentíssimo, cooperaram, e muito, para fazer girar a roda da economia, porque tais programas incluíram milhões de brasileiros no mercado de consumo, além de dar acesso à educação.

Economia básica, que este governo de patifes e malfeitores não consegue realizar, não porque é somente incompetente, mas, sobretudo, que para roubar dos pobres para dar aos ricos, como os donos da Globo, tem de sabotar a economia nacional para que o Estado seja mínimo, patrimonialista e, com efeito, transfira as riquezas do País e os recursos financeiros do Estado à iniciativa privada, que sempre viveu, vive e viverá do dinheiro público, principalmente o setor midiático.

A queda de *mi-shell temer e de seus ministros golpistas é um imperativo. Urge que eles caiam para que no Brasil sejam estabelecidas a ordem e a lei, no sentido de a Nação recuperar sua autoestima, edificar o Estado Democrático de Direito e recuperar a democracia, que neste momento está no CTI. Não se trata de uma questão meramente de *temer e sua alcateia de "cães enlouquecidos" serem levados porta à fora do Palácio do Planalto, que foi ocupado por uma gangue, como está a se comprovar com o escândalo do Geddel Vieira Lima e de todos os outros ministros que foram afastados, pois acusados de corrupção e de tentativas de obstruir a Justiça.

Tentativas que se concretizaram com o golpe. Evidentemente que sim, porque até hoje ninguém do PMDB foi preso, apesar de denunciados no âmbito da Lava Jato. E quanto ao PSDB, aí é impossível, porque tucanos presos para o juiz de província e militante do PSDB, Sérgio Moro, "não vem ao caso". A verdade é que os tucanos são i-nim-pu-tá-veis! Eles estão sob um Código Penal e uma Constituição somente para eles. Como são privatistas e "meritocratas", as leis para eles são particulares.

Esses indivíduos, os tucanos porta-vozes e defensores dos plutocratas, são regidos por uma Constituição à parte, até porque a Constituição Cidadã de 1988 está em frangalhos, maltrapilha e violada pelos golpistas que tomaram o poder central de assalto, na mão grande, pois que se dane o Brasil, a democracia e os eleitores e contribuintes brasileiros. A casa grande não é brincadeira. É por aí...

Os áudios vazados das conversas de Romero Jucá com Sérgio Machado a citar influentes políticos do PMDB,  a exemplo de José Sarney, Renan Calheiros e Eduardo Cunha (este preso), bem como do PSDB, exemplificados nos nomes de Aécio Neves, José Serra e Aloysio Nunes Ferreira, evidenciam a maior prova de que o Judiciário e suas instituições, a exemplo do STF, da PGR/MPF e da PF, são também parte intrínseca do golpe de 2016.

A queda de Geddel Vieira Lima é emblemática e simbólica de um governo cujo presidente é visto pela Globo e pela alta burguesia brasileira, promotoras do golpe, como descartável. A Globo quer consolidar o golpe. A corporação midiática não vai tergiversar quanto a esta questão. A casa grande e o governo dos EUA, o atual e o que virá com Donald Trump, não querem no poder um presidente trabalhista, como o Lula.

O ex-presidente Lula, por exemplo, é um político de esquerda e nacionalista. A verdade é que se trata de uma questão mais do que política e partidária. É uma questão global, de interesse corporativo em âmbito mundial, porque a Globo é parte importante e estratégica do sistema de capitais controlado com mão de ferro pelos bancos, pelas petroleiras e pelos fabricantes de armas. A Globo é ponta de lança do capitalismo (rentista e liberal) em termos globais e a "amarrar" o desenvolvimento e a independência do Brasil, porque, incrivelmente, tornou-se o estado que se fez privado dentro do Estado nacional.

A Globo é uma das âncoras da ordem mundial em vigor, que está neste momento a combater os presidentes trabalhistas ou nacionalistas em todo o mundo, notadamente agora na América Latina e no Caribe, pois na África, no Oriente Médio e em algumas regiões da Ásia esse processo já aconteceu, por intermédio dos movimentos sediciosos chamados de "primaveras", que serviram para derrubar mandatários que contrariavam a ordem internacional imposta pelos Estados Unidos e seus aliados europeus.

Os grandes conglomerados de mídias, a exemplo da Globo, são irmãos siameses desses setores que controlam o dinheiro e as riquezas dos países pobres e emergentes, que são os responsáveis pela transferência de recursos e riquezas aos países ricos e desenvolvidos e, por sua vez, pela manutenção do padrão de vida melhor dos povos dos países dominantes, como os EUA, o Japão, a Alemanha, a Inglaterra, a França, o Canadá, a Austrália, além dos países nórdicos e baixos.

Geddel, na verdade, não passa de um bobalhão e que agora vai responder por seus crimes e, quem sabe, ser preso, porque poderá realmente ser colocado na cadeia, bem como seus comparsas de PMDB, PSDB, DEM e PPS. Está na hora, independente dos interesses políticos e econômicos da Globo, de o Judiciário dar uma resposta efetiva quanto à corrupção e quanto ao golpe de Estado. Dilma Rousseff, se este País fosse sério, deveria retornar imediatamente ao poder para ser restabelecida a paz no Brasil, que está, irremediavelmente, dividido.

A vida realmente surpreende. E não é que não foi a oposição e nem mesmo a Globo que derrubou o Geddel, que era chamado pelo governador, ministro e senador Antônio Carlos Magalhães — o Toninho Malvadeza — de "Boca de Jacaré. Quem derrubou o Geddel e poderá derrubar o *mi-shell temer e o Eliseu Padilha, que era chamado pelo ACM de "Eliseu Quadrilha", foi ex-ministro da Cultura Marcelo Calero, que já avisou ter gravações de conversas entre ele e o presidente *mi-shell, além de ter gravado também o Padilha, que é o chefe golpista da Casa Civil.

O jogo não é de boliche, mas se trata de um verdadeiro strike!!!

A Globo sabe disso; e correu contra o tempo, pois percebeu rapidamente que a utilidade dos golpistas que tomaram de assalto a Presidência da República chegou ao fim, mesmo a saber que Geddel, o articulador político de *temer tem guardado muitos segredos, que podem detonar o governo usurpador, como também o preso Eduardo Cunha. Essa gente é dinamite pura e está apavorada com as gravações de Marcelo Calero.

Calero já está a ser combatido por Geddel, que caiu do governo e recebeu o apoio do mega delatado na Lava Jato, o golpista-mor e iniciador e finalizador da deposição de Dilma Rousseff, o playboy do eixo Rio-BH, o tucano Aécio Neves, que de tão blindado, mesmo a ser mega delatado, jamais foi convocado pelo juiz Sérgio Moro para dar um simples depoimento sobre as múltiplas acusações e denúncias que recaem sobre o tucano golpista. E por quê? Porque "Não vem ao caso!" Ponto.

A verdade é que a Globo cumpre seu papel de ser o maior partido de direita da América Latina. Um partido que não luta pelos votos da população e muito menos apresenta programa de governo e projeto de País. A Globo não pensa o Brasil. Nunca o pensou. Pelo contrário, a Globo desconstrói o Brasil, porque seus planos se resumem à sua agenda política e econômica, bem como fiel e leal aos ditames do mercado de capitais em âmbito plutocrata e mundial.

A Globo não mede consequências e, se sentir que seus interesses e de quem ela representa estão a ser contrariados, o oligopólio midiático prontamente apresenta suas armas e demole, sem dó e piedade, aquele que ousou e se atreveu colocar em risco seus planos, valores e princípios, que, evidentemente, não coadunam com os interesses do povo brasileiro e com as realidades sociais e econômicas do Brasil. A Globo pressionou pela queda de Geddel para blindar *mi-shell temer e proteger seus interesses. A Globo, até que se prove o contrário, é o poder de fato. É isso aí.

PS: Vamos lá, Moro! Vamos lá, Janot! Geddel perdeu o foro privilegiado. Ou não vem ao caso?

*mi-shell temer - o nome de tal peçonha é sempre escrito em minúsculo, por se tratar de um pigmeu moral, político, citadino e golpista.

*mi-shell temer, além de ter seu nome sempre escrito em minúsculo, a partir de agora terá seu primeiro nome escrito com as letras m-i-s-h-e-l-l. Portanto, o nome de tal desditosa peçonha passa a ser escrito no Palavra Livre como *mi-shell temer. PS: sempre em minúsculo.

*mi-shell é também conhecido pelo vulgo Amigo da Onça — o Usurpador Traidor.

*Golpista é palavra sinônima de *mi-shell temer.

*mefistófeles é *mi-shell temer.

*mi-shell temer é *mefistófeles.


*mefistófeles é sempre escrito em minúsculo.


quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Globo ataca golpistas como se ela não fosse a mãe e a avó do golpe das bananas — PSDB e Judiciário

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


"A Globo pede a cabeça do ministro golpista e truculento, Geddel Vieira Lima (PMDB/BA), que tem de cair e sumir da vida política brasileira para sempre, mas não por causa da pressão indevida da Globo, por se saber que tal partido de direita não tem moral e credibilidade. Todo mundo desse governo usurpador e ilegítimo tem de cair, não apenas o Geddel. Afinal, quem vai pedir a cabeça da Globo? Ou a organização(?) plutocrata, sediciosa e golpista também não está envolvida até o pescoço com o golpe criminoso? O golpe que transformou um gigante como o Brasil em uma republiqueta menor do que um cacho de bananas, ou seja, a essência provinciana e colonizada das 'elites' brasileiras". (DSF)

Os empregados das Organizações(?) Globo, os que se consideram jornalistas, comentaristas e "especialistas" de todo e qualquer assunto, estão a viver uma ressaca moral às avessas e após o golpe da casa grande de índole e alma escravocratas e das bananas. Trata-se de ressaca cínica, hipócrita e de uma sordidez e infâmia sem igual, pois inominável e inenarrável.

Uma ressaca estudada, oportunista e calculista, que chega a ser um escárnio contra os próprios jornalistas golpistas, quando se olham e são olhados pelo público, por intermédio das câmeras e fazem seus comentários ardilosos e manipuladores, porque promotores do jornalismo de guerra, já que partidário, ideológico, sectário, parcial e totalmente voltado para consolidar a agenda política e econômica de seus patrões — a famiglia Marinho.

Essa gente, autora do verdadeiro, genuíno e autêntico jornalismo de esgoto, passou mais de 13 anos a lobotomizar as mentes frágeis, fúteis, levianas e despolitizadas dos coxinhas de classe média e dos riquinhos de condomínios fechados, com o propósito de conquistar apoio à causa da criminalização dos governos trabalhistas do PT e da judicialização da política, em parceria com o Judiciário e com a oposição de direita liderada pelo PSDB, DEM e PPS, que ora usurpa o governo central para ferrar com os interesses do País e impedir a emancipação de seu povo.

Entretanto, o que se vê hoje são os âncoras, comentaristas, "especialistas" de prateleiras, editores e repórteres da TV Globo, da Globo News e da CBN, além dos impressos O Globo e Época, bem como pela internet o G1, a reclamar e a criticar as ações e condutas dos membros do governo golpista e usurpador de *mefistófeles — vulgo *mi-shell temer, que está a botar pra quebrar, no que concerne a proteger e a blindar os truculentos e corruptos de seu (des)governo, que já disse para o que veio: evitar a prisão de membros do PMDB, PSDB, DEM e PPS.

Tanto é verdade que essa gente desprovida de caráter está prestes a anistiar o crime de caixa dois, o que faz qualquer cidadão com um mínimo de senso crítico perguntar: "Ué, criminalizaram as esquerdas e o PT na Lava Jato, no Mensalão para derrubar e perseguir seus presidentes, prender suas lideranças e agora vão anistiar toda a direita? A direita onde agem e atuam os maiores e mais perigosos criminosos, que quebraram propositalmente o Brasil e estão a prejudicar gravemente seus interesses em todos os campos de atividade humana, em âmbitos social e econômico?"

Insisto com as perguntas: "A direita que foi delatada por se envolver com incontáveis crimes de corrupção, a que deu mais um golpe de estado no Brasil para tomar de assalto a Presidência da República e, com efeito, evitar de ir para a cadeia? Quer dizer que o caixa dois do PT é propina, fruto de crime; e o caixa dois do PSDB (DEM e PPS) é doação, fruto da generosidade quase santa de empresários corruptores? E a Justiça, o MPF e a PF se acham sérios? Os jornalistas da Globo et caterva se consideram sérios? Então, os brasileiros são todos idiotas e burros? É isso?" Pobre deste País...

Os patifes já estão a governar para os ricos e a tirar os benefícios e as conquistas dos pobres. Estão também a vender o Brasil, como se o País fosse um feirão ou produto da Casa Bahia, além de impor o programa neoliberal do PSDB, que foi derrotado quatro vezes nas urnas, o que não deixa margem à dúvida de que o Governo de FHC — o Neoliberal Golpista I — realmente não deixou saudade e nem causou admiração.

Trata-se, na verdade, de uma forma de consolidar o golpe criminoso e bananeiro, a ter somente o PT, o Lula e a Dilma dentro da Lava Jata, cujo carcereiro e justiceiro seletivo e parcial, o juiz Sérgio Moro, do PSDB do Paraná, tranca a porta e depois joga a chave fora, para que os demotucanos fiquem livres, leves e soltos, com seus crimes sem serem punidos e a prescrever, a exemplo do Mensalão do PSDB e do escândalo do Banestado, dentre inúmeros casos protagonizados pelos tucanos e jamais julgados e punidos pela Justiça burguesa e partidária da casa grande. Bingo!

Todavia, ressalto novamente, porque apesar de me considerar um homem experiente, sempre fico impressionado com a cara de pau e a total ausência de autocrítica da Globo e de outros veículos igualmente golpistas, no que tange aos jornalistas em relação ao golpe cucaracha dos oligopólios midiáticos quanto à posição e ao papel fundamental que eles tiveram no processo de impeachment de Dilma Rousseff, cujo crime de responsabilidade jamais foi comprovado. Impeachment sem comprovação de crime é golpe.

Os monstrinhos criados em redações são de uma hipocrisia e de um cinismo que chegam a ser abjetos, a atingir o pico da barbárie ou da selvageria. Eles são de uma indignidade atroz, porque não estão apenas envolvidos até suas entranhas com o golpe criminoso. É muito mais do que isto. Os jornalistas da Globo, sem generalizar, são o próprio golpe, assim como os empregados de outras empresas de comunicação comerciais e privadas, principalmente os que trabalham na editorias de política e economia.

Disfarçam, distorcem, manipulam e mentem, se for necessário. Fingem a ser leitões para poder mamar deitados. Estão a se valer, indevidamente e inapropriadamente, de concessões públicas, cujo verdadeiro dono é o contribuinte, o cidadão brasileiro — o Estado. Agora estão a se eximir, a tirar o corpo fora do golpe covarde e de uma vileza e violência como nunca vi igual. Questionam o governo golpista do *mefistófeles, que, contraditoriamente, apoiam e com quem a imprensa burguesa e porta-voz da casa grande formalizou uma relação de cumplicidade e de compadrio para derrubar Dilma Rousseff, que cumpriu a promessa, como asseverou em debate ao golpista tucano e mega delatado da Lava Jato, o senador Aécio Neves, de que "não vai ficar pedra sobre pedra".

Por causa  disto, a presidente Dilma foi injustamente deposta, como comprova o áudio vazado das conversas do senador golpista, Romero Jucá, com seus comparsas do governo *mi-shell, quando ele afirmou que com a mandatária trabalhista no poder não seria possível barrar as ações da Lava Jato. Até hoje o juiz nada isento e seletivo, Sérgio Moro, do PSDB do Paraná, e o procurador obsessivo por Lula, Deltan Dallagnol,  não consideram que Jucá tentou obstruir a Justiça. Porém, o Lula sim. E todo mundo que está a ver e a observar essa verdadeira podridão é idiota ou burro, evidentemente, perante o juízo ou a falta dele de certos togados e meganhas partidarizados e sectários. Mais uma vez, reafirmo: quem quer respeito tem de se dar o respeito.

Entretanto, nos deparamos com os horrores e as covardias perpetradas pela imprensa patrimonialista e meramente mercantil. A imprensa do compadrio. Não se trata de qualquer compadrio. A imprensa de mercado e alienígena tem laços de sangue com os golpistas e traidores, que estão no poder e que tomaram de assalto o poder, como os bandidos fazem em meio à sociedade. É o compadrio com o governo de *mefistófeles — vulgo mi-shell temer —, que aumentou em progressão geométrica as verbas públicas em publicidade para que as famiglias dos coronéis midiáticos se locupletem e encham seus cofres e bolsos.

Um dos muitos motivos do golpe de terceiro mundo, que cansei de elencar em meus artigos, é exatamente a verba publicitária. A iniciativa "privada" do setor de mídias e de imprensa sempre se sustentou, se sustenta e se sustentará com o dinheiro público. Essa conversa cretina e mau caráter de que "não existe almoço grátis" é conversa mole de neoliberal patife e mentiroso para que somente ele possa, não só almoçar, mas se banquetear com o dinheiro público praticamente doado por meio de publicidade oficial. Por sua vez, os magnatas bilionários terão maior facilidade para pedir dinheiro emprestado aos bancos de fomento e depois pago por intermédio de módicas parcelas, com juros abaixo do mercado. O golpe de direita tem cheiro de dinheiro... Uh lá lá!

O golpe também aconteceu porque a casa grande lutou para que o Estado, além de ser mínimo com a venda das empresas públicas e o fim dos projetos estratégicos para a independência do Brasil, passe novamente a ser patrimonialista, que significa a transferência do dinheiro e do patrimônio público para enriquecer mais ainda a burguesia e suas corporações privadas. Quem não consegue compreender esse processo criminoso e dantesco imposto ao povo brasileiro é porque está no mundo da lua ou é um sujeito de má-fé.

Para concluir, considero que os jornalistas da Globo assumam de vez suas perfídias e farsas, pois que "merecedores" de grande parte do "bolo" do golpe bananeiro de 2016, porque a imprensa burguesa, sobretudo, é a coluna central da infausta "obra" criminosa e covarde, que rasgou a Constituição, rompeu com a democracia e mandou para o espaço o Estado Democrático de Direito, como registrará a história do Brasil, sem sombra de dúvida.

O golpe de estado travestido de legal e legítimo com a cumplicidade dos juízes do STF e do procurador-geral da PGR, Rodrigo Não Devo Nada a Ninguém Janot, parceiro do juiz Sérgio Não Vem ao Caso Moro, que envergonharam o Brasil, sendo que enorme contingente da população não confia na Justiça, porque não tem como confiar em uma Justiça e em um Judiciário que atuam e agem como capitães do mato dos interesses políticos e econômicos do capital e da plutocracia nacional e internacional, como está a ficar cada vez mais nítida a estranha relação entre a Lava Jato e o governo dos EUA (CIA).

Uma parceria que, obviamente, está a propiciar processos contra a Petrobras com a cooperação de delatores brasileiros, pois a intenção é desconstruir e desmontar a Petrobras no exterior, além de a estatal ser esquartejada no Brasil para ser vendida e, consequentemente, o País de língua portuguesa perder sua autonomia e independência no que diz respeito ao controle da cadeia de gás e de petróleo, porque deixará de ser dono de seus projetos e programas estratégicos sobre energia, a ter à frente desse processo de traição, de irresponsabilidade e de molecagem o triunvirato formado por *mi-shell temer, José Serra e Pedro Parente.

Tais indivíduos que deveriam estar presos há muito tempo pelas mãos do STF ou do juiz Moro ou de qualquer magistrado que tivesse o discernimento de que o Brasil já deveria ser há décadas um País civilizado e desenvolvido, se não fosse a porcaria de "elite" que vive em suas terras. A casa grande que em tempo algum da história teve a dignidade e a responsabilidade de pensar o Brasil, realidade esta que não ocorreu com as "elites" dos países desenvolvidos, porque até a direita dessas nações tem compromisso com seus países, o que não ocorre com os escravocratas colonizados, submissos e subalternos daqui.  

A verdade é que se trata do golpe de crápulas que humilhou o Brasil e o desqualificou perante o mundo como Nação desimportante, que deseja ser civilizada, democrática e desenvolvida, mas que nunca consegue, porque sempre à mercê de golpes dignos de cucarachas. Ninguém respeita. Até os Brics se afastaram. Ninguém respeita a casa grande deste País. Tanto é verdade que as lideranças mundiais ignoram o golpista *mi-shell temer, o chefe pária de um governo bastardo. Ninguém o leva a sério, pois tratado como um moleque.

Nesta ordem, ninguém respeita o jornalismo da Globo, porque partidário e mentiroso, golpista e inconsequente, como se comprova por intermédio da grande imprensa internacional, que faz duras críticas ao jornalismo do maior partido de direita da América Latina: a Globo. A senhora de si. A golpista histórica. A psicopata que pede desculpas por ter apoiado, efetivamente, os golpes de estado no passado.

Contudo, tal qual a um escorpião, não consegue controlar sua índole draconiana, sua essência venenosa em forma de golpe. Não resiste e passa a inocular veneno na sociedade, como aconteceu com os coxinhas tresloucados. A Globo em relação ao golpismo é igual aos alcoólatras ou aos dependentes de drogas: pode até parar com o vício por algum tempo, mas se não resistir e tiver uma recaída, lá vem o golpe. É assim. Simples assim.

 A Globo critica o governo golpista como se ela não fosse a irmã, a mãe e a avó do golpe terceiro-mundista. O golpe criminoso contra Dilma Rousseff, a presidente legítima e constitucional, que teve 54,5 milhões de votos criminosamente invalidados, está sentado à vontade no colo da Rede Globo e de suas coirmãs de conspirações, traições e sedições. Globo: Abra os braços e toma que este filho é teu! É isso aí.

*mi-shell temer - o nome de tal peçonha é sempre escrito em minúsculo, por se tratar de um pigmeu moral, político, citadino e golpista.

*mi-shell temer, além de ter seu nome sempre escrito em minúsculo, a partir de agora terá seu primeiro nome escrito com as letras m-i-s-h-e-l-l. Portanto, o nome de tal desditosa peçonha passa a ser escrito no Palavra Livre como *mi-shell temer. PS: sempre em minúsculo.

*mi-shell é também conhecido pelo vulgo Amigo da Onça — o Usurpador Traidor.

*Golpista é palavra sinônima de *mi-shell temer.

*mefistófeles é *mi-shell temer.

*mi-shell temer é *mefistófeles.

*mefistófeles é sempre escrito em minúsculo.