Google+ Badge

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Veja associa Lula a assassinato e "estupra" o jornalismo


Por Davis Sena Filho — Blog Palavra Livre

Civita viveu na Itália, nos Estados Unidos e na Argentina. Mal visto, veio para o Brasil para dar golpes.
 Veja — a revista porcaria continua a pavimentar, com denodo e dedicação, sua trilha de sujeira, a chafurdar em seu próprio esgoto e a injuriar, a caluniar e a difamar aqueles que ela considera seus inimigos ideológicos, políticos e comerciais, ainda mais que a Editora Abril certamente não vai ter um aliado na Prefeitura paulistana a partir de 2013, com a vitória do petista Fernando Haddad e a derrota de seu aliado tucano, José Serra, nas últimas eleições.
Tal semanário continua, incessantemente, a praticar o verdadeiro e o autêntico jornalismo de esgoto. É sua marca, índole e essência, e não importa para o capo Roberto Civita e seus capitães do mato, travestidos de jornalistas, se a credibilidade da Veja, conhecida também como a Última Flor do Fáscio, vá para o espaço ou para a lixeira, lugar apropriado à publicação e que eu sempre a coloco quando a tenho em mãos. Asco!
A verdade é que apenas interessa a tal pasquim de péssima qualidade editorial macular o nome dos políticos e autoridades que não se submetem aos ditames políticos e empresariais do dono de uma empresa que vive comercialmente à sombra do poder público controlado há 20 anos pelos tucanos do PSDB, em São Paulo, bem como sustentada pela publicidade oficial do Governo Federal.

 
É a ditadura da imprensa de negócios privados a agir por meio do pensamento único e a querer submeter seus leitores e as pessoas desavisadas ou incautas a seus interesses mercantis e políticos, por intermédio de matérias criminosas, pérfidas e maliciosas, com características declaratórias, sempre em off e de conotação golpista. É a Veja, à la Murdoch, que publica um jornalismo bandido e se associa, durante anos, ao seu principal pauteiro e editor — o bicheiro preso Carlinhos Cachoeira.
A Veja bandida, mafiosa e desditosa. O pasquim de extrema direita não tem limites e nem senso do que é real e irreal; justo e injusto, porque as autoridades políticas, inclusive as do PT, não efetivam o marco regulatório das mídias, bem como o Judiciário é complacente com o jornalismo declaratório, cujos advogados aproveitam a ausência de regras para os meios de comunicação, bem como usam as brechas da lei para impedir que seus clientes jornalistas, bem como seus chefes, os donos de propriedades cruzadas dos meios de comunicação, não sejam punidos pela Lei, além de evitarem que eles paguem multas e os custos dos processos daqueles que os processaram.
Enquanto países vizinhos do Brasil estão a regulamentar os negócios dos barões midiáticos, os brasileiros ficam à mercê de empresários e jornalistas compromissados com os interesses mercantis das elites econômicas brasileiras e internacionais, a boicotar governantes trabalhistas e a derrubar autoridades constituídas sem acusações formalizadas e culpas comprovadas, como ocorreu com os ministros Carlos Lupi e Orlando Silva, somente para citar esses, além de terem quase conseguido derrubar o governador do PT do Distrito Federal, Agnelo Queiroz.

Mais vale a imagem do que mil palavras ou Unidos daremos um golpe nos trabalhistas.
É a ditadura da imprensa e do pensamento único cujo produto — a notícia — é consumido e repercutido por parte de uma classe média retrógada, preconceituosa e reacionária, pois age como um vetor do conservadorismo, porque seus princípios e valores são os mesmos das classes dominantes controladoras de terras e dos meios de produção, que geram poder econômico e político e, consequentemente, causam a tolerância e a impunidade por parte do Judiciário (STF, STJ, TJ, PGR e MP) com os jornalistas e seus patrões.
A imprensa oligarca que publica e veicula matérias nitidamente oposicionistas aos governos trabalhistas, do jeito e da forma que quer, sem se preocupar, todavia, com a veracidade dos fatos e dos acontecimentos. A mídia de profissionais que não temem serem punidos, ao menos questionados sobre suas ilações, acusações e agressões, porque sabem que não existe lei de imprensa (não confundir com censura), regulamentação do setor midiático, conforme a Constituição, além do enfraquecimento da classe trabalhadora dos jornalistas cujos diplomas ainda existem, mas não são mais exigidos para que as empresas que pertencem basicamente a dez famílias possam ter um maior controle do sistema de trabalho, das políticas de contratações e salariais e dessa forma diminuir o poder de reivindicação dos trabalhadores.
Com isso, os empresários conseguiram enfraquecer o papel dos sindicatos e da Fenaj, federação de jornalistas que se aproximou da ANJ (associação patronal), na primeira década deste século. Consequentemente, a Fenaj levou uma punhalada pelas costas. Até hoje, a entidade laboral, envergonhada e desmoralizada, corre atrás do diploma no Congresso, a fim de restabelecê-lo, pois perdeu a credibilidade perante a categoria. Bem feito, quem mandou representante de classe trabalhadora puxar o saco de patrão. E logo dos barões da imprensa, os patrões mais atrasados e reacionários de toda a classe empresarial, que foi atendida nesse caso pela maioria dos juízes burgueses do STF. Deu nisso: a Fenaj foi humilhada. Um fiasco.

Frias, Marinho e Civita: eles pensam que o Brasil é o quintal da casa deles.
  Por sua vez, a Veja, a revista da marginal, resolve, em prazo máximo de um mês e por intermédio de duas publicações, incluir o presidente mais popular e respeitado no exterior da história do Brasil no episódio da morte do ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel, bem como envolvê-lo no caso do “mensalão”, que, apesar dos juízes oposicionistas e de direita do STF, está ainda para ser provado. As duas matérias emporcalhadas da revista porcaria citam o presidente Lula, mas o acusador ou denunciante não tem nome, as frases (aspas) são em off e evidentemente o material jornalístico não foi gravado (é a praxe), porque a Veja pode ser um detrito sólido de vaso sanitário, mas a rapaziada que trabalha lá não dá ponto sem nó e procede assim porque sabe que ser jornalista de empresa de comunicação grande e rica no Brasil é a mesma coisa do que estar livre de punições, multas, processos ou cadeia. É como se a cidadania dessas pessoas fosse à parte do conjunto da população brasileira.
Por isto e por causa disto, o presidente Lula, o maior líder popular das Américas e que saiu do poder com 83% de aprovação (índice maior do que o do mito Nelson Mandela) tem de aguentar ofensas, ignomínias e acusações desabonadoras de uma corja de sacripantas movidos pelo ódio de classe, interesses econômicos e pelo preconceito ideológico, combustíveis da intolerância e da violência. São esses golpistas que detestam afirmações do líder trabalhista, como esta: “Optamos pelo desenvolvimento aliado à distribuição de renda. Nos últimos anos, o meu País integrou a agenda social à agenda econômica, numa equação em que toda a sociedade ganha. Nos últimos anos, 28 milhões de brasileiros saíram da pobreza e quase 40 milhões entraram na classe média” — comentou. Por fim, Luiz Inácio Lula da Silva alertou os gestores públicos que a opção pelo desenvolvimento e pelos investimentos tem um custo político, mas é recompensadora, e envolve “muito mais do que dar comida a famintos”. E concluiu: “O dinheiro na mão dos pobres transforma-se rapidamente em comida, roupa e material escolar, e dinamiza o conjunto da economia, num círculo virtuoso”.
Precisou um operário, intelectual orgânico, migrante de Pernambuco, que conhece o povo, sem curso superior, mas sabedor da dor da fome, da pobreza e da ausência de condições de vida dignas para viver, ensinar os “doutores” compromissados com o status quo e com o establishment sobre economia, sociologia, direito, psicologia, engenharia, finanças, filosofia e, principalmente, sobre solidariedade, respeito e consideração pelo povo brasileiro e pela autonomia, independência e autodeterminação do Brasil. Lula foi um presidente republicano, democrata e justo, pois defensor do estado democrático de direito. Enquanto isso, os “doutores” venderam o País, submeteram-se ao FMI, não criaram condições de emprego e renda e mostraram, de forma subalterna, o imenso complexo de vira-lata que toma conta das almas e das mentes colonizadas das classes dominantes brasileiras de princípios alienígenas.

EM SEU DEVIDO LUGAR!
 O mandatário Lula, ao contrário dos governantes “doutores”, jamais reprimiu qualquer classe trabalhadora, movimento social ou sindical, recebeu no Palácio do Planalto os catadores de lixo, respeitou a Constituição e as regras do jogo democrático. E mesmo assim foi acusado por uma mídia mentirosa e corrupta até de ditador e censor. Absurdo incomensurável e má-fé na veia da imprensa comercial e privada (privada nos dois sentidos, tá?), de alguns juízes do STF nomeados por ele e do procurador geral Roberto Gurgel, o prevaricador da República do Cachoeira, do Demóstenes Torres e dos empregados da Veja e da Época, Policarpo Jr. e Eumano Silva. O procurador midiático, de direita e aliado da Veja, autora de reporcagens fascistas. A minha desconfiança me leva a pensar que quem está por trás das matérias em off de tal pasquim é o tal procurador, que para mim e para o senador Fernando Collor deveria sofrer um impeachment por parte do Senado. Nada mais emblemático e sintomático do que o Collor questioná-lo duramente, por ter renunciado a Presidência e por isso ter também conhecimento o suficiente quando afirma que Gurgel prevaricou e “protege os bandidos da Veja”.
São essas coisas que acontecem ainda no Brasil. Bem feito! Quem manda não criar o marco regulatório para as mídias. Quem manda não existir lei específica com o objetivo de garantir o direito de resposta de forma rápida e com espaço igual à vítima de acusações levianas e mentirosas. Os contrários afirmam que já existe a lei penal etc. e tal. Mas não adianta, porque os juízes tendem dar causa ganha ao agressor, à máquina midiática. Tem de ter lei específica e que acelere a punição ao caluniador e difamador e assegure o direito de defesa de quem foi injustiçado. O que esses barões de imprensa fazem  com o Lula é hediondo. É a covardia que remonta o que eles fizeram, através das décadas, com o Getúlio, com o Jango e com o Brizola. A direita conhece os trabalhistas de longe, bem como sabe quem é o líder político carismático e o “dono” dos votos. Lula é mais do que a Dilma e o Haddad. Foi ele que os elegeu. A direita política e empresarial não reconhece a realidade ao tempo que sim, pois, do contrário, não se incomodariam e não perseguiriam tanto o operário, fundador da CUT e do PT, além de algoz dos conservadores. A Veja e seus coirmãos tem seu lugar na história: a lixeira. É isso aí.

16 comentários:

celvio disse...

Valeu, Davis.
Você contou direitinho a hitória deste câncer do Brasil que é a revista Veja.
Revista do crime organizado. Esgoto do jornalismo nacional, tentando imbecilizar o povo há tempos,e, agora, atacanto o Lula, que na opinião do Mino Carta (e na de milhões de brasileiros, entre os quais me incluo), "é a mair personalidade política da histaria do país".
Abs. Célvio

Davis disse...

Obrigado, Célvio. Sua opinião é muito importante.

alguma quiansa disse...

Davis, adorei o texto que é de um guerreiro que jamais descansará enquanto a verdade não for restabelecida. Eu, daqui das gerais, sinto-me sozinha demais...rodeada de uma classe média por vezes alienada, por outras, raivosa e fascista, com a qual não consigo mais me relacionar. Seu post porém me dá esperança...ainda vai chegar a hora em que estaremos convencidos, todos, de que não outra saída que não lutarmos juntos, amplificarmos a nossa voz a fazer valer todo o sofrimento passado para chegarmos até aqui. Geloca

Davis disse...

Geloca, não estás sozinha. É duro conviver como gente assim, mas somos muitos e jamais deixaremos que a mentira impere. Abs.

HUGO CEZAR PEREIRA B disse...

TRANSPARÊNCIA >> Total transparência é o grande segredo para anular os peões !! Podem gravar - espionar - esmiuçar - grampear etc. >> Onde prosperam a honestidade e o bom trato da coisa pública - não têm vez os arapongas. Alguma denúncia contra a Presidenta Dilma Rousseff ? - Alguém tem dúvidas de que os grampos estão armados ? > Ela fala abertamente com todos e não tem o que esconder. Não mordam as iscas dos que querem faturar em cima do Presidente Lula. Já sabem que êle voltou à cena política e, talvez, êles têm a infirmação que eu não tenho >> A DE QUE O HOMEM É QUE VAI CONTINUAR TRABALHANDO EM 2.014 !!! SEI QUE NÃO SEI >>> Gentil !!!

Mabel dias kroth disse...

Fantástica esta postagem parabéns!

Jurandi disse...

Quando leio um texto dessa importância, me da a certeza que que ainda existe jornalistas que amam o brasil e que nos enche de esperança e orgulho.Parabéns pelo excelente texto.Estou muito feliz por você está também no portal 247, alias,lá você está sendo muito elogiado, já passei lá e deixei o meu comentário.Um abraço meu caro!

Anônimo disse...

Excelente seu artigo,porém o que revolta é que o PIG golpista continua tendo como seu 2º financiador o Governo Dilma.
O 1º é a CIA. Explico: desde a 1º Guerra Mundial, que os serviços secretos das principais potencias mundiais, criaram "uma cultura" de plantar agentes em outros paises,no caso dos EUA que criou nesta época a CIA, copiou esse sistema dos principais paises europeus, no entanto os Russos e Japoneses, j´faziam isso a muito tempo.
- Mais vamos voltar ao Civita filho. O seu Pai, juntamente com o seu irmão, dos EUA, foram enviados simultaneamente, um para a Argentina, e o outro para o Brasil. Essa história (fajuta) de que o Grupo Abril é um exemplo de sucesso empresarial,é conversa pra boi dormir. Ontem como hoje esses traidores trabalham para a CIA.
- Quem tiver dúvida,faça uma boa pesquisa, (investigação), na origem do Grupo daqui, como também na historia do Grupo da Argentina.
É inegavel que o Lula entra para a história como o Presidente que transformou o Brasil para melhor, no entanto ele subestimou os EUA, esse Império do Mau que só semeia desgraças no mundo todo. O PIG no Brasil é inteiramente subordinado a CIA.

prof. Ramos disse...

prof. Ramos
Ultimamente não tenho mais paciência para ler este tipo de texto. Já li centenas deles e acho que escrevi uma dezena. Agora, a pergunta que se faz é: Por que um cara como Collor briga sozinho no senado contra a veja e o procurador e não aparece um, só um, senador do PT para apoiá-lo? Por que o PT não parte para a ofensiva para defender Lula, a si próprio e ao governo? Se o PT tivesse feito isso desde que chegou ao poder duvido que o julgamento no STF tivesse chegado ao ponto que chegou. Duvido. Por que a veja, com todas as provas contra Policárpio escapou da CPI? Que medo é esse? Não tenho paciência para ler esse tipo de texto. Do jeito que vai Lula vai sair algemado do supremo.

Márcia S. Witzac disse...

Você tá muito entediado, prof. Ramos. Porém, o grande jornalista Davis Sena Filho está coberto de razão, em um texto corajoso em que ele demonstra conhecimento sobre a imprensa e sobre a direita escravocrata deste país. Vc deveria ler os textos do Merval Pereira ou do Arnaldo Jabor. Aí, talvez, o seu tédio acabe.
Prof. Ramos, vc tá com cara de tucano... Acertei?

Edmundo Grajauskas disse...

Muito bom.

Parral disse...

O Brasil já não é tão servil ao coronelato fraudulento outrora mandatário plenipotenciário. Lula mudou o Brasil - e, por isso, não é perdoado por essa gente.
Para entender o Brasil em curso, leia os artigos: NEOPETISMO (LULISMO DE RESULTADO) e LULA DO BRASIL
http://parralblog.blogspot.com.br/

Gond disse...

Você fala muita besteira! Não fosse a Veja qual mídia seria a oposição nesse país? Seu blog? O Conversa Fiada? O Brasil 247? Vocês querem uma mídia censurada, paga a soldo para falar bem do governo. Vai morar então na Venezuela e na Argentina, exemplos da "liberdade de expressão"!

Anônimo disse...

Irretocável e magistral este post onde , mais uma vez, e com evidência solar, a podridão da asquerosa VEJA fica escancarada...e só não vê quem não quer. Aliás, o leitor desta famigerada revista é míope, cego, perverso, nefelibata, psicopata, incauto, ou cínico? Desconheço jornalista que possa dissecá-la, com mais contundência e capacidade que você. Parabéns!!!
Como você disse tudo muitíssimo bem, com propriedade, a (des)respeito das rePORCAgens dela, e cheio de fundamentação e veracidade, só resta corroborar: que cegueira, que esgoto, que náusea, QUE LIXO... A VEJA!!! Cruzes!!!
Abração.
Marcos Lúcio

Paulo disse...

PIG = Culto as Desgraças Brasileiras. Quanto mais desvalorizar mais barato mais facil fica o preço e a posse das gigantescas riquezas naturais brasileiras valores imensuráveis no estrangeiro e na mão dos capetalistas esdrúxulos braZZZileiros.

Parral disse...

Leia os artigos:
PT: SENZALA NO PODER; BRASILULA; NEOPETISMO (LULISMO DE RESULTADO; BRASIL BRASILEIRO...
http://parralblog.blogspot.com.br/