Google+ Badge

sábado, 15 de março de 2014

Marcha de reacionários prega o golpe e ressuscita a vivandeira de quartel



Por Davis Sena Filho  Blog Palavra Livre

Desde sempre os coxinhas detestam a democracia e a igualdade de direitos e oportunidades.
É sempre assim: a direita tem memória curta. Por conveniência e cinismo, é claro. Raramente vence as eleições presidenciais por intermédio do voto. É histórico. E, no decorrer do tempo, apela para a farsa, a manipulação, a mentira, até conseguir causar uma enorme confusão na sociedade, e, inapelavelmente, partir para a violência, o crime político e a ilegalidade constitucional, na forma de golpe, porque o que interessa ao reacionário é desestabilizar a democracia brasileira, que se alicerça no estado democrático de direito garantido pela Constituição de 1988.

Processo similar de desestabilização política aconteceu antes do golpe civil-militar de 1º de abril de 1964 — o Dia da Mentira ou do Mentiroso. E não é que, após 50 anos, ou seja, um tempo de meio século, os herdeiros e viúvas da ditadura, as vivandeiras de quartéis e os novatos de direita, conhecidos também como coxinhas ou rola-bostas, resolvem marcar para o próximo dia 22 de março, em São Paulo (sempre São Paulo!), a reedição da Marcha da Família com Deus pela Liberdade, acontecida em 1964?

Seria cômica se não fosse trágica e perigosa, porque uma marcha com tal conteúdo tétrico ou sombrio realmente tem de ser denunciada e explicada, primeiramente para Deus, que, certamente, não aprova golpes e o que advém deles, como exílios, torturas e mortes, e depois explicar àquelas pessoas que, porventura, não sabem ou não compreendem como pode acabar uma marcha de conotação política reacionária, conservadora e realizada por grupos que tem profunda rejeição pela democracia e também pela igualdade de oportunidades e de direitos para todos os brasileiros, independente de raça, credo, sexo, ideologia, naturalidade e classe social.

A marcha dos radicais histéricos, dos apopléticos e dos bate-paus de direita, todos aqueles que se sentem bem com as injustiças sociais perpetradas durante séculos por uma das “elites” mais perversas da humanidade e responsável por quase quatro séculos de escravidão. Os "intervencionistas" (metáfora para golpistas) que desejam a volta para o passado de ditadura, que assombra as instituições democráticas e causa repulsa aos brasileiros que acreditam na democracia, forma de governo imperfeita, mas que permite a autodeterminação política dos povos por meio de eleições diretas e do respeito ao jogo democrático.

Contudo, essa gente não tem jeito, recusa-se a aprender, mesmo aqueles que nasceram após o golpe de estado, mas que por índole e instinto possuem uma incrível capacidade para reagir contra tudo aquilo que possa inserir a maioria da sociedade em um processo de bem-estar social. Desrespeitam as instituições republicanas e se insurgem contra os governos populares liderados no passado por Getúlio, Juscelino, Jango e Lula, bem como atualmente fazem uma oposição desleal, de essência golpista, que visa, sobretudo, violar as leis e, por conseguinte, preparar o terreno pré-eleitoral para favorecer os candidatos conservadores, os fundamentalistas de direita e do mercado, que não suportariam ficar mais quatro anos fora do poder federal, pois a direita sabe que, por intermédio do voto, não vai ser autorizada pelo povo para sentar na cadeira da Presidência da República. Ponto!

Os reacionários querem, na verdade, que a roda da história gire para trás. São essencialmente revoltados e ferozes, mesmo os que vivem bem e ganharam muito dinheiro com os governos trabalhistas de Lula e Dilma. São pessoas que têm suas necessidades supridas. São raivosos, exasperados, exaltados e tratam com intolerância os que pensam diferente deles, porque portadores de todo tipo de preconceito, “valores” e “princípios” que aprenderam no decorrer de suas vidas, por meio de grupos sociais dos quais fazem parte, e, evidentemente, através de seus familiares e antepassados.

Por sua vez, todas as pessoas, entidades e governos que eles consideram que possam mexer com seus mundinhos egoístas, tacanhos e, ridiculamente, sectários eles atacam sem dó e piedade. E por quê? Porque o reacionário não quer dividir, democratizar e muito menos permitir que a casta a qual ele pertença ou almeja pertencer possa um dia ter de conviver com as classes sociais que essa gente de caráter demoníaco considera inferior e, consequentemente, sem direito a ter direitos, bem como melhorar um pouco de vida.

O conservador, o coxinha é aquele sujeito que considera normal a injustiça praticada por homens e mulheres com poder econômico e político, que controlam o sistema acadêmico, financeiro e de produção. Por isso, ele acha justo excluir, pois dessa forma, conforme sua cabeça retrógrada e psicótica, vai sempre ter a oportunidade de acumular riquezas e benefícios, sem se importar, de forma alguma, com o preço da dor e da necessidade do restante da sociedade.

Exatamente dessa forma que o reaça funciona. Conheço vários, homens e mulheres, muitos deles pessoalmente educados e até parcimoniosos, mas quando se trata de falar sobre questões políticas e econômicas quando tange à distribuição de renda e aos direitos de cidadania, transformam-se rapidamente, seus olhos saem de suas órbitas, impacientes e intolerantes se tornam, e aquele sujeito de fala mansa e de expressão corporal moderada sai da condição de Dr. Jekyll para a de Mr. Hyde — o Médico e o Monstro. Acontece, incrivelmente, a metamorfose inesperada — imponderada.

Em 1964, grupos retrógrados e reacionários integrantes de partidos, da ala da Igreja Católica conservadora, instituições públicas e privadas, além da classe média tradicional, realizaram a “marcha dos que querem tudo para eles e nada para os outros”. Porque, se pararmos para pensar, a direita se importa mesmo é com o acúmulo de dinheiro e de patrimônio. Ponto! Por isso que é tão fácil para ela se mobilizar, porque sua essência não é social e muito menos voltada ao debate sobre as questões de um país. A direita é prática e pragmática, porque só tem responsabilidade consigo e não com a sociedade.

À direita basta o poder de compra do dinheiro, no que concerne a acumulá-lo, aumentá-lo e a possuir bens materiais e patrimoniais. Por isto e por causa disto é muito difícil vencê-la, pois o direitista se agrega com facilidade, além de ter caráter bastante agressivo, porém, de pensamento simplório e filosoficamente simples. Não é fácil enfrentar a direita, porque ela controla as empresas e as terras, além de ser proprietária de um canhão midiático que propaga seus interesses ao tempo que combate, sem trégua, todo político ou cidadão, instituição e até mesmo empresa que, porventura, não leia por sua cartilha.

A Marcha da Família com Deus pela Liberdade é uma excrescência histórica e que vai ser relembrada e reeditada no dia 22, na Praça da República e seu trajeto termina na Catedral da Sé. Termina apenas seu trajeto, mas, na memória de milhões de brasileiros, tal itinerário da caminhada draconiana, vampiresca durou o tempo de 21 anos, quando, enfim, foi inaugurada a Nova República, com a ascensão e morte de Tancredo Neves e a posse de José Sarney assegurada pelo deputado e presidente da Câmara e da Constituínte, deputado Ulysses Guimarães.   

A marcha de direita e da direita é moralista e, como a do passado, se edifica em um moralismo tirânico e sem sentido; e, o pior, em nome da democracia e, de forma genérica, “contra a corrupção”. E deu no que deu: fechamento do Congresso Nacional e extinção de partidos políticos, censura da imprensa, demissões, aposentadorias forçadas, perseguições a empresários e servidores públicos que não apoiaram o golpe de estado, prisões sem mandados, exílios, torturas e assassinatos. Tudo em nome da família, de Deus  e, pasmem: da liberdade!

Estou acostumado a ler mensagens que me enviam a afirmarem que os governos populares e democráticos de Lula e Dilma são ditaduras. Um absurdo. Esse pessoal não sabe o que é uma ditadura. Pelo menos parte dele, que nasceu após 1964 e, obviamente, por ser nova não percebia com exatidão o que acontecia no Brasil. A outra parte dessa gente sabe o que é uma ditadura e apenas diz que os governos do PT são ditaduras por má-fé, porque, na verdade, algumas dessas pessoas são favoráveis a um regime de força e digo até que têm perfis fascistas, até porque neste mundo há gosto para tudo, inclusive ser um direitista mentiroso e que age com má-fé intelectual e política.

Sem sombra de dúvida é uma evidência que essas pessoas que vão marchar em nome da família, de Deus e pela liberdade, de forma totalmente equivocada e perversa, querem mesmo é que se repita no Brasil o golpe civil-militar de 1964. Muitos dos organizadores dessa marcha ou simplesmente os que a apoiam falam em “intervenção militar”, e, na maior desfaçatez, tentam explicar o inexplicável, justificar o injustificável e defender o indefensável de que a intervenção de militares não é golpe.

Se essas pessoas golpistas e direitistas tivessem que pintar suas caras de paus com verniz, certamente faltaria o produto no comércio, porque são milhares e milhares de pessoas e por isso não daria tempo para a indústria fabricar verniz para atender tal demanda. Todavia, milhões de brasileiros votam na esquerda, mesmo se a maioria nem saiba o que significa ser de direita ou de esquerda. Porém, o cidadão médio ou pobre deste País sabe que sua vida mudou e para melhor, bem como tem a compreensão que os responsáveis pelas melhorias foram os governos populares de Lula e Dilma Rousseff. Ponto!

O reacionário, além de cúmplice, é submisso às ditaduras e odeia a pessoa que não se submete ou discorda ou questiona o regime de força e, por seu turno, antidemocrático. São os coxinhas, os novatos, por instinto, e os veteranos, por nostalgia, que emergem do pântano de um passado recente que deixou como herança a violência, a censura e a perseguição àqueles que ousaram discordar de uma ditadura corrupta, sanguinária, que controlava, inclusive, o Poder Judiciário — o Supremo Tribunal Federal, que apenas ratificava o que os generais decidiam.

Entretanto, com o passar do tempo e a consolidação da democracia brasileira, a direita partidária perdeu espaço e foi derrotada três vezes em eleições presidenciais. É de mais para os reacionários; e por causa disso partidos conservadores e de oposição, a exemplo do PSDB, do DEM e do PPS, dentre outros, têm contado com o apoio incondicional da imprensa de negócios privados controlada por meia dúzia de magnatas bilionários, que tentam pautar a vida brasileira, bem como influenciar nas eleições presidenciais desde quando Lula foi derrotado por Collor em 1989, além de, evidentemente, terem apoiado e se beneficiado do golpe de 1964.

Porém, o que mais chama a atenção dos “marchadores” do dia 22 de março, em São Paulo (Sempre São Paulo!), é a irresistível vontade dessa gente de reescrever a história, a vocação cretina, manipulada e dissimulada para o revisionismo barato, pois “acreditam” que a ditadura civil-militar foi um processo “democrático” cujo propósito era salvar a democracia dos comunistas e sindicalistas "comedores de criancinhas" quando a verdade é que o golpe ilegal, inconstitucional e criminoso foi um movimento orquestrado pela direita empresarial e militar brasileira apoiada pela CIA do governo de John Fitzgerald Kennedy.

Calaram o Brasil à força. Mataram, roubaram e censuram a divulgação dos crimes. Arrebentaram com a ordem constitucional e para isso rasgaram a Constituição por intermédio de atos discricionários como o foram os atos institucionais e a Lei de Segurança Nacional (LSN) imposta a todos os brasileiros para que se calassem, não se movessem e não reagissem a um regime pária e que não tinha a autorização da grande maioria do povo brasileiro para vicejar e existir. Tanto que acabou derrotado e desmoralizado por si próprio, em 1984, com as Diretas Já! e a vitória de Tancredo Neves no Colégio Eleitoral, no ano seguinte.

A Marcha da Família com Deus e pela Liberdade é uma farsa e uma chacota sem graça organizada por pessoas que não conseguem viver dentro da legalidade democrática e muito menos conviver com a diferença e a pluralidade social e cultural. São pequenos mussolinis travestidos de democratas, mas que pedem pela intervenção militar. A marcha é a tentativa de um estupro na democracia, realizado por pessoas de má-fé política, alienados e analfabetos políticos e por direitistas que sabem o que querem: a volta da ditadura e o fim do estado democrático de direito garantido pela Constituição de 1988. A marcha dos reacionários prega o golpe e ressuscita as vivandeiras de quartéis. É isso aí.

23 comentários:

Alice Portugal disse...

Maravilhoso texto. Irretocável. Lê-lo é um prazer e uma sorte. Um grande abraço

Anônimo disse...

É, a esquerda podre tá se borrando de medo mesmo...

M. Exenberger disse...

Muito bom, Davis. Essa marcha é formada por descendentes de brancos, que ganharam terras e outras facilidades quando desembarcaram no Brasil Essa gente não quer trabalhar, que escravizar o povo à força. São preguiçosos e atrasados.

leandro medeiros disse...

No mesmo dia, haverá também em são Paulo, a Marcha Antifascista. Link do evento.https://www.facebook.com/events/349308915209994/?ref=ts&fref=ts

ivan luiz de andrade mendonça disse...

daí.......anônimo!

Alexandre Dummas disse...

Caro Davis, ótimo artigo, que certamente vou disseminar por milhares de endereços das redes sociais. Precisamos dar fim a esse processo de direita. Ah, gostei muito das fotos publicadas do facebook por um canalha com viés de bandido que atende pela alcunha de Jorge Marcelo, um dos maiores cretinos que já te enviou porcarias e maledicências. Muito bom. Gostei da camisa verde esperança em sua festinha de fim de ano com amigo oculto. Um grande abraço.

João Márvio disse...

Davis Sena, enviei mensagem ao Brasil 247 pra você e aqui escrevo para lhe dizer que você definiu magistralmente todos os tipos de coxinhas reacionários e perversos como o pica-pau do desenho animado. Te parabenizo mais uma vez. Mais uma vez percebi que o canalha, o cafajeste e o mau caráter do Jorge Marcelo mais uma vez ataca sua moral e mesmo assim você o publica, porque certamente não o teme. Igual ao Alexandre Dummas, gostei também da sua camisa verde esperança que você usou na festinha de fim de ano do seu trabalho. Parabéns pelo texto. Um abraço.

cassiano ricardo disse...

Sempre o desprezivel, moleque e safado BabaCu. Um retardado com um nome de puta como este realmente fica revoltadinha com o texto verdadeiro e inapelável do articulista.

bento lisboa disse...

Jorge Marcelo, eu já revi meus conceitos. Te considero um tremendo vagabundo e filho da puta de marca maior. Safado!

Henrique R disse...

Espetacular o post, Davis - como sempre.

Além disto temos um jornalismo partidário.
Ainda há um núcleo (midiático, vivandeiras, amestrados, coxinhas, os de “pijama”, etc..) que fazem de tudo para dissociar a ditadura brasileira das ditaduras em outros países do continente.
Esse núcleo ainda crê que em continuar com seus interesses ideológicos particulares, que é manter o seu sagrado lucro e mercado privado.
Quantos empresários acreditaram e apoiaram o golpe!
Senão, quem quer abafar o caráter criminoso, a crueldade do que aconteceu na ditadura!?
Quem, “zumbianamente”, senão a turma da ditadura e Cia não gosta da plena democracia?!
A medida que o Brasil se aproximar da plena democracia, os “zumbis” de pijama e Cia entram em ação com um novo discurso!
É só tocarem no assunto!

Henrique R disse...

Quem quer dividir a opinião pública?

Os tucanos sempre foram assim, fazendo social-democracia sem o povo e calando-se sobre inúmeros problemas que estão debaixo do seu nariz - propinoduto, seca, 74 km de metrô em 20 anos,.....

Henrique R disse...

Que moral há numa sociedade baseada no individualismo do homem?
Se a finalidade social não for o homem, o sujeito, configura-se uma sociedade enferma, doentia.
Uma sociedade 'burguesa' por essência que só conhece o 'homem estatístico', a 'média geral', nunca considerará o que é humano e realmente social, pois este 'homem estatístico' não existe em lugar nenhum.

Henrique R disse...


Do que as 'vivandeiras' gostam?

- a teoria da dependência associada que pregava o crescimento do país com capital externo (gov FHC)

- o caráter não nacionalista dos governos tucanos era absolutamente compatível com a teoria da dependência associada do intelectual FHC.

- a hegemonia neoliberal.

É isto que as vivandeiras procuram.

Henrique R disse...

É a primeira vez na história do Brasil que nós temos eleições em que é absolutamente nítida a distinção entre os pobres e a classe média e os ricos.

É como o nosso grande Estadista LULA diz: pobre com diploma universitário incomoda muita gente.

As vivandeiras e seus amestrados, também, não aceitam isto.

amadeu aguiar disse...

Henrique , concordo, este texto do Davis é espetacular. Tá bombando em outras publicações na internet. O texto vai fundo na alma dos coxinhas vivandeiras e golpistas.

Anônimo disse...

Nada a crescentar ou excluir neste texto que é "mais que perfeito do subjuntivo", digamos assim.Meus respeitos e meus aplausos. Enquanto eu lia estas pepitas de lucidez...ocorreu-me a lembrança destes versos do Cazuza, a seguir:

"A burguesia não repara na dor
Da vendedora de chicletes
A burguesia só olha pra si
A burguesia é a direita, é a guerra"
Abraço
Marcos Lúcio

Max disse...

Babacu e sua imensa burrice e demencia. O q esperar de um cara q tem no nome a palavra cu e a alma miserável do patife? Nada, a não ser cafajestadas.

Marcia Guimarães disse...

Artigo primoroso. Vou repercuti-lo em todas redes sociais nas quais participo. Textos completos como este precisam ser difundidos para que a maioria das pessoas ao lerem passem a rejeitar a direita e os coxinhas tucanalhas, que torcem e querem o mal do Brasil. Parabéns grande Davis.

Otto Lima disse...

Tá cheio de pobre aqui no Galeão, esperando o voo pra Miami! Volta, general!

Meu filhinho loirinho de olhos azuis perdeu a vaga na faculdade de medicina para um preto favelado! Volta, general!

Agora tenho que pagar INSS, FGTS, 13° e férias para a minha empregada! Volta, general!

Um ex-office boy da minha empresa fez sucesso cantando funk ostentação e agora ele tem uma Lamborghini e eu, só uma Mercedes blindada! Volta, general! E vê se preivatiza a Petrobras, pois a gasolina tá cara!

Quero voltar a poluir e desmatar em paz! Volta, general! Prenda e arrebente esses ecochatos comunas!

O Brasil tá cheio de vagabundo ganhando Bolsa-Família! Volta, general!


(ironic mode ON)

Henrique R disse...

Graças à internet e aos blogs temos mais acesso às verdades que as grandes mídias escondem.
Acredito que a opinião deve ser dada, qualquer que seja.
Mas é preponderante o respeito à opinião alheia.
Agressão, ofensa, desrespeito é execrável.
Se não tens assunto ou argumento não saia do tema em discussão, senão o assunto sempre fugirá do argumento em questão.
Outra coisa: já temos a gratidão de usar o blog por que, então, ofender o jornalista? É mais educado e civilizado, se não gostares dele, saia do blog!
Que gratidão há em ofender quem posta comentários?
Os comentários, a respeito de um post do jornalista, já são a expressão, respeitosa é claro, de quem quer aperfeiçoar sua consciência política.
Imaginem o significado de um comentário incitando a violência, homofobia, preconceito, intolerância, falta de educação...!?
Não existe, em hipótese alguma, nenhum motivo para isto
Procure gritar pela primazia do que é público, daquilo que é nosso, do povo brasileiro.
Um comentário postado já ajuda, sobremaneira, a resolvermos nossos problemas e aperfeiçoar nossa sociedade.
Imaginem um comentário inteligente!
Imaginem a responsabilidade que é um comentário responsável e inteligente e o quanto nós aprendemos com isso!?
...
Escrevo isto, porque uso, democraticamente, os artigos primorosos que o Davis publica e o agradeço muito pelos ensinamentos.
Não suporto comentários mal educados, desrespeitosos,..., com o Davis e nem com os comentaristas - isso nunca levará a nada, absolutamente a nada!
A consciência sólida e respeitosa mantém o caráter do homem.
A deseducação vai manter o quê!?

Obrigado Davis pelo desabafo.
Continue grande, assim.

Anônimo disse...

Perfeito!!!...e você , atento brasófilo, compartilha ótimas informações, faz críticas pontuais e embasadas, tornando-se um excelente coadjuvante ou auxiliar do brilhante e incomparável blogueiro.
Marcos Lúcio

Fernando Carvalho Guinando disse...

Vc é um babaca tão bom,que se chama Anônimo.Sem comentários para idotas como voçê. Derrepente vive até do bolsa família desnescessáriamente,tirando da boca de outros e fica encubado e alienado...

natan cruz disse...

"esquerda podre". por que o mister anonymous não posta uma fotinha com sua BMW do ano? um documentinho que mostre quanto capital o pilar da direita não tem? aposto que é só mais um alienado encubado como disse o senhor Fernando Carvalho.