Google+ Badge

quarta-feira, 22 de março de 2017

Janot: Gilmar não quer delações contra o PSDB e ataca a Lava Jato, que para ele só vale ao PT

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


Gilmar Mendes, o condestável juiz do STF e do PSDB do Mato Grosso está nervoso e irritado, principalmente nesses últimos dias no que diz respeito à crise política, jurídica/judiciária e partidária, que derrota o Brasil, empobrece seu povo, o humilha e o diminui ao tamanho de uma republiqueta cucaracha e das bananas. Certamente diria qualquer pessoa com o mínimo de sensatez, lucidez e perspicácia: "Os ataques e a intempestividade de Gilmar Mendes têm por finalidade a consolidação do golpe de 17 de abril de 2016, além de zelar pela impunidade das lideranças dos tucanos do DEM e, principalmente, as do PSDB, estúpido!"

Gilmar Mendes, na verdade, prepara o terreno para as eleições indiretas em um colégio eleitoral cuja maioria é composta por deputados e senadores golpistas, conservadores e de direita, que participaram da sedição desavergonhada, sórdida e violenta, porque o propósito, além de tomar o poder central de assalto por causa das quatro derrotadas eleitorais consecutivas para o PT, é o de escapar da cadeia, tornarem-se inimputáveis, como o são os políticos do PSDB, bem como impor ao Brasil as políticas públicas sociais e econômicas ao povo brasileiro dignas de um Drácula, que eu volto a afirmar: foram rejeitadas pela maioria dos eleitores em quatro eleições presidenciais. Tomaram o poder de assalto como bandidos também para entregar o patrimônio público brasileiro. Ponto.

Contudo, a questão não acaba apenas no golpe de estado de terceiro mundo e com a cara provinciana e covarde da casa grande deste País socialmente atrasado onde viceja uma burguesia selvagem e colonizada. Não mesmo. A questão de o juiz Gilmar está tão furibundo e descontente é porque ele é o presidente do TSE e sabe que o golpista e usurpador *mi-shell temer poderá ser cassado a pedido do relator do processo contra a chapa Dilma/*temer, o juiz Herman Benjamin, que aparenta não "fechar" com Gilmar Mendes sobre o conteúdo do processo.

Processo, diga-se de passagem, que põe o presidente golpista no olho do furacão, pois foi o *temer, pessoalmente, que recebeu, em 2014, R$ 10 milhões no Palácio do Jaburu, conforme as delações de executivos da Odebrecht, enquanto Dilma Rousseff, a presidente deposta por um vice traidor, não é acusada de movimentar R$ 1,00 que seja, só para início de conversa, até porque o que vale são os autos e não as manchetes distorcidas e manipuladas dos magnatas bilionários da imprensa de negócios privados e diretamente envolvida com o golpe terceiro-mundista. Somente coxinhas para acreditar piamente em notícias repercutidas, por exemplo, pela Globo, Folha ou a revista Veja, que elaboram o verdadeiro, o genuíno e o autêntico jornalismo de esgoto. Sem mais comentários.

Enquanto isso na republiqueta bananeira e "viciada" em crimes de golpes de estado como comprova a sua própria história de essência bárbara, o juiz Gilmar Mendes se encontra acometido por xiliques, ao mostrar, sem dúvidas, para o que veio e qual é o seu papel como guardião dos interesses dos políticos que estão à frente do golpe e que tomaram o poder de assalto, pois desprovidos da legitimidade e da autoridade das urnas, que foram vilipendiadas e afrontadas pelo Congresso mais conservador e corrupto da história republicana deste País fadado ao fracasso e ao subdesenvolvimento.

Lamentável sina e vocação do Brasil por vicejar em suas terras as piores, as mais egoístas e as mais perversas oligarquias e classes médias do mundo ocidental. Trata-se de grupos sociais hegemônicos e que controlam o status quo. Classes que escravizaram oficialmente seres humanos por 388 anos. Um recorde mundial. E é essa gente barra pesada que as forças democráticas enfrentam, o que, definitivamente, não é fácil.

A verdade é que a imprensa de mercado esconde, cinicamente e hipocritamente, que a destruição da economia brasileira começou, de fato, em 2013 com as primeiras manifestações de carácteres golpistas, sendo que o recrudescimento da queda nos números e índices sociais e econômicos se deu, com mais ênfase e força, a partir de 2015, quando realmente a direita brasileira resolveu embarcar em mais uma aventura irresponsável e apostou todas suas fichas na deposição de Dilma Rousseff, a presidente legítima, constitucional e reeleita pela força das urnas com 54,5 milhões de votos.

Dilma foi criminosamente derrubada do poder sem cometer um único crime de lesa-pátria ou de responsabilidade. Quem comete e cometeu crimes são os golpistas que estão aboletados no poder, como se estivessem em um covil de lobos à espera de desenlaces que os beneficiem no que tange aos seus processos no TSE, no STF, na PGR e na Vara do Moro. É exatamente nisto que os golpistas apostam: im-pu-ni-da-de! E é por esta impunidade que luta o juiz Gilmar Mendes, a herança maldita de FHC — o Neoliberal Golpista I, o presidente tucano que quebrou o Brasil três vezes, porque foi ao FMI três vezes, além de vender o País a transformá-lo em um feirão de descontos, a liquidação que liquida com a independência e o desenvolvimento do Brasil, como o faz agora o incompetente, o irresponsável e o mão de tesoura Pedro Parente, que por sinal foi ministro do terrível e sombrio governo de FHC.

Parente, na verdade, deveria ser sumariamente preso por no mínimo uns 50 anos. No futuro, sua atuação draconiana à frente da Petrobras será investigada e denunciada, porque esse péssimo executivo para o Brasil e ótimo para as petroleiras transnacionais e países estrangeiros tem de ser um dia severamente punido, bem como sua "obra" dantesca e entreguista terá de restituir o Erário, além de que essas vendas criminosas têm de ser revertidas pelo próximo governo popular e nacionalista, doa a quem doer, ou seja, a quem comprou malandramente o patrimônio público brasileiro a preço de banana.

Não somente o Parente tem de ser duramente punido, mas todos os que o acompanharam nesses crimes cometidos contra a soberania nacional, a exemplo do senador golpista e tucano José Serra, que vem a ser, comprovadamente, o pior e o mais incompetente diplomata da história do Brasil, têm de ser presos e, consequentemente, responder por seus crimes de lesa-pátria, porque pelos crimes eleitorais e de caixa dois esses políticos golpistas do PSDB, do DEM, do PPS e do PMDB não respondem nunca.

*mi-shell temer et caterva no poder com tantas acusações imputadas a eles se transformam em verdadeiros escárnios. Trata-se do teatro de absurdos. Só em um País selvagem, civilizadamente atrasado, de ideário escravocrata e autoritário poderia acontecer esta realidade. Cadê os coxinhas paneleiros, vestidos com camisetas amarelas da Seleção e amantes do pato corrupto e amarelo da Fiesp? "Escafederam-se..." — respondeu certo dia o porteiro do meu prédio à minha simples, mas curiosa indagação. É um amarelão só!

Afinal, venhamos e convenhamos, os golpistas do PMDB e do PSDB que assumiram o poder central por meio de um golpe criminoso são blindados pela imprensa de mercado mais corrupta do planeta, bem como pelo próprio STF, que criminalizou a política, juntamente com a PF e a PGR, e permitiu que um deletério como o ex-deputado Eduardo Cunha, que está preso, pois se achava muito esperto, mas que agora percebeu que não passa de bucha de canhão para seus cúmplices de crimes que estão no Palácio do Planalto, desse início ao processo de golpe parlamentar contra Dilma Rousseff.

A presidente trabalhista deposta e injustiçada que não roubou, assim como não cometeu quaisquer crimes de responsabilidade. Este é o Judiciário deste País. Por isto que temos juízes como o Gilmar Mendes e o Sérgio Moro, este de primeira instância e que está com sérios problemas para prender o ex-presidente Lula, porque o político petista e de esquerda incrivelmente perseguido, a exemplo de Dilma, também não roubou. Por causa disto que temos golpes de estado no decorrer da história desse azarado País, que é pleno de riquezas, mas que é ocupado por uma casa grande dona do establishment, que se recusa a pensar o País e não vale o que come...

Golpistas e usurpadores que combatem, com a cooperação e a cumplicidade do poderoso juiz Gilmar Mendes, do PSDB do MT (*MT significa Mato Grosso e *mi-shell temer), a Lava Jato e as eleições diretas neste ano ou em 2018, conforme reza o calendário eleitoral. Contudo, o caos institucional causado pelo golpe e pela divisão da sociedade brasileira remonta toda a história de qualquer país cujo poder ficou acéfalo. Ninguém se entende e o entendimento e a pacificação da Nação só acontecerá por intermédio de eleições diretas, só que esse processo eleitoral é tudo o que a direita golpista não deseja, não quer de maneira alguma, pois se desespera somente em pensar que poderá perder outra eleição para o PT de Lula e Dilma, que certamente seria a chefe da Casa Civil em um hipotético Governo Lula.   

Entretanto, Gilmar terá de remover muitas pedras do caminho para pavimentar a impunidade de seus aliados do PSDB e consolidar o golpe. Acontece que uma das muitas pedras é o PGR Rodrigo Janot, que está a discordar frontalmente de um juiz do Supremo e presidente do TSE que é useiro e vezeiro em se encontrar com os investigados do PSDB e do PMDB, inclusive em momentos de delações graves, a partir das acusações dos executivos e do herdeiro da Odebrecht. Encontros fotografados e filmados, além de serem repercutidos pelas mídias dos barões da imprensa de mercado. Fato!

Gilmar, que não dá ponto sem nó, acusou Janot de vazar documentos da Lava Jato. Usou dessa estratégia à moda "João sem braço" para ver se ela "cola". Porém, as pessoas só são idiotas se deixarem fazê-las de idiotas, o que não é o caso de milhares de brasileiros, inclusive do procurador-geral. Rodrigo Janot: Gilmar não quer delações contra o PSDB e por isto ataca a Lava Jato, que para o magistrado só vale para o PT.
  
Evidentemente que a acusação de "vazamentos" por parte de Gilmar Mendes tem o propósito real que é o de pedir ou tentar anular as delações da Odebrecht contra seus aliados e parceiros políticos, no caso os tucanos Aécio Neves — o Megadelatado I e o responsável nº 1 pelo golpe —, José Serra e Geraldo Alckmin, dentre outros, a exemplo de Aloysio Nunes Ferreira, além de, obviamente, *mi-shell temer, Moreira Franco, Eliseu Padilha, Romero Jucá, José Sarney, Roseana Sarney, Renan Calheiros, Eunício Oliveira, Rodrigo Maia, José Agripino Maia e muitos outros do PSDB, PPS, DEM e PMSB, os partidos que conquistaram o poder central de forma ilegal, ilegítima e criminosa.  

Rodrigo Janot não gostou da interferência do "rei" do STF e controlador do TSE. Respondeu-lhe: "Gilmar sofre de disenteria verbal e decrepitude mental" — enfatizou pra logo complementar:  [Gilmar está a} "fazer política em banquetes palacianos. Só posso atribuir tal ideia a mentes ociosas e dadas a devaneios" — concluiu Janot.  

O chefe dos procuradores, na verdade, estava a fazer referências aos encontros de Gilmar Mendes com *mi-shell temer, que é acusado e denunciado em inúmeros escândalos, não somente o da Odebrecht. O juiz e político de direita do STF também se encontrou diversas vezes, em momentos de crise, com Fernando Henrique, José Serra, Aécio Neves e quase toda a cúpula do PMDB, tanto com os que caíram do poder, a exemplo de Geddel Vieira Lima e Romero Jucá, quanto os que ainda se mantém a fórceps no poder, como os ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco.

A verdade é que nove ministros do governo golpista e entreguista estão a ser investigados e denunciados. Ponto. Trata-se de uma governo que está a cair de podre, a bastar-lhe o tempo de duração da queda. Janot sabe disso, apesar de ter cooperado e muito para este estado de coisas que infernizam e entristecem o Brasil, atualmente um País sem paz e indubitavelmente dividido.

Como o juiz Gilmar Mendes chega a este ponto? Como tem a desfaçatez de pedir a anulação das delações da Odebrecht? Que País é este? Que Supremo é este? Perdeu-se completamente a vergonha na cara? Surreal! Por que o condestável juiz, inimigo ferrenho da esquerda e do PT não pediu a anulação das delações contra o PT e suas lideranças, a exemplo de José Dirceu, que foi condenado à prisão perpétua, sendo que crime algum foi, de fato, comprovado contra ele, a não ser pela "teoria do domínio do fato". Então é assim, não é juiz Gilmar: aos amigos todos os benefícios, proteções e blindagens. Aos inimigos, a lei e tudo o que lhes puder prejudicá-los e puni-los, mesmo se for necessário derrotá-los pelos descaminhos da injustiça.

Outro que ainda provará o amargo das contestações e do duro enfrentamento político nos âmbitos partidários e jurídicos será o juiz Sérgio Moro, porque o que tal magistrado tem feito por meio de casuísmos e perseguições é algo a ser ainda estudado e, com efeito, combatido no futuro, a partir de uma releitura da Constituição e de mecanismos que não permitam mais que servidores públicos em geral e especificamente do Judiciário e do MPF cometam abusos de poder, como ocorre hoje e agora.


O próximo governo popular e eleito pelo povo brasileiro tem de apresentar ao Congresso Nacional projeto que coíba e considere crime o abuso de poder e de autoridade, porque, do contrário, o Brasil nunca se livrará de golpes de estado terceiro-mundistas e de seus autores, os golpistas geralmente ligados à casa grande brasileira e à plutocracia mundial. Gilmar Mendes perdeu o fio da meada, se algum dia ele respeitou os limites da razão e do bom senso. Gilmar é, como membro importante da Justiça, o principal sustentáculo do golpe. A Justiça é de todos os brasileiros, e, consequentemente, precisa se dar o respeito para ser respeitada. É isso aí.

2 comentários:

Joaquim Herdy Menezes disse...

Será que ninguém percebe que a suspensão do sigilo das delações da Lava Jato dificilmente será realizada porque, se houver de fato investigações realmente isentas, com a mais absoluta certeza haverão inúmeros juízes dentro desse lamaçal todo. Fico pasmo que jornalistas de grande gabarito até o momento não tenham ainda chegado a essa conclusão de que os juízes relutam a tornar esse processo da lava jato totalmente aberto porque muitos deles estão também envolvidos nessa trama e outros, que são honestos, estão lavando suas mãos para evitarem atritos com seus colegas de corporação?
É bem verdade que ainda não tenho provas, porém tenho convicção, :-) :-) :-), que, por exemplo, Gilmar Mendes, Sérgio Moro, Deltan Dallagnol e outros mais que "estão" juízes, porém por serem parciais Eu não os considero como tal, trabalham a serviço de determinados partidos políticos, empresas e mesmo, e principalmente, da CiA e recebem pelo seu trabalho suas propinas "legalmente" via palestras que dão por aí.
Tenho há muito tempo dito, bem antes do que hoje alguns já percebem, que por traz de todo esse caos reinante em nosso país está o envolvimento dos EUAN afim de tornar o Brasil sua colônia com ajuda de parte da elite traidora sem amor a nossa pátria e menos ainda ao povo e pior que isso, creio Eu, a cúpula dos EUAN querem deflagrar uma guerra civil entre nós afim de reduzir o máximo que puderem a população nativa, lucrando com a venda de armas e depois com a moral baixa do povo fica ainda mais fácil de deitarem e rolarem.
Muitas teorias têm demonstrado que são mesmo conspirações...
Joahermen

marcos eugenio disse...

PEQUENO COMENTARIO O SENHOR É PAU MANDADO DO PT. PORTANTO UM POBRE COITADO QUE SÓ MERECE PENA
E NADA MAIS