Google+ Badge

terça-feira, 28 de agosto de 2018

Lula, Globo e promotor golpista a difamar Haddad e favorecer o PSDB

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


O Ministério Público de São Paulo e seus promotores hedonistas e narcisistas não são comprometidos com os tucanos do PSDB paulista. O MP de São Paulo é o próprio PSDB, sua mais perversa face de direita e que comete, sistematicamente, três covardias para derrotar seus inimigos políticos: o domínio do fato, o lawfare e a traição ao povo brasileiro ao se tornar politicamente golpista e moralmente usurpador da Constituição  e do Estado Democrático de Direito. 

Assim também o é o Supremo Com Tudo e o MPF, que são a vergonha, o vexame e a desgraça do Brasil.Todo mundo sabe e compreende muito bem que o Ministério Público, principalmente os setores de direita, que são partidarizados e ideologizados estão envolvidos profundamente com o golpe do impeachment de 2016. Um golpe sem-vergonha e essencialmente terceiro-mundista, diga-se de passagem, levado a cabo pelos setores mais radicais e sem projeto de País da direita brasileira.

Grupos que tomaram o poder central de assalto e associados em um consórcio golpista e predador em relação aos interesses da Nação, a ter neste momento à frente da batalha partidária e eleitoral o Judiciário e a imprensa monopolista, que estão neste momento a atacar o candidato a vice-presidente de Lula, o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, político premiado nacionalmente e internacionalmente por causa de seus programas sociais e urbanos de quando administrou a maior cidade do País.

Haddad está a ser atacado por notícias premeditadamente requentadas pelo jornal falido, o Estado de São Paulo, um pasquim provinciano e pertencente à extrema direita paulista. A mesma que luta incansavelmente para que o Brasil retorne ao passado já longínquo, em um retrocesso cruel que remonta à escravidão, porque até hoje o jornaleco da casa grande paulista vive na era da Política do Café com Leite dos tempos da Velha República, bem como trata as realidades do século XXI como se estivesse a realizar escaramuças da chamada “revolução” de 1932.

Por sua vez, a realidade é que os historiadores sérios e comprometidos com a verdade e as realidades históricas tratam tal “revolução” dos escravocratas como se deve tratar: uma reação por parte da casa grande ao governo dos revolucionários de Getúlio Vargas, que conquistaram o poder em 1930 e, com efeito, passaram a industrializar o País e a favorecer a massa de trabalhadores com direitos sociais e trabalhistas.

Juntam-se a jornais panfletários e direitistas como o Estadão, a Folha de S. Paulo e o Grupo Globo, que, malandro e esperto sem limites, “deixou” de ser “Organizações(?)” para ser “Grupo”. Organizações pega mal, né? Afinal, qualquer pessoa pode fazer a seguinte pergunta que não quer calar: “Organizações de quê, cara pálida? Organizações de famiglias?”

Obcecada e desesperada com a força eleitoral do Partido dos Trabalhadores e suas principais lideranças, a exemplo de Lula, Dilma Rousseff e Fernando Haddad, dentre outras, a imprensa comercial e privada (privada nos dois sentidos, tá?!) necessita de fakes, como um dependente químico precisa usar drogas, pois a verdadeira fábrica de notícias falsas e manipuladas, quando não mentirosas para combater àqueles que os magnatas bilionários de todas as mídias cruzadas e oligopolizadas consideram como inimigos.

Para isso, o Grupo Globo e seus replicadores, como o Estado de São Paulo, tratam de sistematicamente desconstruir os nomes de políticos, geralmente da corrente trabalhista e de esquerda, que não cometeram malfeitos, a exemplo de Haddad, pois enlamear seu nome com a pecha fétida da corrupção é o caminho mais fácil para tirá-lo covardemente da luta política e, consequentemente, favorecer o candidato da direita e dos grupos corporativos midiáticos privados.

Esses bandos de lobos e chacais representam os interesses do establishment e lutam desesperadamente para manter o Brasil como republiqueta subordinada e atrelada umbilicalmente aos Estados Unidos e aos interesses das multinacionais, principalmente os bancos e as petroleiras, que tiram o máximo dos países, dentre eles o Brasil, assim como não dão o retorno, que deveria ser duramente obrigatório, para que o Brasil e seu povo se desenvolvessem, por meio de suas riquezas naturais, suas terras e seu patrimônio público.

Contudo, e apesar do poder dos coronéis proprietários das mídias privadas e de seus principais empregados, que estão sempre dispostos a rosnar em prol também de seus interesses financeiros e pecuniários em detrimento da maioria do povo brasileiro, não é possível derrotar ainda as esquerdas e sua principal liderança, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e quem ele indicar, se não for possível participar do certame eleitoral.

Para isso, os barões bilionários da imprensa de negócios privados necessitam do Poder Judiciário e do Ministério Público burgueses e partidários à direita, como urge ao diabo fugir da cruz. Trata-se do poder da República e da corporação que são totalmente dissociados e alienados dos interesses do País e das necessidades mais prementes de seu povo. Juízes e procuradores ou promotores, como quiserem, que fazem o jogo político de engessar a economia, judicializar o processo político e eleitoral, bem como criminalizar atos de ofício rotineiros de quem foi eleito pelo povo e legalmente governa.

Esses sacripantas togados de terceiro mundo com seus valores de pequenos burgueses ultrapassaram o portal do inferno, saíram de suas caixas de Pandoras e estão a mandar no País e a governá-lo sem a autorização do povo, que se dá por intermédio do voto soberano e irremediavelmente constitucional. E por que digo isto? Porque o MP de São Paulo, o mesmo que perseguiu Lula e depois teve de recuar e, mais do que isto, reconhecer ao público que não tinha provas de crimes contra o ex-presidente voltou a agir, de forma covarde, irresponsável e medonha.

Para a imprensa brasileira de mercado e alienígena mais corrupta do mundo ocidental poder fazer política e combater o PT nas eleições presidenciais deste ano, o MP paulista resolveu ingressar com uma ação de improbidade administrativa contra Fernando Haddad, uma forma de prejudicar e difamar um candidato que tem grande chance de ser eleito vice-presidente ou presidente pela maioria do povo brasileiro.

Não qualquer candidato é o Haddad, mas um político do PT e aliado do presidente Lula, que lidera todas as pesquisas de cabo a rabo e que estaria a viajar pelo Brasil se não fosse encarcerado injustamente, pois preso político, reconhecido como tal em âmbito mundial e, inclusive, pelo Comitê de Direitos Humanos da ONU como preso político, que deixou claro que Lula, por lei, tem o direito de ter preservado todos seus direitos políticos, a poder fazer campanha e a dar entrevistas.

Todavia, aqui na Banânia dos coxinhas celerados, das mídias privadas que governam os governos golpistas, párias e sem a mínima vergonha na cara, como o desgoverno do corrupto e usurpador *mi-shell temer, campeão mundial de rejeição em todos os tempos, existem o STF, os tribunais subalternos e a PGR/MPF estaduais e federal. É essa gente que levanta a bola com açúcar para a imprensa de direita cortar acima da rede e atingir politicamente os candidatos do PT.

Por seu turno, gente do naipe do promotor Wilson Tafner, da Promotoria do Patrimônio Público de São Paulo, dentre muitos outros promotores e procuradores, resolve a seu bel-prazer reviver um assunto que foi notícia e também minuciosamente explicado à Justiça por Fernando Haddad e seus advogados, de forma que ficou muito difícil para a imprensa burguesa, a mais corrupta do mundo ocidental e seus capitães do mato, que se tornaram ordinários imputar a pecha injusta de corrupto a Haddad, um politico historicamente compromissado com o desenvolvimento do Brasil e com o bem-estar do povo brasileiro tal qual a Lula.

O promotor Tafner pediu ainda o bloqueio de bens no valor de R$ 15,1 milhões, uma verdadeira fortuna, que certamente o político do PT não possui, como fizeram com o patrimônio do Lula, sendo que praticamente o mesmo há décadas, sendo que um político de grandeza internacional sempre foi convidado para dar palestras e cobrá-las por elas, justamente, o que se tornou também um problema, mesmo o Lula a apresentar recibos e descontar em seu imposto de renda.

Agora vem esse promotor pleno de interesse político requentar acusação a Haddad para a imprensa de mercado bater, a fim de combatê-lo politicamente e eleitoralmente, de maneira que ele se torne refém de acusações infundadas e de denúncias vazias. É o fim da picada o MP de São Paulo, que a despeito de ter se dado mal em inúmeras acusações mentirosas e covardes, insiste em tentar interditar a candidatura do PT na pessoa de Fernando Haddad.

Esses caras têm de ter limites, nem que seja por meio de mudanças severas nas regras e normas que regem o MP, que virou um monstro e que está a infernizar a vida política e social do povo brasileiro, a, inclusive, impedir sistematicamente que as autoridades eleitas pelo voto popular e soberano governem, administrem e determinem questões sobre os orçamentos. Como pode uma coisa sem pé e nem cabeça acontecer?

Até as obras que beneficiarão o povo em todos seus aspectos nos municípios e estados são paralisadas muitas vezes por causa da vaidade e da arbitrariedade de um promotorzinho mequetrefe, concursado e desprovido de votos, que resolveu partidarizar e politizar o seu cargo e ofício. Trata-se de um absurdo o empoderamento de juízes e procuradores que chega às raias da esquizofrenia. O Judiciário e o MPF e seus subordinados trocaram os pés pelas mãos e não param de encher o saco e infernizar o Brasil. Até quando?

Se a esquerda vencer as eleições tem de prioritariamente dar fim a esse estado de coisas que não coadunam com o Estado de Direito, a democracia e a Constituição, que foi aviltada para não dizer estuprada pela direita que tomou de assalto o poder central e destruíram a economia do País e rebaixaram a autoestima do povo brasileiro.

Agora pergunte ao promotor e político inconsequente Wilson Tafner se ele está a fim de denunciar e, quiçá, perseguir os ladrões do PSDB paulista ou jogar duro com o Paulo Preto, o caixa dos tucanos, a ter o senador tucano José Serra como seu interlocutor de proa, ou seja, seu chefe direto, além do candidato à presidência Geraldo Alckmin. Pergunte ao Wilson Tafner como estão os escândalos do Rodoanel, das companhias de trem e metrô, da Dersa, bem como  a construção do túnel da Avenida Roberto Marinho (vejam só?), que na verdade foi questionada duramente logo que Haddad assumiu a prefeitura paulistana, sendo que o promotor insiste dizer que Haddad se aproveitou do cargo para amealhar vantagens. Mentira!

Então, vamos às perguntas que não querem calar: promotor Wilson Tafner, por que o MPSP até hoje não conseguiu botar na cadeia um único tucano ladrão? É verdade que grande parte do povo paulista, paulistano e brasileiro percebeu que o MPF, o MPSP, a Lava Jato e o Supremo Com Tudo (SCT) tem partido, o PSDB, e por isto não consegue prender um único tucano ladrão? Porque, pense bem, nobre promotor, ninguém é idiota e otário, e percebe que o MP levanta a bola para a imprensa corrupta bater no PT e seus candidatos. Lula Livre. É isso aí.

3 comentários:

Marcos Lúcio disse...

Mais uma vez brilhante e não há O QUE ACRESCENTAR OU EXCLUIR...SÃO VERDADES irrefutáveis para a desgraça maior da Pátria Amarga. Adorei reler:" imprensa comercial e privada (privada nos dois sentidos, tá?!" Abraço.

Jorge Marcelo disse...

A piada do dia:
“Lula é analfabeto e assinou a reforma ortográfica; é cachaceiro e assinou a lei seca; é político corrupto e assinou a lei da ficha limpa. Quem mandou assinar sem saber ler?”

João Márvio disse...

Jorge Marcelo, o mesmo FDP de pai e mãe de sempre.