Google+ Badge

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

PMDB é a bola da vez, PF visita o Cunha e o PSDB continua inimputável...

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


Existe uma frase que corre pelas ruas do Brasil: "Os tucanos são inimputáveis". Contudo, o PMDB e o PT não o são. Pelo contrário, os dois maiores partidos da base do Governo Dilma Rousseff são investigados e denunciados; e quem cometeu ações de corrupção, os chamados malfeitos, dentre outros crimes passíveis de prisões e julgamentos, está a ser preso e, posteriormente, deverá ser julgado.

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB/RJ), é um cadáver político e moral há muitos meses, quando seu nome foi vinculado à Lava Jato, bem como documentos comprovam a existência de contas na Suíça não declaradas ao Fisco. Ele se virava como podia para protelar sua queda do poder, que ora acontece hoje com a "visita" da Polícia Federal às suas casas do Rio de Janeiro e de Brasília. A casa caiu.

Além disso, somente para se perceber a perda de moral por parte desse político de características lacerdistas, ousado e politicamente agressivo, que sempre desejou derrubar a presidente Dilma do poder com o apoio de sua tropa de choque repleta também de tucanos, a PF confiscou seus dois telefones para poder ter acesso a informações ainda restritas ao político fluminense.

Entretanto, a questão fundamental é saber quando os tucanos, os demistas (demotucanos) e sua costela de Adão, o PPS, vão ter seus escândalos, às dezenas, investigados pela Polícia Federal, que se mostrou aecista no Estado do Paraná. E o Ministério Público vai desengavetar os processos sobre as administrações tucanas, tanto nas esferas federal quanto nas municipais e estaduais? Somente a Lista de Furnas, o Banestado, o Trensalão, o Metrozão, o HSBC, a Zelotes e a Sabesp envolvem bilhões, além de muita gente emplumada, de grandes e viçosos galardões.

Lembro que até hoje as privatizações, a maior roubalheira da história do Brasil, ainda não foram devidamente investigadas, bem como os vendedores perdulários do Brasil não foram punidos por suas traições ao País, que quase teve o Estado nacional completamente desconstruído — em um desmonte tão nocivo aos interesses brasileiros que até hoje não se entende como os tucanos, à frente o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (FHC) — o Neoliberal I — e seus áulicos da desesperança ainda não foram processados e presos.

Por sua vez, não se compreende como as autoridades judiciais (Justiça, PGR e PF) ainda não leram os livros "A Privataria Tucana" e "O Príncipe da Privataria", duas publicações que não deixam dúvidas, porque repletas de provas, sobre a dilapidação do patrimônio público que, em hipótese alguma, foi construído pela direita brasileira, porque, simplesmente, em 515 anos de história do Brasil, a casa grande sempre se recusou a pensá-lo.

Todavia, a casa de Eduardo Cunha caiu. A PF, a mando do STF, que atendeu ao pedido do procurador-geral, Rodrigo Janot, adentrou em campo e está agora a recolher provas para poder dar sequência às acusações contra o presidente da Câmara, que está a se aproveitar de seu cargo para bloquear as investigações sobre sua pessoa, no que concerne à Lava Jato, às contas na Suíça, dentre outros assuntos, que virão à tona com o passar do tempo.

Agora só faltam os coxinhas de direita e paneleiros se vestirem com camisas de Seleção Brasileira e levantarem novamente aquela faixa cínica e desprovida de noção, que demonstra com exatidão quem eles são, com os dizeres: "Somos todos Cunha!", bem como poderiam acrescentar outra faixa às suas infames coleções, a exclamar: "E também golpistas!"

A verdade é que agora é a vez do PMDB. E quanto a isso, não há como se voltar atrás, "Doa a quem doer, porque não ficará pedra sobre pedra", como anunciou certa vez a presidenta Dilma, em programa eleitoral no ano de 2014. E não está a ficar nada em pé, a não ser a visualização do pó das pedras derrubadas como resquícios de parte de paredes edificadas em corrupções, que estão a ser, agora, demolidas com vigor pelo Governo do PT e de Dilma Roussef.

Contudo, alguns segmentos conservadores da sociedade brasileira, a exemplo de políticos, empresários, jornalistas e coxinhas de classe média, ainda não "perceberam" que o rompimento de alguns políticos do PMDB com o Governo Trabalhista, bem como a maioria dos golpistas do PSDB, DEM, PPS, SD, PTB e, evidentemente, do PMDB, movimenta-se ferozmente em prol de um impeachment.

Compreenderam que as investigações sobre corrupção e tráfico de influência vão chegar aos nomes deles. Por isto a ferocidade, o escárnio, o ódio e as tentativas de derrubar a mandatária petista do poder, no decorrer de um tempo superior há um ano,  desde o primeiro dia após a derrota de Aécio Neves, que, inconformado com o revés e obcecado pela Presidência da República, tornou-se o pior perdedor da história do Brasil e o líder dos movimentos conspiratórios e golpistas.

O PSDB e seus aliados sabem que, mais cedo ou tarde, mesmo a ter a proteção e a blindagem da imprensa corporativa de DNA golpista e de setores do sistema judiciário, os processos engavetados, as denúncias e acusações sobre corrupção nos ninhos tucanos vão ter de chegar um dia às barras dos tribunais. É aquela coisa: processo iniciado, processo terminado. Isto é fato, até porque a Constituição e o Código Penal valem para todos os brasileiros, apesar de os coxinhas de classe média e seus ídolos, os ricos, considerarem, por má-fé e hipocrisia, que a corrupção no Brasil começou em 2003, com o PT.

Durma-se como um barulho desses. A casa grande governou o Brasil por 500 anos, com alguns interregnos, mas a corrupção, convenientemente, é culpa do PT, o partido que mudou o Brasil e incluiu milhões de pessoas na classe média e no consumo, bem como abriu um leque de oportunidades para milhões de brasileiros ascenderem socialmente, tanto nos âmbito da educação quanto no do emprego, sendo que eu vou refrescar a memória de quem se faz de esquecido por questões ideológicas e políticas.

Os governos petistas de Lula e Dilma, durante 12 anos, ou seja, três mandatos, criaram quase 20,4 milhões de empregos, conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho. Esses índices representam um avanço de 71% do número de postos de trabalho em comparação com dezembro de 2002, o último ano do sombrio governo tucano de FHC — o Neoliberal I —, que nem emprego criou para o povo brasileiro, além de proibir por decreto lei a construção de escolas técnicas no Brasil. E olhe que esse senhor tucano de bico longo e voo curto é professor, hein...

Lula e Dilma fizeram muito mais na área de empregos do que o PSDB, como em qualquer outro segmento social e econômico. A verdade é que FHC — o Príncipe da Privataria — em oito anos criou apenas cinco milhões de empregos, o que significa 1/3 do total de empregos criados por Lula em oito anos. Por sua vez, se compararmos o primeiro Governo Dilma com os governos sombrios e cinzentos de FHC — o gestor-mor da Privataria Tucana, a mandatária petista o supera. Dilma em apenas quatro anos criou 5.052.710 empregos formais, enquanto FHC em oito anos gerou 5.016.672 empregos.

Se formos comparar as operações da PF realizadas pelos governos do PT em relação aos do PSDB, aí é covardia, porque simplesmente FHC praticamente não combateu a corrupção, além de ter nomeado um procurador-geral que tinha o sugestivo apelido de engavetador-geral. Geraldo Brindeiro era o nome dele. Alguém se lembra? Para resumir, em 12 anos de Lula e Dilma no Palácio do Planalto foram realizadas 2.226 operações, enquanto a PF sob o comando de Fernando Henrique realizou apenas 48 operações. Um absurdo, e sinal concreto de que os tucanos nunca quiseram prender ninguém. E como seria possível, se eles venderam o Brasil? Aí os emplumados teriam de prender a eles mesmos, ou seja, sumariamente engaiolados.

Mesmo assim, a classe média paneleira e as "elites" de índoles escravocratas, pautadas pela imprensa alienígena e conspiradora, querem acreditar, a dar vazão às suas conveniências e crenças, que a corrupção é obra do PT e de suas lideranças, quando a verdade é que os governos republicanos de Lula e Dilma foram os que mais prenderam corruptos e corruptores. Pela primeira vez neste País os cidadãos brasileiros viram ricos, influentes e poderosos no xilindró. Esta é a verdade, porque é fato real. Ponto.

A casa de Cunha caiu. E ainda vão cair as casas dos cunhas demotucanos e de seus aliados de outras legendas, como o Paulinho da Força (SD) e cia. Não tem jeito e nem volta. Vamos ver com quantos paus se faz uma canoa ou quantas prisões vão ser necessárias para dar jeito neste País e, com efeito, torná-lo civilizado, democrático e justo. O PT e seus governos, em apenas 13 anos, revolucionaram o País sem alardes e rupturas graves no tecido social, mas os corruptos e os corruptores não gostaram e por causa disso reagem, inclusive com a cooperação dos magnatas bilionários de imprensa, que sabotam o Governo Trabalhista e blindam seus aliados emplumados.


A estadia da PF nas casas de Eduardo Cunha representa, mais do que qualquer imbróglio político e ideológico, desejos de grupos e pessoais, a derrota do golpe contra Dilma Rousseff, mandatária que não cometeu crimes de responsabilidade e que, conforme ela prometeu, não está a deixar pedra sobre pedra. Não vai ter golpe! A hora do PSDB vai chegar. Claro que os tucanos não são inimputáveis. É somente uma questão de tempo, apesar dos delegados aecistas, dos gurgeis, dos moros, dos joaquins e dos gilmares. É isso aí. 

4 comentários:

Anônimo disse...

Trabalhou sem carteira assinada em alguns jornais de Brasília.
Pelego, portanto.
Foi sumariamente escorraçado do nefasto JB, onde não tinha espaço no papel
Vive de cargo pago pelo povo.
Currículo do Davis.
Assinado Peteca - aquele que te come sem tirar a cueca

Anônimo disse...

E tem vergonha de o pai ser militar na época da ditadura...
Filhote pelego que mama nas tetas do povo.
Assinado Pelegão

Jorge Marcelo disse...

Davis, como já disse outras vezes, você é uma espécie de Mick Jagger do jornalismo político, isto é, tudo o que você escreve acontece exatamente o contrário...kkkk

http://g1.globo.com/minas-gerais/noticia/2015/12/justica-condena-azeredo-20-anos-de-prisao-por-mensalao-tucano.html

Marcos Lúcio disse...

Pontual e oportuno como sempre. Destaco: "Para resumir, em 12 anos de Lula e Dilma no Palácio do Planalto foram realizadas 2.226 operações, enquanto a PF sob o comando de Fernando Henrique realizou apenas 48 operações. Um absurdo, e sinal concreto de que os tucanos nunca quiseram prender ninguém. E como seria possível, se eles venderam o Brasil? Aí os emplumados teriam de prender a eles mesmos, ou seja, sumariamente engaiolados".

Alguns raríssimos coxinhas, incautos, incultos, e alienados políticos ou analfabetos políticos já estão caindo na real até porque burrice tem limite, senão vejamos: "Ex-integrante de grupos que pedem a queda da presidente Dilma Rousseff, como o Vem Pra Rua e o Acorda Brasil, a empresária e socialite Rosangela Lyra agora se diz contra o impeachment; ela é presidente da Associação dos Lojistas dos Jardins, de São Paulo; "Meu ponto de virada foi quando eu percebi a importância da Lava Jato e a não interferência da presidente. Esse meu posicionamento vai ao encontro do que pensam os investigadores da Lava Jato. Na última coletiva, perguntaram se havia interferência do governo na operação. Os investigadores disseram que não havia. Poderiam ter se esquivado ou respondido com menos ênfase, mas foram categóricos", diz; ela ponta ainda que "se a Lava Jato tem hoje o peso que tem, foi porque Dilma sancionou a lei que prevê a delação premiada e deixa a operação funcionar"