Google+ Badge

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Lula se engana: parlamentares não tem vergonha do golpe e juiz Moro é parcial e merece denúncia na ONU

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre

Lula recorreu à ONU: no Brasil não há Justiça isenta e imparcial, pois partidarizada.
O ex-presidente Lula foi a Fortaleza. O líder trabalhista continua sua corajosa luta política e cívica ao viajar pelo Brasil, um País que se tornou bananeiro mais uma vez porque em suas terras vivem a classe média lacerdista e a pior "elite" do planeta — a mesma, volto a ressaltar, que herdou de seus ancestrais os 388 anos de escravidão, que é a maior vergonha de todas as vergonhas que maculam a sociedade brasileira em todas as eras e épocas.

Luiz Inácio Lula da Silva é o maior e o mais importante político do Brasil; e esta realidade acontece já há algum tempo. Sua fama é internacional, bem como reconhecido e admirado em todas as regiões do País, porque político e liderança que deixou o poder com 87% de aprovação popular, um recorde mundial, a superar os presidentes Nelson Mandela e Michelle Bachelet, além de possuir um capital eleitoral de dezenas de milhões de votos, mesmo a ser linchado moralmente e politicamente diuturnamente e após seis anos de ter deixado a Presidência da República.

Seus adversários e inimigos nunca deram-lhe trégua, o perseguem caninamente, como se Lula fosse caça, sendo que enquanto Lula era alvo da oposição capitaneada pelo PSDB, partido de direita golpista e entreguista, e pela imprensa meramente de mercado mais corrupta e traiçoeira do mundo, o estadista conseguia enfrentá-los com dificuldade, porque não é fácil enfrentar os coronéis midiáticos, que cometem todo tipo de crime fiscal e financeiro contra o Brasil, além de promoverem historicamente os piores crimes, que são os golpes de estado pela força das armas, sendo que agora, como se percebe, o golpe veio pelo Parlamento, a confirmar que o Brasil é vítima de mais um golpe travestido de legal e legítimo, que a direita, cinicamente e hipocritamente, insiste em chamá-lo de impeachment — à moda paraguaia, é claro.

Entretanto, há cerca de três anos a Procuradoria Geral da República (PGR), por intermédio do procurador-geral Rodrigo Não Devo Nada a Ninguém Janot e seus comandados do MPF se aliaram ao juiz de província e de primeira instância, Sérgio Não Vem ao Caso Moro, do PSDB de Maringá, que de Curitiba passou a dar as cartas, inconvenientemente, na política do Brasil, bem como a ter o apoio de delegados aecistas da PF, corporação onde vicejam delegados sediciosos e que fazem de seus ofícios trampolins para fazer política partidária e ideológica contra o PT e suas lideranças.

Além disso, Sérgio Moro se vale do corporativismo do sistema judiciário brasileiro, que não é confiável como tem deixado claro juristas e constitucionalistas renomados do Brasil e do exterior. E por quê? Porque tais juízes, procuradores e delegados agem e atuam a não se subordinar aos preceitos da Constituição e do Estado Democrático de Direito, além de constituírem e formalizarem uma parceria entre os juízes de primeira instância, que fundaram no Brasil uma nova jurisprudência, que é a jurisprudência à moda juiz Catta Preta, aquele que no Facebook mostra suas fotos ao sair às ruas vestido com a camisa da CBF e torcer por um golpe contra a presidente Dilma Rousseff, que não cometeu crime de responsabilidade, porque acredita que os preços das passagens para Miami vão ficar mais baratos. Ser mais coxinha do que tal togado somente em Júpiter ou Saturno.

A verdade é que os juízes que se juntaram ao Moro, ao Janot e aos delegados da sedição contra a mandatária que foi reeleita pela força soberana e popular, que lhe dedicou 54,5 milhões de votos, que foram arbitrariamente cassados, jogados na lixeira e com a cumplicidade do STF, permitiram que um mafioso admitisse o golpe parlamentar na Câmara dos Deputados e que hoje está solto e a fazer ameaças contra aqueles que não o defenderem, porque sua intenção é não ir para a cadeia.  

E todo esse despropósito e desfaçatez criminosos com a aquiescência e a cumplicidade dos juízes do STF, sendo que o juiz Gilmar Mendes, do PSDB do Mato Grosso, é a herança maldita de FHC — o Neoliberal I —, político tucano que jogou na lixeira da história o que restava de sua parca e medíocre biografia política, pois, além de entreguista e elitista, tornou-se também golpista. A história vai ser dura e severa com FHC e seus sequazes, que entraram de cabeça na aventura dantesca e bananeira do golpe. FHC é um bananeiro com complexo de vira-lata e metido a ser aristocrata.

Porém, Lula é do PT, o partido de centro-esquerda, reformador, que abriu um leque de oportunidades e benefícios para os brasileiros de todas as classes sociais nos últimos 13 anos, porque no 14º ano a direita brasileira, uma das mais ricas e poderosas do mundo, resolveu dar mais um golpe terceiro-mundista com o apoio de juízes, procuradores e delegados, que vestiram a camisa da oposição demotucana e de "suas" mídias de negócios privados.

Outrossim, muitos magistrados e procuradores saíram às ruas com camisas amarelas da CBF, como demonstram, sem dar margem à dúvida, suas redes sociais. A verdade lamentável é uma só: trata-se de togados parciais, que resolveram judicializar a política, além de serem completamente ideológicos, postura e conduta que se tornaram acinte e imprudência da magistratura contra o povo brasileiro.

No Brasil, viceja uma Justiça totalmente politizada e imparcial, sendo que no momento não há condições de combater tamanha distorção e degeneração do sistema judiciário que se partidarizou e luta para governar no lugar dos constitucionalmente eleitos. A pretensa hegemonia do Judiciário, como afirmou o presidente do STF, Ricardo Lewandowski, sobre os outros Poderes é realidade que deveria ser duramente combatida pelos próprios membros do Judiciário, em especial, e pela Nação brasileira por intermédio da sociedade civil organizada. 

O que disse Lewandowski é muito sério, porque se trata de servidores públicos que tomam de assalto o poder e começam a mandar no País sem estarem preparados para tanto, bem como não possuem a autoridade, a legitimidade e a legalidade do voto, que empossa o vencedor de eleições, que debateu propostas, programas e projetos. Juiz ilegalmente a governar no lugar do Executivo eleito é sinal de degeneração do sistema politico e judiciário, assim como denota que o golpe é de estado, apesar de sofisticado por não ter sido efetivado por meio das armas. O presidente do STF deveria ter vergonha e pudor de ter falado tão grave insubordinação constitucional e institucional. Juiz não governa. Ele não é eleito. O protagonismo do Executivo para governar é intransferível. Ponto.

Urge, antes de tudo, denunciar aos fóruns internacionais o que está a acontecer no Brasil, a fim de colocar juízes, delegados e procuradores em seus devidos lugares determinados pela Constituição — a Lei. Na Turquia, independente das múltiplas razões e informações desencontradas, juízes e procuradores golpistas foram sumariamente demitidos para logo irem morar em seus novos endereços: as celas dos presídios. Impeachment sem dolo é golpe. Então, no Brasil houve um golpe (bananeiro) e os juízes do STF, por serem vergonhosamente cúmplices, cruzaram os braços para tamanha desdita e terrível crime contra a democracia brasileira. É o fim da picada. Inaceitável.

Porém, voltemos ao Lula. O líder trabalhista ao cumprir agenda em Fortaleza com representantes de movimentos sociais afirmou que "deputados e senadores terão vergonha do que fizeram". Grave engano do político trabalhista. Aproveito para enviar um recado: "Lula, a direita brasileira não se arrepende de nada. A burguesia, as oligarquias regionais e os que se consideram aristocratas são herdeiros ideológicos da escravidão e donos da Casa Grande. Lula, essa gente perversa, sectária, racista, presunçosa, provinciana, violenta e com a alma repleta de preconceito de classe não quer dividir nada, não quer um País mais igualitário, justo e democrático. A casa grande e seus apoiadores da classe média tradicional e branca lutam somente por privilégios e não por um Brasil melhor e aberto para todos os brasileiros".

Lula, vou reiterar: "A casa grande e seus apoiadores da classe média tradicional e branca lutam somente por privilégios e não por um País melhor e aberto para todos os brasileiros. Não se engane em hipótese alguma. Os direitistas jamais mudarão de lado". O PT errou ou se equivocou seriamente quando não realizou o marco regulatório para os meios de comunicação, como acontece em todos os países civilizados, inclusive na Argentina, assim como nos Estados Unidos, país tão adorado pelos coxinhas entreguistas e colonizados.

No início dos governos petistas de essência democrática e trabalhista o PT, completamente equivocado porque não conhecia de fato a imprensa de mercado dos magnatas bilionários tentou se aproximar do sistema midiático privado. Deu com os burros n'água. As oligarquias brasileiras jamais, em hipótese alguma, vão tergiversar quanto às suas crenças políticas, ideológicas, sociais e econômicas. Jamais vão abrir mão de quaisquer privilégios, benefícios, prioridades, hegemonias e poderes de mando que permitam que suas decisões sejam efetivadas.

Não adianta insistir. A Secom, por exemplo, no Governo Dilma foi comandada por pessoas ligadas ao status quo representado pela imprensa dos coronéis midiáticos, ou seja, os donos da mídia familiar. Os golpistas de sempre, que vivem do dinheiro público da Secom da Presidência da República e dos bancos de fomento como o BNDES e o Banco do Brasil. Trata-se de bilionários predadores do Brasil, apoiadores históricos de golpes de estado e que sempre apostaram na concentração de renda e riqueza. Odeiam o Brasil, e, como cânceres, combatem seu desenvolvimento econômico e social, bem como a emancipação plena do povo brasileiro.

Já disse e volto a ressaltar: se as Organizações(?) Globo e suas congêneres não tivessem tanta influência e poder neste "pobre" País, o Brasil estaria muito mais desenvolvido em todos os sentidos. A questão desta Nação é que o inimigo de seu bem-estar é interno e não externo, porque é exatamente a casa grande com seus inúmeros cômodos que sabota e boicota o povo brasileiro. Lula e muitas autoridades e lideranças do PT hoje sabem disso. Porém, tentaram, imprudentemente, aproximarem-se de víboras e escorpiões; de lobos e hienas.

Com gente desse naipe ou estirpe apenas se negocia (no bom sentido) o mínimo possível para que não haja abertura para um golpe, como aconteceu com Dilma Rousseff. Quem quiser governar o Brasil e se for presidente de esquerda ou trabalhista tem de implementar rapidamente o marco regulatório para as mídias — a Ley dos Medios. Ressalto mais uma vez: todos os países civilizados implementaram marcos regulatórios para suas respectivas mídias, como acontece também com outros setores e segmentos da economia.

É normal a regulamentação. Anormal é o setor econômico midiático não ser regulamentado e regularizado. É simplesmente incrível os negócios dos coronéis midiáticos bilionários terem toda a liberdade para funcionar economicamente como se fossem um mundo à parte e à margem da sociedade. Só no Brasil. Surreal. E dá-lhe golpe! E toma-lhe golpe! E sempre de direita. Lula, Dilma e todas as lideranças do PT têm de definitivamente compreender esse processo no que tange às oligarquias midiáticas, bem como, se um dia o PT voltar ao poder, o partido não terá mais o direito de errar quanto à efetivação do marco regulatório para o setor econômico midiático.

Tais empresários bilionários lutam por dinheiro e, para ter o dinheiro que eles querem, principalmente a grana que está guardada nos cofres do Estado nacional, necessário se torna impor as agendas deles e não a do mandatário eleito pelo voto da maioria dos cidadãos brasileiros. E foi o que aconteceu. Não dá mais para o PT e as esquerdas tergiversarem com o empresariado, inclusive com os que têm a cara do pato amarelo sonegador de impostos e corrupto da Fiesp. O empresariado só quer dinheiro e pouco se importa com o País, a corrupção e o diabo que o carregue. Ele quer dinheiro e ter suas agendas consolidadas, a fim de manter seus privilégios e propiciar ainda a graça e o apoio da classe média coxinha otária e empregada dele, além de analfabeta política.

Lula e o PT tem de compreender como a banda toca, como funciona o establishment. De vez... Sem enganos. Lobos são lobos e serpentes são serpentes, e não vão mudar. Não se muda a natureza dos predadores do Brasil e golpistas históricos. A plutocracia pode até um momento compor, como o fez o PMDB. Mas, ao perceber a chance de dar um golpe e tomar de assalto o Palácio do Planalto sem o crivo de eleições, assumiu ilegalmente, sem vacilar, o poder por meio de um golpe bananeiro, mas violento, e ainda levou consigo o PSDB, o DEM e o PPS para ter apoio no Congresso, além de dividir seus crimes contra a democracia e a Constituição, porque impeachment sem crime é golpe.

Lula é um gênio da política. Fato. Todo mundo sabe disso, até os que se reportam a ele de forma desrespeitosa e desumana, a persegui-lo e a tratá-lo como o "empregado" que ousou sentar na cadeira da Presidência da República. Só que Lula é estadista. Este é o problema da burguesia tupiniquim colonizada, subalterna e subserviente em termos mundiais. Lula acerta quando disse em Fortaleza que o impeachment (golpe) de Dilma tem como objetivo tomar o poder de uma presidente eleita. Vou mais além. Tem o propósito de desmontar o Estado nacional para vendê-lo a toque de caixa e, com efeito, desconstruir a rede de proteção e inclusão social edificada pelos governos petistas de essências trabalhistas.

Contudo, mais uma vez assevero: os deputados e senadores não terão a mínima vergonha e o mínimo peso de consciência por terem dado um golpe criminoso e terceiro-mundista, como pensa equivocadamente o Lula, que está a enfrentar as oligarquias deste azarado País, onde viceja uma "elite" tão perniciosa, traiçoeira, atrasada, provinciana e perversa, a mandar e a desmandar no Brasil, à margem da Lei e a cometer crimes que, em um primeiro momento, faz uma pessoa desavisada pensar que o golpe está a ser realizado dentro dos trâmites legais e constitucionais, o que não é verdade, porque Dilma não cometeu crime de responsabilidade. O impeachment de direita é a maior farsa e fraude da história do Brasil, porque o golpe militar foi às claras e com tanques nas ruas.

Lula é guerreiro, como comprova sua vida de lutas. E disse: “Eles, da forma mais desavergonhada possível, juntaram uma maioria eventual, inventaram crimes que não existem, e pouco se importaram com a democracia, com a Constituição. Construíram a maioria, liderada pelo Eduardo Cunha, e resolveram começar o afastamento. Nós sabemos que teremos que convencer senadores. Como vocês não podem fazer protestos todos os dias, acho que temos que utilizar o celular da gente, para mandar mensagens todos os dias, todas as horas, lembrando a esses senadores que eles não terão que prestar contas apenas para Dilma e para vocês, mas também para as consciências deles. Daqui a alguns anos, são os netos deles que vão perguntar se eles são golpistas e eles vão ter que explicar”.

Compreendo tudo o que o Lula disse. Milhões de brasileiros contrários ao golpe também compreendem. Mas, insisto, os deputados e os senadores favoráveis ao golpe bananeiro de terceiro mundo não vão ficar com a consciência pesada, porque eles não têm consciência, muito deles não têm a compreensão da complexidade de tal ato, sendo que antes a maioria dos deputados deu um show de desinformação, de analfabetismo político, de desconhecimento de história, além de se permitir a dizer coisas tão espalhafatosas e surreais que envergonharam e constrangeram a Nação.

Lula tem de entender que esses políticos são parte majoritária de um Parlamento corrupto cuja maioria está nas mãos de Eduardo Cunha e de seus interesses pessoais. São políticos conservadores, de direita, que agem por instinto de classe social — a luta de classe. Até os golpistas que vieram de baixo, como o Tiririca e o Romário, dentre muitos outros têm instinto e escolheram o lado do status quo. Existe pobre de direita. É surreal, mas pode acreditar. Existe pobre elitista e que odeia pobre, pois preconceituoso. Se o golpe for derrotado no Senado, o PT tem de governar sem maioria e fazer o que tem de fazer até chegar o ano de 2018 e, consequentemente, lançar um candidato que possa vencer o pleito eleitoral.

Sou contra Dilma Rousseff realizar novas eleições, apesar de respeitar os que não pensam como eu. Para mim, Dilma apoiar novas eleições é fortalecer os golpistas, que, se não ficarem a usurpar o poder, tirarão da Presidência uma mandatária que teve 54,5 milhões de votos. Absurdo dos absurdos. Dilma jamais deveria aceitar novas eleições por causa de patifes e vigaristas. Lula é um estadista e político raro, daquele que nasce de tempos em tempos. Porém, a humanidade, dividida em diferentes sociedades, tem também diferentes lados e causas que não convergem, pois divergentes. O PT no poder tem de realizar o marco regulatório, porque se não o câncer midiático nunca vai permitir que o Brasil se desenvolva e seu povo seja emancipado.

O Partido dos Trabalhadores é a agremiação política da democracia. Por ser tão democrático levou um golpe do Parlamento e de juízes e procuradores que assumiram seus cargos na PGR e no STF por intermédio de listas tríplices. Ou seja, Lula e Dilma, de tão republicanos que são, permitiram que as categorias desses togados escolhessem os que iriam para tais tribunais e procuradoria superiores.

O PT efetivou o sistema de fiscalização ao criar o Portal da Transparência, a Controladoria-Geral da União (CGU), extinta pelo governo corrupto e golpista de michel temer (o nome dessa peçonha é sempre escrito em minúsculo por se tratar de um pigmeu moral, político e citadino), além de ter fortalecido o DPF em todos os sentidos, porque antes do PT a Polícia Federal fazia meia dúzia de ações por ano. A corporação era tão invisível que o povo mal a conhecia ou sabia de suas atividades. A PF era um zero à esquerda.

Hoje a PF faz milhares de ações, que tiveram o apoio dos governos petistas, além de seus delegados, sem generalizar, transformarem-se em agentes exageradamente empoderados, mas da sedição e do golpe, porque vazadores de processos e inquéritos em segredo de justiça. Não é, delegado Leandro Daiello? Explique: como foi o vazamento da conversa entre Lula e Dilma com a autorização do juiz Sérgio Moro? Jogo sujo e política baixa para impedir que Lula assumisse a Casa Civil e tentasse restabelecer a base do Governo, sendo que o juiz do PSDB, Gilmar Mendes, sacramentou as ações da dupla golpista, a retirar, a seu bel-prazer, os direitos civis e as garantias constitucionais de Lula. 

Só no Brasil. Se fosse nos Estados Unidos, país de admiração desse pessoal ao estilo Catta Preta, o Gilmar, o Daiello e o Moro estariam a ser julgados por seus atos infracionais (para não dizer outra coisa), além de demitidos para o bem do serviço público. Hoje o Lula é réu, e o juiz que colocou Lula na mira do linchamento político e moral se chama Ricardo Leite, da 10ª Vara Federal Criminal de Brasília. Só que tem um porém: tal juiz foi investigado e afastado pela Corregedoria por conta de suas decisões à frente da Operação Zelotes. 

O magistrado foi denunciado pelo Ministério Público e irritou a Polícia Federal por não autorizar pedidos das duas corporações que se consideraram prejudicadas quanto às investigações relativas à Operação Zelotes, no que concerne à corrupção no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), órgão ligado ao Ministério da Fazenda. O juiz colocou Lula na condição de réu para a mídia alienígena deitar e rolar quanto à consolidação do golpe e a inviabilização da candidatura Lula em 2018, até porque José Serra, por exemplo, é réu em 17 ações e nunca tais realidades referentes ao tucano golpista virou manchetes e ôba-ôba por parte da imprensa empresarial e familiar. Pelo contrário, o golpista Serra, derrotado nas urnas pelo PT, pode ser ministro e até vender novamente o País, mas o Lula, não. 

O juiz Ricardo Leite foi acusado pelos investigadores da Zelotes de barrar  vários pedidos de prisões preventivas solicitados pela PF. Além disso, o magistrado paralisou as interceptações telefônicas, a prejudicar seriamente as diligências que poderiam comprovar os crimes praticados por altos funcionários de bancos como o Bradesco, o Santander e o Safra, dentre muitas outras empresas de outros setores da economia, como as do segmento de comunicação. Isto mesmo, tem barão da mídia a cometer crime de corrupção.

O  procurador Frederico Paiva criticou, na época, duramente a (má) conduta do juiz Ricardo Leite. Paiva disse ainda que a Zelotes não sensibilizava a imprensa (por que será?), além de afirmar que o Juiz Leite "tem um acúmulo de processos que deveria ser acompanhado de perto". Só isso. Apenas isso. E hoje os juízes estão muito revoltados e magoados porque Lula denunciou na ONU a Justiça deste País injusto de persegui-lo. Durma-se com um barulho desse.

E o Aécio Neves, porque está tão quieto? Ele sumiu? Ah, esqueci: no Brasil os demotucanos são inimputáveis, porque eles são similares aos deuses. Vivem sob a égide de outra Constituição e de outro Código Penal. Lula está a ser perseguido de uma forma tão absurda, vil e covarde que não há outra solução do que procurar amparo e defesa em fóruns internacionais como a ONU. O juiz Moro se irritou e, tal qual a um político do PSDB como ele o é, reuniu seus colegas e foi fazer discurso na rua. Uma barbaridade, arrogância desmedida e deboche. Juiz político, que julga e acusa ao mesmo tempo, como se fosse um ser divino com conexão direta com Deus.

O juiz Sérgio Moro não tem a mínima condição de julgar o ex-presidente Lula. Trata-se de um político adversário de Lula. Seu inimigo. Acusa, julga e faz publicidade de seus atos na imprensa mercantil. Joga na lixeira a jurisprudência do Brasil e cria uma somente para ele. Apesar desse absurdo, as corporações de classe dos juízes se revoltam e se irritam porque Lula procurou a ONU para denunciar as covardias e as ilegalidades que se fazem no Brasil pelas mãos do Justiça, que se aliou ao golpe de estado bananeiro.

Se o Moro não tem condições de julgar o Lula por ser partidário, parcial e por ter se pronunciado contra aquele que ele pode julgar, evidentemente que os juízes que saíram para apoiar tal ignomínia também não têm condições de julgar o líder político de esquerda por não serem isentos. Além disso, com qual direito os juízes podem se sentir revoltados porque um brasileiro considera que no Brasil a Justiça está contaminada e viciada por ter se partidarizado, assim como judicializou e criminalizou a política? Só não enxerga quem não quer ou está de má-fé para se tornar cúmplice dessa sordidez, infâmia e covardia em forma de toga.

Os juízes, assim como os delegados e procuradores que desejam prender o Lula e inviabilizar sua candidatura a presidente em 2018 escolheram lado, partido, tem ideologia, e, com efeito, tornaram-se lamentavelmente parciais. Com Justiça parcial não se faz Justiça. Sem justiça não há paz. Entretanto, Lula não pode mais acreditar em peso de consciência por parte das oligarquias burguesas, que derrubaram a presidente constitucional Dilma Rousseff.

Essa gente não muda exatamente por não ter consciência e porque tem apenas compromisso com seus interesses, que geralmente envolve dinheiro e o controle do Estado nacional. Os direitistas lutam apenas por privilégios. Duvida? Basta, então, observar os discursos dos golpistas, à frente michel temer, as manifestações em forma de micaretas dos coxinhas e ler e assistir os jornais da imprensa burguesa. Só defendem seus privilégios e nada mais. Lula é a maior razão do golpe de estado. É isso aí. 


11 comentários:

The Whisper in the Cloud disse...

Alguém tem q bater no ombro de Lula e dizer É A LUTA DE CLASSES . Não vai se resolver com uma partida de futebol. Essa gente literalmente odeia o povo brasileiro. Ponto. Entendeu Lula ?

The Whisper in the Cloud disse...

Alguém tem q bater no ombro de Lula e dizer É A LUTA DE CLASSES . Não vai se resolver com uma partida de futebol. Essa gente literalmente odeia o povo brasileiro. Ponto. Entendeu Lula ?

João Carlos Bernardino disse...

Fiquei martelando e brigando sózinho!!!

Paulo Blanc disse...

Parabéns, Davis. Moro ainda pagará pelo que fez e faz. E o Brasil é maior do que quadrilha de bandidos que tomou conta do poder com um golpe com o apoio de quadrilheiros da mídia corrupta e golpista e do STF, que pensa que o povo não sabe que a maioria dos juízes é golpista.

Bené disse...

Tenho acompanhado seus últimos textos. Você está mais disposto apesar do golpe, escrevendo muito e me chama muita atenção sua disposição para o debate de ideias, sua coerência política e ideológica, bem como seu vasto conhecimento. Espero que derrotemos o golpe e que o povo brasileiro continue resista e continue no rumo do desenvolvimento. Um grande abraço, valoroso e corajoso articulista.

Bené disse...

Corrigindo:... que o povo brasileiro continue resista e continue...

sincomode disse...

Ler seus escritos é sempre bom pela coerência e pelo conhecimento. Por outro lado, nos mostra de forma crua a realidade perversa do momento. Resistir é preciso, é fundamental. Mas, será que há quantidade suficiente de lucidez entre nós?

Anônimo disse...

Congratulações a ti Sr. Davis Sena Filho, por esta ELUCIDAÇÃO, de dar sabedoria a qualquer Mulo que apóia esta Usurpação do Poder Público acometida por Gananciosos Desregrados Alienados e Urubus (gadu).
Tudo o que foi descrito neste texto solidifica o que venho dizendo aos manos de periferia, os quais são devotos de uma mídia televisa e impressa enganosa e fraudulenta.

Separei um trecho:
"câncer midiático nunca vai permitir que o Brasil se desenvolva e seu povo seja emancipado"

Este vai de encontro com o que sempre digo e está claro para mentes sábias, que a potestade do mau finca-se na GAFE, sendo que, a cabeça da GAFE é a única rede de TV do país, sediada em um local VICIOSO, local este que já avisei em outras oportunidades,
é o CÂNCER do BRASIL !!!!

Marcos Lúcio disse...

Um show mais do que olímpico...de informações e denúncias a evidenciar, tal qual uma ressonância magnética, o estado (quase) putrefato do corpo político tupiniquim. Uma tragédia e uma lástima, incomensuráveis. Pobre país...não merecia esta desgraça golpista.Sinto nojo e vergonha. Há um erro de digitação:"No Brasil, viceja uma Justiça totalmente politizada e IMPARCIAL". Quem dera tivéssemos uma justiça imparcial. É tudo o que precisamos agora e sempre. Concordo absolutamente com todos os seus lúcidos argumentos.Nota 1000!

Henrique R disse...

Urgente se faz uma reforma política verdadeira e a regulamentação da lei de imprensa.
Chega de políticos no congresso sem ter tido nenhum voto.
Chega do 'cancer midiatico'
Chega de juízes(??) 'deuses'

A primazia do público, do povo brasileiro - isto é o mais importante.

Luiz Calado disse...

Hi Agent miSHELL !

Well done ! 43 anos de cadeia para o almirante que sonhava em fazer do Brasil um país
independente na área Nuclear... very good!!!

king Regards.