Google+ Badge

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Bandeira de Mello coloca a imprensa em seu devido lugar

Blog Palavra Livre

CBN, a rádio que troca a notícia, poderia ficar sem essa.

BANDEIRA DE MELLO: "EMBARGOS INFRINGENTES CONSTAM NO REGIMENTO DO STF".


"A imprensa tomou como se fosse uma questão de honra obter a condenação dos réus. Mas esta é uma posição da imprensa. Não é uma posição da sociedade. É muito comum as pessoas dizerem "é a voz do povo; a voz das ruas". Que voz do povo é essa? É a voz de meia dúzia de donos de meios de comunicação. É isto e nada mais". (Bandeira de Mello)  

OUÇA O JURISTA 


7 comentários:

Mara Bella disse...

Davis, foi 10 ouvir o grande jurista Bandeira de Mello, que sem papas na língua disse o que acha das famílias que controlam as mídias. Legal.

Anônimo disse...

O grande jurista Bandeira de Mello tem conhecimento extremo das famílias que controlam as mídias. Porisso pode - e deve criticar - seus métodos. Afinal, lidar comercialmente com ela, diariamente, como enquanto não jurista e sim presidente do Flamengo deve oferecer conhecimento de causa.
Pelo visto, não é só a rádio que troca notícias...

Anônimo

Anônimo não Idiota disse...

Esse Anônimo é um idiota. Só isso.

Carlos Roberto disse...

O jurista Bandeira de Mello não é a mesma pessoa que é presidente do Flamengo. O nome do jurista é Carlos Antonio enquanto o presidente do Flamengo é Eduardo. Além disso, o jurista tem mais idade que o presidente do Flamengo. A ignorância desse anônimo retrata a imbecilidade dos coxinhas reacionários e que se alimentam de bílis. O anônimo pode ser anônimo, mas a sua idiotice e burrice são públicas. Digno de pena esse verme...

Anônimo disse...

Admito.
Mas chamar de verme é igual cuspir na cara.
Nestas horas, melhor ser Anônimo.

Abônimo

Anônimo disse...














































































































































































































































































Anônimo disse...

Boa idéia sua, a de reproduzir a fala oportuna, sensata e justa do jurista... que deu recado bem dadíssimo.
Marcos Lúcio