Google+ Badge

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

A luz que queima os olhos da imprensa não deixa o povo cego

Por Davis Sena Filho — Blog Palavra Livre

Estou aqui a pensar o que leva os megaempresários da imprensa, dos meios de comunicação comerciais e privados a nadar contra a maré ou a dar tiros em seus pés quando se trata de favorecer não somente o povo brasileiro, mas também a classe empresarial, dona e responsável pelo setor produtivo e que tem importantíssimo papel no que tange ao desenvolvimento da sociedade brasileira em todos os sentidos.



A presidenta trabalhista, Dilma Rousseff, anuncia a queda nos preços da luz, da energia, com o apoio quase unânime da população e dos empresários da Fiesp e da Fierj, além de outras federações do País. De forma incoerente e inconsequente, os donos de O Globo, Folha de S. Paulo e Estadão publicam editoriais contrários à diminuição dos preços de energia, fato este essencial para que o chamado custo Brasil tão criticado pelas famílias midiáticas e seus especialistas de prateleiras durante anos a fio, e que agora, de maneira oportunista e raivosa, questionam a decisão do Governo trabalhista e publicam palavras tão ridículas e sem sentido que até setores ideologicamente conservadores do mundo empresarial estão literalmente de saco cheio dos barões da imprensa de tradição golpista, pois os considero a categoria do empresariado mais reacionária e atrasada — a verdadeira lástima.

Como se percebe, tal empresariado midiático é e sempre vai ser contra os interesses do Brasil, porque eles são parte de uma plutocracia mundial que não tem pátria e muito menos sentimento de brasilidade. Eles são alienígenas e como tal não comportam em suas ações e atitudes a busca ou a luta para que o Brasil e seus cidadãos tenham acesso a uma vida de melhor qualidade, que propicie a conquista plena da cidadania e, consequentemente, sua emancipação.

Por isto e nada mais do que isto são publicados artigos e editoriais despidos de coerência e inteligência, porque essas palavras não fazem parte do dicionário da direita reacionária e herdeira da escravidão, que, de forma soberba e, por conseguinte, intolerante, negam o que pregavam e não se importam sequer com o que seus leitores pensam a respeito de tanta desfaçatez. Os barões da imprensa, realmente, querem ver o circo pegar fogo e assim darem continuidade a seus atos de oposição irada e feroz, porque eles sabem muito bem que o que está em jogo é a eleição presidencial de 2014, e ter de ver seus candidatos de direita derrotados pela quarta vez pelos trabalhistas é pior do que cortar os punhos.

Essa gente rancorosa e ressentida, que não desiste nunca vai fazer o possível e o impossível para derrotar o PT e seus aliados. Não importa se seus candidatos do PSDB ou de outro partido que o valha incorram em erros politicamente graves, a exemplo do mais recente, como no caso da queda dos preços da luz e da energia. Os líderes do PSDB e os barões da imprensa optaram por defender, evidentemente, os interesses das multinacionais e de seus rentistas, acionistas de empresas retransmissoras de energia que foram privatizadas, como ocorreu com o alter ego de FHC — o Neoliberal —, o senador tucano Aécio Neves, pré-candidato a presidente.

Não importa também para os editorialistas da imprensa de negócios privados se os governadores do Paraná, de São Paulo, de Minas Gerais e de Goiás, todos eles tucanos, e o de Santa Catarina, do PSD, boicotaram e ainda boicotam o programa do Governo Federal para baixar os preços das tarifas de energia elétrica. O que importa, sobremaneira, é fazer oposição sistemática e por isso irracional e perversa, mesmo se a energia custar menos para as empresas midiáticas familiares, monopolizadas, que,  obviamente, vão ser beneficiadas.

Agora, a pergunta que teima em não calar: os empresários da mídia de mercado vão abrir mão das tarifas a preços mais baixos para o consumo de energia? Respondo: não! E por quê? Porque empresário de imprensa e seus áulicos não dão ponto sem nó, apesar de seus imensos complexos de vira-latas e de suas mentes colonizadas e alienígenas. Contudo, e apesar de tudo, o Governo trabalhista de Dilma Rousseff vai continuar a efetivar programas e projetos para que a economia brasileira se fortaleça e continue a ofertar o pleno emprego, o que não acontece na Europa e nos EUA, coisa que a imprensa burguesa há alguns anos tentou esconder — censurar. 

A economia vai crescer este ano, porque as bases para isso foram implementadas pelo Ministério da Fazenda cujo ministro, Guido Mantega, tornou-se alvo da imprensa conservadora que quer sua saída, como se o Mantega não fosse um dos principais responsáveis pelo Brasil estar a viver um ciclo formidável de desenvolvimento social e econômico. A caravana passa e a oposição grita. É seu direito de se expressar, inclusive direito constitucional. A luz que queima os olhos dos barões da imprensa não deixa o povo cego. É isso aí.

5 comentários:

Magda Soares disse...

A verdade nua e crua, grande jornalista Davis Sena Filho.

Carlos Cwb disse...

Carlos Cwb
"Os barões da imprensa, realmente, querem ver o circo pegar fogo e assim darem continuidade a seus atos de oposição irada e feroz, porque eles sabem muito bem que o que está em jogo é a eleição presidencial de 2014, e ter de ver seus candidatos de direita derrotados pela quarta vez pelos trabalhistas é pior do que cortar os punhos."...

Nesse caso, eles que escolham o que é MELHOR PARA ELES

Luiz Carlos disse...

Os barões da mídia apostam na continuidade da desinformação das nossas classes média e alta. Eles apostam na radicalização porque avaliam que este pessoal continuará a apoiá-los, pois não têm outra alternativa de informação. Espero que a avaliação deles esteja errada. Mesmo assim eles se arriscam a perder o apoio do grande empresariado nacional. Quanto ao internacional eles podem contar para sempre, é só dá uma olhada na Veja para ver que todos os fabricantes de automóveis estão lá. Parabéns pelo excelente texto.

Henrique disse...

Para a imprensa golpista acostumada a ganhos de um partido político, é assustador começar a viver sem o monopólio, é assustador não ver seu partido no poder.

Cada vez mais, o eleitor e todos sabem do mar de mentiras veiculado nesta imprensa, que congestionou a vida da sociedade por muito tempo.

Essa é uma imprensa que gosta de golpes, que força, que obriga, que mente, que esconde, que manipula, que está se tornando pior do que todos os problemas existentes no país.

Na "DITABRANDA' a estabilidade do Estado era 'fomentada/arranjada' por esta imprensa golpista.
No Brasil atual esta imprensa corrompida só serve para a produção de piadas e para meia dúzia de rivais que não aceitam que o país mudou.
O unilateralismo partidário da imprensa golpista está acabando.
O Brasil atual já argumenta e se manifesta com sinceridade sem se deixar levar por esse movimento partidário mentiroso da imprensa golpista.

Quem banca o Brasil é o povo brasileiro.
Os maiores aliados da liberdade de imprensa e do povo brasileiro são o Lula e a Dilma.
Viva o Brasil.

Sergio Malta disse...

Parabéns, Davis! Ótimo artigo!
Abraços, Sergio Malta.