Google+ Badge

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Temer tem de cair, STF está no olho do furacão e a história não blinda ninguém

Por Davis Sena Filho -- Palavra Livre

Poder-se-ia dizer que o Amigo da Onça, vulgo michel temer, já é um político inelegível por oito anos, conforme o TRE paulista.
"(...) Mudar o governo pra poder estancar essa sangria. (...) Conversei ontem com alguns ministros do Supremo. Os caras dizem, oh, só tem condições sem ela (Dilma). Enquanto ela estiver ali, a imprensa, os caras querem tirar ela". (Senador Romero Jucá (PMDB), ministro breve do Planejamento e derrubado pela própria boca)

Os diálogos de Romero Jucá são emblemáticos e não deixam dúvidas apenas quanto às intenções dos conspiradores do consórcio direitista e corrupto (corrupção não se resume apenas a receber dinheiro e comprar pessoas) formado por setores do Judiciário (STF, PF e MPF), da imprensa sonegadora e meramente de mercado, do grande empresariado e, evidentemente, pelos partidos de direita, à frente os demotucanos do PSDB, do DEM e do PPS.

As intenções dos golpistas são mais amplas e se desenvolvem à margem da lei, a ter, contraditoriamente, a Constituição para dar verniz de legalidade e legitimidade ao golpe, que a direita chama de impeachment, como se ele fosse legal, o que não é, porque existe uma realidade, inquestionável, a de que Dilma Rousseff não cometeu crime de responsabilidade, ou seja, não houve dolo, bem como, percebe-se por meio das gravações que as "pedaladas" fiscais supostamente cometidas pela mandatária, reeleita com 54,5 milhões de votos, não passam de plataforma para que verdadeiros bandidos tomassem de assalto a Presidência da República.

Ratifico o que já afirmei anteriormente: sem qualquer dúvida, os golpistas agiram como se fossem assaltantes de bancos, de pedestres, de residências e tomaram na mão grande o poder, mesmo sem votos, sendo que muitos dos ministros perderam eleições nas urnas. E por quê? Porque é este o nível de tais golpistas, que, se tal crime contra a democracia e o Estado de Direito ocorresse em um País mais civilizado e com uma classe média menos despolitizada e preconceituosa, certamente estariam presos há muitos meses. Lugar de golpista criminoso é na cadeia, mesmo se ele for juiz ou procurador ou coronel midiático.

A Lava Jato investiga, prende e julga corruptos, afinal o juiz de província, Sérgio Moro, do PSDB do Paraná, já julgou réus e os colocou na cadeia. Contudo, a Lava Jato é, sobretudo, uma plataforma político-eleitoral da ex-oposição de direita, que usurpou o poder mais uma vez na história do Brasil, em um golpe de estado espúrio e travestido de legal e legítimo, quando, na verdade, tem como propósitos principais livrar bandidos golpistas da prisão, como ficou explícito nas gravações entre os políticos do PMDB Romero Jucá, José Sarney, Sérgio Machado, Renan Calheiro e Fabiano Silveira, sendo que Fábio Medina Osório e Laerte Rimoli caíram por cometerem arbitrariedades e trapalhadas sem igual.

Entretanto e a despeito de tudo, o que incomoda muito e traz mal-estar à grande contingente da população brasileira, principalmente aos setores e segmentos mais politizados e organizados da sociedade civil é a atuação e a postura do Judiciário (STF, PGR-MPF e PF) nesse processo que terminou em um golpe bananeiro e terceiro mundista contra Dilma Rousseff, mesmo o Brasil a ser uma potência regional, que lutava para se estabelecer internacionalmente, pois se trata da sétima maior economia do mundo, bem como o País latino-americano de língua portuguesa é industrializado, além de ser uma das cinco maiores democracias em termos mundiais.

Todas essas conquistas, importantíssimas para a reafirmação de um País que por 388 anos teve em suas terras o regime de escravidão de milhões de pessoas, além de sofrer com inúmeras ditaduras, sendo que a civil-militar de 1964 ultrapassou qualquer paradigma no que diz respeito à barbárie e à longevidade de 21 anos de uma ditadura que perseguiu, demitiu, exilou, prendeu, torturou e matou.

Inacreditável que, mesmo após a história mostrar e sedimentar em suas páginas os graves erros cometidos principalmente pela casa grande brasileira, aliada e membro da plutocracia internacional, nada se aprendeu, sendo que desta vez, em 2016, sem a influência fortemente ideológica da Guerra Fria, que perdurou de 1945, com o fim da II Guerra, até 1989, com a queda do Muro de Berlim, a burguesia apodrecida pela corrupção e pelo abuso e tráfico de poder efetivou mais um desditoso, vergonhoso e covarde golpe contra o Estado de Direito, a rasgar a Constituição e a se aproveitar de chicanas jurídicas criminosas para, enfim, conquistar o poder de forma ilegítima, ilegal e criminosa, pois não se encontrou quaisquer dolos ou crimes que, porventura, a presidenta trabalhista possa ter praticado.

É simplesmente infernal e humilhante o Brasil e sua população trabalhadora serem resumidos a uma republiqueta de bananas, porque nela viceja e ganha muito dinheiro uma classe abastada, riquíssima, mas de alma provinciana, egoísta, violenta e golpista, que jamais pensou o Brasil para desenvolvê-lo, pois autoritária e preconceituosa, combustíveis que movem seus interesses meramente econômicos, financeiros e pessoais, a não medirem consequências algumas, tanto é verdade que, ressalto mais uma vez, assaltaram, como bandidos, o Palácio do Planalto por intermédio de um golpe de estado travestido de legítimo.

Não consigo acreditar e muito menos me conformar e me convencer de que estamos a passar por um processo de mudanças quando sabemos que as "mudanças" estão a ser perpetradas por grupos políticos e empresariais que significam o atraso e o retrocesso. São políticos que, a despeito de viverem em um mundo digital e informatizado, suas cabeças remontam aos séculos XIX e XX. Trata-se da direita antidemocrática, antinacionalista e antirrepublicana. A pior direita das Américas, porque pelo menos a norte-americana defende sua terra, o patrimônio estatal estratégico dos EUA e possui programa e projeto de governo para apresentar ao povo.

A direita brasileira, a casa grande onde mora a burguesia, que se considera aristocrata, não tem projeto para o Brasil, o despreza, não o desenvolve e não se preocupa em edificar uma sociedade menos desigual, de forma que a burguesia, proprietária dos meios de produção, possa vender seus produtos e artigos, porque, até onde eu saiba, um povo instruído, alimentado, saudável e com dinheiro no bolso faz com que as desigualdades regionais e sociais diminuam, as oportunidades apareçam e, com efeito, a ignorância, a pobreza, a miséria, as doenças, a prostituição, os vícios, o trabalho escravo, os crimes, a violência e a vida indigna aos seres humanos sejam, de fato e em termos macros, combatidos, como se fossem cânceres extirpados da vida brasileira.

Lamentável é o que se tem a dizer. Não cabe, em minha opinião, qualquer defesa de saída para a crise no Brasil que não seja a retomada do poder pela presidenta reeleita Dilma Roussef. Não se pode apoiar eleições sem que os golpistas sejam duramente castigados e punidos pela forma da Lei. Não existe possibilidade de tergiversar quanto a isto. Não tem essa de que Dilma não vai ter maioria no Congresso. Governos de coalizão que tratem de amarrar acordos políticos de forma que seja possível efetivar a governabilidade. Depois disso, que Dilma Rousseff faça um plebiscito sobre reforma política, a ouvir o povo e sua decisão sobre o tema, já que se depender desse Congresso extremamente conservador e representante de corporações, aí sim, a reforma política jamais será aprovada para ser concretizada.

E por quê? Porque Dilma Rousseff não foi deposta somente porque sua base a traiu e se juntou à oposição de direita e neoliberal, vendedora e traidora do Brasil. Não se trata apenas disso. Dilma perdeu a governabilidade e a maioria no Legislativo porque os caciques do PMDB perceberam que seriam presos pela Lava Jato ou, no mínimo, execrados publicamente pelos vazamentos da PF, do MPF e da Vara do Moro, um juiz que deveria há muito tempo ser afastado e duramente punido por ter cometido, dentre inúmeros crimes, o vazamento de áudio no qual falava a presidenta da República. Um crime de segurança nacional. Só isso. Ou o cidadão deste País acha normal o ocorrido? Se acha, só se for no Brasil...

A verdade é que a Lava Jato tem cinco objetivos primordiais, dos inúmeros propósitos inconfessáveis de tão tenebrosa operação judiciária que se tornou déspota e perniciosa para a democracia brasileira. São as seguintes: 1) Paralisar a economia com a destruição da super desenvolvida engenharia nacional, que realizava trabalhos que geravam milhões de empregos em rodovias, ferrovias, portos, aeroportos, hidrelétricas, transposição do Rio São Francisco, casas próprias, além de, inclusive, realizar trabalhos importantes no setor nuclear, a exemplo dos submarinos, que tem por finalidade proteger os mares do Brasil e o Pré-sal; 2) Destruir o PT como único partido socialmente orgânico e realmente organizado deste País; 3) Derrubar do poder criminosamente a presidenta Dilma Rousseff; 4) Prender o ex-presidente Lula para que o político trabalhista não dispute as eleições de 2018; e 5) Fazer o Brasil retroceder a uma republiqueta bananeira, com o Estado nacional a servir à casa grande patrimonialista e submeter o País e seu povo aos ditames dos Estados Unidos e tudo o que deriva dessa infame subalternidade, que tem a cara e o focinho escrotos das oligarquias e da classe média coxinha, que não lê história, totalmente despolitizada e alienada, bem como odeia o Brasil e adora pagar mico para o Mickey, pois sempre a se comportar como Pateta.

O Brasil assiste impávido, pois um colosso, os movimentos dos golpistas do consórcio Judiciário-Imprensa-governo temer-MPF-Congresso. São esses grupos que efetivaram o golpe. São eles os responsáveis pelo golpe, assim como serão eles que entraram para história deste País pelas portas dos fundos, sendo que seus destinos são as lixeiras de seus infames e sórdidos atos e ações. O impeachment (golpe) é a maior fraude e farsa da história do Brasil. Mais do que o golpe civil-militar de 1964. E os farsantes estão nos poderes Judiciário, Executivo e Legislativo, a ter a imprensa de negócios privados dos magnatas bilionários a dar todo o alicerce necessário para que se concretize tamanha vilania perpetrada por canalhas, cafajestes e patifes de toda monta e pequenez política e partidária.

michel temer deveria estar a ser processado para depois ser preso. E por quê? Porque ele é golpista e sua moralidade civil e pública vai até a metade da primeira página de um livro de histórias sujas e que não se deve escrevê-lo. Se os caciques de seu partido, o PMDB, estão a cair por causa de gravações ou de assumirem cargos ilegalmente, como aconteceu com dirigente golpista já colocado devidamente porta afora por ter assumido a EBC ilegalmente, que responde pela alcunha de Laerte Rimoli, um jornalista lambe botas da Globo e ligado aos patrões do jornalismo de São Paulo, não compreendo, então, o porquê de Romero Jucá não ter sido ainda preso, se o senador cassado, Delcídio Amaral, foi preso sumariamente pelos condestáveis togados seletivos da Justiça e do MPF.

A verdade é que eu sei por que Jucá não foi preso. A delação dele não vem ao caso, porque senão michel temer sairia preso da cadeira de presidente, que ele usurpou por intermédio de um golpe covarde, canalha e de conotação completamente desleal. A verdade é a seguinte: se a maioria dos caciques importantes do PMDB tiveram acesso ao dinheiro de empreiteiras para financiar eleições e outros assuntos, como pode o michel temer (o nome deste traidor inominável sempre será escrito em minúsculo) ainda não ter aparecido em gravações da PF?

Respondo: Evidentemente que michel temer foi gravado, afinal ele foi presidente nacional do PMDB de 2001 ao início de 2016. Vejam só, um tempo de 15 anos. Imagine?! O golpista espúrio e usurpador, que vem a ser, sobremaneira, um dos maiores traidores da história do Brasil, além de ter sido inúmeras vezes deputado, presidiu a Câmara dos Deputados, assim como foi vice-presidente da República. Além disso, o Amigo da Onça chefiou o maior partido do País por longos 15 anos.

Então, raciocinemos: como seria possível um político da importância de temer para o PMDB não ter recebido dinheiro para financiar seu partido, suas candidaturas e as candidaturas de seus correligionários, pelo menos os mais importantes? Não existe possibilidade de michel temer, um farsante e golpista, não ter sido gravado e muito menos não ter recebido financiamento para sua sobrevivência política, pois se eleger pelo Estado de São Paulo não é fácil e, por sua vez, precisa-se de muito dinheiro. Esta é a verdade, e não é necessário ser um gênio para se perceber tal engrenagem montada por todos os partidos, inclusive o PSDB e o DEM dos demotucanos, que no Brasil são I-NIM-PU-TÁ-VEIS!

Agora, Sérgio Moro, do PSDB do Paraná, juiz seletivo e que "Faz Diferença" para a golpista famiglia Marinho está a se preparar para prender o mais rápido possível o Antonio Palocci, o Guido Mantega, se possível a Dilma e, evidentemente, seu alvo principal e, na verdade, o único que realmente interessa ao establishment, ou seja, à plutocracia, o Lula. E tem de ser rápida a humilhação, a farsa, a fraude, a seletividade, a perseguição, a desqualificação, a desconstrução e, sobretudo, a injustiça.
Prender Lula é fazer com que o violento, o farsante, o dissimulado, o traidor, o covarde e o golpista michel temer --- o Amigo da Onça -- consiga sair de sua sórdida e infame interinidade para sentar, definitivamente, na cadeira para a qual não foi eleito e jamais teria votos e grandeza política para tanto, por se tratar de um político menor.

Enquanto isso, o Sérgio Moro fica a brincar de justiceiro a serviço das oligarquias, burguesias e casas grandes, além de apregoar para todo o sempre que os crimes praticados pelos demotucanos dos PSDB, DEM, PPS, além de empresários de outros setores que não sejam o da construção civil, "não vem ao caso!" O que vem ao caso é fazer com que a direita assuma o poder central sem vencer as eleições e impor um programa neoliberal de governo não aprovado pelas urnas.

O magistrado tucano adora esta frase, que se transformou em uma metáfora do que é seletivo, inapropriado e injusto. E ele é juiz... Espero que o magistrado não pense que todos os brasileiros são burros e não estão a ver o que acontece no Brasil vítima de mais um golpe escabroso e humilhante para o País. A "elite" é bananeira e o Moro sabe disso. O Senado vai julgar o golpe contra Dilma Rousseff, e a casa grande brasileira se mobiliza para que os senadores que votaram pelo golpe revertam seus votos, quando for decidido o mérito em plenário.

A crise econômica nas televisões, jornais e revistas praticamente não existe mais, porque a intenção é blindar o temer, bem como dissimular e manipular as notícias de que todos os chefes do PMDB foram grampeados e a conspirar em favor de um golpe para livrá-los da prisão, com exceção de michel temer -- o Amigo da Onça. É inacreditável ao tempo que inaceitável, pois um tapa na cara de grande parte da sociedade que está a perceber tão infames ações praticados por autoridades que deveriam proteger e preservar a Lei. Quem está no olho do furacão do golpe é o STF. Vamos observar e ver como os juízes irão passar para a história. É isso aí.


5 comentários:

Jorge Marcelo disse...

Ué, Davis, então por que você votou nesse tal de Michel Temer?

Bento Lisboa disse...

Ué, Jorge Marcelo, por que você é um coxinha simplório e burro?

Fábio Cerqueira disse...

Quadrilha do PMDB de Michel Temer, o maior safado e traidor deste País, tem pedido de prisão por Janot, outro golpista. Renan Calheiros, Sarney, Cunha e Jucá. Daqui a pouco quem sai preso pela rampa do Planalto é o vagabundo do Temer, que tomou o poder pra não ir pra cadeia. Dilma volta. Ela não cometeu crime de responsabilidade. E Lula volta em 2018 para enterrar de vez essa direita corrupta e ladra.

Marcos Lúcio disse...

Quem acredita ou defende estes golpistas canalhas e seus propósitos espúrios é tão nefasto e danosos para o país...quanto eles. O brilhante jornalista falou e disse com propriedade e lucidez, como sempre.

Marcos Lúcio disse...

Corrija: danoso