Google+ Badge

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Seu nome é Michel Temer: o pária, o golpista e o traidor que humilha e envergonha o Brasil

Por Davis Senas Filho — Palavra Livre


"Ainda que a traição agrade, o traidor é sempre odiado". (Miguel de Cervantes)

"Michel Temer é tratado como Michel Temer no Brasil e no exterior, ou seja, um pária que todo mundo despreza, pois o bastardo do povo brasileiro, com apenas incríveis 2% de aprovação, praticamente a mesma porcentagem negativa de Lula, que foi de 3%, mas 97% de regular, bom e ótimo de quando saiu no fim de seu mandato de oito anos, um fenômeno mundial o Lula, que teve aprovação acima dos índices do líder mundialmente conhecido Nelson Mandela.

Esta realidade gerou muito ódio no Brasil, principalmente às classes médias coxinhas e aos ricos e seus representantes no mundo empresarial,  político e jurídico. Lula, na verdade, está a ter o seu governo vitorioso julgado, porque o governo que comprovou que as "elites" são mentirosas, pois quando conquistou o poder provou que o País tem jeito, tem vocação para ser potência como Nação, pois condição inerente ao seu tamanho geográfico e populacional.

Os governos petistas demonstraram, ipsis litteris, que a burguesia de índole escravocrata não desenvolvia o Brasil porque simplesmente não queria, e, para isso, escalava um bando de mentirosos de jornalistas e "especialistas" de prateleiras a falar de economia, diplomacia, relações comerciais, administração e finanças para esconder a verdade, porque dessa forma o status quo mantinha o controle (e ainda o mantém) sobre as riquezas brasileiras.

O mundo empresarial que luta para ter o controle do Estado nacional de perfil patrimonialista em suas mãos, a transferir o patrimônio e os recursos públicos à iniciativa privada, como o faz agora com violência e selvageria o desgoverno do delinquente *mi-shell temer, a ter os golpistas e fundamentalistas do mercado, Henrique Meirelles e Pedro Parente, como os destruidores da economia nacional e da Petrobras e do Pré-Sal.

Parente já deveria estar preso há muito tempo, se neste País os procuradores, delegados e juízes não ficassem a querer governar o Brasil sem a autoridade do voto ou das urnas, pois, juntamente com a imprensa de negócios privados mais corrupta do planeta, interditaram a política e a criminalizaram, mesmo a saber que a política é a única forma de uma nação se tornar civilizada e desenvolvida. Querem mandar por meio de canetadas.

Querem prender sem provas. Lamentável a que ponto chegou o Judiciário e seu principal sócio, a imprensa empresarial e familiar de magnatas bilionários, que jamais foram seriamente investigados sobre suas riquezas fabulosas, que são desconhecidas, inclusive, dos órgãos de fiscalização do Estado brasileiro, que foi tomado de assalto por uma quadrilha.

Togados e meganhas que hipertrofiaram o Judiciário, e, especificamente, a querer prender o ex-presidente Lula, que não cometeu crimes, a não ser o de governar o Brasil para valer. O sucesso do governo de Lula é o combustível que movimenta o ódio e a intolerância da burguesia incompetente e colonizada, cujas empresas sempre viveram a mamar as tetas do Estado, o mesmo que a casa grande vive a criticar para se dar bem.  

Lula e Dilma demonstraram tamanha mentira e, consequentemente, o Brasil cresceu como nunca, a incluir, no Orçamento da União, dezenas de milhões de brasileiros de todos os segmentos da sociedade, inclusive o acesso ao consumo de bens duráveis e imóveis. A partir desta constatação por parte da casa grande escravocrata e da classe média coxinha da pior estirpe, o ódio cresceu e deu no que deu: um golpe cucaracha e bananeiro de terceiro mundo, a cara dos coxinhas e de seus patrões ricos.

Os coxinhas foram às ruas para bancar os palhaços convocados pelas televisões, que fazem suas cabeças dignas de celerados, gerações após gerações. Agora eles estão em casa, com suas panelas caladas e camisetas amarelas guardadas, assim como o pato golpista e amarelo da Fiesp está a rir das caras de trouxas dessa gente ignorante e despolitizada, que está a engolir o PSDB, partido da burguesia e da pequena burguesia, em um abraço de afogados com o corrupto *mi-shell temer, aquele crápula que é considerado ladrão pela PGR e PF, além de ser tratado como pária pelas autoridades estrangeiras.

A exemplo de suas raríssimas viagens, como ocorre nesses últimos dias na Rússia e Noruega. Nada mais ou menos do que ser considerado golpista, mentiroso e irresponsável. *temer recebe o tratamento de político de ações deploráveis, porque um presidente, volto a ressaltar, pária, ilegítimo e usurpador, de um país de golpistas saídos diretamente dos porões de terceiro mundo, lugares de onde as conspirações golpistas tiveram suas origens no Brasil e na América Latina.

*temer já  garantiu seu lugar na lama fétida da história como traidor, o pior adjetivo de todos adjetivos negativos e desprezíveis da humanidade, como no Brasil vivem nesta humilhante e vergonhosa condição histórica, os nomes dos traidores da Pátria, Silvério dos Reis, Domingos Fernandes Calabar, Cabo Anselmo e Fernando Henrique Cardoso — o Neoliberal Golpista I —, aquele que vendeu o Brasil, implementou a diplomacia subalterna do "tirar os sapatos e abaixar as cabeças", bem como deu autorização para que o PSDB fosse um dos protagonistas do golpe de estado contra o Brasil, sua democracia e a presidente legítima e constitucional Dilma Rousseff.

*temer é o chefe do bando que tomou de assalto o Palácio do Planalto, como os bandidos tomam de assalto as ruas, os comércios e as residências do País. Ele foi tratado na Rússia e está a ser tratado na Noruega conforme ele é: pequeno, desimportante e subalterno. Porém, o que esse sujeito usurpador e golpista pensa que é? Evidentemente que, aos olhos da gringada que o trata como subserviente e submisso, tal indivíduo asqueroso, abjeto e odiado por 98% dos brasileiros não merece seu respeito, pois não se trata de um estadista, que se dá ao respeito e, portanto, não admirado e desconsiderado.

Então o que o político miúdo é? Respondo: o político de grandeza anã é provinciano e de direita à moda "reaças" de 1932, o feitor da burguesia, o capitão do mato da casa grande, o capacho dos banqueiros, o porta-voz dos infernos, que tira dos brasileiros para entregar aos governos estrangeiros e à iniciativa privada. Tal valete é o burguês de alma e pensamento colonizado. *mi-shell temer é valentão com os pobres e subserviente perante os ricos. Trata-se do usurpador que deu um golpe de Estado e que já entrou para a história como o presidente corrupto e  impopular; o odiado e tratado como pária e bastardo dentro do Brasil e no exterior. *temer é, sobretudo, o traidor!

O ilegítimo, o ilegal, o imoral, o denunciado, pois acusado de ser criminoso, de ter cometido inúmeros crimes comuns, constitucionais e institucionais, pois, indelevelmente, transgressor e violador. O cidadão inimigo da cidadania, porque totalmente inconsequente e irresponsável, que frequenta assiduamente o Código Penal, de acordo com a PGR e a PF. O líder de delinquentes processados ou que estão enjaulados nas cadeias. O chefe de um ministério apodrecido e o chefete e menino de recado da banca internacional e da decadente casa grande paulista e paulistana.

O receptador de malas recheadas com dinheiro sujo, ilegal, pois de propinas, segundo as denúncias e acusações oficiais. O testa de ferro, o preposto, o laranja, o presidente (sic) de fachada. O fantoche, o invejoso e o sorrateiro. O sujeito que representa os interesses do establishment, da burguesia tupiniquim, aquela medíocre e alienada que jamais e em hipótese alguma teve qualquer projeto de desenvolvimento para o Brasil e apreço pelo seu povo.

Trata-se daquele golpista que considera estar a conquistar avanços ao olhar pelo retrovisor. O político minúsculo. O anão moral e político. O diminuto e o ínfimo. O iníquo, o malévolo e o injusto. O perverso do programa ultraneoliberal "Uma Ponte para o Futuro (no Inferno)". O mentiroso, o ardiloso e o traiçoeiro.

A incompetência administrativa e a visão curta, rasa e estreita sobre relações internacionais, porque o desgoverno de *mi-shell temer é irremediavelmente provinciano e colonizado, o que o faz ser sectário, arrogante, pretensioso e preconceituoso, pois a criar muros ao invés de pontes.

*temer é apenas um "rato" veterano e já decadente de balcões de negócios, que vivia há quase 50 anos nos bastidores e nos porões da República, a negociar os negócios de seu grupo político, que tomou de assalto o poder em companhia do PSDB, cujos políticos são tão golpistas quantos os políticos de 1964, sendo que em um tempo que os tucanos não têm a desculpa da Guerra Fria, bem como o mau exemplo do passado não ensinou nada com coisa alguma aos tucanos que garantiram, sem sombra de dúvida, páginas desditosas e infames nos livros de história.

A sordidez como forma de fazer a nobre arte da política pelas mãos dos golpistas liderados por *mi-shell temer — o antidemocrático, o antinacionalista e o antipopular. O que mandou o Exército ir às ruas como se fosse a guarda pretoriana do arremedo de ditadorzinho de terceiro mundo. O golpista cara de pau que manda a polícia bater nos trabalhadores, nos servidores públicos, nos estudantes, nos professores e nos índios, porque chefe de um governo de direita, ilegítimo e violento.

O usurpador que leva à morte os trabalhadores do campo e, principalmente, os sem terras por seu desgoverno ser cúmplice e conivente com a repressão à sociedade civil organizada. O despótico aliado de prefeitos e governadores que expulsam, sistematicamente, as pessoas que se organizam para ocupar prédios abandonados nas grandes cidades, porque não possuem casas próprias e não têm dinheiro para pagar aluguéis, abaixo de muita porrada protagonizada por policiais e seguranças, além de serem vítimas de bombas de gás lacrimogêneo, gás de pimenta, balas de borracha e ataques de cães.

Trabalhadores à mercê de todo tipo de ameaças garantidas por juízes, coronéis, delegados, promotores e pela tropa de policiais militares, que até hoje são doutrinados em suas escolas profissionais como se o Brasil vivesse ainda na década de 1970 — a década em que a repressão militar-policial chegou ao seu auge neste País, que oficialmente escravizou seres humanos por 388 anos!

A polícia estatal como ferramenta de repressão da casa grande. A guarda pública do patrimônio privado paga pelo contribuinte. O interesse privado a se sobrepor ao interesse público. Este é e sempre foi o Brasil, agora com mais força e evidência no desgoverno de *temer, porque completamente desprovido de subterfúgios para disfarçar a repressão e a distribuição do patrimônio nacional e dos estados e municípios à iniciativa privada, que suga de canudinho o dinheiro e o patrimônio públicos.

Toda essa malévola realidade em benefício dos privilégios da burguesia mais pusilânime, colonizada e vazia de propósitos do planeta, porque irremediavelmente entreguista e psicologicamente pária e subalterna. Simplesmente não se importam com a autonomia e independência do País, que permitam e viabilizem seu desenvolvimento e, com efeito, defendam os interesses nacionais e estratégicos do País.

Já disse em outros artigos, mas não custa nada relembrar: o inimigo do Brasil não é externo e, sim, interno. A história comprova. Ponto. A casa grande e seus coxinhas amestrados e despolitizados são os inimigos do maior País da América Latina e um dos mais importantes do mundo até a deposição de Dilma Rousseff, golpe que, inquestionavelmente, transformou o Brasil em um republiqueta bananeira com a cara de nossas "elites" colonizadas, em pleno século XXI, no ano de 2016.

E lá se vai o Amigo da Onça, o traidor, o usurpador a viajar pela Rússia e a Noruega, como se nada tivesse acontecido e a acontecer neste País que está em guerra e, irrefragavelmente, dividido desde junho de 2013. São exatos quatro longos anos. Não se trata de uma crise político-institucional qualquer. É a mais grave da história do Brasil moderno, porque ocorre em um momento que o País se preparava para combater a crise internacional no governo legítimo de Dilma, o que ocorreria sem sobressaltos radicais, pois um País que institucionalmente não está em crise tem maior chance de combater mazelas econômico-financeiras. Todo aprendiz de economista, administrador e contador sabe disso.

Hei de lembrar que o desemprego nos tempos de Dilma Rousseff era de 4,2% e no desgoverno do golpista que paga mico no exterior, que incomoda, constrange e irrita mandatários legítimos, como o presidente russo, o rei e a primeira-ministra da Noruega, atingiu os incríveis 13,7%, o que significa 14,4 milhões de desempregados, fora a economia informal. *temer e a política econômica de seu desgoverno é indiscutivelmente um fracasso retumbante.

O ambiente e o clima no Brasil são de baixíssima estima, desesperança, ódio, intolerância e fadiga, porque não há mais energia e propósitos para que o País se pacifique. A economia, em 2014, estava estável, apesar do recrudescimento da crise internacional e de algumas mudanças de cunho neoliberal efetivadas por Joaquim Levy, que caiu, pois se indispôs com os economistas desenvolvimentistas, com o PT, o PCdoB e suas bancadas.

A intenção era continuar, com poucas mudanças e alterações, a política econômica de Lula e do primeiro governo de Dilma, que privilegiavam o consumo, o mercado interno, os programas de inclusão social e as obras em todo o País, que, evidentemente, geraram empregos e desenvolvimento em todos os setores da economia, a criar ciclos virtuosos, que levaram o Brasil a fortalecer sua economia e, consequentemente, ser admirado e respeitado pela comunidade internacional. Isto é história. É fato.

Entretanto, estamos a aturar um golpista mequetrefe, que destruiu a economia e interditou a democracia para criar um país apenas para ele e sua camarilha de bandoleiros, a incluir a imprensa de mercado, que tomaram a Presidência da República por meio de um golpe vergonhoso e que humilha profundamente o Brasil e os brasileiros, que combatem incansavelmente o golpe e não sossegam enquanto esse presidente ilegítimo, que está a vender o País seja retirado do poder para responder por seus crimes de lesa-pátria e de alta traição.

O lugar adequado a *mi-shell temer é a cadeia, a prisão — a jaula! Se o *mesfistófeles desse um golpe bananeiro na Noruega ou na Rússia, lugares onde ele cometeu gafes dignas de um provinciano sem noção que ele é e sempre foi, tal indivíduo odiado e desprezado por quase todos os brasileiros seria preso. Sem conversa!

Esse indivíduo e sua corja do balacobaco, que transformaram o Palácio do Planalto em um covil de predadores ou um ninho de cobras venenosas, são abjetos e irresponsáveis, porque ao desmontar o Estado nacional e tratá-lo como se ele fosse privado, obviamente que será muito difícil restabelecer o poder público e implementar novamente um estado de bem-estar social, como estavam a construir os presidentes Lula e Dilma.

A ordem é fazer com que fortalecer o Estado fique praticamente impossível, de forma que os interesses privados sejam concretizados. Trata-se de colonialismo e servilismo aplicados diretamente nas veias por esse monte de canalhas e sacripantas que arrebentaram com a economia do País e tiraram, a fórceps, a paz social e o sentimento de justiça. Sem justiça não há paz.

O País gigante que ficou minúsculo e ainda mais individualista com o *temer e a burguesia irresponsável que o apoia e agora está a amargar duros prejuízos em suas empresas comerciais e industriais, porque a economia, à frente o golpista e traidor Henrique Meirelles, afundou como o Titanic.

O Meirelles, ele mesmo, aquele testa de ferro de banqueiros, cuja aposentadoria é de R$ 250 mil e que durante quatro anos foi o principal executivo da JBS dos gângsters irmãos Batista. E a Friboi era do Lulinha... Durma-se com um barulho desse. Trata-se de cretinice, hipocrisia e cinismo sem limites. Somente a sociedade brasileira produz cretinos de tanta pequenez e com imensa vocação para a infâmia. Em profusão...

O elevado à condição de presidente(sic) pária e bastardo pela mesma imprensa golpista e de mercado que deseja ardentemente derrubá-lo do poder e, com efeito, garantir as eleições indiretas e ter tempo para encontrar qualquer candidatura que viabilize um político de direita competitivo. *temer representa, definitivamente, um governo sem o povo, porque desprezado e odiado por quase toda a Nação.   

O elemento (como diz a polícia) que, na verdade, é  execrável, a quem ninguém o leva a sério, a não ser a si próprio quando se olha no espelho. O sujeito que se mostrou desprovido de escrúpulos e que criou para si um mundo paralelo, onde ele se diverte no papel de presidente da República de um País rico e sem problemas, como se tivesse saído direto de um manicômio para egocêntricos que perderam totalmente a razão e a noção das realidades que se apresentam.

O Amigo da Onça vive como se fosse a Alice no País das Maravilhas e sai a viajar como um caixeiro viajante, a vender o Brasil sem ter moral, autenticidade, legitimidade, autoridade e o poder de convencer os russos e os noruegueses de que ele é sério, quando os mundos mineral, animal e vegetal sabem muito bem que ele não passa de um reles golpista de terceiro de terceiro mundo e porta-voz da casa grande brasileira, a mais atrasada, provinciana, colonizada e entreguista do mundo ocidental.

O *temer é o exemplo fidedigno do que é ser o fim da picada! Ele é a vergonha do Brasil. Ele representa e exemplifica as vergonhas, as desigualdades e as injustiças brasileiras. Ele acumula em si o significado, a realidade e a verdade de o que é de fato um País populoso e com um povo criativo e trabalhador, grande geograficamente, com terras, águas e subsolos ricos não ter conseguido se desenvolver por causa de uma casa grande que aposta no atraso e no retrocesso político, econômico e democrático para manter seus privilégios, receber benefícios e transformar o Estado nacional em estado patrimonialista, a servir aos interesses econômicos e políticos da burguesia e com o apoio da pequena burguesia — a despolitizada e a racista —, a que demonstra racismo na internet e na vida prática sem se envergonhar de sua ignomínia, de seu infame ato.    

O político nanico, o alquimista do nanismo social, o coveiro da economia, o entregador do patrimônio público, das terras férteis e agricultáveis, das águas e das riquezas do solo brasileiro. O interlocutor menor, o minúsculo, aquele que ninguém vê, considera e respeita, se tiver um pouquinho de juízo, pois saberia que jamais poderia levá-lo a sério.

*temer é um presidente pária,  isolado, cujo distanciamento da verdade e da realidade se converteu em sua matéria prima para governar. O estúpido governa como um biruta que pensa que é rei, mas está a viver de suas ilusões de ser considerado estadista. Ele é assim e assim ele procede. Suas mãos são ligeiras, seus dedos sempre em riste, não param, a exemplificar sua egocêntrica ansiedade, que é intermediada por mentiras, que têm por finalidade mantê-lo, a todo custo, no poder. É só o que importa, além do tique nervoso em sua boca, que a torce e a distorce, como se o golpista e o usurpador estivesse a ser acometido por um derrame cerebral ou AVC.

E seu trunfo para cometer os desatinos, as injustiças e as perversidades de sua fracassada e deplorável administração são as reformas do trabalho e da previdência. As usa como motivo maior para manter a quadrilha no poder e infernizar a sociedade brasileira, além de humilhá-la perante a comunidade internacional.  O simplório e provinciano golpista tem seus dias contados, porque não há mal que perdure, que dure para sempre.

O *temer é o mal. Seu desgoverno é o exemplo pronto e acabado do quão homens e mulheres egocêntricos, egoístas, ignorantes e descompromissados com a humanidade, com a sociedade e com o País podem desumanizar a política, sem se preocupar que é por intermédio dela que se alcança o mínimo de civilidade, justiça e paz. 


*mi-shell temer é o mal que será derrotado e, por sua vez, o Brasil, após superar tão longa e violenta crise, terá mais consciência do quanto é importante a democracia, o Estado Democrático de Direito, a Constituição, a preservação da ordem institucional no que tange aos Três Poderes e, principalmente, à obediência aos resultados das urnas soberanas — o respeito ao resultado das eleições. *temer é golpista, usurpador, ilegítimo e traidor. Seu lugar na história é no porão. É isso aí.  

2 comentários:

Jorge Marcelo disse...

Coitadinho do Lula...tão inocente e vítima de um complô

Adolfo Hitler disse...

olhe só, o coxinha golpista Jorge Marcelo pensando novamente pelo traseiro. Quem nasce pra ser asno, asno é.