Google+ Badge

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Parente e Serra recrudescem a sanha de vender a Petrobras e transformar o Brasil em nação vazia como suas cabeças

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre

Pedro Parente (foto) e seu chefe direto, José Serra (foto), vão vender a Petrobras e deixar o Brasil à mercê do mercado internacional de petróleo e dos interesses dos países ricos.
O tucano, o golpista e o incompetente da Bunge Brasil, Pedro Parente, conhecido também como Mão de Tesoura, não somente por ele cortar investimentos da Petrobras, mas também por sabotá-la, a fim de concretizar sua gestão de lesa-pátria, continua em seu périplo obsessivo para privatizar a Petrobras. Este sujeito desprovido de autoridade executiva e sem a legitimidade das urnas, anunciou que o seu "Plano de Negócios e Gestão", de caráter draconiano e, seguramente, com o propósito de liquidar a Petrobras, fará com que o Brasil mais uma vez se submeta a um novo retrocesso, que depois para recuperá-lo se necessitará de décadas, e olhe lá.

Pedro Parente não tem voto, a autoridade do voto, porque seu chefe, José Serra, é do PSDB e seu partido, por meio da candidatura Aécio Neves, foi derrotado nas urnas pelo PT de Dilma Rousseff, que foi reeleita e depois derrubada por um golpe bananeiro de estado, no qual o golpista Pedro Parente é um de seus beneficiários. Além disso, Serra foi derrotado duas vezes como candidato do PSDB à Presidência da República, o que denota que suas propostas de perfis neoliberais não foram aprovadas e aceitas pela maioria do povo brasileiro.

Quero dizer com isto que Parente, Serra e o usurpador do poder e agora mentiroso de âmbito mundial, *michel temer (ele mentiu na tribuna da ONU sobre os refugiados recebidos pelo Brasil), estão a impor, a fórceps, o programa quatro vezes eleitoralmente derrotado do PSDB, que se baseia praticamente em apenas duas coisas: 1) Privatizar e entregar totalmente o patrimônio público brasileiro; e 2) Manter a grande maioria da sociedade brasileira em uma posição indefinidamente subalterna, com propósito de manter os privilégios do status quo, que se beneficia de um Estado pequeno, mas patrimonialista, como sempre foi no decorrer dos 500 anos de história do Brasil.

Pedro Parente — o Incompetente — se sente fortalecido para fazer o desmonte da Petrobras, pois irresponsável que é com os interesses do País. Ele não se importa com nada que possa ajudar para que o Brasil seja independente e seu povo plenamente emancipado. Parente, como membro da burguesia brasileira colonizada, é um verdadeiro representante da "cultura" yuppie, mas deslocado de seu tempo, que é a terrível e cinzenta década de 1990. O presidente golpista da Petrobras é um usurpador e sua visão tacanha e inconsequente é totalmente direcionada aos interesses do mercado, principalmente o internacional.

A molecagem à frente da Presidência da República, da Casa Civil, do Itamaraty e da Petrobras vai ser grande e devastadora, no tempo que o golpista *michel temer estiver no poder. Um governo golpista e usurpador não é legítimo e, consequentemente, para legitimar suas ações não aprovadas pelas urnas somente tem uma solução: o casuísmo, o despotismo, a mentira e a repressão, tanto no âmbito policial quanto pelos meios de comunicação privados dos coronéis midiáticos.

Os magnatas bilionários de imprensa e seus capatazes de redação formam um dos pilares principais e centrais do golpe de estado de 2016 contra Dilma Rousseff, que, além de não ter cometido crime de responsabilidade, obteve 54,5 milhões de votos invalidados, bem como seus eleitores, inacreditavelmente, foram desrespeitados e igualmente golpeados, por um bando de canalhas e traidores, que vicejam no Judiciário, na imprensa de mercado, nas federações patronais, a exemplo da Fiesp, e nos partidos de direita liderados pelo PSDB, PMDB e DEM.

Parente é perigosíssimo para o Brasil

Viciado em privatizar, além de ser um fundamentalista do mercado, Pedro Parente prejudicou gravemente a Bunge Brasil, uma gigante em fertilizantes em um País que é um dos líderes mundiais do setor de agricultura. Já escrevi sobre este assunto em artigo recente. Porém, vamos a outras questões da vida desse sujeito, que nunca construiu nada para o Brasil, a não ser vendê-lo e enfraquecê-lo como Nação, que luta há séculos por sua independência e autonomia, mas que tem de se submeter aos ditames antinacionalistas e antirrepublicanos de gente como o predador Pedro Parente.

País que tem uma "elite" composta por indivíduos como o Parente não precisa de inimigos externos. A verdade é esta: quem sempre foi inimiga do Brasil e dos brasileiros é a oligarquia deste País, tão perigosa e colonizada, que se torna um perigo de fato quando golpistas, como esses que tomaram de assalto a Presidência sem a autoridade do voto, passam a formular os programas e os projetos de governo para o Brasil, sem tem de dar satisfações a ninguém.

E por quê? Porque golpistas quando tomam o poder por meios ilegítimos e ilegais, mesmo quando travestidos de legais e legítimos, eles não têm a quem responder, porque quebraram e violaram as regras e as normas constitucionais para darem um golpe, pois romperam com o jogo democrático e com o Estado de Direito.

O Brasil vive hoje em uma ditadura branca e disfarçada, mas violenta e com a cumplicidade surreal do STF, da PGR, da PF e de alguns tribunais inferiores, como a Vara do juiz e ativista político tucano, Sérgio Moro, do PSDB do Paraná. Por isto e por causa disto, golpista incompetente e privatista como o Pedro Parente vende o Brasil, sem se preocupar com a opinião da sociedade brasileira. Ele é golpista e, como tal, dá uma banana para a população e atende ao "deus" mercado, que é o seu senhor, a quem ele responde e se submete, pois seu capataz, seu empregado e um de seus porta-vozes. Ponto.

Por sua vez, torna-se necessário relembrar as péssimas administrações deste "notável" executivo, que, a despeito de ter um currículo considerado de "excelência", a verdade é que tal sujeito privatista sempre prejudicou os interesses do Brasil para favorecer os interesses da iniciativa privada e de seus variados mercados, desde os trustes de petróleo à banca financeira nacional e internacional.

Não sei como este indivíduo daninho ao Brasil pensa que todo mundo é idiota, pois o que se percebe é que ele canta loas e boas ao mundo privado, que, na verdade, sempre se beneficiou dos bancos estatais, assim como os compradores das empresas públicas brasileiras sempre contaram com os investimentos dos bancos de fomento (BNDES, BB e CEF), que emprestaram dinheiro do contribuinte para que empresas privadas se assenhoreassem do que elas não construíram e muito menos investiram, no decorrer da história do Brasil.

A construção do Brasil moderno e industrializado, principalmente a partir de 1930, quando o estadista e trabalhista Getúlio Vargas conquistou o poder, por intermédio de uma verdadeira revolução e não apenas por meio de um golpe de estado, uma quartelada terceiro-mundista com a cara da casa grande escravocrata, como foi o golpe de 1964, que a direita, a fim de dissimular e distorcer a realidade e a verdade, chama também de "revolução" ou "Redentora".

Evidentemente que a comparação sobre os dois movimentos históricos chega a ser um deboche, porque sabemos que o golpe civil-militar, como dizia Leonel Brizola, "foi para amarrar a vaca (Brasil) para que os gringos e as oligarquias brasileiras pudessem mamar à vontade". E é exatamente isto, a ordenha da "vaca", que o governo ilegítimo, usurpador e golpista de *michel temer está a restabelecer, sem dó e nem piedade. Para os usurpadores, urge fazer a pilhagem do patrimônio brasileiro antes que 2018 chegue, pois o ano das eleições presidenciais. Essa gente em um País civilizado teria como endereço o presídio, a cadeia, o xilindró, lugares adequados para quem entrega as riquezas do Brasil e derruba presidente eleita e que não cometeu crime de responsabilidade.

Pedro Parente representa, ipsis litteris, o que disse Brizola sobre a "vaca". Este sujeito que assumiu a Petrobras por meio de um golpe nada mais é do que a direita que não pensa o Brasil, assim como se recusa a pensá-lo, ainda mais quando se trata da corrente política e de pensamento de Parente e de seus iguais, como o Serra, o Alckmin, o Pedro Malan e o FHC — o Neoliberal I —, aquele presidente tucano e "competente", assim como o Parente, que foi ao FMI três vezes, de joelhos, humilhado, com o pires nas mãos, porque quebrou o Brasil três vezes.

Parente foi ministro da Casa Civil do Governo do Neoliberal I, mas também foi o responsável por tratar da questão do apagão energético, que durou um ano e meio. O executivo que tem um "talento" enorme para contrariar os interesses do País assumiu também a Câmara de Gestão da Crise Energética. Um ano e meio de apagão e seu grupo político considera que tem moral e autoridade para vender a Petrobras ou qualquer empresa pública construída por brasileiros, que no passado realmente pensavam o Brasil como Nação, porque dispostos a torná-lo independente perante o mundo.

A verdade é que Parente recrudesce sua sanha de vender a Petrobras, a transformar o Brasil em uma Nação vazia como o é sua cabeça. Parente é vazio, pois cumpre apenas o papel de mercador. Este é o resumo profissional de sua vida, seu currículo e seu histórico, bem como sua finalidade de privatizar o que seu grupo composto por predadores jamais teria competência para construir, porque sua razão é completamente divorciada de questões fundamentais, que propiciem a construção de uma Nação desenvolvida, livre, soberana e independente.

Mercadores não são estadistas. São apenas mercadores. O são intelectualmente restritos, porque cuidam dos interesses do mercado e não de um país, de uma nação e de um povo. Ser estadista é, sobretudo, cuidar do povo para elevá-lo. FHC governou o País como mercador e o traiçoeiro *temer foi à ONU, um fórum político onde se debatem questões relativas às divergências e convergências do mundo, sendo que, como um típico provinciano da casa grande brasileira, que não tem a compreensão do que é uma nação e representá-la, ofereceu o Brasil para negócios, porque está à venda, como se vende "bagulhada" em pregões.

A idiotice, a ignorância e a má-fé são imensas. Metem a mão no Estado e ninguém vai preso. Pelo contrário, procuradores, juízes e delegados conspiraram para este estado de coisa, esta crise sem fim e se acumpliciaram com os golpistas que estão no poder. Trata-se de uma realidade mais do que surreal, porque são servidores do Estado do qual eles tiram seus sustentos e seus ótimos salários, mordomias e status.

País e povo nenhum merecem tanta covardia, omissão, negligência e irresponsabilidade. E por que este processo vampiresco acontece? Explico: porque no Brasil existe uma parte da sociedade que está, irremediavelmente, dissociada de sua própria nacionalidade e do que é construir uma Nação que se alicerça na cooperação e na solidariedade. O Brasil se tornou uma Nação individualista e "meritocrática", ou seja, como diz a canção dos Titãs: "(...) Cada um por si e Deus contra todos!"

Vide os coxinhas nas ruas totalmente despolitizados e a repetir o mantra entreguista e colonizado das grandes mídias empresariais e que estão envolvidas dos pés a cabeça com mais um golpe criminoso e bananeiro que aconteceu no Brasil, cuja casa grande é da pior qualidade, além de ser provinciana, pária e bastarda, porque não se dá o respeito em termos internacionais.

A burguesia e a pequena burguesia brasileiras são simplesmente horrorosas e perversas — o diabo em forma humana. Duvida? Leia suas mensagens nas redes sociais, seus cartazes e faixas, bem como ouça suas declarações nas ruas, no trabalho, nos bares e nas mídias. Lembrou? Ah, bom..., pois preconceito e violência é pouco. Foi o que se viu e foi o que aconteceu e ainda acontece.

*michel temer, um golpista medíocre e sem noção, pensa que está em São Paulo junto a tucanos e a peemedebistas, a vender para os empresários "amigos" o que resta do patrimônio público paulista. Esta é a "elite" brasileira, que viaja ao exterior há 500 anos, conhece, visita e mora em países desenvolvidos e não aprende absolutamente nada. Elogia o que é de bom lá fora. 

Contudo, quando se tenta aplicar o que é bom aqui, irrita-se, despreza, sabota e, se for o caso, opta pela agressão pura e simples, porque não suporta ver as camadas sociais de baixo ter acesso a uma vida de melhor qualidade, além de se considerar "violado" em seus "direitos" de ter privilégios e benefícios em relação à população, pois quer se separar da massa, pois se considera VIP.

Típico de uma classe rica colonizada e de uma classe média equivocada, subalterna e sem o mínimo de vergonha na cara. Aliás, não é o que representa socialmente, por exemplo, o Pedro Parente, dentre milhares e milhares de coxinhas de todas as classes sociais? Com a resposta, os coxinhas de todas as classes sociais. Sabe por que os coxinhas ricos e médios sabotam o que é bom? Vou novamente ressaltar: Porque eles querem o que é bom somente para eles, além de se mostrarem enfurecidos e inconformados com a ascensão social dos pobres, porque não querem que os pobres andem em seus espaços quanto mais frequentá-los.

O negócio é o seguinte: a classe média e os ricos não foram às ruas por causa da corrupção. Eles são corruptos em diferentes e variados graus. Os ricos e a classe média foram às ruas para apoiar golpe de estado, em 2016, porque lutam por benefícios e privilégios, além de manter o povo na senzala. Este foi o principal propósito para a efetivação do golpe. Quem quiser acreditar em outra história que acredite, porque a história escrita por historiadores vai confirmar que no Brasil mais uma vez as oligarquias derrotadas quatro vezes consecutivas resolveram interditar a democracia e o Estado de Direito.   

Por sua vez, continuo com o pequeno histórico lamentável de Pedro Parente que, quando se olha no espelho, vê a imagem de um vendilhão, sem a compreensão exata do seu desditoso e sórdido papel. Brasileiro cooptado pelo mercado e traidor, que não ama o Brasil, a Pátria, porque não a entende, não a conhece e não a respeita, bem como a seu povo, pois um indivíduo alienígena e com os olhos e o pensamento voltados para o exterior, de preferência para os países desenvolvidos. 

Pedro Parente e a frente política que tomou de assalto o poder central é o que o Brasil produziu de pior, em termos de republicanismo, de nacionalismo e de dissociação da luta pela construção de um País desenvolvido. Parente, na Petrobras, poder-se-ia afirmar que é o fim da picada, porque expõe o País ao fracasso e entrega a estatal estratégica para o desenvolvimento do Brasil.

Não falo do nacionalismo cretino e fascista. Falo do nacionalismo que os coxinhas como o Parente admiram, a exemplo do norte-americano. Aí é bacana, ainda mais quando o povo estadunidense expõe sua bandeira em suas casas, escolas, comércio e repartições públicas. Aí é legal, para a casa grande promotora do retrocesso e do atraso deste País, assim como para os coxinhas de classe média, todos colonizados e portadores de um incomensurável, inenarrável e indescritível complexo de vira-lata. 

Entretanto, "diga lá", como falam os baianos. Pedro Parente, além de prejudicar a Bunge Brasil, que teve de abandonar o gigantesco mercado de fertilizantes do País, fracassou no "apagão" elétrico de UM ANO E MEIO, além de ser acusado e de ter causado prejuízos bilionários à Petrobras quando foi conselheiro da mais importante estatal brasileira na Era FHC.

Além do mais, Parente é alvo de ações de improbidade administrativa reabertas no mês de março deste ano no STF, assim como cometeu arbitrariedades no "Ministério do Apagão" ao racionar energia e cobrar multas exorbitantes dos consumidores, sendo que o governo incompetente de FHC sabotou as hidrelétricas e as empresas fornecedoras de energia, porque a intenção era vendê-las a preço de banana; e foi o que aconteceu com as fornecedoras, como a Light, a Cemig e outras pertencentes aos estados.  

Agora, vamos às perguntas que se recusam a calar: como pode um presidente da Petrobras, que administra uma estatal que é responsável por 13% do PIB brasileiro, ser uma pessoa que responde a acusações de irregularidades quando ocupou cargos públicos como a Casa Civil e a Secretaria Executiva do Ministério da Fazenda, além de ter participado com afinco da privataria tucana do FHC? Como pode o Parente ser o responsável pela privatização da Petrobras, a começar pela gasoduto que atravessa a região sudeste, a mais rica do País, além de ter, em apenas quatro meses, vendido para a Noruega o gigantesco poço Carcará do Pré-sal? Com a resposta a sociedade brasileira.

Por seu turno, vale lembrar que um dos processos contra o tucano entreguista é quanto as térmicas usadas para amenizar o apagão. A política predadora de Parente fez a Petrobras assinar contratos para privilegiar o setor privado. Até aí nenhuma surpresa. Ele é tucano. O que realmente chama a atenção é que os contratos validados nos anos de 2000 a 2003 para construção de usinas termoelétricas causou prejuízos de mais de R$ 1 bilhão à petroleira brasileira. Valor da época. Não corrigido.

Por causa desta "furada" digna de Os Trapalhões e da irresponsabilidade digna de um fundamentalista do mercado, a Petrobras teve de praticamente assumir o prejuízo, porque o setor privado se mandou, deu o pira, saiu fora, deitou os cabelos, bateu pernas, porque empresário brasileiro quando é oportunista e irresponsável — muitos deles o são, vide a Fiesp e seu pato corrupto e amarelo no golpe de 2016 — adora socializar os prejuízos e, evidentemente, privatizar os lucros. É a tal da hipocrisia e da safadeza nacional. Depois a Dilma e o Lula são "corruptos" e sem a apresentação de provas por parte de seus detratores da imprensa empresarial e de agentes do Estado, que fazem parte, por exemplo, da força-tarefa da Lava Jato. Esta é a verdade.

Valor das usinas termoelétricas na época: US$ 800 milhões, o que significava um terço dos US$ 2,1 bilhões que a Petrobras se viu obrigada a honrar junto aos investidores (sempre eles, os piratas com nome sugestivo de investidores) tamanho valor como compensação, talvez porque o negócio deu com os burros n'água. Trata-se de compensações. E à frente deste processo camaleônico e predatório o senhor Pedro Parente, homem considerado "competente" e até mesmo um ser pensante. Só se for para o mal. Todo este processo de rapinagem foi autorizado por Pedro Parente.

Não sei por que raios o Parente sempre é convidado para ocupar postos-chave quando se trata de privatizar o que é do público e favorecer os investidores. Será por que ele é nacionalista? Será por que ele quer ajudar o desenvolvimento do Brasil? Será por que, como no caso do poço Carcará do Pré-sal vendido a preço bem menor do que vale, tem a finalidade para que todas as crianças, adolescentes e jovens sejam matriculados em escolas e universidades que ofereçam ensino de boa qualidade? Ou será por que o Parente deseja que o SUS receba mais investimentos e passe a atender melhor o povo brasileiro? Com a resposta o Pedro Parente e seus chefes diretos, os golpistas José Serra e *michel temer.

Além disso, Parente, pessoa da melhor qualidade e que detesta ser chamado de golpista, pois fica irritado e aborrecido como todo golpista quando é chamado de golpista responde a processo no que é relativo ao Proer, programa de FHC que injetou dinheiro em bancos, como o Econômico, no valor de R$ 2,9 bilhões, em valores de 1994, saídos dos cofres do Banco Central. Em 2002, o STF recebe as ações, mas o ministro Gilmar Mendes (sempre ele), do PSDB do Mato Grosso, as arquiva em 2008. Todavia, as ações foram novamente reabertas, pois o MP recorreu e o processo contra o Parente está novamente a tramitar pelos escaninhos de uma Justiça lenta e que, de acordo com as circunstâncias, está sempre a blindar os tucanos, como se tem observado no Brasil.

Contudo, não acaba por aqui as ações continuadas e de lesa-pátria de Pedro Parente. Ele é envolvido com o Petrolão antigo, ainda no Governo FHC. Parente é réu em Ação Popular nº 2001.71.12.002583-5. Ele é acusado desde 2001 por ter realizado um péssimo negócio contra os interesses da Petrobras e, com efeito contra o Brasil. A estatal brasileira trocou ativos desvalorizados da Repsol-YPF, na Argentina, por ativos brasileiros valorizados. A operação causou um prejuízo registrado no balanço de 2001 de R$ 790 milhões. Com as devidas correções, os valores atingem o montante de R$ 2,3 bilhões. Parente, o PSDB e o governo *temer traduzem a própria depredação do Brasil. 

Para amenizar sua ânsia de ferrar com a Petrobras, Parente, o gestor incompetente, reduziu os investimentos da estatal em 25%. A crise do Brasil e do Rio de Janeiro é também sintoma da sabotagem à Petrobras, pois, como disse anteriormente, responsável por 13% do PIB brasileiro e por centenas de milhares de empregos, além de ser base de uma cadeia industrial, com a exigência de uma política de conteúdo, que o governo *temer quer anular, para que grupos econômicos possam fazer negócios sem repassar conhecimento ao Brasil e sem dar contrapartidas. 

Além disso, o predador Parente está a fatiar a Petrobras, e, com efeito, é como retirar do corpo humano seus braços e pernas — os seus membros. Para se ter ideia da administração irresponsável deste grupo que tomou de assalto o poder por meio de um golpe paraguaio, a Petrobras anunciou que vai encomendar a compra de plataforma marítima para prospectar petróleo em alto mar no exterior, depois de Lula e Dilma terem recuperado a indústria naval brasileira, que foi praticamente extinta na Era FHC e que está novamente a ser diminuída e a perder importância por causa da crise politica e econômica, cujos principais responsáveis são procuradores, juízes, delegados, imprensa de mercado e os grupos partidários do PSDB, DEM e PPS. O governo *temer e "seus" tucanos são "geniais", pois empregam estrangeiros e desempregam brasileiros. Cingapura e os EUA, dentre outros países, estão muito agradecidos pela irresponsabilidade e a leviandade de Serra, Parente, *temer e cia.

A crise não é meramente apenas uma questão internacional, muito de sua gravidade é devido à mobilização da direita plutocrata para concretizar o golpe contra Dilma, que foi efetivado para que, também, fosse imposto o programa neoliberal e de privatizações do PSDB, partido golpista e que como tal entrará para história. O que esses tucanos fazem com o Brasil é criminoso, bem como a ter culpa também o PMDB, que para ter o apoio do PSDB entregou a política econômica de privatizações e de juros altos aos tucanos. O Brasil é o paraíso dos especuladores e da entrega de suas riquezas, sem qualquer estratégia de desenvolvimento e independência. 

A atuação de Pedro Parente no serviço público é uma calamidade. Tê-lo como presidente da Petrobras é um acinte e um desrespeito ao povo brasileiro, que votou em Dilma e não em Aécio em 2014. É inacreditável que o executivo golpista assuma a Petrobras e imponha uma privatização da estatal ao vender seus ativos e pouco se importar com sua presença nociva no comando da empresa, sem ter a autoridade e a legitimidade para vender o que não lhe pertence, até porque, como usurpador do poder, Pedro Parente é tão legítimo como o derrotado Serra o é no Itamaraty e *temer no Palácio do Planalto.

Serra é aquele sujeito golpista que quando candidato a presidente disse para o jornalista Bóris Casoy (CCC) que o nome do Brasil é Estados Unidos do Brasil e não República Federativa do Brasil, e que também ao ser perguntado, recentemente, sobre quais são os membros dos Brics, ele não conseguiu responder sem ajuda de um assessor, além de incluir nos Brics a Argentina. Parente é como o Serra: entende tudo de Brasil e de seu povo. Só que não. É isso aí. 


*michel temer - o nome de tal peçonha é sempre escrito em minúsculo, por se tratar de um pigmeu moral, político, citadino e golpista.

*temer é também conhecido pelo vulgo Amigo da Onça —  Usurpador Traidor.

Golpista é palavra sinônima de *michel temer.

Golpismo é sua essência e razão.

Nenhum comentário: