Google+ Badge

domingo, 7 de outubro de 2012

"Mensalão" não influencia nas eleições, a direita é derrotada e Merval Pereira continua o mesmo

Por Davis Sena Filho — Blog Palavra Livre


       A Globo News montou a Central das Eleições. Muito bom, porque a cobertura das apurações está a ser realizada com profissionalismo e isenção. O Partido dos Trabalhadores e seus aliados estão bem colocados na boca de urna, afinal a oposição retratada nos partidos PSDB, DEM e PPS estão a ter resultados pífios, com excessão em Salvador, Belo Horizonte e São Paulo, mas mesmo assim seus candidatos vão ter de enfrentar no segundo turno o PT e seus aliados, como o PSB, o PDT e outros partidos de menor expressão, que os eleitores optaram em votar.

Merval fala o quer, pensa e deseja o quer, mas não influencia o voto do povo.

     Contudo, um dos jornalistas que comentam as eleições pela Central das Eleições da Globo News continua a fazer um jornalismo de esgoto, pois se recusa, como sempre faz, observar com isenção as realidades e os fatos que se apresentam. Merval Pereira, colunista de o O Globo, não tem jeito, e, ao perceber que o PSDB e seus aliados não estão a ter os resultados esperados em âmbito de País, soltou a seguinte pérola: "O que me chama a atenção é que a vitória dos aliados do PT não configura uma vitória do PT". Realmente, Merval não tem jeito. Ele destoa e contraria a verdade. É a cara das Organizações(?) Globo.

      O lobisomem de capa e fardão (clique aqui) ainda tenta amenizar e confundir a sociedade, pois, para ele, por causa das alianças regionais, os aliados do PT em termos nacionais podem romper as alianças. É um absurdo, porque alianças em termos nacionais são uma coisa e em âmbitos regionais são outras coisas. Dou como exemplo as eleições no Rio Grande do Sul e em Pernambuco, onde os aliados do PT, do PDT, do PSB e do PCdoB disputam com muitas chances as respectivas prefeituras. 

         Evidentemente, que o ex-presidente Lula e a presidenta Dilma preferem que o PT vença, mas se o PDT ou o PSB vencerem não haverá grande problema para um arranjo de forças políticas do campo da esquerda se entederem para as eleições presidenciais de 2014. Dilma, por exemplo, tem origem no PDT e hoje é do PT, que são partidos trabalhistas. Todos os partidos tem direito a competir e a apresentar seus candidatos, mesmo quando aliados. Porém, esse fato não quer dizer que haverá rompimento ou falta de entendimento. Merval Pereira adora uma marola e por isto dissimula, manipula e contraria a verdade.

Lula e Dilma: mesmo se perderem em São Paulo, o campo da esquerda vence no Brasil.

        Qual é a surpresa? Merval Pereira é um dos ases do verdadeiro e autêntico jornalismo de esgoto. Todavia, vai ter de engolir o sumiço do DEM e a diminuição do PSDB. O DEM, inclusive, estuda a possibilidade de efetivar uma fusão com o PMDB, porque no voto em termos nacionais não ganha eleições, até porque o DEM é a UDN, a Arena, o PDS e o PFL, e todo mundo sabe que essa corrente de direita do nosso País somente ganha eleição à reboque de outros partidos ou por intermédio de golpe de estado como ocorreu em 1964.

       Merval Pereira adoraria ver o rompimento do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), com Lula e Dilma, pois, para ele, Campos atrairia o PMDB e talvez fizesse uma aliança com o PSDB. O negócio do Merval é a derrota do PT e dessa forma viabilizar um espaço maior para a direita brasileira, que vai ficar, no mínimo, 12 anos fora do poder central, ou seja, até janeiro de 2015. Pelo o que se observa, o "mensalão" tão decantado pelas mídias de negócios privados não influenciou nas eleições. Mais uma vez a imprensa burguesa de má-fé deu com os burros na água. É que ela não tem voto e a opinião publicada não convence ninguém. É histórico, e o Merval vai ter de, em sua coluna, inventar outra história. É isso aí.

4 comentários:

Henrique disse...

O merval escreveu, EM UM LIVRO E MEIO, somente uma coletânea do globo e outro livro a 4 mãos.

Esste são os critérios para ingressar na ABL!?

Ou seja – basta fazer um livro e meio – e, pasmem, com ‘recortes’ de jornal.

Pronto! Tá feito!

Foi o suficiente para desbancar Antônio Torres, escritor prestiagiado fora do Brasil, de origem nordestina, forte em suas raízes, com livros premiados e com substancial obra escrita é uma piada de extremo mau-gosto.

É impressionante como várias instituições tradicionais em nosso país encontram-se em estado de PUTREFAÇÃO e cada vez mais afastadas de seu público maior, o povo.

A obra de Antônio Torres é ligada ao povo brasileiro, daí talvez tudo esteja devidamente explicado.

O merval – imortal – global - não gosta de povo.

Anônimo disse...

e esse mervaligno também perdeu na venezuela,eis que afirmou em janeiro que chaves provavelmente não chegaria vivo ás eleições.roberto vianna.

HUGO CEZAR PEREIRA B disse...

REUNIÃO NO PLANALTO >> A Presidenta - o vice e o Ministro da Pesca !!!! >> ASSUNTO = Comprar um presente para o afilhado do Lula !!!

flávio braga prieto da silva disse...

Que podemos esperar do Merval, do Waak, da Leitão, da Catanhede, dessa galera que só abre a boca pra malhar o PT, mesmo contrariando a realidade factual?