Google+ Badge

quinta-feira, 10 de maio de 2018

Justiça partidária e imprensa sádica dão fôlego ao golpe, tentam calar Lula e o povo enxerga as eleições


Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


 Resultado de imagem para foto lula multidão


Realmente, a perseguição obsessiva e sádica, bem como o linchamento imoral de essência fascista contra o ex-presidente Lula, por parte do Judiciário, do MPF e da PF, não tem tempo para terminar, enquanto o maior presidente da história do Brasil não morrer, pois líder carismático de esquerda, nacionalista e personagem político de grandeza internacional, além de ser, principalmente, o portador de dezenas de milhões de votos. A direita togada e midiática prendeu o político trabalhista para que ele, definitivamente, cale a boca pelo menos até as eleições.

Não importa aos gendarmes do Estado, que se comportam de forma infame e sórdida, quando prenderam Lula sem provas e agem em prol dos interesses da casa grande escravocrata e dos estrangeiros, seus colonizadores, se o Lula é inocente e que as mentiras, infâmias, traições e patifarias se tornaram as armas de um sistema Judiciário carcomido por séculos de corrupção e totalmente associado aos interesses do establishment.

Falo do poder econômico e político perpetrador do golpe de estado de 2016, que mandou para o espaço, nada mais e nada menos, do que 54,5 milhões de votos do povo brasileiro concedidos à Dilma Rousseff — a verdadeira presidente —, pois legítima, constitucional e deposta por um golpe de estado de direita, que tem a finalidade de desmontar o Estado nacional, vender as riquezas do País, retirar direitos do povo brasileiro e "salvar" uma alcateia de vagabundos dos setores público e privado da cadeia.

Nada importa à súcia de vestimentas pretas, que transformou a falácia, a farsa e a mentira, além da brutalidade, como seus modus operandi, a contraditar a verdade, porque resolveu defender e atender o campo da direita política e os empresários, que perderam quatro eleições presidenciais e perceberam que iriam perder a quinta, sendo necessário então derrubar a presidente trabalhista e de esquerda reeleita, da forma mais cínica e hipócrita possível, sem antes tentar desmoralizá-la com acusações infundadas e denúncias vazias.

Trata-se de violência moral, constitucional e institucional sem parâmetros em países considerados civilizados, pois o Brasil é bárbaro e selvagem, conforme se percebe e se noticia aqui dentro e no exterior. Todo mundo sabe, mesmo os mais reacionários e alienados, que neste País vicejam as oligarquias mais atrasadas do ocidente, assim como apoiadas por uma classe média que faz dos preconceitos sociais e do ódio de classe os chicotes de suas existências e crenças quanto a uma hipotética hegemonia.

Na verdade, a hegemonia dos ricos, que consolida o sectarismo, a exclusão e a injustiça social, a demonstrar que a classe média e empregada da casa grande, apesar de negar a existência da luta de classe, saiu às ruas como um dos principais atores do golpe, que levou à deposição da presidente Dilma, pois associada, inquestionavelmente, aos golpistas do Congresso mais ordinário e corrupto da história da República, às mídias cartelizadas e promotoras de golpes, que formam o maior e mais poderoso partido de direita do continente latino-americano, a ter o Grupo Globo a pautar e a agendar a política e a vida brasileira.

Porém, são os meganhas de togas, que integram o corpo dos servidores públicos mais ricos do País, com salários e benefícios que chegam a ser pornográficos. Americanófilos, tais servidores concursados e desprovidos da autoridade do voto, o instrumento mais importante e poderoso de uma verdadeira democracia em país civilizado, decidiram, como se fossem pequenos mussolinis, enclausurar em uma camisa de força a democracia brasileira e rasgaram, arbitrariamente e estupidamente, a Constituição.

Essa gente resolveu fazer do estado de direito um arremedo civilizatório, a fim de enganar os gregos e troianos da comunidade internacional, pois crê, ridiculamente, que pode violar a Constituição, a dar um suposto ar de legalidade e civilidade. A verdade é que a meganhagem togada garantidora de um golpe de estado para favorecer o establishment passou a, inclusive, prender pessoas inocentes, por meio de acusações e denúncias infundadas e levianas (lawfare igual guerra jurídica e domínio do fato), de fundo político, ideológico e eleitoral, a exemplo do que ocorreu com o ex-presidente Lula e o ex-ministro José Dirceu.

E por quê? Porque o interesse do status quo é afastar das eleições de outubro o líder inconteste das pesquisas e calá-lo dentro de uma cela, pois preso político mais importante da ditadura da Era Temer, um golpista e traidor dos quatro costados e considerado o recordista mundial de rejeição, com impressionantes 94%.

Os meganhas de togas, com o apoio canino das mídias dos magnatas bilionários de imprensa, estão medonhamente a impedir que o povo tenha a liberdade e a autonomia de escolher o presidente que desejar. O Brasil é uma ditadura mal disfarçada e só não vê quem não quer por meio de sua incondicional má-fé.

Agora é a vez do sítio de Atibaia, que não é do Lula e nunca foi do Lula, como o "tríplex" muquifo com "cara" de pombal também não pertence a Lula, que está a enfrentar promotores de ações persecutórias e infâmias de todos os tipos, gravidades e covardias ferozes, que também são direcionadas contra as esquerdas, os movimentos sociais, as entidades de classe e, principalmente, contra o Lula, a Dilma e o PT.

Refiro-me ao partido de toga, cujos "políticos" são os procuradores, os delegados e os juízes. Evidencia-se a direita que controla o Estado burguês com mão de ferro para beneficiar os interesses econômicos dos grandes conglomerados financeiros nacionais e internacionais, atender às demandas da classe média, que, alucinada e odienta, voltou-se contra seus próprios direitos e rejeitou a distribuição e divisão de renda e riqueza, além de cooperar decisivamente para que o Brasil retrocedesse à condição de colônia e abandonasse o xadrez geopolítico internacional.

O Brasil pós-golpe bananeiro e cucaracha a atender às demandas dos Estados Unidos e dos europeus, porque para os países centrais era questão urgente esvaziar o Brics, a Unasul, o Mercosul, o G-20, as relações Brasil/África e os contatos diplomáticos com o mundo árabe e asiático. Era urgente tirar o País do mapa das decisões de âmbito mundial. O Brasil de Lula e Dilma foi diplomaticamente grande, bem como o de Getúlio Vargas, enquanto o País dos golpistas e usurpadores contemporâneos não passa de um anão diplomático, sem a menor influência e importância no jogo internacional. Trata-se, cara pálida, do Brasil colônia!

Entretanto para a direita brasileira o que enche seus cofres e bolsos de muito dinheiro, além da consolidação de privilégios e benefícios eternos é ter o controle do Estado nacional, de forma que se torne patrimonialista e, com efeito, passe a ser subalterno, subserviente, colonizado e sem nenhuma vergonha na cara e autoestima, quando se trata de independência e soberania do Brasil, a incluir nessa miscelânea de imprudência, insensatez, preconceitos e desprovidos de sentimento patrióticos os generais das Forças Armadas.

Eles demonstraram ser parte do golpe de estado terceiro-mundista e que, colonizados, não se importam com a soberania do País, como demonstra a falta de reação por parte dos militares quanto à venda das empresas mais importantes da Nação, a exemplo de Embraer, Eletrobras, Petrobras, dentre outros patrimônios públicos de portes e estratégicos para a segurança, a soberania e os interesses do País e do povo brasileiro.

O Brasil realmente é surreal ou meramente uma piada de mau gosto, pois vicejam em suas terras servidores públicos privatistas, antinacionais, antipopulares e antidemocráticos, a exemplo de generais das Forças Armadas, juízes, procuradores e delegados. O Brasil, realmente, é uma casa de loucuras mil praticadas por servidores mal-intencionados, porque indubitavelmente comprometidos com o golpe de estado de 2016, que diminuiu o Brasil e o humilhou perversamente a uma condição de republiqueta bananeira, pois de "elites" provincianas e escravocratas — o atraso e o retrocesso maculadores de nossa história.

Qualquer estrangeiro ficaria impressionado ao perceber que na Banânia dos golpistas ricos o servidor público não cuida do público, além de privatista e entreguista. Realmente, só neste País concebido para tratar dos interesses de poucos, cujo presidente e sua cambada são acusados de ladrões, a maior Corte da Justiça cruzaria os braços para que um bandido e presidiário desse o pontapé inicial na Câmara dos Deputados para que se efetivasse um golpe violento e essencialmente criminoso.

O golpe dos vagabundos endinheirados de ternos e gravatas, que teve e tem por propósito afastar a esquerda da disputa presidencial, bem como o Lula, sua maior expressão política, além de engendrar a deposição absurda de uma presidenta honesta e legítima, que obteve 54,5 milhões de votos do povo brasileiro, para em seu lugar tomar de assalto o poder central a maior e a mais perigosa quadrilha organizada na história deste País.

Na verdade, grupos golpistas a incluir os políticos do PSDB, que, a despeito de seus crimes denunciados e documentados, até hoje um único tucano ladrão não foi preso a mando da Justiça, a incluir a 13ª Vara Federal de Curitiba, leia-se Lava Jato, cujo titular é o ídolo dos coxinhas lobotomizados pela Globo, juiz de primeira instância, Sérgio Moro, que quando perguntado por que os tucanos não são presos, rapidamente muda de assunto, pois, para o varão de Plutarco, quando se trata do PSDB nada vem ao caso.

*mi-shell temer e sua camarilha traem a mandatária trabalhista, são acusados por sucessivos procuradores-gerais que jamais tocaram suas mãos em quaisquer tucanos do PSDB e do DEM, mesmo denunciados com provas contundentes de roubar o Estado há décadas, sendo que, diferentemente de Lula, as provas contra os golpistas e usurpadores do poder concedido à Dilma são inúmeras, robustas e reais, pois delatadas, fotografadas, gravadas e filmadas, bem como documentadas.

Lula nunca foi gravado, filmado e fotografado, a cometer crimes e muito menos seus supostos "crimes" foram documentados, como ter conta no exterior e no Brasil com altas somas de dinheiro, nunca demonstrou ter sinais exteriores de riqueza e seus sigilos telefônico, fiscal e digital foram quebrados, assim como a contabilidade do Instituto Lula, além de ninguém de sua família e nem seus mais próximos assessores foram pegos em atos de corrupção pela PF.

Além disso, o maior presidente da história do Brasil e única estrela realmente internacional da política brasileira teve sua vida, no decorrer de 40 anos, virada do avesso, e, como nos dias de hoje, jamais foi encontrado quaisquer culpabilidades do político de esquerda no que é relativo a ter cometido ações corruptas ou crimes, tanto em sua vida pessoal quanto pública. Vou mais além: cerca de 80 pessoas depuseram como testemunhas e delatores no caso surreal, arbitrário e pernicioso do tríplex de Guarujá.

O que aconteceu? Respondo: todas as pessoas, inclusive o delator de estimação do juiz Sérgio Moro e dos procuradores Deltan Dallagnol, Carlos Fernando dos Santos Lima e Roberson Pozzobon disseram, assertivamente, que nunca souberam nada sobre o ex-mandatário trabalhista ter tratado ou mandado tratar de negociatas ilegais e criminosas.

Pelo contrário, os depoimentos são, na verdade e indelevelmente, uma prova cabal de que Lula é honesto e republicano, bem como os integrantes da Lava Jato são agentes de atos persecutórios, propagadores de farsas montadas e mentiras deslavadas, que jamais confirmaram ser Lula um homem de má-fé.

Mais do que isto: transformaram o bilionário construtor da OAS, Léo Pinheiro, em um fantoche, que mudou suas versões levianas e mentirosas sobre a conduta de Lula ao bel-prazer dos "lavajatenses", conforme o tempo passava e a cadeia o submetia a uma vida de privações, pois acostumado com luxo e mordomias, do bom e do melhor, além de ser um fraco, que ousou mentir para ter sua pena abrandada.

Léo Pinheiro depois de mentir e virar pária de meganha recebeu como "castigo" o "encarceramento" em sua suntuosa mansão, enquanto o Lula, evidentemente um preso político, está na cadeia por causa de um muquifo, que mais parece com um pombal, mas que jamais, em hipótese alguma, pertenceu a ele ou alguém de sua família.

Vale ainda ressaltar e lembrar que o juiz do caso e sua turma de procuradores da Lava Jato mentiram vergonhosamente, pois o imóvel horroroso não recebeu reformas e não tem elevador privativo como consta nas acusações descabidas e sórdidas de autoria do MPF, da PF e, a resumir, dos membros da Lava Jato. É mole ou quer mais, cara pálida?!

Esta é a "Justiça" do Brasil! Inúmeros bandidos com patrimônios milionários livres porque delataram, e o Lula, que tem patrimônio de classe média, preso! Trata-se de um escândalo e de uma vexaminosa farsa, que serão contados, tim-tim por tim-tim, pelos historiadores e cursos universitários. O STF, o maior responsável como garantidor e mantenedor de arbitrariedades e do golpe de estado de 2016 é, sem sombra de dúvida, o vexame, a vergonha e a desgraça do Brasil. O Supremo é o maior responsável por uma quadrilha ter tomado o poder de assalto. Ponto.

O consórcio de direita, golpista e usurpador (Globo, MPF, Congresso, PF, Fiesp, STF etc.), que afundou a economia do Brasil e acabou com a autoestima do povo brasileiro, irá frequentar as páginas mais sombrias, pérfidas, infames e ordinárias da história. E a razão é somente uma, para os golpistas de todos os matizes entenderem: golpe afronta a democracia e o estado de direito. Golpe não é revolução!

Golpe é crime; e quem comete crime é criminoso, mesmo a usar a Lei e o Direito para distorcer os fatos e as realidades e manipular a informação ao público, de forma que o crime receba, por parte do criminoso, um ar (hipócrita e cínico) de "legalidade". Não adianta: os doutores togados, que, na verdade, agem como meganhas a agirem em ditaduras, serão eternamente lembrados como golpistas. Nada como o tempo, e o tempo cuidará de mostrar a conduta dessa gente de maneira transparente.

Aqui é a Banânia do Grupo Globo, o propagador principal e histórico do golpismo neste País, dos servidores ricos de poder e mandonismo, dos políticos corruptos formuladores do golpe, do empresariado tosco e tacanho, que por ideologia e preconceito resolveu ir contra o crescimento do próprio mercado interno, agora entregue às baratas e às empresas estrangeiras, realidades estas que deixam a indústria nacional de joelhos, pois sem competitividade, consumidores e crédito.

Os empresários tupiniquins colonizados, subalternos e plenos de ideologia anticomunista desde os berços, como se vivessem ainda nos tempos das revoluções de esquerda. Estúpidos! Seus preconceitos ideológicos e sociais os levam, ridiculamente, a viverem, hipoteticamente, na Guerra Fria, como se fossem personagens da literatura fantástica.

Chega a ser surreal e assombrosa tamanha estupidez, que de tão ilógica e irreal não existem palavras no vernáculo para definir o reacionário empresariado brasileiro. Pois que se dane o Brasil, afinal para a casa grande tal Nação tem de voltar a ser desimportante, colonizada e subalternamente atrelada aos ditames dos Estados Unidos, este, sim, país tão caro aos corações da burguesia nacional, dos coxinhas de classe média e de grande parte dos servidores ricos do Judiciário, do MPF e da PF.

A burguesia e a pequena burguesia, que colocaram o País em um garrote vil, porque desejam que o Estado brasileiro e a iniciativa privada sejam os mantenedores, beneficiadores e financiadores de apenas 30% da população, a que secularmente sempre se beneficiou dos melhores empregos e salários, bem como sempre teve acesso às moradias confortáveis, aos serviços públicos, ao consumo, ao crédito, aos estudos e às viagens de trabalho, lazer e entretenimento.

As classes médias brancas cooperaram para efetivar um golpe criminoso com as barrigas cheias, panelas nas mãos e camisetas da CBF corrupta, a dizerem que são brasileiras e patriotas, quando, na verdade, sempre odiaram o Brasil e desprezaram seu povo — a maioria formada por trabalhadores e pessoas de etnia negra.

Trata-se da classe média rancorosa, vingativa e odienta, tanto quanto às "elites" proprietárias da casa grande e guardiãs da escravidão. A pequena burguesia assumiu os valores dos ricos, mesmo eternamente na condição de empregada, mas associada aos princípios ideológicos da burguesia, que sempre foram contrários aos interesses do povo brasileiro e opositores da soberania e independência do Brasil.

A classe média despolitizada, intolerante e feroz contra a quem há séculos a serve: os seus empregados domésticos, assim como os do comércio, do campo e da indústria, além dos autônomos que vão às suas casas e trabalhos, a fim de realizar diferentes e diversos serviços.

O grupo social consumidor dos incontáveis produtos e serviços públicos e privados, que são controlados pelos proprietários da casa grande, por intermédio de suas mídias, empresas, instituições e entidades, que sabem e sempre souberam que, ao efetivarem golpes de estado, sempre terão o apoio da classe média brasileira, uma das mais preconceituosas, egoístas e perversas do mundo ocidental.

E por que eu falo disso se o assunto é o Lula, a PGR (MPF), o Judiciário e a imprensa golpista, corrupta e dedicada a ser porta-voz do mercado financeiro e a controlar as agendas governamentais e a combater programas de governos de políticos que a imprensa de negócios privados considera e trata como inimigos, a exemplo do que ocorre agora com o Lula, preso sem provas, pois simplesmente não há provas, porque a verdade é que o Lula não roubou.

Porém, a direita não pode deixá-lo livre, porque sabedora de que ele tem enorme chance de vencer as eleições presidenciais de 2018. Seria uma imbecilidade dar um golpe cafajeste em Dilma Rousseff ao tempo que o Lula concorre ao certame eleitoral, derrota a direita golpista e depois passa a reverter as cafajestadas, as roubalheiras e a demolição da economia praticada pelos golpistas do Palácio do Planalto, que tem o apoio disfarçado da Globo e do Poder Judiciário, que jamais conseguiram ser discretos quando se trata de seletividade, partidarismo e injustiça, porque formuladores e propulsores do inferno que viver o Brasil e seu povo há anos dividido e que está a se matar aos milhares nas ruas e em todos os lugares.

Lula ficaria livre em 2018, porque o golpe dos bandoleiros não teria razão de ser e acontecer, pois Lula no poder reiniciaria mais uma vez na história do Brasil a reconstrução do estado de bem-estar social, do patrimônio público, assim como favoreceria o restabelecimento dos direitos sociais, trabalhistas e previdenciários, o fortalecimento da democracia, dos direitos humanos e do estado democrático de direito.

O líder de esquerda, por intermédio dos programas e projetos que foram extintos por uma direita sórdida e irresponsável, voltaria a dar acesso às populações mais pobres à moradia, ao estudo, à saúde e ao emprego, bem como iria falar para quem quisesse e não quisesse ouvir que a violência no Brasil sempre existiu, mas que após o golpe dos bárbaros e trogloditas a violência explodiu ao ponto de os brasileiros perderem, literalmente, a paz e o sossego.

Lula diria no poder que o fim dos programas e projetos e o golpe que dividiu a população ao meio fizeram do Brasil um pária internacional, além de ser a vergonha e o vexame da América Latina e que ele estaria disposto a retomar o crescimento econômico, de maneira que o brasileiro elevasse sua autoestima e seus sonhos, pois violado em seus direitos constitucionais e relegado a uma condição de cidadão de segunda classe.

Lula, no poder, faria o Brasil ser ouvido em âmbito mundial, porque o País passaria novamente, como aconteceu em seus governos progressistas e desenvolvimentistas, a ter voz, pois soberano e independente. Coisas que a direita política e a burguesia provinciana e infame não compreendem, porque sem honra e compromisso com a sociedade e os interesses do País.

Quem tem o mínimo de discernimento e um pouco de senso de justiça sabe da ausência de materialidade no que concerne às acusações e denúncias contra o Lula. Até os políticos de direita e os grandes empresários, que são bem informados, sabem e entendem o que está a acontecer na Banânia dos ricos e para os ricos.

As imputações que levaram Lula à prisão e as que virão, como as do Sítio de Atibaia e do Instituto Lula são farsas elaboradas dentro da Lava Jato, que tem como propósitos derrotar o PT, prender o Lula e derrubar a Dilma do poder. A direita e os eleitores de direita não aceitaram a quinta derrota consecutiva e "melaram" o jogo democrático, porque queriam fazer grandes negociatas com o patrimônio público e com os bilhões que os governos petistas deixaram nos cofres públicos, inclusive no que diz respeito às reservas internacionais.

A direita sempre quando saiu do poder deixou o Estado nacional em regime pré-falimentar e muitas vezes falido. Foi o que ocorreu nos governos militares, do Sarney, do Collor e, a ter como cereja no bolo, o desgoverno de Fernando Henrique Cardoso — o Neoliberal Golpista I —, aquele sujeito que foi ao FMI três vezes, de joelhos, humilhado e com o pires nas mãos, porque quebrou o Brasil três vezes.

O Brasil era uma piada mundial em todos os sentidos, pois, além de quebrado, efetivava no governo do vendilhão colonizado da Pátria a diplomacia da dependência. Isto mesmo. A diplomacia de tirar os sapatos e abaixar as calças para gringo malandro e esperto, que, no desgoverno do golpista e considerado ladrão pela PGR, *mi-shell temer, a gringada voltou a deitar e rolar, bem como pensar e definir: "O Brasil tem uma "elite" sem-vergonha mesmo... A burguesia mais fuleira, traidora, perversa, colonizada e subalterna do mundo".

É esta imagem que a gringada adepta da pirataria internacional tem das “elites” brasileiras, tanto é verdade que jamais um presidente ou primeiro ministro de país desenvolvido quis se aproximar desse indivíduo abjeto e traiçoeiro, que responde pela alcunha de *mi-shell temer.

E é isto, pois é esta incomensurável vilania e safadeza que alimenta a leviandade, as covardias e as riquezas dessa gente sem pátria, que sempre desprezou o Brasil e que diuturnamente se recusou a pensá-lo para que se pudesse construir uma verdadeira Nação.

Os maiores exemplos do que explicito e que retratam fidedignamente a incompetência, a inconsequência e a irresponsabilidade das oligarquias donas da casa grande são o ministro golpista e usurpador da Fazenda, Henrique Meirelles, e o presidente golpista e usurpador da Petrobras, Pedro Parente. Em um país sério e civilizado eles seriam condenados à prisão perpétua, e em países radicais seriam levados à pena de morte, porque acusados de incontáveis crimes, que só de pensar neles eu não terminaria este artigo.

Lula foi criminalizado por exercer a presidência e por realizar atos legítimos intrínsecos ou inerentes ao seu cargo eletivo. Até assinaturas protocolares entre países, que é uma questão e obrigação dos técnicos do Itamaraty que assessoram qualquer presidente, foram imputadas como corrupção ao Lula, dentre muitos outros absurdos perpetrados por procuradores, policiais e juízes.

Então vamos, enfim, à pergunta que não quer calar: Tal meganhagem é burra, inconsequente, irresponsável ou simplesmente usa o Direito e os seus cargos via concursos públicos para perseguir quem é considerado inimigo político e elaborar processos políticos e ideológicos, que se baseiam em lawfare e domínio do fato? Com a resposta a meganhagem de toga.

Outras perguntas: Os meganhas togados tem lado, são partidarizados e seletivos, já que vazam, sistematicamente, à imprensa de mercado as ações da Lava Jato com antecedência? Os varões de Plutarco da moral, da ética e dos bons costumes udenistas vazam gravações, filmagens, fotos, documentos e o que está escrito nos autos dos processos para demonizar e condenar, por exemplo, o Lula e o PT?

O juiz Sérgio "Não Vem ao Caso" Moro cometeu ilegalidade, a exemplo do vazamento de conotação política e partidária do diálogo entre a presidenta Dilma e o ex-presidente Lula? Este grave crime, das muitas ilegalidades que o juiz Moro cometeu, no decorrer desses anos à frente da Lava Jato, seria passível de severa punição, como ser demitido do cargo e preso?

Então tá, porque muita gente do mundo jurídico e cidadãos em geral consideram que em países como a Rússia, a Coreia do Sul, o Japão, os Estados Unidos, o mundo árabe, Israel, a China, a Inglaterra, a França, a Alemanha, Portugal, a Austrália etc. etc. etc., o magistrado tucano e que jamais e em hipótese alguma prendeu um único tucano ladrão estaria há muito tempo a ocupar uma cela, talvez na PF de Curitiba.

Como o juiz Sérgio Moro é parte intrínseca do status quo, o formulador do golpe de estado bananeiro mas violento, a coisas ficam como estão, à moda século XIX e República Velha, pois o Brasil retroagiu ao passado em apenas três anos e reafirmou sua vocação para ser a casa da mãe Joana e a Banânia dos ricos e dos muitos ricos, que realmente são sempre atendidos em seus interesses mesquinhos e perversos.

Para finalizar, quem tem a obrigação de dar respostas, ser justo e republicano e dar fim a esse golpismo canalha, barato e vergonhoso é a Suprema Corte. A Justiça é partidária e seletiva, porém a imprensa é sádica. Ambos estão a dar fôlego ao golpe, tentam calar o Lula, mas o povo percebe a perseguição e enxerga as eleições. Com a resposta sobre a injusta prisão de Lula o STF — a vergonha, o vexame e a desgraça do Brasil. Lula Livre! É isso aí.

5 comentários:

Jorge Marcelo disse...

Meu próximo cachorro vai chamar Lula
Só pra eu ter o gosto de falar pra visita :

" Pode entrar que o Lula tá preso"
😂😂😂😂😂😂

TUCANO MUITO MAIS FDP DO QUE O JORGE MARCELO disse...

Minha próxima cadela terá o nome da safada de sua mãe, aquela velha cortesã!
Jorge Marcelo, grande FDP!

Jorge Marcelo disse...

“Ser mãe não é ser pai, mas às vezes é ser pai e mãe, não só pai mas só mãe, quando a mulher é mãe ela é mulher e não pai, hoje é o dia das mães e não dos pais, parabéns não pros pais, só pra quem é mãe...”

Dilma Rousseff

Tucano muito mais FDP do que o Jorge Marcelo disse...

Hoje é dia da cadela de zona do vagabundo Jorge Marcelo. Aquela cortesã desse asno.

Marcos Lúcio disse...

MAis uma vez o brilhante jornalista dá um show de conhecimento e informação com sua ética habitual e seu nacionalismo à flor da pele. Nota dez e nada a acrescentar, corrigir ou excluir. Resumo da ópera bufa da vexaminosa ou tosca politicalha direitopata ou da inculta "direitalibã' tupiniquim americanófila, credo!: 'A direita togada e midiática prendeu o político trabalhista para que ele, definitivamente, cale a boca pelo menos até as eleições".