Google+ Badge

domingo, 6 de maio de 2012

ILUSÕES

ESPAÇO BICO PENA

Passa choro
Passa riso
Passa casamento
Às vezes até
o amor
Passa a história
os costumes
e a lamúria da dor
Passa a vida
As emoções
Passa a moda
e as pessoas
Passa a infância
a adolescência
e até o eco
que ressoa
Passa tudo
na televisão
e tudo passa
sem afobação
Passa a guerra
mas a guerra volta
em outro canto
numa reviravolta
Passa trem
Passa carro
Passa avião
Passa o mundo
levando meu coração
Passa tudo
e tudo passa
Enganando meus olhos
numa ilusão

Davis Sena Filho — 10/12/1981

2 comentários:

Marcos Lúcio disse...

Belo poema, prezaDavis, e tão realista que, nós mesmos, somos passageiros, nesta impermanência chamada vida. Lembrei-me desta historinha fantástica:

Certa vez, um sábio chinês presenteou o imperador com um livro.
O livro tinha apenas duas páginas.
Ao dá-lo, o sábio explicou: “No momento mais triste da sua vida, senhor imperador, leia a primeira página e feche o livro.
E no momento mais feliz, leia a segunda. O presente terá atingido seu objetivo.”
Tempos depois, o azar abateu-se sobre o império...
O imperador lembrou-se do livro:
Na primeira página, somente uma frase curta: “Isso vai passar”.
Incansável e laborioso, ele convocou seus conselheiros e pediu o apoio de seu povo...
Mais tarde, sua única filha casou-se com o filho de um imperador vizinho e os dois países se uniram num único e imenso império.
Feliz da vida, o imperador lembrou-se novamente do livro e foi direto à segunda
página, onde se lia apenas outra frase curta:
“Isso também vai passar”.

Moral da história:

"Não devemos nos embriagar pelas grandes alegrias e nem nos deixar abater pelas grandes frustrações."

Considero este, o caminho mais sensato para
descobrir a felicidade que nos habita ou nos espera.

Por outro lado, quanto às ilusões ... que há anos(décadas, seria mais sincero), não mais as possuo, graças a Deus!, trancrevo estas preciosas linhas do genial Mário Quintan, que tão belamente dão conta do recado.

"Meu saco de ilusões, bem cheio tive-o.
Com ele ia subindo a ladeira da vida.
E, no entretanto, após cada ilusão perdida...
Que extraordinária sensação de alívio !"

Abraço

Marcos Lúcio disse...

Desculpe a digitação falha: Mário Quintana.