Google+ Badge

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Ives Gandra é a direita sorrateira e FHC aposta no golpismo barato

Por Davis Sena Filho Blog Palavra Livre

Fotomontagem - Br247
O cartunista e analista de política Bessinha derrubou, com apenas um tiro, o advogado tributarista da casa grande e do Opus Dei (Obra de Deus) Ives Gandra da Silva Martins de seu voo de corvo udenista. O notório "sábio" do Direito, que sempre teve sua palavra franqueada pelos magnatas bilionários de imprensa, não se conteve e saiu de seu silêncio obsequioso para, dissimuladamente, fazer ode a um golpe de Estado, aos moldes paraguaios, como se o Brasil, a sétima economia do mundo, com 210 milhões de habitantes e uma democracia consolidada fosse uma republiqueta.

Esse modo de agir, evidentemente, reflete o pensamento de Gandra e de quem ele representa: as classes dominantes e seus interesses políticos e econômicos. Acostumado a ver o Brasil como quintal dos Estados Unidos e ex-colônia "eterna" de países europeus, o tributarista, festejado pela imprensa conservadora e empresarial, não dá ponto sem nó, e, simplesmente, realizou uma "consultoria" ao advogado José de Oliveira Costa, que, por coincidência, é conselheiro do Instituto Fernando Henrique Cardoso (iFHC), sendo que o Príncipe da Privataria, também conhecido como Neoliberal I, escreveu artigo em que disserta sobre possível impeachment, por via judicial contra a presidenta Dilma Rousseff.

Fernando Henrique Cardoso sujou sua biografia ao publicar na imprensa historicamente aliada dos tucanos artigo em que fomenta o golpe, e, com efeito, adere ao golpismo, pura e simplesmente, sem quaisquer dramas de consciência ou ruborização de sua face, sendo que o grão-tucano participou no passado da luta pela redemocratização do País e, por seu turno, sabe muito bem o que significa um golpe institucional ou de estado, seja ele por via judicial ou por uma quartelada.

O tucano-mor foi pródigo em sua irresponsabilidade sem precedentes, porque até então o golpismo barato e sorrateiro estava a cargo de políticos de menor envergadura e expressão, a exemplo de Álvaro Dias, Carlos Sampaio e Agripino Maia, que, pautados, vociferam há anos no Congresso a repercussão de notícias da imprensa de negócios privados, principalmente nos dias seguintes ao que foi publicado no fim de semana. É a práxis tucanoide, a rotina de suas diatribes, sem dúvida alguma.

Chega a ser ridícula a dissimulação de FHC sobre seu apoio a um golpe por via judicial. Trata-se de um homem octagenário, a fazer um papel desses que enlameia sua reputação política, pois sua fama de ex-mandatário do Executivo é de incompetência, de entrega das riquezas do Brasil e de subserviência aos Estados Unidos e à União Europeia. O maior vendilhão da Pátria de todos os tempos ainda se acha no direito de fazer ilações que contrariam a civilidade, as regras da democracia e a subordinação ao Estado Democrático de Direito.

E nada como recomendar uma "consultoria" ao doutor Ives Gandra para dar, hipocritamente, uma conotação ilibada e pressupostamente de caráter sério, como se fosse viável no Brasil de hoje apostar em ilegalidades constitucionais cujos propósitos se resumem em derrubar uma presidenta recém-eleita, que não cometeu crimes, além de ser chefe de um governo de perfil republicano, que está a colocar na cadeia ladrões de colarinhos brancos, tanto os corruptos quanto os corruptores, realidades estas que, certamente, um dia também atingirão os personagens blindados do PSDB e os magnatas bilionários de todas as mídias cruzadas.

Ou a sociedade brasileira, à frente os coxinhas, são tão ingênuos ao ponto de considerar que os tucanos e os magnatas bilionários, que venderam o Brasil e governam São Paulo há 20 anos, não são autores ou protagonistas de mensalões, corrupções, sonegações e envolvimentos com doleiros, paraísos fiscais e financiamentos privados e ilegais de campanhas eleitorais? Acredito que não, pois no fundo todo mundo sabe que essa gente age por conveniência política e ideológica, além de jogar pedras somente naqueles que são ideologicamente e politicamente seus antagonistas.

São esses fatores que movem Fernando Henrique Cardoso e seus lugares-tenentes, Ives Gandra e José de Oliveira Costa. A verdade é que o artigo vergonhosamente golpista de FHC — o Príncipe da Privataria — é a senha para a imprensa familiar, posteriormente, publicar a "consulta" de Gandra sobre a viabilidade de um golpe de estado, que, cinicamente, eles denominam como jurídico. Perdem nas urnas e tentam vencer no tapetão, que é o terceiro turno das eleições para os tucanos e seus aliados golpistas.

Entretanto, essas questões são pormenores para a direita escravocrata e também àqueles que não têm compromisso com o bem-estar do povo brasileiro e por isso se associam a qualquer golpismo barato e sorrateiro. Afinal, o que vale mesmo é chegar ao poder, a não importar os meios, como e quando, porque assumir o Governo Federal é uma questão de estratégia para que a burguesia brasileira possa voltar a fazer negócios praticamente com os países de carácteres imperialistas, inserir novamente o Brasil no círculo de influência norte-americana, sendo que hoje o maior alvo dessa direita tupiniquim e alienígena certamente é o pré-sal e seu modelo de partilha, que contraria os interesses das petroleiras estrangeiras e do establishment brasileiro.

A direita está desesperada; mas, como pontuou o chargista Bessinha, "A classe dominante não tem ódio. Tem astúcia. O ódio ela terceiriza". É verdade. O ódio ela deixa para os brucutus de direita, bem como para a classe média coxinha, que entra na conversa fiada de uma "elite" acostumada há séculos a retirar tudo da sociedade, a começar por negar saúde, educação, moradia, emprego e paz de espírito, como sempre fez desde que Pedro Álvares Cabral aportou na Bahia.

Nunca canso de afirmar: A direita é um escorpião ideológico, que não se importa se foi beneficiada economicamente pelos governos trabalhistas, como ocorreu com a explosão do consumo no Governo Lula, com pleno emprego. A casa grande considera irrelevante se seus privilégios seculares, que chegam a ser pornográficos, foram garantidos. Ela sempre vai estar disposta a boicotar, sabotar, conspirar e derrubar governantes legitimamente e democraticamente eleitos pela maioria do povo.

E acrescento: a direita golpeia e derruba. Se possível, mata, ainda mais se os mandatários considerados inimigos são políticos do campo da esquerda e da vertente trabalhista. É fato histórico. Não há como dissimular e manipular esta realidade, como o faz sistematicamente a direita brasileira herdeira da escravidão, que até hoje tenta, inocuamente e em vão, apagar a imagem do estadista Getúlio Vargas da memória do povo brasileiro, por intermédio de "historialistas" e "especialistas" de prateleiras.

Contudo, o que chama a atenção é o Instituto que leva o nome de Fernando Henrique Cardoso, aquele presidente que entregou o patrimônio do Brasil para os estrangeiros. Ressalta-se que o Neoliberal I, seus correligionários e aliados não construíram tão importante e rico patrimônio. Pelo contrário, depois da patuscada entreguista ainda foram ao FMI três vezes, de joelhos, humilhados e com o pires nas mãos, porque quebraram o Brasil três vezes.

A situação do Governo Trabalhista é preocupante. Porém, o Governo tem de entender de vez que tem de resistir e lutar para não perder a luta pela comunicação. A Secom e o sistema midiático governamental, volto a falar, têm de se mobilizar para que a Nação saiba o que ocorre, porque até agora a imprensa burguesa e o PSDB estão a falar sozinhos, como acontece desde a vitória de Lula em 2002. Chega de incompetência. Quem cala, consente.

Denúncias e acusações têm de ser explicadas para o povo, e rebatidas, quando necessário, sistematicamente. É dessa forma que se deve funcionar uma Secretaria de Comunicação e todas suas ramificações. Ponto. Além do mais, o PT e o Governo Trabalhista têm de retomar suas ações junto aos movimentos sociais, como declarou, recentemente, o ex-presidente Lula.
O Partido dos Trabalhadores tem de voltar para suas origens e raízes, alimentar-se de sua essência retratada nos movimentos sociais, nos sindicatos, nas ONGs de esquerda dedicadas aos direitos humanos e de cidadania, além de retomar o diálogo com a Igreja Católica Progressista, que sempre se fez presente nas lutas em prol da emancipação do povo brasileiro.

O Governo Dilma tem de dar uma guinada à esquerda, porque a direita deixou claro que não vai dialogar ou negociar quaisquer coisas, a não ser a queda de Dilma Rousseff, se for possível e se o novo presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha, conspirar, juntamente com o Judiciário, leia-se STF, e com setores reacionários do Ministério Público, que atuam de forma seletiva, a fim de macular a imagem do Governo Federal.

Lula pode ser o candidato de 2018, e este fator desespera a direita, que poderia experimentar sua quinta derrota eleitoral seguida. Por isso que os setores conservadores da sociedade, por meio de seus porta-vozes, apostam em impeachment, bem como tratam a Petrobras como a Geni, que é alvo de pedradas e escarradas, sem poder se defender à altura, porque as mídias privadas pertencem à direita brasileira, além de a comunicação do Governo Dilma ser péssima.

O Brasil de hoje lembra muito o Brasil pré-golpe de 1964. A história não se repete, mas quando se "repete" é em forma de farsa. Todavia, muitas situações de 2014 são muito parecidas com as daqueles tempos, a notar, com a cooperação do prezado Gustavo Mello: a extinta UDN reapareceu em três agremiações: DEM, PPS e PSDB; o velho PSD, de Tancredo Neves, é exemplificado no PMDB, com Michel Temer em novo papel de "moderador" com perfil conservador; o presidente do Congresso à época, Ranieri Mazzili, atualmente tem seu papel efetivado na pessoa de Eduardo Cunha; os militares de ontem são hoje os juízes do Poder Judiciário, a intervir, indevidamente, na política; e a Imprensa de mercado está a ocupar o seu lugar de sempre, pois porta-voz dos trustes nacionais e internacionais, além de fomentadora de crises artificiais e realidades manipuladas.

Por fim, Dilma Rousseff exerce o papel de João Goulart, o presidente criminosamente deposto. Tudo muito parecido, mas o campo conservador se esquece de uma coisa fundamental: a esquerda é hoje mais poderosa, a democracia está consolidada e os Estados Unidos não meteriam as mãos em um vespeiro do tamanho do Brasil. A verdade é que a história quando se repete é na forma de farsa.


As condições para um golpe têm de passar também pelas Forças Armadas; e a sociedade, em quase seu todo, teria de estar propensa em apoiar tal crime constitucional e contrário aos interesses da Nação. Além disso, a sociedade organizada é hoje muito mais informada, complexa, maior e mais forte do que a daqueles tempos, bem como o político Lula, o mais carismático do País, conhecido internacionalmente e que saiu do governo com 82% de aprovação popular reagiria a um golpe de estado e ocuparia as ruas com multidões, o que, sobremaneira, é um sério obstáculo para a reação conservadora tomar o poder ilegalmente. Ives Gandra é a direita sorrateira e FHC aposta no golpismo barato. É isso aí.

14 comentários:

Anônimo disse...

Não é necessário ser um especialista em geo-política para concluir, com base no desenrolar dos eventos, que essa Operação Lava-Jato, a exemplo da AP-470, é uma "Operação de Falsa-Bandeira", ou seja, uma operação que defende interesses contrários ao do Estado Brasileiro ao criar condições artificiais para a depreciação da maior empresa petrolífera do mundo. É urgente a manifestação dos funcionários, juntamente com outros setores progressitas, para barra essa manobra golpista em curso.

Anônimo disse...

ives gandra:
- escreve para o instituto millennium,
- escreve para o instituto fhc FHC, e
- é militante da opus dei.

O ives é um grande tributarista.

Mas experimentado em Direito Público, Criminal, Constitucional e Administrativo!?!?!?

Será que o ives mudou repentinamente!?!?!?

Será que o ives redigiu uma petição que nada tem de Direito Tributário.

Henrique.

Anônimo disse...

O ives tributarista pede o impeachment de Dilma, porque tem um filho, Ives Granda Martins Filho, que foi nomeado, em 1999, para o Superior Tribunal do Trabalho com a bênção e assinatura de FHC.

Daí o ives virou tucano.
Daí a a vida do ives é só criticar Lula, Dilma e o PT.

Daí, hoje, o ives dá uma forcinha para a oposição incompetente e corrupta.

Daí, o ives, o que diz que é tributarista, redige uma petição planejando um golpe.

O que acontece com o ives!?

Henrique

Susana Polli disse...

Crítico de política sábio, humanista e nacionalista. Um dos maiores do Brasil.

Anônimo disse...

KKKKK................My Way.......Em fim o Hospício está preste a fechar...........PT e você Petralha "Tudo Haver"..
A Casa caiu e ninguém viu..............todos estão errados, menos vocês "petista" tentando justificar o assalto ao Estado..................Tenho nojo da incompetência do "PT", que roubou nossos sonhos e dinheiro. Que destruiu o sonho brasileiro de desenvolvimento..............temo apenas 5 empresas no Brasil que possuem valor de 88 bi, vejam o tamanho do rombo causado por corrupção e incompetência......Tenho nojo do "PT" !!!!!!!!

Jorge Marcelo disse...

Davis, fiquei sabendo que o Fernandinho Beira-Mar está querendo contratar um blogueiro para mudar a imagem dele perante a sociedade. O trabalho é simples, é só você criar um blog para ele e fazer o que faz aqui com políticos corruptos e condenados pela justiça. Topa? Ele tá pagando R$ 2 mil mensais pelo trabalho

Anônimo disse...

Caraio, como a mídia golpista mnda tesouseiros do PT pra cadeia. Agora mais um...

Marcio Greik

Ulisses Póvoa disse...

Artigo brilhante e me permita acrescentar: a operação lava jato é política e não jurídica e visa privatizar a Petrobras e atender as petroleiras internacionais. José Serra, o pulha cretino entreguista, deu declaração recente a favor da privatização do pré-sal. Parabéns ao talentoso e sábio articulista.

Priscila Cappri disse...

Caro Davis, gostei muito das mudanças que você fez no seu maravilhoso e combativo blog, o PALAVRA LIVRE. Não há como deixar de lê-lo. Segundo, este teu novo post é uma refinada análise sobre a conjuntura política e o que está por trás para privatizar a Petrobras e derrotar o PT. O parabenizo e quero que você saiba que aqui em Joinville, em meus círculos sociais e de trabalho, você é muito respeitado e considerado um corajoso intelectual de mão cheia. Vejo textos seus também em inúmeros facebooks políticos. Também o leio no Brasil 247 e em muitos outros blogues e sites. O Palavra Livre ficou ótimo! !! Um grande abraço.

Horácio Peralta disse...

Brilhante artigo. Faço minhas as suas palavras.

Ivete Salles disse...

Grande Davis Sena Filho, artigo preciso e pontual como sempre. Adorei o novo layout do Palavra Livre, mais simples, porém, visualiza o número de leitores que leram cada texto seu através da ferramenta "curtir" do facebook. Agora estamos vivendo mais um cerco dessa direita escrota a Petrobras. Mas o governo eleito superará mais esta crise e também a mídia golpista. Não adianta, os abutres não passarão.

Paulo Blanc disse...

Brabo bravo e bravo!!!

Galo Sentinela disse...

Quando qualquer pessoa por pior que seja pensa num vagabundo ordinário logo vem a imagem suja de Jorge Marcelo.

Anônimo disse...

Isto é o último reduto de um Petralha............Fechem o Hospício!!!!!!!!!!!!!!
Defender bandidos e procurar desculpas para canalhas Petistas?????
Não gostaria de exercer esse seu trabalho Sr. blogueiro, sua cabeça deve pesar no travesseiro. Amanhã o Sr. estará justificando o assassinato de opositores, o ataque a mídia, o terrorismo institucional (idêntico ao da Venezuela)?
Meus pêsames!!!!!