Google+ Badge

quarta-feira, 16 de março de 2016

Moro pede para ouvir a voz (fascista) das ruas, mas verá Lula na Casa Civil

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


"Não era o gigante, mas o Brasil-anão que despertara. Este, branco e egoísta, moralista e imoral, tolo e odioso, como o que vemos agora nas ruas". (Fernando Brito)

A pergunta que teima em não se calar: "Aonde estão os mais de 100 milhões de cidadãos negros do Brasil?" Resposta: "Nas manifestações dos coxinhas brancos e ricos em bairros chiques não estão". (DSF)

Antes de fazer indevidamente tabelinha com Cristiana Lobo, na Globo News, o juiz global que "Faz a Diferença" se comporta como seu "funcionário padrão", comovido e envaidecido pelos gritos de euforia e o oba oba da turba de coxinhas brancos de classe média e alta, em torno de seu nome, que apenas desejam participar de um golpe de estado, como fizeram seus ancestrais em 1964, que se tornaram cúmplices de uma ditadura sangrenta e cooperaram para estancar o desenvolvimento do Brasil e postergar a emancipação do povo brasileiro. Os coxinhas precisam de serviçais, que não ousem botar para fora suas cabeças, a não ser para limpar os vasos sanitários de suas casas, serem amas-secas de seus filhos e esquentar as barrigas durante horas nos fogões para eles se alimentar.

O juiz político de roupas pretas (o fascismo tem cor) esteve, antes dos protestos fascistas, na Lide, de João Dória. Trata-se de um tucano golpista milionário, que faz parte da "elite" carcomida de São Paulo e que há anos conspira com o empresariado paulista e brasileiro às claras para a derrubada de Dilma Rousseff, bem como já insultou e agrediu Lula com suas bazófias e leviandades, que tem por finalidade a desconstrução e a desmoralização da imagem do maior político do PT, além de ser o mais importante do Brasil.

Este é o juiz Sérgio Moro, que, corriqueiramente, vive a frequentar saraus e a participar de premiações e eventos da oposição tucana, da casa grande brasileira e a receber prêmios de grupos e entidades empresariais, bem como dos meios de comunicação privados, que, sem sombra de dúvidas, são os alicerces do golpe, mas consideram que o Moro "faz a diferença" para o lado da direita e dos fascistas que se vestem com camisas de Seleção Brasileira, a saírem às ruas exaltados e a insultar qualquer cidadão que discorde deles.

Essa malta conservadora, desordenada e sem lideranças ainda se considera nacionalista, só que aprova e apoia, reiteradamente, a venda de todo o patrimônio público brasileiro, principalmente para os espertos e malandros norte-americanos, que, astutos, não vendem jamais o patrimônio público deles. A direita dos EUA, apesar de imperialista e saqueadora de países militarmente mais fracos, diferente da brasileira, possui sentimento de nacionalidade e defende os interesses de seu país.

A direita brasileira é colonizada, subalterna e subserviente às potências mundiais em todas as épocas. Vive de migalhas, em termos planetários, bem como arrogante e violenta com o povo brasileiro, a desacreditá-lo, a desrespeitá-lo, a explorá-lo, a baixar sua autoestima e a contrariar seus interesses, ou seja, os interesses da Nação. A resumir: a casa grande brasileira é totalmente divorciada do Brasil. Ela é alienígena. Adora puxar o saco do Mickey e, evidentemente, dar uma de Pateta, "com muito orgulho, com muito amor".

Sendo que de preferência em Orlando para depois dar uma esticadinha em Miami e se esbaldar em seus shoppings e restaurantes, a falar, de preferência, muito mal do Brasil para os coxinhas de outros países da América Latina, que, quase inevitavelmente, tem a mesma cabeça provinciana, deslumbrada, colonizada, preconceituosa e reacionária dos coxinhas brancos do Brasil, terra onde os brazucas de almas udenistas-lacerdistas e endinheirados ganham muito dinheiro e exploram a força de trabalho dos trabalhadores, além de pagá-los com salários baixos, assim como enfrentam diariamente uma carga horária longa, que começa quando se dirigem para pegar o transporte coletivo ainda de madrugada.

Vou ser mais objetivo. Depois das manifestações de domingo, Dilma Rousseff, eleita legalmente e democraticamente, em 2014, com 54,5 milhões de votos, continua a ser a presidenta da República. Nada mudou. E, para concluir esta realidade política e institucional, não é porque coxinhas brancos e ferozes de classe média, muitos de extrema-direita, mas desconhecedores da história do Brasil, resolveram fazer uma pirotecnia golpista, a ter a Rede Globo e a Globo News como fermentos de suas ignorâncias históricas e de seus arroubos de caracteres fascistoides, que o golpe vai acontecer.

Nada muda; e Dilma continua, legalmente e constitucionalmente, a ser a presidente do Brasil. Não é possível que a não aceitação dos resultados das eleições de 2014 por parte da direita brasileira vai fazer com que este País sofrido retroceda aos tempos da Velha República e ao golpe civil-militar de 1964. São processos golpistas inadmissíveis. De irresponsabilidade atroz. Inaceitáveis! Quem tem vocação para república de bananas é a casa grande brasileira, pois, como disse uma vez o poeta Cazuza, "Transformam o País inteiro num puteiro, pois é assim que se ganha mais dinheiro". É verdade. O poeta tem razão, ainda mais quando sabemos que o moralismo udenista é praticado há décadas no Brasil por moralistas sem moral, além da cínica e hipócrita "indignação" seletiva.

Conspirações e processos oficiais efetivados por servidores públicos do sistema judiciário, em cargos de mando e poder, transformaram-se hoje, no Brasil, em armas de grosso calibre da direita brasileira, uma das mais ricas, poderosas e perversas do mundo, que luta, incansavelmente e freneticamente, para manter o povo indefinidamente subserviente e subalterno, ou seja, de joelhos.

Lutam, sobretudo, contra sua emancipação, pois a sabedoria, a instrução laboral e escolar, enfim, o conhecimento, bem como a consciência de seus direitos e de seu papel, em uma sociedade plural e democrática, são valores humanos invencíveis, realidades estas, se concretizadas, que favorecem a independência do Brasil e a autonomia do povo brasileiro. E isto, senhoras e senhores, definitivamente, a direita proprietária da casa grande não quer.

A intenção sempre será manter as amarras seculares da senzala. Para dominar, submeter, impor e manter a hegemonia de classe (dinheiro, patrimônio, influência política e judicial), necessário se faz contar também com o aparelho de Estado, hoje representado, simbolicamente e efetivamente, pelos capitães do mato da burguesia apoiada pela pequena burguesia, esta no papel de subclasse e consumidora voraz dos jornais e revistas dos magnatas bilionários de imprensa, bem como deverasmente influenciada e manipulada pelas notícias e informações disseminadas por jornalistas, colunistas e editorialistas treinados em suas redações para manipular, distorcer e até mesmo mentir sobre as realidades, os fatos e os acontecimento. A resumir: a propagação do verdadeiro e autêntico jornalismo de esgoto, ou seja, de bandidagem.

Acontece que a chuva não cai em apenas um lugar ou região e, com efeito, afirmo: a mandatária do PT não vai ser derrubada por um golpe jurídico e midiático, como o apoio de uma oposição tucana que perdeu quatro eleições consecutivas, sendo que depois de quase dois anos da derrota, a direita não reconhece a vitória de Dilma, recusa-se a descer do palanque e luta para conquistar o poder por intermédio de um golpe de estado disfarçado de "constitucional".

Como dizem os coxinhas pequenos burgueses e analfabetos políticos, em seus cartazes e faixas: "Pela intervenção militar constitucional" ou "Intervenção não é golpe". Durma-se com um barulho desses. Trata-se de golpe, ora bolas! Vamos parar com hipocrisia e cinismo. Como dizia um colega meu de trabalho há alguns anos, quando percebia que alguém enrolava, não era direto ou evasivo: "Deixe de churumelas!"

Golpe é golpe! Golpe não respeita o jogo democrático, criminaliza a política, judicializa as ações governamentais e luta para derrubar do governo e do poder mandatários legitimamente eleitos pelo povo. Fato! Neste jogo demoníaco não há ingênuos. Os coxinhas de direita compreendem o processo e no fundo sabem que estão a apoiar um golpe, a invalidar, sem a mínima dor de consciência, os votos e a vontade soberana de quase 55 milhões de brasileiros, que votaram em Dilma Rousseff e no PT. Ponto.

Sem sombra de dúvidas, existe um forte movimento politicamente conservador que está a apostar em tentativas sistemáticas de golpe. O Brasil se tornou um País surreal, porque o golpe está a ser proposto e efetivado por autoridades do sistema judiciário, políticos e empresários (Fiesp, Firjan, CNI, UDR e em especial os magnatas bilionários de imprensa), que formam uma frente político-partidária não oficial, mas que atua e age de forma organizada e sincronizada, de maneira que as acusações e denúncias contra o Governo Trabalhista e quem a ele pertencer o mantenha no corner do ringue, a fim de tentar nocauteá-lo. Contudo, o nocaute não vai acontecer. Lula vem aí, porque assumiu a Casa Civil e vai lutar para reaglutinar a base do governo, manter o PMDB como seu aliado e não como seu adversário e voltar a dialogar com as bases históricas do PT. As bases do campo e da cidade. Retornar às suas origens e, consequentemente, pegar o touro da direita pelo chifre, a fim de estancar a sangria e derrotar o golpe de direita.

Com Lula o Governo Dilma vai começar a respirar politicamente e estrategicamente. Não dá mais para aceitar ser linchado diuturnamente pelas oposições, oficiais ou não, ainda mais quando os detratores do Governo Trabalhista, do PT, de Dilma e de Lula respondem a processos na Justiça, são acusados de corrupção, como o senador tucano, Aécio Neves, que foi citado cinco vezes por quatro pessoas diferentes, enquanto a mandatária do Brasil, bem como o Lula, não respondem a nenhum processo criminal, apesar das acusações que sofrem e das armações montadas pelo sistema judiciário, a ter a vara do juiz Moro como o centro nevrálgico do golpe contra o Brasil e suas lideranças que estão no poder, a exemplo de Dilma, além da caça sangrenta, pois totalmente passional e parcial, a Lula.

O ex-presidente e agora ministro da Casa Civil se blinda e leva a luta política para o ringue da última instância, o STF, onde juízes mais experientes, apesar dos gilmares mendes da vida, observarão com mais acuidade e responsabilidade as denúncias e as acusações da oposição de direita, de alma golpista, contra um ex-presidente popular e que mudou o Brasil para sempre, sendo que para muito melhor. Basta apenas perguntar ao povo se a vida dele melhorou ou não. As vidas dos coxinhas de direita melhoraram. Eu sei disso. Acontece que eles são reacionários e irremediavelmente preconceituosos, arbitrários e... golpistas.

Psicologicamente abalados, porque infantis politicamente, consideram a ascensão social dos pobres uma humilhação contra eles, pior do que um tapa na cara em sua realidade de coxinha despolitizado e miseravelmente egoísta e prepotente. O que dó no coxinha não é a corrupção, porque ele é seletivo, como a imprensa burguesa. O que dói na classe média é ver pobre e preto nos aeroportos, comprar televisão led, celular, aparelhos domésticos da linha branca, construir sua casa e até mesmo, porque ocorre, comprar automóvel, bem como seu filho "pimpolho" ter de dividir sua sala de aula nas universidades públicas estaduais e federais com moças e rapazes negros e pobres. Imagina!

Realmente, o cidadão e cidadã coxinhas não tem jeito. Nem Freud explica... Porém, indubitavelmente, o ódio ao Lula político começa por aí, quando o ministro Casa Civil do Governo Dilma resolveu, quando presidente, incluir os pobres no Orçamento da União, pois o Lula cidadão de origem muito pobre causa cólera a essa gente nada solidária e politicamente desajustada há muito tempo. "Como ele pôde se atrever? Ousado!" Assim que esses pequenos benitos mussolinis de classe média e ricos pensam e se comportam.

O sistema judiciário (Justiça, PF e MP), especificamente o envolvido diretamente na luta política, como é o caso do juiz Moro, cujo pai é fundador do PSDB de Maringá (PR), dos delegados aecistas e de procuradores e promotores que confundem Hegel com Engels, a demonstrarem despreparo e falta de conhecimento, vai ter de esperar, porque é muito fácil para servidores públicos como esses, pagos pelo dinheiro do contribuinte, a usar indevidamente a logística e os recursos orçamentários do Estado, para depois sequestrar e prender o maior político do País no aeroporto de Congonhas.

Um ex-mandatário da grandeza de Lula a ter que responder perguntas idiotas e insensatas sobre pedalinhos, barco de lata e vinhos, como se um presidente da República tivesse tempo, por exemplo, de verificar os vinhos que ganhou e saber quem o guardou e em qual lugar. Presidentes governam. Não cuidam de suas questões e necessidades pessoais. Tem gente que faz isto para eles. Eu não falo apenas de Lula. Falo de todos os presidentes, brasileiros e estrangeiros. E esse pessoal do Judiciário está cansado de saber disso, e finge não saber apenas para encher o saco e tentar prejudicar o político trabalhista, porque fazem oposição política a ele, como o faz o PSDB, que tem de fazer, pois se trata de um partido. Agora, delegado federal... Aí não dá.

Li todo o depoimento de Lula ao doutor delegado federal. Simplesmente é de embrulhar o estômago as humilhações pelas quais o cidadão Lula, um político de real grandeza, passou. Humilhado à força, coercitivamente, sem, contudo, nunca ter se negado a depor, a se reportar a quaisquer autoridades. Mesmo assim foi levado de dentro de sua casa coercitivamente. É como se esses caras do sistema judiciário pensassem: "Lula está sem mandato, sem cargo político. Vamos pra cima dele!" É por aí, sim. Pura covardia. Safadeza na veia cometida por servidores públicos desprovidos de sabedoria e de sensatez, de compreensão das realidades e do que é justo e injusto. Inacreditável a que ponto chegou o senhor condestável da Vara de primeira instância do Paraná, juiz Sérgio Moro.  

Essas pessoas querem, simplesmente levar o País à bancarrota, pois o objetivo é dar um golpe em Dilma, afastar o PT do poder, destruí-lo, de forma que Lula não tenha condições de chegar forte em 2018, porque o propósito é prendê-lo, uma prisão que foi frustrada no aeroporto de Congonhas pela mobilização política e popular em torno de Lula, bem como pelo coronel da Aeronáutica, um militar legalista, que deu ordens para cercar o avião que, certamente, levaria Lula preso para a Vara do Moro, um juiz que recebe prêmios da família Marinho, assim como envolvido com a oposição liderada pelo PSDB, como demonstram, inequivocadamente, as notícias e fotos dos jornais televisivos e impressos, além da internet. Sobre o caso do coronel, todos se calaram, principalmente a imprensa brasileira de negócios privados — a mais covarde e corrupta do mundo.

Lula e o PT agora poderão lutar de igual para igual com a direita que tem sangue na boca e luta por todos lados e tenta ocupar espaços para sacramentar um golpe de estado por via parlamentar ou jurídica. O negócio é dar golpes, como fizeram no passado inúmeras vezes, com o propósito também de manter o Brasil subalterno e subserviente em termos mundiais. Eles querem também, além de se safar da Lava Jato, que está a chegar nos democutanos, implementar novamente os princípios vampirescos do neoliberalismo no Brasil, a começar por privatizar o que restou, sendo que a Petrobras e o Pré-Sal são os alvos principais. Lula na Casa Civil vai dar o pontapé inicial para começar o jogo eleitoral de 2018.

Dilma Rousseff não cai. Luiz Inácio Lula da Silva não vai ser preso sem ter cometido crimes de responsabilidade ou comuns. O Brasil não é tão bárbaro ao ponto de somente refletir o lado da desfaçatez e da violência dos bolsonaros e caiados que afrontam a democracia e a igualdade de direitos. O fascismo que pulula nas almas classe média fã de Sérgio Moro e de Jair Bolsonaro. Coxinhas de extrema-direita, que expulsaram e insultaram aos berros os políticos de direita do DEM, do PSDB e de outros partidos.

A extrema direita saiu de suas tumbas, e os maiores responsáveis pela crise política que o Brasil enfrenta são o derrotado Aécio Neves, seus aliados e a Rede Globo de Televisão e seus jornalistas treinados em redações, como pitbulls de rinhas, com o propósito de moer reputações e manipular e distorcer a verdade.

O canto é cantado e o jogo é jogado. Vamos ver o resultado que vai dar. Moro, um juiz encantado e envaidecido, demonstrou mais uma vez, equivocadamente, que faz política e pediu no twitter da jornalista tucana, Cristiana Lobo, na Globo News dos Marinho, para que se ouça a voz (fascista) das ruas, mas verá Lula na Casa Civil. É isso aí. 

5 comentários:

Fernando Oliveira disse...

É isso aí Davis... e tem mais: acho que aí tem o "dedo" de agências de inteligência estrangeiras organizando e disciplinando essa "caçada implacável" ao Presidente (e ao seu Partido) que mais trabalhou pelo Brasil, com o objetivo claro de impedir o crescimento independente do país e a consolidação do bloco dos BRICS; hipótese esta que, se confirmada, confirmaria o caráter de "Falsa-Bandeira" dessa Operação Lava jato, aliás Vaza Jato.

Jorge Marcelo disse...

Pensamento do dia:
"A popularidade da Dilma chegou a 9%. Está tão baixa que o Lula já pode contar nos dedos."

Beto Santana disse...

Parabéns pelos comentários.
João Alberto

Toni Araújo disse...

Tudo dito e exposto e ainda existe esse esforço para defender um governo corrupto...

Marcos Lúcio disse...

Ler o grande Davis é ficar de alma lavada.Aplausos.