Google+ Badge

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Moro é político e quer criminalizar o PT para derrubar Dilma

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre
 
Moro recebe o prêmio "Faz a Diferença" dos Marinho. Ele é o mais novo funcionário padrão da Globo.
O juiz Sérgio Moro, da Operação Lava Jato, é um brasileiro que “faz a diferença”, como pretendem fazer crer as Organizações(?) Globo, useira e vezeira em premiar aqueles sujeitos que, de preferência, fazem oposição ao Partido dos Trabalhadores e investigam, prendem e punem somente autoridades ou pessoas ligadas ao PT, porque tal partido venceu quatro eleições presidenciais consecutivas, realiza administrações republicanas e faz um governo de inclusão social, com o enfoque para a igualdade de oportunidades, realidades essas que deixam por demais furibundas as oligarquias brasileiras, que se mostram presentes nos setores públicos e privados.

A verdade é que com a prisão do tesoureiro do PT, João Vaccari, Moro fere gravemente o Governo Trabalhista, que desde a vitória eleitoral de Dilma Rousseff, em outubro de 2014, não teve um dia sequer de sossego para poder trabalhar a favor do desenvolvimento do País e da emancipação do povo brasileiro. Essa gente conservadora e reacionária, encastelada no Judiciário, no Ministério Público, nos partidos políticos de direita, na Polícia Federal dos delegados aecistas, na comunidade coxinha e, principalmente, nos meios de comunicação privados pertencentes aos magnatas bilionários de imprensa, tem apenas dois itens em sua agenda política: o golpe de estado e o impeachment de Dilma Rousseff.

Fascistas de carteirinha como o senador do DEM, Ronaldo Caiado, e playboys oportunistas, inconformados e furiosos com a derrota, a exemplo do senador Aécio Neves (PSDB), apostam todas suas fichas nesses dois processos draconianos, antidemocráticos e ilegais. Ilegais, sim, porque a presidenta Dilma não incorreu em malfeitos, não cometeu quaisquer corrupções e sua campanha eleitoral foi comprovadamente considerada legal, como apontam as resoluções quanto a isto do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O presidente do PT, Rui Falcão, pronunciou-se sobre a prisão de Vaccari e garantiu que os advogados da legenda vão recorrer contra a prisão. O fato é que se percebe nitidamente que a prisão do tesoureiro tem por finalidade criminalizar as doações ao PT, já que o PSDB, o PSB e o PMDB também receberam dinheiro para financiar suas campanhas de empresas que estão a ser investigadas pelo Operação Lava Jato.

Por sua vez, torna-se inacreditável e até mesmo surreal a seletividade do juiz Moro, de promotores e de setores da PF, que até agora não prenderam ninguém do lado tucano e de outros partidos, porque no Brasil certos grupos são inimputáveis, o que reafirma que o status quo é blindado, ainda mais quando ele é o representante legítimo dos interesses da burguesia nacional e dos conglomerados econômicos internacionais.

É o fim da picada a seletividade de juízes, como o Sérgio Moro, e de procuradores, como Rodrigo de Grandis e Deltan Dellagnol, o primeiro “esqueceu” o pedido de investigação do MP da Suíça sobre a roubalheira acontecida no metrô e nos trens de São Paulo, e o segundo posa de herói, juntamente com seus colegas de Operação Lava Jato, e sai em foto de capa do diário conservador, Folha de S. Paulo, ferrenho opositor ao PT e à Dilma. O jornal da família Frias jamais aceitou o resultado das urnas, ou seja, a derrota de Aécio Neves.

Ao fazer a vez da oposição partidária, a imprensa de mercado recrudesceu a espetacularização nada republicana de servidores públicos da Procuradoria da República, propositalmente promovida por uma mídia golpista, que sabe o que faz com seu canto de sereia, que embriaga procuradores atraídos pelas luzes da ribalta. A prisão de João Vaccari significa a criminalização do PT, que apresentou ao TSE as doações recebidas, tanto quanto se beneficiaram os partidos da oposição, que, entretanto, não são denunciados, investigados, punidos e muito menos saem nas manchetes e chamadas dos jornais, rádios e televisões dos oligarcas das comunicações.

Vaccari foi à CPI da Petrobras e apresentou documentos e dados que comprovam que as doações recebidas pelo PT são legais. Para não deixar dúvidas, ainda informou, volto a comentar, que o PMDB, o PSB e o PSDB também receberam dinheiro e nem por isso são investigados pelos seletivos, juiz Moro, procurador Dellagnol e delegados aecistas. E por quê? Porque fazem política, aliaram-se à imprensa corporativa, aos partidos de direita e de oposição e querem, de uma forma ou de outra, que o PT saia do poder, afinal existem movimentos golpistas, que desejam a extinção do PT e a destituição de Dilma Rousseff da Presidência da República. Seria cômico ou surreal se não fosse trágico.

O que quer esse Juiz nada confiável, pois político, e esses promotores que pensam ser os “Intocáveis” de Hollywood? O que se pode esperar de juízes, imprensa dos magnatas e de promotores partidários, ideologicamente conservadores e que lutam desesperadamente e incansavelmente para manter o status quo, a defender esse sistema de capitais injusto e perverso e a tentar preservar os privilégios das classes sociais abastadas.

Tratamos, sem dúvida, de um embate político duríssimo e tão violento e insensato quanto os ocorridos nos idos de 1954 e 1955, 1961 e 1964. As questões desses fatos e acontecimento não se resumem em prisões e punições, porque sou plenamente favorável às prisões de ladrões do dinheiro público, sejam eles membros do PT, do PSDB, do funcionalismo público, do empresariado, seja de onde for e vier. O que está em jogo, porém, não é simplesmente prender ou não prender, porque a reação quer apagar o fogo com gasolina e apostar no quanto pior, melhor.

O que está em jogo é a estabilidade democrática, a Constituição, o equilíbrio entre os poderes e a submissão aos resultados das urnas, quando Dilma Rousseff, do PT, recebeu do povo brasileiro mais de 54 milhões de votos e derrotou pela quarta vez o candidato da direita, das oligarquias e dos interesses internacionais, desta vez na pessoa de Aécio Neves. O resultado disse tudo é que ficam no ar muitas dúvidas quanto à lisura e o republicanismo da Justiça. Muita gente fica com a impressão que o PSDB e seus aliados não recebem doações, não tem caixa dois e muito menos tesoureiros responsáveis pelas contas dos partidos.

Os tucanos falam muito de corrupção. O DEM também. A imprensa familiar e empresarial está histérica com o assunto sobre corrupção. São todos contra a corrupção. No entanto, os magnatas bilionários de imprensa e seus empregados de confiança se dizem a favor do financiamento privado para as campanhas eleitorais. Os partidos de direita também, sendo que muitas dessas pessoas ou grupos não querem nem saber de efetivar uma reforma política. São cínicos e hipócritas, porque não são sinceros. Como pode você se dizer contra a corrupção, mas quer o financiamento privado de campanhas eleitorais, o maior responsável, inegavelmente, pela corrupção entre empresas privadas e o poder público.

A crise política está a vicejar, a recrudescer e longe de seu fim porque não interessa à direita que ela acabe, pois a intenção é engessar o governo e não deixar a presidenta Dilma governar. O negócio é infernizar, mesmo ao preço de prejudicar a economia do País e a paz social. Combate-se, sem trégua, um governo de caráter popular e que está a prender, pela primeira vez neste País, ricos empresários e executivos. Sem dúvida, é exatamente o Governo Trabalhista do PT que começou a limpar a sujeira dentro do Estado nacional. Só não vê quem não quer. Ou é de oposição, aquela que está desesperada, inconformada, irada e furiosa por estar sem controlar o Governo Federal há mais de 12 anos. O juiz Sérgio Moro é político e quer criminalizar o PT para derrubar do poder a presidenta Dilma Rousseff. É isso aí.

41 comentários:

Jorge Marcelo disse...

É isso aí! Sérgio Moro é político, desonesto, conservador que só quer aparecer, enquanto Davis Sena Filho é apartidário, honesto, progressista e que faz tudo pelo bem da sociedade. Assinado: Pinocchio

Anônimo disse...

Por que a delação premiada da Camargo Corrêa ficará só na Petrobras?
E a operação Castelo de Areia e o trensalão tucano que a Construtora está ligada?
A Camargo Corrêa foi uma das empresas acusadas de integrar o cartel que fraudava licitações na área de saneamento em SP. O próprio MPE-SP menciona contratos bilionários do grupo com a Sabesp.

É a seletividade do 'moro'!?

Henrique

Anônimo disse...

E o Consórcio Via Amarela, responsável pela construção da Linha 4- Amarela do Metrô de São Paulo, onde a Camargo Corrêa no consórcio do qual participa a Alstom?

Alstom é aquela multinacional francesa envolvida no esquema que fraudou e superfaturou licitações do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

A maracutaia foi com agentes públicos de sucessivos tucanos no Estado de São Paulo.

A maracutaia é chamada de trensalão, ou propinoduto tucano, como ficou conhecido o esquema.

Por que ninguém cita isto da Camargo Correa aqui em SP?

Por que o moro não questiona estes fatos?

É a seletividade do moro?

Henrique

Anônimo disse...

E o superfaturamento da Camargo Correa na Linha 4-amarela do metrô?

A obra foi orçada em R$ 3,3 bilhões (valores atualizados).

E a informação de pagamento de propina da ordem de R$ 16 milhões (Operação Castelo de Areia)?

O moro vai seletivar mais esta?

Anônimo disse...

E consórcio formado para construir o Sistema Produtor São Lourenço, obra da Sabesp, orçado em 6,6 bilhões?

Será que o moro vai interrogar os delatores da Camargo Correa?

Não! Não vai porque o moro é seletivo e nada pode respingar em SP!

Anônimo disse...

Qual é a isenção do moro?

A PF, em 2006, prendeu o ex-prefeito Jairo Gianoto, de Maringá/PR, por desvio de dinheiro público, formação de quadrilha, e sonegação fiscal.

O advogado Tributarista Irivaldo Joaquim de Souza, (moro foi assistente dele) foi preso.

O advogado Irivaldo só conseguiu o Habeas Corpus, depois do Juiz Federal Sérgio Fernando Moro, ter testemunhado ao seu favor.

Em 2010, o Tribunal de Justiça do Paraná condenou o ex-Prefeito a devolver R$ 500 milhões aos cofres públicos por improbidade administrativa.

Com este histórico que juiz(?) poderia ter a isenção necessária para fazer um julgamento com teor altamente político?

Por que moro é seletivo?

Anônimo disse...

A Operação Lava Jato apreendeu na sede da empreiteira Camargo Corrêa, uma tabela que relaciona políticos, obras e valores em dólares.

Quem aparece na lista?

- o ex-governador de São Paulo Mario Covas (PSDB), falecido em 2001;
- Jorge Maluly Netto (falecido em 2012), que foi deputado e depois prefeito de Araçatuba pelo então PFL (hoje DEM);
- e o atual suplente de José Serra no Senado, José Aníbal (PSDB), na época também deputado federal.

O José Aníbal aparece três vezes na lista. Os valores associados a ele, segundo o documento, somam US$ 90 mil.

Esta não é a primeira vez que uma investigação da Polícia Federal encontra digitais dos tucanos nos cofres de empreiteiras.

E o moro o que faz?

Fica em mortal silêncio tal qual a mídia?

Por que o moro é tão seletivo?

Que Bom Direito(?) ele segue?

Henrique

Anônimo disse...

Desculpas, tres postagens acima são minhas.
Esqueci de identificar-me.
Grato.

Henrique

Guorlandi disse...

AS COISA VÃO MUDAR O QUE O SR JUIZ VAI FALAR PARA SEUS FILHOS PAIS ,QUE NÃO FOI COERENTE,FOI FORÇADO OU JA FAZ PARTE DA SUA ROTINA,AS AÇÕES SEM QUE SER TOMADAS MAS MUITOI BEM ELABORADAS E ESTUDADAS SEMPRE NA RAZÃO DA CONSTITUIÇÃO ,PARA NÃO VIRA CHACOTA DA NAÇÃO

Anônimo disse...

KKKKKKKKK........................O Hospício vai fechar...........A verba da SECOM vai acabar......Mais um Petralha na cadeia......KKKKKKKKK.......

Marcos Lúcio disse...

Infelizmente é a mais pura verdade. Uma justiça golpista, parcial ou manipulada ou direcionada e nada mais.Vejamos, dentre inúmeros exemplos, este:

Tucano desafia a lei: “Por não ser petista, não corro o risco de ser preso.”


O deputado estadual Jorge Pozzobom (PSDB/RS) disse, pelo Twitter, que não correria o risco de ser preso no Brasil por não pertencer ao PT.

Durante um “bate-boca” com militantes petistas, o parlamentar afirmou que “alguém que não seja ameaçado de morte ou morto como o Celso Daniel possa trazer por delação a megalista do PT”, em referência a petistas envolvidos nas investigações da Operação Lava-Jato, da Polícia Federal.


Após essa declaração, o parlamentar foi advertido de que calúnia é crime, e respondeu: “Me processa. Eu entro no Poder judiciário e por não ser petista não corro o risco de ser preso”.


De acordo com o deputado federal Henrique Fontana (PT/RS), o tucano se coloca acima da lei, e expõe o poder Judiciário, como se nele encontrasse abrigo sob quaisquer circunstâncias por não pertencer ao PT.
Fontana classificou a declaração de Pozzobom como “fascista”, “inaceitável” e demonstra intolerância semelhante às ações nazistas contra os judeus. “O PT é um partido que tem história e militantes honrados”, afirmou Fontana, segundo a Agência de Notícias do PT.
Segundo o petista, se alguém do seu partido, assim como já aconteceu com lideranças filiadas em outras legendas, tiver cometido alguma ilegalidade, essa pessoa deve ser julgada e punida individualmente. “Eu sou do PT e me orgulho disso, assim como milhões de outros simpatizantes e líderes”, disse Fontana.

Marcos Lúcio disse...

Um exemplo é pouco, parece-me rs.Vamos a mais um, para entendermos as preferências de Moro.Hum...

Sérgio Moro é casado com advogada do PSDB
Por Miguel do Rosário,
A “República do Paraná”, que investiga a corrupção na Petrobrás, se revela, cada vez mais, um núcleo ultra-tucano.
Vejamos.
Os delegados federais da Lava Jato são tucanos tão descarados que operam nas redes xingando Lula, o governo, e dando loas a Aécio Neves.
Até os réus presos, por supostamente pagarem propina a servidores da Petrobrás, são quase todos tucanos. Vide o caso deste último, executivo da Toyo Setal, Augusto Ribeiro de Mendonça Neto, mencionado no último post.
O cidadão passou décadas mamando nos governos do PSDB, sabe-se lá com que tretas, aproveitando-se inclusive de ligações familiares, visto que seu primo, Marcos Mendonça, é um tucano de alta plumagem que sempre ocupou altos cargos em governos tucanos.
Aí o cara é pego num esquema da Petrobrás, e resolve delatar quem? O PT, é claro.
O outro réu que decidiu fazer delação premiada, Alberto Youssef, é um tucano das antigas. Fez-se na vida lavando dinheiro e operando sempre para o PSDB. Foi preso e condenado inclusive por isso. Aceitou a delação premiada, jogou a culpa nos outros, foi solto e correu de volta para o mundo do crime. Como é tucano, e tucano pode tudo, o juiz lhe deu outra chance de entrar no jogo da delação.
Seu advogado, Antonio Augusto Lopes Figueiredo Basto, tinha uma sinecurano governo do Paraná, do PSDB.
A Globo e Basto fizeram até tabelinha, para combinar uma narrativa bem legal, contra o PT, naturalmente.
E quem Youssef resolve delatar? O PT, óbvio.
Agora descobrimos que a própria família do juiz Sergio Moro é ligada ao PSDB.
Sua esposa, a senhora Rosângela Wolff de Quadros Moro, presta assessoria jurídica ao governo do Paraná.
Para a coisa ficar ainda mais estranha, o escritório de sua esposa presta serviços à Shell, petrolífera estrangeira concorrente da Petrobrás.
Num mundo perfeito, onde as pessoas soubessem separar totalmente o público e o privado, não haveria nada demais.
Mas o mundo não é perfeito. E a operação Lava Jato se revela profundamente politizada.
É evidente que Sergio Moro está cercado por um antipetismo raivoso: no governo, na classe a qual pertence, na sua categoria profissional, no seio da família, na empresa da esposa, na grande mídia.
É muito difícil ser imparcial num ambiente assim.
O Brasil vive um “bolivarianismo” às avessas.
Acusa-se, injustamente, o chavismo de controlar as instituições democráticas para que estas trabalhem em prol do governo.
Aqui as instituições, ao invés de trabalharem em harmonia com o governo eleito, se esforçam para derrubá-lo.
Moro faz um jogo perigoso; ao determinar o que vaza e o que não vaza dos depoimentos, permite que aqueles mesmos que ele, como juiz, considera suspeitos, influenciem a agenda política nacional.
Esse é o maior absurdo.
Deixar bandidos pautarem a agenda política da sétima economia do mundo.
Depoimentos de delação premiada são sigilosos justamente para evitar o que está acontecendo. Acusações falsas, manipulação por parte dos delatores, assassinatos de reputação; enfim, todos os riscos inerentes à delação premiada.
(...)
É ingenuidade achar que a oposição vai deixar de bater no governo. Faz parte do jogo.
Apenas exigimos que a democracia e os direitos humanos sejam respeitados.
Que a justiça seja prudente, sábia e imparcial.
Que o combate à corrupção seja sincero, e não um subterfúgio para driblar a vontade popular.

Anônimo disse...

E a filha de João Vaccari , chamada Nayara, não recebeu propina de 280 mil através da Viena Imobiliária, de Indaiatuba.
Assinado Pinochio II.
Ou babalu

Anônimo disse...

Aí que tá, Lúcido. Desta vez você acertou. Mas, se tiver tempo, manda pro Moro, pro deputado do Sul e pra quem mais achar interessante, a notícia que Nayara, filha do ex tesoureiro do PT, preso hoje, teve um depósito de 280 mil em sua conta. Vindos da Viena Imobiliária. De Indaiatuba. Sem comprovação de origem. Firma surgida em 2012. Te diz algo?
Na verdade, se Moro atirar mesmo, sei não...

Pinochio II
Ou babalu

Anônimo disse...

Os tucanos vão defender o Marcio Fortes - tesoureiro do PSDB - da acusação de esconder dinheiro da Receita no HSBC?

As contas mais gordas do HSBC da Suíça são de um suplente de senador do Amazonas (PMDB), Lírio Parisotto (US$ 46 milhões, em 2003) e de um ilustríssimo tucano da corrente Serrista, Márcio Fortes (tesoureiro PSDB), com US$ 2 milhões, em 2003. (Esta saiu no globo/26/03/2015).

Por que, agora, a mídia está em silêncio?

Será que aprenderam a seletividade do moro ou vice-versa!?

Informa O Globo que Márcio foi da Executiva Nacional do PSDB e deputado federal pelo partido.

Anônimo disse...

O post acima (do marcvio fortes)foi eu quem escreveu.

Desculpas.

Henrique

Anônimo disse...

E a cunhada de Vaccari não está foragida....

Anônimo disse...

A foto acima do moro recebendo premio da sonegadora, ops, globo, não poderia e não pode ter acontecido pois nossa Constituição (artigo 37) diz que “a administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência (…)”

Onde está a "impessoalidade" do juiz(?) moro?

Henrique

Anônimo disse...

De cada R$100,00, R$42,00 eram do PSDB, ou seja, os tucanos receberam 42% da lava jato.

É a falta de impessoalidade, do moro, que torna a lava jato do moro seletiva.

Impessoalidade significa que o servidor público não pode beneficiar ou prejudicar alguém só porque esse alguém é seu amigo ou inimigo.
Por esse princípio, pessoas em situações idênticas devem ser tratadas de forma idêntica.
Da mesma forma que um prefeito não pode proibir seu inimigo político de ter uma padaria.
(uma palestra em uma faculdade de Direito e, também, publicado na Folha/27/11/09)

Por que o moro é seletivo?
Ele é um juiz(?) mesmo?
Ou ele é um juiz coxinha?

Henrique

_Valent _ disse...

Modo oligarquico de criar verdades: repetir uma notícia (cuja origem desconhece) até que ela cristalize no discurso alienado.

Anônimo disse...

A 'impessoalidade' do moro:

- Esposa de Sergio Moro, Juiz responsável pela Operação Lava Jato, é assessora jurídica do PSDB. Além da esposa, irmão do Juiz, Cesar Moro, não esconde simpatia pelos tucanos nas redes sociais.

Quem manda vazar primeiro para a imprensa corrupta Sr(?) moro?

É a midia golpista ou o sr(?), moro?

Anônimo disse...

è mais um do PT apenas indo preso...

Anônimo disse...

O que mais se comenta nas redes sociais, no Twitter ficou várias horas no TT, é a mesada de R$ 70 mil reais, por mês, quase 1 milhão por ano, que o jornalista Fernando Gouveia, que se apresenta como Gravataí Merengue, recebe do governo Alckmin.

Agora entendo do que os otários gostam: só mentiras e ódio - argumento, zero.

E estão todos soltos.

Henrique

Anônimo disse...

KKKKKKKKKKKK.........................Petralha........Não estuda e não trabalha

Anônimo disse...

O juiz(?) moro (lacaio midiático), já determina a sentença sem "trânsito em julgado" (isto pertence ao Bom Direito, não a falácia jurídica do juiz(?) moro) , ou seja, ele já faz a prisão antes da sentença - e isto é só o juiz(?) moro que pratica - a prisão por tempo indeterminado sem julgamento, defesa, provas,...

Em que lugar do mundo isto acontece?
Onde está a comprovação - provas - do ilícito?

O juiz(?) moro, atua tal qual um coxinha que não estuda e nem trabalha com o Bom Direito.

O 'script' do moro é o que a mídia produz para ele.
É o que dá não estudar e ser lacaio da mídia!

Henrique

Anônimo disse...

Blogueiro que dissemina ataques ao PT e à presidente Dilma recebe R$ 70 mil por mes do governo tucano.

O que o juiz(?) moro faria em um caso deste?
Será que ele determinaria prisão indeterminada sem julgamento?

Anônimo disse...

Petralha....Petralha ......Petralha......Não estuda e não trabalha

Anônimo disse...

A PF diz ao Supremo que não localizou a testemunha que citou Anastasia - (G1/20/04/2015).

Bom, e daí!?

O Jayme Careca (ex-PF) disse que entregou propina ao Senador tucano Anastasia.

Depois o juiz(?) moro mandou soltá-lo.

A PF, em Curitiba, que está lá com o juiz(?) moro diz que não sabe onde encontrá-lo.

Diz que foi R$1.000.000,00 para o Anastasia(senador tucano).

Este juiz(?) moro e seus lacaios são burros mesmo:
- perderam o delator
- prá não investigar tucano
- prá prescrever o crime tucano.

Nossa! Esse juiz(?) moro e seus lacaios papagaios da mídia golpista precisam estudar e trabalharem mais!

Henrique



Henrique Cesar disse...

moro, o operário robô-padrão da rede sonegadora, ops, globo.

moro, o juiz vazador seletivo.

É uma imoralidade, uma falta de impessoalidade premiar juízes pelo exercício de sua função.

Henrique

Anônimo disse...

Tucanalha, tucanalha, tucanalha...não estuda, não raciocina , não trabalhakkkkkkkkkkkkkkkkkk

Marcos Lúcio disse...

Por que Moro faz mal ao país. Por Paulo Nogueira

Se Moro fosse um produto lançado recentemente, e não um juiz, caberia para ele a seguinte palavra: flopou.

Moro flopou.

Flopar, como sabemos todos, vem de flop, fracasso em inglês.

Pois é. Moro fracassou. Fracassou miseravelmente.

A maior de todas as razões é que ele acabou trazendo ainda mais divisão a um país que já estava suficientemente dividido antes que ele saísse da obscuridade paranaense em que vivia e trabalhava.

Como Joaquim Barbosa antes dele, Moro é hoje idolatrado pelos conservadores e detestado pelos progressistas.

A culpa é dele ou das circunstâncias? — você poderia perguntar.

Claro que as circunstâncias favorecem. Você tem hoje um Brasil parecido, sob certos aspectos, com a Venezuela – visceralmente dividido.

Mas Moro com certeza deu sua contribuição pessoal. Ele jamais emprestou à Lava Jato uma coloração apartidária, assim como Joaquim Barbosa e o STF, um pouco atrás, para o Mensalão.

Mais uma vez, fica a sensação que o principal alvo não é exatamente a corrupção, mas o PT e o governo Dilma.

E disso resulta a percepção, entre tantos brasileiros, de uma justiça injusta, simbolizada há algum tempo em JB e agora em Moro.

Os desvios de conduta da Lava Jato se manifestaram, ao longo da campanha eleitoral, em vazamentos descaradamente construídos para minar Dilma.

Só agora, muito depois das eleições, é que se soube, por exemplo, que o doleiro Youssef citou Aécio e sua irmã no jamais investigado Caso Furnas.

Imagine o impacto que isso teria nas urnas.

Aécio foi poupado dos vazamentos, como em tantas outras coisas, ao passo que Dilma foi massacrada.

Que Aécio ainda assim tenha sido derrotado mostra a sua fragilidade como candidato, e a deterioração de seu partido.

Moro jamais se pronunciou contra os vazamentos, ou tomou alguma atitude que demonstrasse seu desagrado.

Especulo aqui que seu comportamento seria provavelmente outro se vazassem coisas sobre Aécio.

Passadas as eleições, Moro cometeu uma monumental tolice ao aceitar um prêmio da Globo e subir ao palco, num contentamento provinciano, com João Roberto Marinho.

Justiça e imprensa não podem se misturar. Não em circunstâncias normais, e menos ainda no quadro vivido pelo país.

Você jamais vê na Inglaterra, para pegar apenas um exemplo, um juiz confraternizando com Murdoch. É ruim para a imagem de ambos, e a sociedade simplesmente não tolera esse tipo de associação.

Agora, a discutível prisão do tesoureiro do PT — no mesmo dia em que a esquerda marcara protestos contra a terceirização – lança ainda mais sombras sobre a isenção de Moro.

No twitter, uma hashtag que viralizou nesta quinta retrata o que muita gente pensa, e não estou falando apenas de petistas.

Ei-la: #ExplicaMoroPorqueSoPT.

O fato é que Sérgio Moro não tem nenhuma explicação razoável para isso.

O país necessita, com urgência, vencer uma divisão que o vai tornando parecido com a Venezuela.

Moro veio para dividir ainda mais.

Por isso flopou. Por isso fracassou.

Por isso, também, ele é uma figura que faz mal ao país.

Henrique Cesar disse...

Valeu Marcos Lucio, vou usar as palavras do Davis:

É isso aí.

Henrique Cesar disse...

O Jayme Careca (ex-PF) disse que entregou propina ao Senador tucano Anastasia. Depois o juiz(?) moro mandou soltá-lo.

E aí dr(?) juiz(?) moro?
Cadê o Careca?
Ele fugiu!?
Não conseguem encontrá-lo!?

senhor doutor(?) juiz(?) moro, vai estudar e trabalhar mais para o Bom Direito!

Anônimo disse...

E o mico do moro ou o juiz(?) sergio Mico moro e a farsa sobre a cunhada de Vaccari!?

o juiz(?) Mico, ops, moro, precisa estudar e trabalhar mais para o Bom Direito!

Henrique

Marcos Lúcio disse...

Valeu, meu prezado...a grande contribuição aqui, vem, absoluta e lucidamente, da sua parte.Sou seu admirador.Abraço.

Anônimo disse...

O Jayme Careca (ex-PF) disse que entregou propina ao Senador tucano Anastasia. Depois o juiz(?) moro mandou soltá-lo.
Agora não conseguem encontrá-lo!?!?!?!?!?

Lembrei-me do que disse o Deputado Jorge Pozzobom – PSDB-RS:

“Me processa. Eu entro no Poder judiciário e por não ser petista não corro o risco de ser preso”.
Repetindo: “Eu entro no Poder judiciário e por não ser petista não corro o risco de ser preso”.

Seria essa, uma atitude de quem não estuda, não raciocina e não trabalha!?!?!?!
Por que só o PT!?!?!?!

Henrique

Anônimo disse...

Mauro Pires de Amorim.
Tudo bem. O juiz é comprado e quer queimar a Santa Joaninha Dilma D'Arc. E olha que arca, 23 bilhões com o empréstimo do Banco do Brasil e Caixa Econômica. Só o rombo da Petrobrás, daria mais que um Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal juntas. Mas são mártires ilibados, vilipendiados, caluniados e difamados. O PT, realmente conseguiu entrar para a história como a esquerda tramoia. Partido dos Tramoias. 5ª Coluna Corrupta, X9 Colaboracionista. Inimigos Infiltrados Travestidos de Esquerda!

Henrique Cesar disse...

Em 24/04/2015 - As ações da Petrobras, ON, na Bolsa de NY – subia a 4,41%, tendo chegado a 5% de alta. Em NY as ações da Petrobrás foram as mais negociadas.
Em 24/04/2015 – as ações da Petrobás, PN, no Brasil, subiam a 2,4%.

Só a mídia golpista e seus lacaios coxinhas é que não acreditaram.

Augusto Mendonça Neto – da empresa Toyo Setal em depoimento sobre a Petrobrás: ele diz que a roubalheira é dos tempos do FHC, quando presidia a Petrobras o Joel Rennó, indicado pelo ACM, que dividiu a presidência com Roberto Marinho, Jose Sarney e FHC. (Fonte: acervo do Congresso Nacional, porque a globo tirou do ar)

A mídia golpista e seus lacaios coxinhas não citam nada.

A Operação Zelotes com um valor três vezes maior que ao desviado no esquema de corrupção na Petrobras, denunciado pela Operação Lava Jato.

A mídia golpista e seus lacaios coxinhas não citam absolutamente nada.

Nos casos do HSBC e da Zelotes tem muita gente das colunas sociais de O Globo, tais como a viúva do roberto marinho, o sócio dos Marinho no jornal Valor Economico, o dono da folha com uma conta no HSBC , a da RBS e os poderosos patrocinadores - Estadão de 28/03/2015: Bradesco, Banco Safra, Pactual, Santander, Bank Boston, Ford, Mitsubishi, BR Foods, Petrobras, Gerdau, RBS, Camargo Corrêa e Light.

O Diário Oficial da União, de 02/08/2013, publicou a sanção da Presidenta Dilma Rousseff, da Lei que pune empresas corruptoras, que participam de atos de corrupção envolvendo a administração pública. (daí surgiu a Operação Lava Jato, entre outras).

Doa a quem doer.

Por que a mídia não cita nada?
Por que é só o PT?
Porf que a mídia é travestida de imprensa?

Henrique

Henrique Cesar disse...

Operação lava jato: o que faz o dr(?) juiz(?) sergio Mico moro?
Mico porque mandou prender uma Senhora pensando que era outra - e olha que ele viu o vídeo!

E a delação da Camargo Correa relativas à linha amarela do metrô/SP? (metrô/SP, é aquele do trensalão tucano de mais de 20 anos em Sampa)
Alguém sabe?

O PSDB e a blindagem tucana por sua mídia conseguiram entrar para história como a extrema-direita, ao pedir o impeachment de Dilma, o golpe militar e a subserviência e o entreguismo ao estrangeiro.

São, o PSDB e sua mídia, travestidos de imprensa.

Anônimo disse...

Destituir a Presidenta DILMA, é como diz o grande Davis: "Seria cômico ou surreal se não fosse trágico."

Isto, que extrema direita, coxinhas e seus lacaios querem, não tem absolutamente nada a ver com o Brasil - é mais um grande mico, igualzinho ao sergio mico moro.

Henrique














Anônimo disse...

E aí gente boa!

Alguém viu o Medieval sergio Mico moro!?

Henrique