Google+ Badge

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Dallagnol denuncia Lula para prendê-lo e tirá-lo de 2018 — Perseguição irresponsável é ato de justiçamento e arbitrariedade

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


O procurador Deltan Dallagnol deu um show deplorável, sob as luzes da ribalta midiática. A ação política, partidária e ideológica, apesar de o procurador não ser portador de um único voto, aconteceu hoje à tarde, com a presença dos holofotes da mídia amiga, que foi cúmplice e uma das protagonistas do golpe de estado criminoso, travestido de legal e legítimo em Dilma Rousseff e em 54,5 milhões de brasileiros, que votaram na mandatária reeleita e tiveram seus votos criminosamente cassados. 

Dallagnol apresentou um infográfico de caráter mirabolante, talvez para causar frisson à plateia e ao Jornal Nacional da parceira de golpe, a Rede Globo. Puro ilusionismo. O procurador, vaidoso e a disfarçar sua euforia, mostrava um ar de seriedade quando apresentava as acusações e denúncias contra Lula, sua esposa Marisa e mais algumas pessoas de seus círculos de amizades.

A verdadeira intenção é prender o presidente trabalhista, como se ele fosse ladrão, bem como tirá-lo definitivamente da vida política e, a curto prazo, afastá-lo arbitrariamente das eleições presidenciais de 2018. Os procuradores do MPF querem interditá-lo como animal político, que Lula é e sempre será até o fim de seus dias. 

Só que Dallagnol não conta com uma coisa, que ele jamais terá controle e poder: a história, que relatará seu justiçamento e sua perseguição a alguém que não cometeu crimes. Que fique claro: Dallagnol e os membros da força-tarefa, dentre eles o Carlos Fernando dos Santos Lima, serão tratados pela história e pelos contemporâneos de Lula, que não embarcaram em suas acusações desprovidas de veracidade e republicanismo, com o desprezo e o descrédito dedicados aos covardes, aos manipuladores e aos autoritários.

Tais procuradores, à frente Carlos Fernando e Deltan Dallagnol, não têm provas e sabem que não têm. Porém, não importa, "porque não vem ao caso", como gosta de dizer Sérgio Moro, quando quer evitar de falar sobre os crimes cometidos por tucanos e seus aliados.

No Brasil, esses servidores públicos se tornaram intocáveis, celebridades, ainda mais que, por causa das mídias de empresários bilionários e corruptos, tornaram-se estrelas e, equivocadamente, pensam que estão a falar diretamente com Deus e a tratar todo mundo como idiota. Só que não. Uma parte imensa da sociedade brasileira está a perceber as diatribes do MPF, do STF e da PF contra o Lula, a Dilma e o PT.

O MPF, definitivamente, perdeu sua credibilidade perante milhões de brasileiros, sendo que os procuradores da Lava Jato chafurdam na política rasteira e baixa, em que se encontra no momento a política brasileira, até porque aconteceu neste País um golpe, que não foi engolido por grande parte dos brasileiros, tanto é verdade que a sociedade está dividida.

Temos no Brasil um Judiciário (STF, PGR-MPF e PF) divorciado das necessidades e das razões do povo brasileira e que é considerado por muitos como golpista, que, ridiculamente, pensa que está a refundar a República.

A ações de Dallagnol e de seus pares são irresponsáveis e lamentáveis pelo indisfarçável casuismo, porque o golpe requer pressa. O sistema no poder assim exige. Dilma caiu, mas Lula não pode ser candidato.

A verdade é que Dallagnol e seus parceiros não provaram nada na coletiva à imprensa, a não ser linchar mais uma vez o Lula e seu grupo político. Até sua esposa foi citada para ser humilhada, por meio de uma política baixa e covarde.

Enquanto isso os verdadeiros ladrões estão mais uma vez a vender o Brasil, a toque de caixa.

Será que o Dallagnol e seu pares pensam que todo mundo é otário ou idiota? Com a resposta o Dallagnol...

Nada e nada foi realmente comprovado sobre o triplex, que nunca pertenceu a Lula e à sua esposa. A perseguição causa revolta e inconformismo, bem como a covardia perpetrada por procuradores partidarizados e a fazer política é algo que se torna concretamente inaceitável.

Os termos usados pelo servidor do MPF dirigidos ao Lula são de uma leviandade, violência e mesquinhez, que traduzem, de fato, o que essa gente tem feito por meio de ações persecutórias, atos atrozes e de uma covardia para dar fim à carreira de Lula e impedi-lo de ser presidente ou apoiar candidato com chances de vencer as eleições de 2018, inacreditavelmente absurdos.

"Os dados nos fazem concluir, sem deixar qualquer sombra de dúvidas, que Lula foi o comandante do esquema criminoso descoberto pela Lava Jato" — disse o procurador Deltan Dallagnol, o coordenador da força-tarefa da investigação e um dos porta-vozes da direita brasileira, sem apresentar uma única prova.

Abre-te Sésamo!

Agora vamos à pergunta que não quer calar: "Procurador Dallagnol, cadê a escritura original da compra do apartamento triplex de Guarujá que o MPF diz pertencer a Lula e à sua esposa? E já adianto outra pergunta: Cadê a escritura do Sítio de Atibaia?

Porque ouvir delação premiada do Leo Pinheiro, que de tão desesperado com sua prisão está a pedir perdão por ter mentido para o senhor juiz Moro do Paraná, cuja Vara fica em Curitiba, é algo que não tem credibilidade, porque os presos estão tão pressionados e descontrolados para sair da cadeia que entregam até suas mães, filhos e as gerações futuras deles, que ainda não nasceram.

Dallagnol, somente uma informação: trata-se de empresários experientes, capitalistas bilionários, acostumados ao poder e com imensas mordomias e facilidades. São pessoas que não sofreram as agruras realmente duras da vida.

Por causa desta realidade, esses homens riquíssimos entregam qualquer um por meio de delação premiada, que realmente é um prêmio, uma dádiva concedida por vocês, servidores  do Judiciário sustentados pelo público e tão cônscios de seus deveres.

Afinal, não é Dallagnol, os empresários roubarem milhões ou bilhões do dinheiro ou do orçamento público e depois darem com as línguas nos dentes para serem soltos e retornarem às suas mansões luxuosas realmente vale a pena. Não é não? E ainda tem o cafuné de suas mulherzinhas, madames bilionárias e a admiração dos filhos e dos amigos, que vão dizer: "Você é esperto! Roubou bilhões e o Lula, o maior presidente da história do Brasil, é quem vai ser preso por NÃO ter sítio em Atibaia e NÃO ter triplex em Guarujá".

Entretanto, o procurador, o juiz e o delegado, do alto do Monte Olimpo, assim decidiram, e pronto! Não tem conversa! E dane-se a ONU ou qualquer lugar que Lula recorrer, porque até golpe de estado houve no Brasil atrasado e bananeiro, em pleno ano de 2016.

E os responsáveis, dentre os principais responsáveis por toda esta bagunça e falta de paz, assim como também pela crise econômica e política sem fim, que o País enfrenta, além do golpe terceiro-mundista contra a presidente Dilma, sem sombra de dúvida são os procuradores, delegados e juiz da Lava Jato, que, irresponsáveis, não tiveram o tato, a sensibilidade e a preocupação de preservar as empresas, as corporações, sem deixar de prender quem praticou crimes.

Por se envolverem com a política nacional, procurador sem voto como o Dallagnol ajudaram, sem dúvida, a causar tamanha crise. Ou ele pensa que as pessoas estão ainda ir às ruas para ovacionar a Lava Jato?

Então, é importante e salutar avisá-lo. Dallagnol, as pessoas estão a ir às ruas porque são contrárias ao golpe sofrido por Dilma, contra a perseguição covarde que vocês da Lava Jato fazem contra o Lula e contra sua prisão, porque ninguém é idiota e todo mundo sabe que vocês querem arbitrariamente prender o Lula sem provas e afastá-lo da política e da vida pública. 

Prender sem provas é crime grave, atenta contra o Estado de Direito que vocês mandaram para o espaço, como também é crime grave agentes do Estado pagos pelo contribuinte vazar inquéritos, áudios, arquivos em segredo de Justiça, além de grampear presidente da República e mictórios onde os presos vão fazer suas necessidades fisiológicas, bem como tomar banho.

O Brasil está à espera da prisão do Lula. Não o Brasil dos coxinhas que têm os "intocáveis" da Lava Jato como heróis. Coxinhas admiram Bolsonaro e Cunha. Sem mais comentários. O Brasil do qual falo é o Brasil sacaneado pelos golpistas, que tiveram a cooperação da Lava Jato, força-tarefa que ainda vai responder por suas ações despóticas, covardes e arbitrárias no futuro.

Lula não roubou. Para prender Lula tem de ter provas. Provas, Dallagnol e não apenas a palavra torta e mau caráter de um ladrão confesso, de um criminoso desmoralizado pela cadeia e doido para voltar para casa, sentar no confortável sofá de sua enorme e luxuosa mansão e brindar, com uísque escocês, o juiz Moro e os procuradores da Lava Jato pela vida boa que ele, certamente, vai continuar a levar.

Dallagnol, entre num partido político para fazer política. Usar seu cargo público para perseguir não é correto. Lula não tem medo de ser preso em nem de procurador partidarizado e entregue à sua ideologia conservadora e determinado a influenciar nos resultados das eleições presidenciais de 2018.

Dallagnol, o que o Leo Pinheiro e o Marcelo Odebrecht falaram do José Serra, do Aécio Neves e da canalha golpista que assumiu o governo central? Você pode vazar para a imprensa de mercado essas informações "sigilosas". Nunca teve problema para os servidores procederem assim. Afinal, vazar é a praxe. O vício... Não é isto? Não é o que acontece há três anos? Então, por que agora tamanha timidez por parte dos heróis dos coxinhas?

Dallagnol, estou a falar de vazamentos à imprensa familiar, que tem dinheiro em paraísos fiscais, sonega impostos e vive do dinheiro dos cofres públicos há décadas a fio. A imprensa de negócios privados, a que luta para impor sua agenda econômica e neoliberal ao País, por meio dos golpistas assaltantes do poder, a Presidência agora ilegitimada, pois usurpada.

Você a conhece bem. Diga à imprensa mercantil o que o Leo Pinheiro e o Marcelo Odebrecht delataram sobre o Aécio e o Serra e o Temer e o Eliseu Padilha e o Moreira Franco et caterva.

Porém, não esqueça de fazer um bonito infográfico para a imprensa corrupta sobre a quadrilha formada pelos chefes do PSDB e do PMDB, como você se reportou desrespeitosamente a Lula, sem ter provas cabais, reais e sólidas. Uma vergonha...

Dê também sua opinião, volto a lembrar, sobre o criminoso vazamento de áudio de uma presidente da República, autorizado pelo seu parceiro de força-tarefa, juiz de primeira instância, Sérgio Moro.

A civilização ainda não chegou aos porta-vozes das oligarquias nacionais, que perseguem e cometem covardias por serem terrivelmente injustos e partidários. 

A entrevista de Dallagnol foi um ato de justiçamento moral e de perseguição arbitrária, covarde e irresponsável.


Lula preso será herói. Solto, candidato a presidente. Morto, transforma-se em mito. É isso aí.

Um comentário:

Martinha disse...

Davis, ainda bem que existe jornalista e, mais do que jornalista, um pensador de seu nível, que além de mostrar a entrelinha da política, não tolera covardia e perseguição.