Google+ Badge

sexta-feira, 30 de março de 2012

Demóstenes tem patrão: Carlinhos Cachoeira e não a República (E o Gurgel vai às falas?)


Por Davis Sena Filho — Blog da Dilma
        O que mais me chamou a atenção no escândalo do qual o senador do DEM/UDN, Demóstenes Torres, ser o pivô da gravação entre ele — o arauto da moralidade e dos bons costumes — e o maior bicheiro da região Centro-Oeste, o goiano Carlinhos Cachoeira, preso recentemente na Operação Monte Carlo da Policia Federal juntamente com outras 34 pessoas, foi a sua total falta de discernimento sobre seu mandato.
        Todo mundo sabe que por aquelas terras fantásticas que formam o Centro-Oeste do Brasil, o contraventor Cachoeira financia campanhas eleitorais há cerca de 20 anos. E todos sabem que políticos poderosos de Goiás e de outros estados recebem dinheiro de origem criminosa e por isso não contabilizado e registrado pelos órgãos de fiscalização do Estado para promover campanhas políticas.
        Evidentemente, tudo que é por debaixo dos panos não acaba bem, porque o que é “escondido”, o que é ilegal desemboca no crime, como as águas dos rios desaguam nos oceanos. Contudo, o que mesmo me chamou a atenção foi o senador Demóstenes Torres fazer comentários com Cachoeira sobre a legalização do jogo do bicho pelo telefone grampeado pela PF como se fosse empregado, um subalterno do poderoso bicheiro e não um senador da República.
Demóstenes prefere defender interesse de bicheiro do que ser republicano
        Carlinhos fala com autoridade de chefe, de superior na hierarquia e o senador que envergonhou seus eleitores acata ordens quando finaliza a conversa com um “Tá! Tá bom!”, quando antes o Demóstenes argumentou o seguinte: “Se você quer que eu veja isto, eu vejo”, apesar de o político concluir que não acredita que o projeto de legalização do jogo do bicho e do jogo em geral vai ser aprovado pelo Congresso.
        O senador do DEM/UDN (o pior partido do mundo) acata ordens, porque, certamente, depende, e muito, de Cachoeira, mesmo ele ter sido promotor, procurador do Estado de Goiás e secretário de Segurança. Nada que deixe perplexa a população, a cidadania, acostumada que é de ver o envolvimento de políticos com o crime organizado, bem como também de autoridades do Judiciário e das polícias, seja em âmbito federal ou nos estados da Federação.
        Todavia, a questão fundamental é que Demóstenes é um senador da República, oposicionista, festejado, tal qual o senador tucano do Paraná, Álvaro Dias, pela imprensa comercial e privada de oposição, que sempre levantou a bola para ele cortar e com isso criticar, no decorrer de quase uma década, duramente os governos trabalhistas dos presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Vana Rousseff.
        Demóstenes se esmerava em suas palavras contundentes, e criava factóides junto ao Judiciário (STF), nos corredores do Senado e, obviamente, nas imagens de televisão, nas páginas de jornais e revistas. Os colunistas, os blogueiros, os comentaristas e os “especialistas” de prateleiras da imprensa burguesa o adoravam e o elogiavam e sempre o procuravam para comentar algum acontecimento ou alguma notícia que a imprensa precisava repercutir para dar continuidade à luta contra os governos trabalhistas.
        O senador era uma estrela da imprensa golpista e admirado pelos burgueses e por parte da classe média de perfil conservador  e ressentida com a ascensão social de milhões de brasileiros que durante os oito anos do presidente neoliberal, Fernando Henrique Cardoso, não tinham acesso nem ao emprego quanto mais ao mercado e ao consumo. Demóstenes era o “cara” para os jornalistas de penas alugadas e que são mais duros com os que militam no campo trabalhista e socialista somente para agradar seus patrões e com isso angariar prestígio e assegurar seus empregos.
        Eis que de repente, como acontece com a aparição dos tufões, o bicheiro Carlinhos Cachoeira é preso e suas gravações com o Demóstenes Torres são veiculadas na imprensa. Fica claro, portanto, que o envolvimento de autoridades públicas dos três poderes em âmbito estadual e federal é mais comum do que se pensa.
        Por sua vez, o que impressiona é que o político goiano é promotor, o que, sem sombra de dúvida, conta muito no que é relativo à culpabilidade de sua pessoa, se for, obviamente, comprovado que tal paladino da justiça, da moral, dos bons costumes  e da imprensa golpista cometeu crimes.
        Carlinhos Cachoeira foi preso, relembro, com mais 34 pessoas, entre elas dois delegados da Polícia Federal, cinco oficiais da PM goiana e soldados, agentes e seis delegados da Polícia Civil e servidores públicos de outras áreas de atuação. Os braços do crime são longos e alcançam e abraçam servidores públicos de alto e de baixo escalão.
        Saliento que ser senador é ser servidor público e por isso quando um político dessa envergadura se corrompe tem de ser afastado do partido, investigado, levado à Comissão de Ética e denunciado ao Supremo Tribunal Federal e ao Senado pela Procuradoria Geral da República (PGR).
A ponta do iceberg é o Demóstenes e o Cachoeira. Embaixo, a fila é grande
        O problema é que o procurador-geral, Roberto Gurgel, segurou as investigações e os relatórios da PF sobre o caso, e, desde 2009, não é feito nada quanto ao envolvimento de Demóstenes Torres com o bicheiro Carlinhos Cachoeira por parte da Procuradoria.
        Roberto Gurgel deveria ser chamado às falas pelo Senado, porque, mesmo depois da ampla divulgação do escândalo, o procurador se recusou, em um primeiro momento, a receber parlamentares e a falar com a imprensa, aquela mesma que também o adora e que levantava a bola para ele cortar contra os governos trabalhistas de Lula e Dilma.
        Gurgel, igualmente aos ministros do STF, Gilmar Mendes e Marco Aurélio de Mello, deu mais entrevistas do que trabalhou em prol do Brasil e de seu povo. É que ele optou por fazer política ao lado dos conservadores, dos Demóstenes da vida e com isso atender os anseios da oposição partidária ao Governo Federal efetivada pelos tucanos e “demos”, aqueles mesmos que venderam as empresas públicas do Brasil que não construíram e muito menos deram acesso a milhões de brasileiros ao emprego, à educação e ao consumo.
        Certamente que o caso do Demóstenes é apenas a ponta do iceberg. Deve ter muita gente no corpo dessa geleira cuja parte maior fica submersa. Políticos, policiais, servidores públicos, empresários devem constar nos relatórios da PF e que estão nas mãos do procurador Roberto Gurgel, que tem uma queda muito grande pelo antigo procurador Geraldo Brindeiro, que tinha o apelido de engavetador-geral da República, não fosse seu tempo o tempo das privatizações conhecidas também como privataria.
        O senador Demóstenes Torres é um cadáver político. Roberto Gurgel tem de ser chamado às falas, como diria, com arrogância, o ministro do STF, Gilmar Mendes. O povo brasileiro tem de saber o porquê de todos os fatos. Ih, já ia me esquecer: e a imprensa comercial e privada (privada nos dois sentidos, tá?) tem de parar de fingir que nada é com ela, quando, na verdade, não faz jornalismo e sim oposição partidária aos governos trabalhistas. É isso aí.  

9 comentários:

Marcelo Migliaccio disse...

Esse Gurgel em que se explica mesmo e a mídia vai er que arranjar outro arauto da moralidae porque o DEMostenes virou fumaça

Anônimo disse...

Mauro Pires de Amorim.
O Senador da República, Demóstenes Torres (DEM/GO), está aventando a hipótese de renunciar. Enquanto isso, seu partido político, os DEMagogos, não toma a iniciativa de expulsa-lo. Seguindo como sempre e habitualmente, a máxima do ensinamento da cartilha reinante em nosso meio político-partidário nacional. "O que é bom, a gente fatura. O que é ruim, a gente esconde".
Assim, tampar o sol com a peneira e propagandear que faz a sombra perfeita, é também uma máxima da mentalidade marqueteira da farinha do mesmo saco e do telhado de vidro do grande balção de negócios político-partidário brasileiro.
Enquanto isso, os anos se sucedem, as décadas se sobrepõem, os séculos se renovam e as gerações também, mas no fundo, muito pouco muda.
Sinceros desejos de felicidades e boas energias.

Anônimo disse...

Sabe o que eu penso a seu respeito: Estás atrasado. Faz oposição da oposição sem esta levantar a mão. Quem te afige? O falido PSDB? Lula já se fez presidente duas vezes, fez o sucessor e nada de braçada para voltar, se quiser, depois ou antes do sucessor. A sociedade com a Democracia, elege, reelege e se quiser, perpetua. O País só melhora, anda pra frente, progride. Quando voce traz questiúnculas aqui, como o esgoto Veja e a imprensa não popular golpista, vendida, corporativa e totalmente venal, apequena seu espaço. Nunca se apequene - pois o povo mostra nas urnas - o que é ser brasileiro. Apesar do globo, das folhas, dos estados.
Caro Davis, agora o troco:
Apesar de jornais que se julgam do brasil.
Pertinente!

Davis Ribeiro de Sena Filho disse...

Sabe que eu penso a seu respeito? Que seu nome é Anônimo. Não preciso falar mais nada, não é?

Anônimo disse...

Wow, this piecе of ωritіng is good, my sіster is anаlyzіng such things, so I am
going to inform her.

Viѕit my blog рoѕt buy silk n sensepil

Anônimo disse...

Juѕt desire to say your aгticle іs as аstonishing.
Thе clеarness in уour post is just nice аnd i can aѕsume yοu aгe
аn expert on this subјeсt. Fine wіth your ρегmiѕsion let me tо grab your RЅS feed to κeeр up to
date with forthcoming pοst. Thanks a million and please carry оn the rewarding woгk.


Heгe is mу blog poѕt; V2 cigs reviews

Anônimo disse...

Hey there wοuld you mind letting me know which webhost уou're utilizing? I've loadеԁ уour blоg in 3 completelу different browsers and ӏ must say this blog loads a
lot quiсkеr thеn most. Can you rеcommend
a good web hosting ρrovider at a reasonable рrice?
Kuԁos, I apρreciate іt!

Also visit my web page; Please click The following page

Anônimo disse...

Thanks fοr shaгing youг thoughts.
ӏ tгuly appreciate yοur еffoгts аnd І
wіll be waіting fог yоur nеxt wrіte ups thank уou once аgaіn.



Have a loοk at my sitе ... Buy Silk N Sensepil

Anônimo disse...

It has been uncovered to be most potent for back
again and joint pains. He/she will examine the extent of
the damage and institute the appropriate remedy.

My page :: www.martygilmanband.com