Google+ Badge

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Black blocs da Globo violam a sanidade para termos o primeiro cadáver

Por Davis Sena Filho Blog Palavra Livre

A ÉPOCA É A GLOBO E A GLOBO É O BLACK BLOC

Estou cansado de afirmar que a imprensa de negócios privados é uma das maiores incentivadoras dos movimentos de rua também chamados genericamente de protestos “contra a corrupção que está aí”. Protestos, sobretudo, “apartidários”, “apolíticos” e principalmente “pacíficos”, conforme gostam de apregoar os coxinhas de classe média e os que usavam as máscaras e as batas dos anonymous, que praticamente se retiraram dos combates de rua, porque o bicho pegou, e, coxinha que se preze, coxinha oportunista e esperto “pra” valer não vai se expor a ser preso ou tomar porrada de policial ou ser ferido por qualquer pedestre que se sinta ameaçado ou segurança que defenda o patrimônio de seu patrão.

Então, a violência nas ruas ficou por conta mesmo de grupos específicos, a exemplo dos black blocs e de partidos de extrema esquerda, que fazem oposição sistemática ao Governo trabalhista, a se unir, como sempre aconteceu na história do Brasil e por interesses distintos, com a burguesia e suas representações empresariais, partidárias e ideológicas de direita e de extrema direita. Exatamente como ocorreu com os presidentes Getúlio Vargas e João Goulart, que enfrentaram crises políticas gravíssimas, promovidas pelos inquilinos da Casa Grande deste País. E deu no que deu: Getúlio se matou e Jango foi deposto e somente retornou ao Brasil dentro de um caixão.

Contudo, os radicais de esquerda não se importam ou não compreendem, agem de forma desmiolada, e, consequentemente, vão ao encontro de tudo aquilo que a direita quer: fatos geradores de crises políticas e institucionais, além de ações violentas que colocam o estado democrático de direito em xeque, a acarretar o emparedamento do governo trabalhista, que há quase 12 anos é enxovalhado pela imprensa de mercado, bem como o Partido dos Trabalhadores é satanizado e seus líderes são absurdamente julgados e presos, sem culpas comprovadas, além de serem alvos constantes de promotores do MPF e de juízes do STF, porque vaidosos,  midiáticos e autoritários optaram por fazer política e pouco se importaram com as realidades determinadas pelos autos dos processos.

A esquerda desmiolada e que não tem condições materiais, de logística e gente preparada e treinada para dar início a uma revolução nos moldes tradicionais e históricos. A especial e necessária radicalidade dos revolucinários, com causa e conhecimento, porém, no momento, órfã de lideranças realmente ideológicas e pragmáticas, que compõem, propositalmente e também ingenuamente, com a direita mais feroz e violenta deste País, lugar onde vicejava a escravidão e que ainda hoje perdura, de forma infame, porque ainda se prendem pessoas em postes com travas de automóveis, a lembrar os grilhões da escravidão, como, recentemente, ocorreu com um adolescente, negro, pobre e que cometia furtos no nobre e aprazível Flamengo.

Um dos bairros da Zona Sul do Rio, cujos seguranças, comerciantes e moradores de classe média resolveram se juntar em uma quadrilha de bandidos, que, anonimamente e covardemente, resolveu fazer justiça com as próprias mãos, e, por seu turno, abrir espaço à barbárie e à falta de qualquer respeito pela entidade humana, mesmo se tal pessoa for desonesta e realiza furtos. Essa abjeta realidade se reporta ao garoto tratado não somente como ladrão, mas, sobretudo, como um negro pobre e abusado, que ousou roubar a classe média, que sonha em morar na Casa Grande. Por isto e por causa disto seu preço foi pagar com sua nudez, seu sangue e, evidentemente, com a extrema humilhação de ter em seu pescoço um grilhão que remonta à escravidão e tudo aquilo que a humanidade tem mais de funesto, perverso e hediondo em sua alma e em seu coração.

Até hoje, apesar de os exemplos do passado, a esquerda infantil — aquela que quebra, destrói e incendeia o patrimônio público e privado — não compreendeu que, para enfrentar a burguesia — a direita adulta —, torna-se necessário um programa de governo, além de um projeto de País, pois somente assim se dá início à repartição do bolo, ou seja, das riquezas produzidas no País, porque sabemos que nosso momento histórico não permite a luta armada para que se possa ter uma revolução tradicional, como, por exemplo, ocorreu em Cuba ou na Nicarágua na década de 1980.

O PT, como afirmei em outros artigos, é um partido trabalhista e integrado por socialistas. Suas lideranças e principais políticos são reformistas e deixaram há muito tempo de pregar a revolução. Por sua vez, o Brasil tem uma das burguesias mais perversas, violentas e egoístas do mundo. Os donos da Casa Grande escravizaram seres humanos por quase 400 anos, o que veio a se tornar a escravidão de ordem meramente mercantilista mais longa da história da humanidade. Uma vergonha. Ponto! Portanto, não é à toa que também temos uma classe média tradicional e média alta das mais reacionárias e preconceituosas do planeta. Se tal fato é considerado inverossímil, basta o leitor pesquisar na internet e ler o que os coxinhas áulicos da perversidade afirmam sobre as amarras do garoto do poste, no bairro do Flamengo.

Entretanto, a questão primordial de tudo o que escrevi até agora (e que isto fique claro) é o fato de a imprensa de direita, golpista por natureza, resolver abrir sua bocarra, e, sistematicamente, tentar fazer crer ao público que tal imprensa, propriedade de magnatas bilionários que detestam o Brasil, não tem a mínima culpa no cartório quando se trata da morte do trabalhador de mídia e cinegrafista da Band — empresa dos barões Saad. Porém, a imprensa burguesa e seus títeres têm culpa, sim, porque sempre anunciaram e repercutiram a violência das ruas a amenizar suas causas e conseqüências. A imprensa irresponsável e transformada em partido político, que cutuca leões selvagens com vara curta.   

O cinegrafista Santiago Andrade foi morto em sua atividade profissional, e, quando a poeira baixar, certamente que sua família deverá procurar seus direitos na Justiça. É o caminho, apesar da falsa comoção de um sistema midiático frio, calculista, triturador da honra alheia e que não mede e nunca mediu conseqüências para derrotar ou destruir seus adversários políticos e econômicos que, porventura, não rezem por intermédio de suas “bíblias”. Exatamente por isto que os barões magnatas bilionários fazem questão de tratá-los como inimigos.

A verdade é que são dois os motivos pelos quais a imprensa de caráter absolutamente empresarial luta. O primeiro é a eleição para presidente em outubro. Osegundo motivo é evitar que as manifestações violentas, pois nunca pacíficas, cheguem às sedes de suas empresas, bem como também “impedir” que os protestos comecem realmente a questionar o papel da imprensa alienígena, cúmplice e parceira da ditadura militar, no Brasil. Os fotógrafos, os cinegrafistas, os repórteres, os motoristas dos carros de reportagens da Rede Globo, por exemplo, pararam imediatamente de cobrir as manifestações “pacíficas” nos locais onde aconteciam quando passaram a ser rejeitados pela turba.

O medo foi grande e a percepção de que a Globo e seus profissionais podem ser rejeitados e questionados bateu como uma marreta na cabeça de um boi sacrificado em matadouro do interior. A sede da Globo, da Veja e de outras empresas de mídias foram pichadas, sendo que jogaram cocô nas paredes de uma das sedes da Globo. Sem vacilar, a direção de jornalismo da Globo deu ordem para que os repórteres cobrissem a marca da empresa nos microfones, escondessem os crachás, não usassem camisas com a logomarca da empresa e desse modo evitar contestações, agressões verbais ou físicas, bem como serem expulsos dos locais dos protestos. Nada adiantou. As pessoas xingaram os profissionais, que estão a trabalhar, além de portarem cartazes, gritarem palavras de ordem, bem como fazer cantorias contra aquela que se julga a Vênus Platinada, acostumada a cagar regra e pensar que toda a sociedade brasileira está sob seu jugo. Ledo engano...

As manifestações “pacíficas” da Globo impediram que seus empregados trabalhassem in loco. Tiveram de cobrir os acontecimentos e as ocorrências de helicóptero. O feitiço virou contra o feiticeiro, porque a Globo provou de seu próprio veneno. O escorpião picou a si mesmo. Os black blocs são a Globo e a Globo é o maior e mais poderoso black bloc da Nação brasileira. Black blocs da direita adulta e da esquerda infantil violam a sanidade para termos o primeiro cadáver. Infelizmente. É isso aí.

19 comentários:

Jorge Marcelo disse...

Para você ver como a esquerda brasileira já ultrapassou os limites do ridículo. Os mesmos marginais radicais de esquerda vivem dizendo que a grande imprensa (principalmente a Globo) criminaliza os movimentos de rua. Agora vem o patético Davis Sena Filho dizer que a mesma grande imprensa apoia e fomenta os protestos...ahahahah...Só rindo para não chorar

Henrique R disse...

O boechat, da Band, disse, Ipsis litteris, que era “a favor do quebra-quebra, dos vandalos e o cacete!” – http://www.youtube.com/watch?v=847thJPsK7U.

Henrique R disse...

Em dezembro/2013, na DITABRANDA(folha), em sua coluna a marina BLÁ-BLÁ, incentivava, fazia apologia, aos protestos para 2014.

É uma das semeadoras do caos.

MAS COMO NÃO É DO PT E NEM DA GLOBO, NINGUÉM FALA NADA!

Henrique R disse...

O lixo que jogou o rojão praticava a sua democracia - com sangue nas mãos!

Henrique R disse...

OS BLACK BLOCKS BOBALHÕES - que também a mídia corrupta e golpista deu um certo apoio - acredito que já conseguiram um dos seus objetivos: UM CADÁVER.

Agora é só o silêncio da grande mídia.

Henrique R disse...

O vandalismo black block sempre foi fomentado pela globo, que cobre o caos para promovê-lo.

Já tiveram uma grande promoção - UM CADÁVER.

Henrique R disse...

A mídia tradicional e as redes sociais são os espelhos das manifestações de violência verbal, escrita ou de comportamento.

Exibicionistas e/ou black block, anunciam onde vão agir pela força de paus e pedras ou pela compulsão das leis que pretendem elaborar.

Discrição, modéstia, cidadania e democracia não fazem parte do cardápio de moral e cívica desses autoritários em disponibilidade.

Mas a mídia golpista e corrupta adora a baderna - afinal eles precisam de um motivo para o golpe!

João Márvio disse...

Jorge Marcelo: o va-ga-bun-do de sempre! Que cara burro, sô! Agora vamos falar sério. Davis, você que é um cara que lê história do Brasil e conhece também a nossa história política e partidária escreveu um trecho com muita sabedoria, que é quando você diz que a extrema esquerda como sempre faz o jogo da direita, sem combinar, lógico, que se aproveita para fomentar crises e com isso se dar bem politicamente. E aí você cita Getúlio e Jango e foi exatamente o que aconteceu e o que acontece com Dilma e aconteceu com Lula. Seu conhecimento e sua percepção desses fatos o torna um pensador. Sempre se aprende algo, né. Brabo é ter que aturar um ignorante como esse safado do Jorge Obtuso Marcelo, que não consegue debater por falta de conhecimento e por ser um cara de direita escroto que deveria se matar para livrar a humanidade de um merda como esse. Davis, desculpe, mas paciência tem limite. Parabéns por este excelente texto.

Joanna Mendes disse...

Mais uma vez você se supera e mais um vez, Davis Sena Filho, leio um texto com muito gosto. Li o mesmo texto no Brasil 247. Valeu!

José Raimundo Carvalho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
José Raimundo Carvalho disse...

Ótmo texto pela compreensão histórica do que vivemos hoje e vivemos em passado recente (Getúlio e Jango). Pena que a compreensão de alguns não permita que eles se esclareçam, mental e organicamente, do tipo de problema e do quadro/ panorama político que está sendo ciado para que se estabelaça, mais uma vez e historicamente, um ambiente para trazer a direita fascista e oportunista em golpes, ao poder: de novo e pelos mesmos métodos!. Parabéns pelo texto!

Davis Sena Filho disse...

Obrigado, José Raimundo. Você sintetizou o que eu desejo informar ao leitor. Um abraço e tudo de bom.

leonardo-pe disse...

esse Jorge Marcelo é leitor de reinaldo azevedo,boechat(o incentivador da desordem)e do willian bonner!

Anônimo disse...

De fato, logo no primeiro parágrafo, o democrata Davis diz isso.
E basta olhar no face dos Black Coxinhas Bloc do RJ, para ver que eles são contra a Globo. Mas leia o resto, Jorge. E o comentário do Henrique abaixo, sobre o Boechat diz muito da situação.
Anônimo

Anônimo disse...

Feliz Davis.........encontrou a sua vítima!!!!............esquerdismo cego é doença grave.....continue incentivando os seus a atacarem a imprensa livre!!!!!!........Mensalão, Mais Médicos, você defende tudo que é podre, simplesmente para manter plausível a sua convicções ideológica partidárias......O Brasil é maior que qualquer partido e não precisamos de falsos Estadistas sindicalistas ou não.........O seu e o meu PT acabou!!!!

Rafael Rodrigues disse...

A extrema esquerda se esqueceu que o mundo é redondo e acabou caindo no colo da direita.

Henrique R disse...

O objetivo da globo e lacaios, muito bem assimilados e/ou realizados na ditadura, onde ela foi sua fiel escudeira, é fazer com que a maioria desacredite das verdadeiras e legítimas instituições democráticas.
Desacreditando, o monopólio midiático-ditatorial continuará com seu jornalismo(?) de negociatas, de direita escravagista.


Eles provocam o descrédito de legítimas instituições democráticas a pretexto de alargar a esfera de liberdade do espaço público.

Otto Lima disse...

Não se faz uma omelete sem quebrar alguns ovos! Esse argumento é utilizado tanto pelos black blocs quanto pelos justiceiros da Zona Sul do Rio. Ambos os grupos são majoritariamente formados por jovens coxinhas que usam a indignação popular com a falência do Estado para justificar suas ações violentas e ambos são aplaudidos por uma sociedade manipulada pela grande mídia privada (no "lato sensu" da palavra).

É lamentável que um jornalista tenha sido assassinado em pleno exercício de sua profissão, mas a grande mídia privada ignorou solenemente uma outra vítima dessa manifestação no Rio: um idoso que tentava fugir da confusão e foi atropelado por um ônibus. Ele foi socorrido por transeuntes e removido para o Hospital Municipal Souza Aguiar, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu algumas horas depois.

Marcos Lúcio disse...

Mais uma vez o conhecimento, a inteligência, a lucidez e o senso de oportunidade histórica deram-se as mãos para abrilhantar mais este post irretocável.Parabéns!