Google+ Badge

sábado, 8 de setembro de 2012

FRAGMENTOS


ESPAÇO BICO DE PENA — Blog Palavra Livre


Meu coração amargurado
Bate suave, e, em descompasso,
Conta os dias e esquece as horas.

É inexata a memória
Deste coração voluntarioso,
Pois seu tempo é fragmentado.

Chove em meu coração...
Atormentado por natureza
E rebelado contra seus desejos.

Triste e caricato e singelo,
Meu coração se torna inaudível
À minha existência, às minhas dores.

Quanto mais sangue corre em suas artérias,
Mais vidas a ele não pertencem,
Já que solitário por devoção à liberdade.

Gira o mundo, gira o meu pequeno
E corajoso coração,
Tão nobre e tão maltrapilho,
Tão doce e tão zangado.

Meu coração, desencontrado,
Se perde em seu itinerário,
Mas compreende a dimensão da vida...
Sabe que ela não questiona a eternidade.

São longas as horas de espera,
Para se ter paz – somente paz.

Paciente, meu coração se esmera
Em bater descompassadamente,
Como um cuco maluco que atrasa
Propositalmente as horas.

Sabe, de antemão,
Que para ser árvore,
 Antes tem de ser semente.

Davis Sena Filho

Um comentário:

Wanda Severo disse...

Já lhe disse antes, você deveria urgentemente publicar um livro. Este poema é profundamente humano e melancólico e ao mesmo tempo vivo para a vida. Bj.