Google+ Badge

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

ASA CONCRETA

ESPAÇO BICO DE PENA


Asa

Alada

Alça

Voo



Asa

Aérea

Avança



Asasasasa

Asasasasaladavançaérea

Asasasasa



Voo volátil

O

U

!


Pássaro alucinado de ar

a

s

                                    Acima da minha razão




Pássaro decola

       
A L           v o

                            A            a

                                           D            r

                                           O



Asaladavança engole o céu




A

Asa

A



EM



 A

|

|

A----------|-----------S

|

|

S



Asas selvagens

Do pássaro prata

De bico curvo

E garras afiadas



A

asasasasasasasa

A

L

A

D

A


atercnoc



Pássaro que imigra

Para a solidão

da



Terra

       t

       m

       o

       s

           Fera



ar — outro lugar

      r

      e



E semeie

Os novos ventos

Do pássaro



De asas

e

ó

l

i

c

a

s



                                                  Nuvens e pensamentos



g a r i m p e i r o

  

do



Ar!

 Davis Sena Filho —15/10/1990

3 comentários:

Anônimo disse...

Gênio.

Anônimo

Helena Mansano disse...

Poema concreto espetacular. Você o escreveu há 23 anos. Não sei como ainda não publicou um livro. Sei disso porque pesquisei pra saber. Você é talentoso como jornalista e poeta. Aliás, um jornalista combativo e um poeta questionador da existência e dos sentimentos humanos. Este poema realmente é obra artística. É adorável ser surpreendida com uma obra belíssimo como esta. Mil abraços!!!!!!!!!

M. Exenberger disse...

Muito bela. Uma vez, uma professora contou a história de uma menina que vivia distraída, completamente aérea, nas nuvens. Quando cresceu, ela virou aeromoça.