Google+ Badge

terça-feira, 12 de julho de 2016

Golpe prejudica programa nuclear e a geopolítica do Brasil — É o Pré-Sal e o Brics, estúpido!

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


Eu fico impressionado com os juízes, os procuradores e os policiais deste País azarado por ter um dos piores judiciários do mundo, completamente ideológico e subalterno aos interesses da casa grande brasileira, até porque esses indivíduos, muitos deles, são filhos da burguesia e da pequena burguesia, dos segmentos mais conservadores da sociedade, que há anos se imiscuíram no processo político e fazem, de fato, a oposição aos mandatários trabalhistas, que governaram o Brasil de 2003 até abril deste ano de 2016.

Políticos do PT que tiveram seus votos surrupiados ou roubados pela direita golpista e que, se Dilma Rousseff não retornar ao poder, absurdamente dois anos e oito meses de mandato legítimo, concedidos e determinados por 54,5 milhões de votos à presidenta trabalhista serão invalidados ou anulados por um processo golpista totalmente ilegítimo, que transforma mais uma vez o Brasil em uma republiqueta das bananas com a digital das oligarquias brasileiras, notadamente a paulista, verdadeiras e autênticas progenitoras do retrocesso, do atraso, que se baseiam na concentração de renda, de riqueza e de terras.

O golpe de estado acontecido no Brasil é um dos maiores erros históricos da burguesia brasileira, se não for o maior, porque o Brasil experimentava mais de 30 anos de democracia, o que nunca ocorreu antes na história da República. Completamente irresponsável e totalmente voltada para garantir e usufruir seus lucros por intermédio de empresários corruptos e de um Estado patrimonial do qual a "elite" política retira seu poder de barganha junto ao empresariado, que a premia com propinas milionárias, no decorrer de anos, cujos propósitos são financiar campanhas eleitorais e enriquecê-los pessoalmente.

Lula e Dilma, tais quais a Getúlio Vargas e João Goulart, na verdade, estavam a transformar o Estado nacional em um Estado republicano, de bem-estar social, que incluísse os pobres no Orçamento da União e combatesse a ignorância, as doenças, a pobreza e a fome. Os inúmeros programas de inclusão social objetivam efetivar esse processo de caráter humano e de respeito à Nação, que, com raras exceções, tiveram no poder presidentes realmente comprometidos com o desenvolvimento do Brasil e a emancipação do povo brasileiro.

Por causa desses motivos elencados, a direita deste País, uma das mais violentas e perversas do mundo, afinal se trata da herdeira da escravidão de 388 anos, insurgiu-se por meio de um golpe terceiro-mundista, de caráter bananeiro, mas violento. A derrubada de uma presidente constitucional, que jamais incorreu em crimes, como está comprovado, será um processo longo e doloroso, porque quando se rompe com o jogo democrático, rompe-se também o acordo com o todo da sociedade, que, para digerir tamanha traição e canalhice, demandará muito tempo.

O golpe é inaceitável. A reação dos inconformados com o golpe, como sempre de direita, sempre será imprevisível, bem como acomodar as forças democráticas e orgânicas da sociedade é praticamente uma tarefa impossível de se realizar ou acontecer. Os golpistas sabem disso, mas não se importam, porque a realidade é que eles não têm compromisso com o País. Nunca tiveram, por isto que dão golpes e roubam o povo e o Estado nacional.

Essa gente da casa grande não se importa se é considerada golpista, porque mentalmente celerada, ou se ficarão com a pecha de ladrões ou corruptos. Não estão nem aí, inclusive para os estrangeiros os quais tanto admiram e sempre se posicionaram como seus aliados de pilhagem do povo e do patrimônio público brasileiros. Demonstram esta conduta e postura claramente, ao ponto de se irritarem e atacarem os segmentos do exterior que consideraram o impeachment travestido de legal e legítimo como golpe.

Neste momento, eles se tornam brasileiros, a defender, não os interesses do Brasil, mas seus próprios interesses, que é tomar de assalto a Presidência da República para não serem presos, bem como impor um projeto derrotado quatro vezes nas urnas, que visa desmontar o Estado brasileiro e dar fim aos programas de inclusão e de proteção social efetivados pelos governos trabalhistas do PT.

Teve até um sujeito arrogante, diretor da Fiesp, que gritou contra todos e todo mundo em um evento sobre economia e indústria na Europa, que dizia mais ou menos assim, e aos brados: "Não é golpe! Não tentem dar lições de moral para a gente e o Brasil! Não é golpe!". O sujeitinho mequetrefe da Fiesp do Pato amarelo canalha e golpista nesse momento se "sentiu" brasileiro. Até parece... Ele se sentiu brasileiro no golpe, na ilegalidade — no crime.

Por isto que tal selvagem de terno e gravata simboliza o retrato estúpido, retrógrado e reacionário da casa grande senhora de escravos deste País, porque entreguista e colonizada até na alma, contanto que os estrangeiros não considerem golpe o golpe que as oligarquias tupiniquins efetivaram com o apoio dos coxinhas despolitizados. Trata-se realmente de um moleque da Fiesp a fazer o que sabe: molecagens. Até parece os ministros golpistas do Ministério do michel temer, o irmão gêmeo do Amigo da Onça de Péricles.

Contudo, o empresário bananeiro, apoplético e histérico replicou ou refutou ardorosamente as acusações de ter acontecido um golpe no Brasil e quis dizer, na verdade, o seguinte: "Não se metam com os golpes criminosos e picaretas de autoria de nossa casa grande escravocrata, sem vergonha na cara e desprovida de nacionalidade e de projeto que pense e desenvolva o Brasil. Este golpe é nosso! Made in Brazil! Mais um por sinal!".

Era isto que este ser asqueroso e mentalmente pouco desenvolvido queria dizer. Não adianta ser diretor da Fiesp, falar inglês e ser rico se tal pessoa age, ideologicamente, moralmente e politicamente, como um verdugo ou um capitão do mato do século XIX. Com golpistas não se tergiversa e não se negocia. Impeachment sem dolo é golpe. Golpe é crime! Ponto.

Esses criminosos não estão nem aí, pois vieram com tudo e estão dispostos a enfrentar quaisquer oposição que contrariem seus interesses políticos, judiciais e jurídicos, e, sobretudo, econômicos. Trata-se da corja peçonhenta que saiu dos covis da casa grande como inimiga (interna) principal de seu próprio povo. A oligarquia brasileira é perigosíssima, acarreta danos ao desenvolvimento e, sem dúvida, causa maior preocupação que os inimigos externos do Brasil. Os inquilinos da casa grande e seus porta-vozes do Palácio do Planalto são os verdadeiros bandidos; a quadrilha que tomou de assalto a República e o País.

A verdade é que os golpistas bandoleiros se aboletaram no poder central como se fossem os procedimentos mais naturais do mundo e já anunciaram, por intermédio do presidente golpista Amigo da Onça, vulgo michel temer (seu nome sempre é escrito em letras minúsculas por se tratar de um pigmeu moral, político e citadino), que botarão para quebrar, a arrancar dos trabalhadores e do povo em geral seus direitos e suas conquistas, exemplificados no INSS, na Previdência, nos juros altos, no acesso aos programas de inclusão social, no desemprego, nas privatizações e na mentalidade perversa e abjeta de tal governo golpista considerar investimentos em infraestrutura e a inclusão do povo, hipocritamente, como "gastos".

Agora, quando se trata de empresário incompetente mamar nas tetas do Estado, aí, sim, o dinheiro gasto passa a ser "investimento", como consideram "justo" socializar com a Nação seus prejuízos e dívidas, bem como individualizar e concentrar para si os lucros e as riquezas. Sabe o que é? Essa gente rastaquera pensa que todo mundo é idiota, como, ao que parece, pensam assim também o juiz Gilmar HC2 Cangurus Mendes, do PSDB do Mato Grosso, o juiz Sérgio Não Vem ao Caso Moro, do PSDB do Paraná, e o procurador-geral Rodrigo Não Devo Nada a Ninguém Janot, de qualquer partido, contanto que seja de direita. Durma-se com um barulho desse...

Os políticos conservadores associados a setores do Judiciário, primeiro conspiraram, e, amarrada a trama de ordem golpista, evidenciaram o golpe para logo depois praticá-lo no fatídico e tenebroso dia 17 de abril, quando o Brasil, incrivelmente, tornou-se surreal e retrocedeu ao golpe de 1964, porque derrubaram do poder uma presidenta legítima e eleita democraticamente por 54,5 milhões de eleitores, de cidadãos brasileiros, que tiveram, indelevelmente, sua cidadanias cassadas. E a escória de malfeitores que assaltaram o Planalto acha que tudo está normal e calmo, como mar de almirante e céu de brigadeiro.

Por sua vez, depois do golpe de estado travestido hipocritamente e violentamente de legal e legítimo, compreendi, apesar de ser um homem experiente e vivido, que o Brasil é realmente um paizinho medíocre, terceiro-mundista e bananeiro, cuja burguesia e seus aliados da pequena burguesia, os coxinhas, o merecem e por isto devem simplesmente conviver com o presidente (interino) mais escroto e fraco da história do Brasil, que vai "ripar" os direitos trabalhistas inclusos na CLT, modificar para muito pior o INSS, a Previdência ao aumentar os anos de trabalho dos trabalhadores, além de diminuir quando não extinguir os programas de inclusão social, como já citei anteriormente.

Duvido que tais gângsters façam a reforma política e tributária. E por quê? Porque a tributação como está hoje beneficia os rentistas, os especuladores, os banqueiros — o bingo financeiro — e prejudica os trabalhadores. Se mexerem em alguma coisa será para privilegiar ainda mais os ricos, assim como farão mil chicanas para que a reforma política não seja realizada e, além disso, não duvidem: tentarão anular no Congresso a lei que proíbe o financiamento empresarial de campanhas eleitorais, mesmo a direita a saber que é o financiamento privado o combustível da corrupção e de operações acintosas, direcionadas, politizadas e seletivas como a Lava Jato e o Mensalão, somente o do PT, porque o do PSDB "não vem ao caso". Não é juiz Moro? Não é juiz Gilmar? Não é pgr Janot?

Se Dilma Rousseff cair de vez no Senado, michel temer — o usurpador do poder —, um dos homens mais abjetos que tive a infelicidade de observar, fará o possível e o impossível para desmontar a toque de caixa o Estado nacional e amarrar legislações que possam, senão inviabilizar, dificultar francamente a tentativa de Lula e do PT de conquistar o poder em 2018. Quem viver verá o quanto esses golpistas são cafajestes de grande monta e muita pompa, quando se trata de cometer crimes contra o Brasil e a cidadania de seu povo. Quem comete crime é criminoso. Quem dá golpe de estado e cassa 54,5 milhões de votos também é criminoso...

Esses sujeitos deletérios traíram e golpearam os brasileiros e deixarão o Brasil no oco, porque, evidentemente, essa gente perversa e subserviente à estrangeirada tratará de rapidamente vender o que resta do patrimônio nacional, bem como paralisar os projetos e programas estratégicos do Governo Federal para prejudicá-los, a exemplo do ProSub-EBN da Marinha, que está a construir submarinos nucleares, como também o projeto nuclear brasileiro, a começar por suas usinas, que estão com seus recursos diminuídos, porque a intenção desse governo golpista, interino, de caráter pária e predador é atrasar ao máximo os interesses nacionais deste País.

A medíocre, provinciana e colonizada "elite" brasileira, a começar pela academia da USP e pela imprensa de negócios privados, gosta mesmo é de tratar dos interesses norte-americanos, bem como citá-los e defendê-los com ênfase e admiração. Fora criada a ver filmes de Hollywood e a cantar loas e boas ao nacionalismo yankee. Aí, a burguesia amiga do Mickey e do Pateta acha massa, "beautiful" e "cool". Como essa gente gosta da bandeira dos EUA hasteada. Chegam a sentir um frisson na barriga de estilo "los macaquitos". Por sua vez, quando se trata do nacionalismo brasileiro, torcem o nariz e contorcem a cara inteira. Deve ser nojo ou dor de barriga.

Então é assim que agora a banda toca pela Terra Brasilis: o governo bastardo e pária do michel temer, o ilegítimo, está a prejudicar o conhecimento científico e tecnológico do Brasil no que concerne à área nuclear e ao sistema de vigilância. Não se trata de qualquer sistema de monitoramento e vigilância. Trata-se da Amazônia Azul, como é chamado o sistema de gerenciamento pelos militares e que tem o propósito de vigiar e digitalizar mais de 4.600 milhas de costa marítima por onde navegam navios militares e comerciais brasileiros e estrangeiros.

Trata-se, sobretudo, de segurança nacional e proteção de nossas riquezas, a começar pelo Pré-Sal, que não podem ficar nas mãos de brucutus entreguistas e de direita, a exemplo de temer (só para o leitor não esquecer: o nome do medíocre é sempre escrito em minúsculo) e sua malta de golpistas, ligados umbilicalmente aos interesses do mundo empresarial, ou seja, da plutocracia nacional e internacional e, principalmente, vinculados aos interesses de governos estrangeiros, como os dos Estados Unidos, país que têm pouco urânio e, por seu turno, têm de comprar a peso de ouro o metal radioativo e branco-prateado de outros países.

Agora chegamos ao ponto. E quem tem urânio? Ah, aposto que os coxinhas não sabem. Não têm conhecimento, porque são leitores da imprensa alienígena e corrupta. Leitores e cidadãos preconceituosos e despolitizados, tradicionalmente e historicamente de origem universitária, que odiaram ver preto e pobre nos shoppings, universidades e aeroportos. Ignoram os fatos e se acumpliciam às classes dominantes que estão a se lixar para a classe média universitária, arrogante, golpista, mas desprovida de conhecimento.

Então, respondo: quem tem urânio são o Brasil, a China e a Rússia. E estes países, vejam só, são três dos cinco países dos Brics, bloco poderoso, que incomoda de mais os interesses dos Estados Unidos e dos países grandes da Europa Ocidental, além do Japão, Canadá e, evidentemente, Israel. Trata-se de economia e geopolítica. Trata-se de controle das energias, porque sem energia não se tem nada, não se fabrica nada, não se constrói nada e não se ilumina nada.

Sem energia não há poder; e sem poder todo e qualquer país ou nação ficará nas mãos do establishment internacional controlado pelos EUA e seus aliados históricos, a exemplo de Inglaterra, França, Israel e outros associados da Ásia, do Oriente Médio e da bélica OTAN, a polícia do mundo pertencente aos países ricos do ocidente.

A verdadeira diplomacia do porrete, que o ignorante, imprudente e golpista José Serra, político de uma mediocridade abissal, está a implementar como ministro das Relações Exteriores. Serra não tem capacidade psicológica e técnica de se relacionar com sua imagem no espelho ou com sua própria sombra e, inacreditavelmente, trata de relações e negócios diplomáticos do governo elitista de michel temer, o interino que, ao que parece, vive mentalmente nos tempos dos bandeirantes exterminadores de índios. Serra na diplomacia é como colocar um gorila selvagem em uma loja de cristais tchecos finos e caros. Simplesmente não dá.

O Brasil fabrica ou constrói submarinos a propulsão diesel-elétrica está a fabricar submarinos com propulsão nuclear, em estaleiros que ainda estão em processo de reconstrução e outros em construção na cidade de Itaguaí, no Estado do Rio de Janeiro. Aliás, o setor naval (estaleiros) estava falido no Brasil, sendo que o poderoso País sul-americano era até a década de 1970 um dos principais fabricantes do mundo.

No governo de FHC — o Neoliberal I — o setor praticamente sumiu. Lula e depois Dilma, em seu primeiro governo, recuperaram a indústria naval, que hoje sofre com a crise internacional e também com a operação Lava Jato, que causou profundos prejuízos à super desenvolvida engenharia brasileira e ceifou milhares de empregos, porque um monte de togados obsessivos e sem noção de estratégias de proteção dos interesses do País, ao invés de apenas prender e punir os corruptos como deveriam fazer, pois obrigação, resolveram fazer política rasteira e prejudicar um dos setores mais importantes e estratégicos para qualquer país do mundo, seja ele desenvolvido ou atrasado tecnologicamente e cientificamente. "É de lascar!" — como dizem os nordestinos.

Não adianta estudar direito ou qualquer curso que o valha se você não tem compreensão e discernimento do que é macro para fazer a leitura correta do que está em jogo e, por sua vez, tornar um país e seu povo independentes. O segredo e o negócio é pensar o Brasil, coisa que a casa grande sempre se recusou a fazer. Ela gosta de lucrar com commodities e dar uma de pateta colonizada em Orlando, além de reclamar com fúria quando a gringada afirma que no Brasil ocorreu um golpe. Sabe o que é coxinha: nem todo mundo é idiota e leitor da Veja, do Globo e da Folha de S. Paulo. Por isto que poucos políticos são estadistas. A maioria não o é. São políticos pequenos, minúsculos como michel temer, Serra e Fernando Henrique, dentre muitos e muitos outros.

Esta é a verdade. O Brasil, com o golpista temer ou não, entrará no grupo dos países que sabem construir submarinos nucleares, como a Embraer sabe construir aviões de tecnologia avançada e a Embrapa, que é a Nasa da agricultura e da pecuária, sabe desenvolver e fazer com que a agropecuária nacional seja uma das mais desenvolvidas do mundo.

Agora, se as oligarquias deste País e a classe média coxinha, que pedem em passeatas por golpe militar em pleno ano de 2016 são completamente bárbaras, aí as forças progressistas e democráticas terão a necessidade de combatê-las. Não há como tergiversar com "los macaquitos blancos colonizados", que, arrogantemente, consideram-se "superiores" à totalidade da população. Inaceitável.

Além disso, os Estados Unidos quase não têm urânio. Segundo historiadores, o urânio das bombas atômicas lançadas no Japão era proveniente da Bélgica, que retirava o metal de sua colônia africana, o Congo. Os antinacionalistas e entreguistas ainda não compreenderam: o Brasil faz parte de um pequeno grupo de países que sabe enriquecer o urânio, que pode ser usado para energia ou para a guerra, dentre outras perspectivas.

O Brasil é possuidor de tecnologia própria no que tange ao enriquecimento de urânio. Tudo isto está em jogo quando temos no País uma burguesia de caráter subserviente e traidora dos interesses do Brasil. Estados Unidos, Rússia, Inglaterra e França enriquecem o urânio. O Brasil também. O problema nosso é que temos uma casa grande medíocre e que se satisfaz com migalhas e a ter sempre como referência o que ela até hoje considera sua Corte a ser imitada e admirada. Uma verdadeira lástima. Complexo de vira-lata aplicado diretamente na veia e no cérebro.

Fernando Henrique, o Príncipe Privateiro, vendeu até nossos satélites quando vendeu a preço de banana a Telebras e a esquartejou para os gringos deitar e rolar com a imposição de uma das telefonias mais caras do mundo, se não for a mais cara. Repito: vendeu os satélites. Só por isto ele deveria ser preso por traição. Não satisfeito, assinou um tratado com Estados Unidos em que o Brasil abre mão de fabricar armas nucleares, outro crime de lesa-pátria contra a segurança e os interesses do Brasil.

Além disso, quase entregou a Base de Alcântara, no Maranhão, que tem uma localização privilegiada e que, conforme a FAB e os próprios norte-americanos, reduz os custos de lançamentos de foguetes, satélites e naves espaciais em até 30%. Entretanto, sabe o que ocorreu? O serviço espacial americano resolveu limitar o acesso de brasileiros a certos lugares da base, bem como impedir que o Brasil firmasse acordos com outros países.

O que não foi aceito; e até hoje o Governo Federal está a negociar acordos que mantêm intactos a soberania nacional e os interesses brasileiros. FHC e seu governo entreguista e da diplomacia de tirar os sapatos são o fim da picada. Se o Brasil ficar nas mãos da direita, simplesmente não sei o que será deste País, que, a despeito de ser a sétima maior economia do mundo e ter um povo inteligente e trabalhador, viceja em suas terras a casa grande que escravizou seres humanos por mais tempo na história do mundo — 388 anos. O golpe de estado prejudica, dentre incontáveis prejuízos, o programa nuclear e geopolítico do Brasil. O que está em jogo é o Pré-Sal, o Mercosul e o Brics, estúpido! É isso aí.

Um comentário:

Débora Sena disse...

Davis,
Texto perfeito, de muita lucidez... em alguns parágrafos a descrição clara de um Golpe usurpador que mexe com patrimônio material , moral e a dignidade de um país, direito maior da nossa Constituição. Uma explicação muito bem fundamentada, que nos expõe os objetivos de quem por interesse próprio e político coloca em risco toda a capacidade de sustentação e soberania de um país, arriscando todo um processo de democracia ,de projetos de vida, de direitos adquiridos em um país de nacionais tão desrespeitados e oprimidos.
Destaco, a atuação ,pensamento e defesa do empresário brasileiro, bananeiro, na sua tradução:
"Não se metam com os golpes criminosos e picaretas de autoria de nossa casa grande escravocrata, sem vergonha na cara e desprovida de nacionalidade e de projeto que pense e desenvolva o Brasil. Este golpe é nosso! Made in Brazil! Mais um por sinal!". Perfeito !Ele retrata toda a direita e empresariado que tantos problemas nos trazem , atrasando, roubando e interferindo claramente no nosso desenvolvimento, deixando sequelas seríssimas de difícil recuperação.
Continue nos presenteando com seu conhecimento e partilha , que nos ensinam e nos fazem pensar.
Bjs e Abs de MS.( de família.....:))