Google+ Badge

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Liberdade a Dirceu! — Merval quer calá-lo nos porões da ditadura Temer/PSDB

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre

JUIZ SÉRGIO MORO, VOCÊ AINDA NÃO ERA NASCIDO, MAS JOSÉ DIRCEU É O QUE LEVANTA OS PUNHOS E MOSTRA AS ALGEMAS.

"Os jornais são aparelhos ideológicos cuja função é transformar uma verdade de classe em senso comum, assimilado pelas demais classes como verdade coletiva. Isto é, exerce o papel cultural de propagador de ideologia. Ela embute uma ética, mas também a ética não é inocente: ela é uma ética de classe". (Antonio Gramsci)

O militante e ativista de direita e da iniciativa privada, Merval Pereira, não tem jeito, mas nunca enganou ninguém. Trata-se de sujeito antidemocrático e com raízes profundas em uma empresa que luta, intransigentemente e sistematicamente, para ser o próprio "estado", de caráter privado, mas com acesso farto aos empréstimos em bancos públicos e financiada pelo Governo Federal e suas estatais quando se trata de publicidade e propaganda.

Digamos que as Organizações(?) Globo onde o Merval trabalha é, irremediavelmente, contra o poder público, porém, evidentemente, os privatistas oportunistas e de ocasião abrem uma exceção quando o Estado deixa de ser republicano e passa a ser patrimonialista e transfira, criminosamente, o dinheiro público para a iniciativa privada, como ocorre agora no governo de *mi-shell termer/PSDB — a dupla usurpadora e golpista, que retirou o pobre do Orçamento da União, com o propósito de concentrar renda e riqueza para favorecer os ricos, os que tudo tem.

A verdade é que o lamentável Merval Pereira quer e deseja que José Dirceu apodreça nos porões da Lava Jato do juiz Sérgio Moro, do PSDB do Paraná, dos procuradores obsessivos pelo Lula e dos delegados aecistas da PF. Para o bem da verdade, Merval expressa sua índole, vontade e desejo mórbidos no sentido de que Dirceu cale a boca e, se não calar, que seja calado e isolado nos cárceres de Curitiba, onde militam politicamente os ativistas e servidores públicos da força tarefa da Lava Jato.

Realmente, é o que fazem desde quando perceberam que poderiam sequestrar a política, desmontar o Estado de Direito e mandar às favas a democracia, a ter também como prioridade não somente as investigações sobre os crimes de corrupção, mas, sobretudo, tornarem-se protagonistas da política nacional, no papel de militantes de direita contra o Governo Dilma, o Lula, que é candidato favorito às eleições de 2018, e o Partido dos Trabalhadores.

Esta conduta e postura perante a Nação dos "Intocáveis" do Judiciário jamais, em hipótese alguma, foi considerada pelo jornalista de direita, Merval Pereira, como militância e ativismo inapropriados por parte de servidores públicos, que, inclusive, estão em situação difícil, porque não conseguiram provar nada contra o Lula, bem como fazer Dirceu mofar na cadeia, sem provas contra ele, o que se tornou uma ação, sem sombra de dúvida, que avilta os direitos e as garantias do cidadão de acordo com que reza a Constituição.

Dirceu estava "preventivamente" preso há dois anos. Ressalto novamente: dois anos! Trata-se de um absurdo, que na verdade tem a finalidade de obrigar os presos a delatar as pessoas que interessam aos operadores da Lava Jato, como acontece com o Lula, pois, desesperados, os presos entregam até seus pais, mães e filhos, de forma que seja possibilitado a eles a liberdade, mesmo se for condicional e com a marca da tornozeleira eletrônica.

Contudo, para o Merval dos Marinho, servidores públicos podem militar à vontade, ainda mais quando se trata da Lava Jato. Por sua vez, os jornais impressos, televisivos, online, radiofônicos e coisas e tais da família Marinho podem militar politicamente conforme suas verdades e muitas mentiras produzidas e reproduzidas para que o povo brasileiro passe a chancelar os interesses nada confessáveis da família magnata bilionária de todas as mídias cruzadas e de seus empregados de confiança, a exemplo de Merval Pereira.

Todavia, o José Dirceu tem de calar a boca e ficar preso perpetuamente até morrer, porque, conforme a cabeça deturpada e distorcida de Merval, o político histórico e de esquerda poderá por intermédio de suas opiniões fazer carga contra a Lava Jato e assim prejudicá-la. Só que tem uma coisa: seus integrantes ainda, no futuro, terão de dar satisfações à sociedade e ao próprio sistema judiciário.

Todo mundo pode falar, até mesmo o Merval, apesar de suas repetidas inverdades, dissimulações, distorções e até mesmo mentiras quando se trata de avaliar e analisar as realidades políticas, ideológicas e partidárias, que se apresentam rotineiramente, no dia a dia. É inaceitável que um jornalista que escreve há anos em um dos três maiores jornais comerciais do País considere normal e justo que uma pessoa ou qualquer cidadão, no caso o José Dirceu, fique preso preventivamente por dois anos. Decerto o escriba pensa assim porque não é com ele, bem como sabemos que pimenta nos olhos dos outros é refresco.

A verdade é que o Merval se utiliza de subterfúgios covardes pois impiedosos e desprovidos de humanidade, por causa dos interesses dos Marinho e da plutocracia que ele defende costumeiramente como porta-voz. Merval é um exemplo fidedigno do jornalismo de guerra e de opressão, porque sabedor que as empresas de comunicação privadas abandonaram o jornalismo e passaram a militar politicamente e ideologicamente.

Passaram a realizar o verdadeiro, o legítimo e genuíno jornalismo de esgoto, ao ponto de não se ouvir os dois lados das questões em pauta e se negligenciar o contraditório. Um verdadeiro absurdo, porque não permite que o cidadão saiba o que realmente está a acontecer. A partir daí se inicia a manipulação das pessoas, que muitas vezes passam a acreditar em uma realidade que não é a dela e, sim, do empresário dono dos meios de comunicação privados e dos grupos (hegemônicos) os quais ele representa.

Antonio Gramsci e Umberto Eco explicam. O jornalismo das grandes empresas midiáticas e monopolistas tem como função principal difamar os considerados adversários e inimigos de seus interesses. E é o que acontece com o Lula, a Dilma Rousseff, o PT e o José Dirceu, a quem Merval, diabolicamente, quer ver enterrado em um cárcere, de preferência em Curitiba, a sede da oposição de direita aos governos e políticos trabalhistas.

Porém, e para o espanto de muitos e a paciência de poucos, Merval continua em sua trilha inglória e desditosa, já que não tem a mínima preocupação com o que é justo, verdadeiro e minimamente defensável. Por seu turno, o escriba dos Marinho não se preocupa com nada disso, porque como gosta de afirmar o juiz Moro: "Não vem ao caso". Este bordão, cínico e hipócrita, acontece quando o juiz de primeira instância é indagado sobre o porquê de os políticos tucanos nunca serem presos ou perseguidos, apesar de inúmeras delações e provas contra os "pássaros" de bicos longos e voos curtos, afinal perderam quatro eleições consecutivas e chegaram ao poder mediante a um golpe de estado de terceiro mundo.

Todo mundo milita politicamente, porque o ser humano é um animal político por natureza, mesmo os que não sabem disso, como os alienados e os coxinhas de classe média, que calaram suas bocas, pararam de bater panelas e se retiraram das ruas com suas camisas amarelas da CBF, mesmo a terem conhecimento de que colocaram no poder um traidor golpista e chefe do governo mais impopular da história do País, além de ser o mais corrupto, conforme demonstram as investigações e acusações contra os membros do governo elitista e entreguista, que está a ferrar com o Brasil e seus trabalhadores.

Merval está preocupado. Muito, por sinal. Ele não se conforma com as declarações de Dirceu quando saiu da prisão e muito menos com sua militância. Além do mais, Merval, o queixoso e perseguidor militante dos interesses dos irmãos Marinho e da casa grande em geral, não aceita porque não aceita, como se fosse um menino mimado, que o político de esquerda e que não foi cooptado pela direita e muito menos bateu com a língua nos dentes quando esteve nas masmorras da Lava Jato, que Dirceu repercuta seus pensamentos e opiniões, como se ele não tivesse o direito de viver. É o fim da picada.

O escriba dos Marinho abriu a boca, mas quer que o Dirceu cale a dele. Não é um espanto esse sujeito contraditório e que pensa e escreve conforme as conveniências apresentadas no momento? Pois é... Merval é autoritário, arbitrário e tirou a máscara. Ele simplesmente, e sem se fazer de rogado, pede publicamente que José Dirceu permaneça preso, mas nunca vi e ouvi o Merval pedir a prisão de Aécio Neves, Geraldo Alckmin, José Serra, FHC, *mi-shell temer e toda a trupe que tomou o poder de assalto por meio de um golpe terceiro-mundista, como o é a cabeça de Merval, o mordomo principal da casa grande.

Neste momento, quando se trata dos tucanos, Merval tem amnésia ou se não a tem, começa a olhar para o teto ou para o céu se estiver na rua, de maneira que ele possa disfarçar suas dicotomias, contradições, dois pesos e duas medidas e, principalmente, sua vocação e disposição para o que é injustificável e indefensável.

Suas considerações sobre José Dirceu são de uma mediocridade atroz e de uma mesquinhez que diminui a condição humana perante ao que é nobre, verdadeiro e sincero. Merval simplesmente força a barra e despreza a vida alheia, independente do sofrimento e das covardias que cometeram contra o político José Dirceu, queira ou não queira o escriba de O Globo, que também persegue o Lula e a Dilma.

Asseverou o medíocre jornalista: "Na verdade, o Dirceu não deveria ter sido solto, porque ele é um ativista político, nunca deixou de ser um ativista político. Hoje nós temos acesso a documentos que ele escreveu na cadeia que são manifestos políticos. Ele tá em plena atividade política, né, contra a Lava Jato. Então ele, solto, terá mais condições de atuar contra Lava Jato".

Como assim cara pálida? Você está a estranhar que Dirceu faça política, se expresse politicamente e defenda posições políticas, ideológicas e partidárias? É isto mesmo, ou vossa senhoria não passa de um sujeito leseira? Porque, venhamos e convenhamos, sua suposta "surpresa" é de uma má-fé intelectual que não cabe quaisquer comentários.

Merval reclama porque Dirceu nunca deixou de ser um ativista político, bem como completou sua sandice em forma de argumentação ao afirmar que teve acesso a documentos que comprovam que José Dirceu escreveu manifestos políticos na cadeia. Não é uma maluquice? Má-fé ou seja o que o valha? Será que o Merval está gagá ou se utiliza de subterfúgios que visam fazer pressão contra o STF para que o Dirceu permaneça preso? Com a resposta, o Merval...

Então, já que o colunista de política Merval "desconhece" o José Dirceu, necessário se torna dar visibilidade a quem tem e sempre teve visibilidade, que é o caso de Dirceu, que milita politicamente desde adolescente, que foi para o exílio por força do sequestro de embaixador, sendo que na volta ao País foi preso em plena radicalização da ditadura etc, etc. e tal. Bem resumido. Assim não dá.

O que o Merval quer? Será que ele estranha que o político, militante e ativista José Dirceu não faça política e não se pronuncie após ser preso "preventivamente" por dois anos pelos "Intocáveis" da Lava Jato? É como pedir para que uma pessoa tape o nariz e pare de respirar. Tenhamos, de fato, santa paciência. O que Merval diz não tem lógica e sentido. É totalmente incongruente sua palavra má e frívola. Parece o "Samba do Crioulo Doido", de Sérgio Porto.

A verdade é que José Dirceu está solto e o STF demonstrou que está, por ora, a garantir os direitos e as garantias civis dos cidadãos, inclusive o Dirceu, que foi preso sem provas de suas culpas e, com efeito, encarcerado pela teoria do domínio do fato, o que é um absurdo tal qual fazem hoje com o Lula, a ser perseguido ferozmente por meio de Lawfare (perseguição jurídica) aplicado nas veias pela Lava Jato e sua parceira, a imprensa de negócios privados.

Dirceu é um animal político e vai fazer política até o dia de sua morte. Ponto. Não será um jornalista dos Marinho que o impedirá a seu bel-prazer. Chegam a ser ridículas as palavras de Merval Pereira, principalmente quando ele cita os documentos que teve acesso sobre o político que, obviamente, faz política e milita, a despeito das vontades e das demandas de Merval e de seus patrões.

Daqui a pouco, o jornalista das Organizações(?) Globo terá um surto de intolerância, ódio e rancor, o que o fará tentar reeditar o AI-5, porque ele, do alto de sua arbitrariedade, vaticinou: o Dirceu não pode ser solto! Além disso, o angustiado jornalista mandará o Dirceu se calar, porque sua intenção também é calar a prudência, a sensatez, a ponderação, a lógica, os sentidos e a inteligência, pois o Brasil neste momento é uma ditadura disfarçada por um golpe de estado travestido de legal e legítimo. Ah, Merval... Liberdade a José Dirceu! É isso aí.

Um comentário:

Marcos Lúcio disse...

Muito lúcido e justo seu relato irretocável. O "MERDAL" é , no mínimo, enojante, para não ser deselegante . Rima pobre como convém ao asqueroso lacaio das "DESORGANIZAÇÕES GLOBOSTA" .O real motivo da perseguição a Dirceu, segundo Paulo Nogueira: " Tivesse ele defendido, ao longo da vida a plutocracia, ninguém o incomodaria.

Mas ele escolheu o outro lado.

E por isso é alvo de uma perseguição selvagem. É como se o poder estivesse dizendo para todo mundo: “Olhem o que acontece com quem ousa nos desafiar".Destaco na sua brilhante postagem:"Antonio Gramsci e Umberto Eco explicam. O jornalismo das grandes empresas midiáticas e monopolistas tem como função principal difamar os considerados adversários e inimigos de seus interesses.
E assim, manobrando e manipulando informações, a mídia mais uma vez agride Dirceu.
Merval é autoritário, arbitrário e tirou a máscara.
o angustiado jornalista mandará o Dirceu se calar, porque sua intenção também é calar a prudência, a sensatez, a ponderação, a lógica, os sentidos e a inteligência, pois o Brasil neste momento é uma ditadura disfarçada por um golpe de estado travestido de legal e legítimo". Bravo!