Google+ Badge

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Lula e a Lava Jato, o porquê do golpe e o País dos hipócritas e cretinos

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


Antes de tudo e qualquer coisa que aconteça no âmbito da Lava Jato e do Judiciário em geral, imperativo se torna dizer que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, investigado há 40 anos e perseguido pela direita do Judiciário e da Lava Jato sistematicamente e violentamente há três anos, não roubou e não cometeu atos administrativos de má-fé quando exerceu, com competência e determinação, o cargo de presidente da República. A verdade é que para a Lava Jato o crime de Lula foi governar e melhorar as condições de vida do povo brasileiro.

Afinal, até o mundo mineral percebe que juiz e procurador das estirpes de Sérgio Moro e de Deltan Dallagnol estão a fazer uma frente política e partidária cujo propósito maior é interditar a candidatura de Lula a presidente da República, bem como inventarão qualquer coisa, com o apoio irrestrito do Grupo Globo, o alicerce do golpe e que ganha os corações dos coxinhas para cometerem seus desatinos e irresponsabilidades em forma da política mais rasteira e corrupta que se possa viabilizar neste País.

O problema dessa gente togada e vazia de escrúpulos é que no futuro ela terá de responder criminalmente por muitos de seus atos, além de ter subordinado a Constituição e o Estado de Direito a seus interesses políticos, partidários e ideológicos, independente do combate à corrupção, que tem de ser realizado além de ser obrigação, apesar de seletivo e partidário por causa de suas ações persecutórias e temperadas por inúmeros atos ilegítimos de autoria de seus principais atores.

O foco principal de Moro e Cia. é insistir sempre na criminalização das ações governamentais de Lula, a culpá-lo, inclusive, dos atos administrativos do Governo Dilma, especificamente no que concerne à compra de aviões Grippen, da Suécia, sendo que existem técnicos civis e militares que decidem ou não sobre a compra de equipamentos tão sofisticados. Chega a ser uma imbecilidade e total desfaçatez de togados e meganhas que não sabem patavina sobre como funciona o Estado brasileiro, principalmente quando se trata da compra de aviões militares de combate.

É o fim da picada tamanha patifaria que se tornou visível à grande parte do público, que não se deixa enganar pela parceria dos patrões donos de mídias empresariais e historicamente contrárias aos interesses do Brasil com os operadores da Lava Jato, realidade que, ao que parece, os togados e os meganhas desconhecem, como Deltan Dallagnol e sua equipe sabem que os crimes praticados por Lula não existem, porque não ocorreram, como comprovou, sem sombra de dúvidas, o powerpoint leviano e mentiroso apresentado por tal procurador.

Sujeito que pensa ser um personagem bíblico, que empunha uma espada concedida por Deus, para que ele possa combater a corrupção, mas sempre a esquecer, convenientemente, dos tucanos do PSDB, do DEM, do PPS e até mesmo dos quadrilheiros, que tomaram de assalto o Palácio do Planalto para fugir da cadeia. A verdade é que a Lava Jato teve as pernas quebradas pelo Joesley Batista, da JBS, fato este que evidenciou que os homens e mulheres da Lei têm lado.

Como assim? Fácil verificar por meio da comprovação dos facebooks dos delegados aecistas, que xingavam o Lula e a presidente Dilma, porque defendiam a candidatura de Aécio Neves, que, ironicamente, poderá ser preso amanhã, dia 20 de junho. Nada como um dia após o outro, como também ocorreu com a deposição de Dilma para entrar em seu lugar um ladrão, o que deixou muito coxinha atônito e com cara de bunda. Realmente, o mundo gira, e vai girar para os seletivos, os perseguidores e os injustos da Lava Jato.

A verdade é que o juiz, os procuradores e os delegados da Lava Jato sempre souberam da corrupção do PSDB e de seus aliados, mas que eram blindados, porque o que interessava era enfiar o PT dentro da Lava Jato e jogar a chave fora, de forma que ao se aproximar as eleições o PT, as suas lideranças e os seus candidatos não tivessem chances de concorrer a cargos públicos e eleitorais quanto mais vencer as eleições municipais de 2016, o que ocorreu por causa das ações da Lava Jato com a parceria mais do que duvidosa dos magnatas bilionários de imprensa e seus empregados de confiança.

Contudo, a vida é feita de lutas e as realidades se compõem com as verdades por intermédio do tempo. Verdade e realidade são uma poderosa química, que evidencia o que está acontecer de tal forma que se torna impossível esconder o que não se pode mais esconder, que, no caso do golpe, o Estado brasileiro estava há muito tempo a ser dilapidado não somente pelos políticos, mas, sobretudo, por empresários bilionários, que jamais pensaram no Brasil e no seu povo.

Ainda não consigo compreender como os megaempresários dos meios de comunicação privados não são, resolutamente, investigados pelo Judiciário. Afinal, trata-se de bilionários que, evidentemente, não se tornaram bilionários porque são "competentes" e pegaram firmes no cabo da enxada. Os antigos já diziam: "Ninguém se torna bilionário somente com o trabalho árduo". E não tem como... O que acha o leitor?

A verdade é que o objetivo dos políticos de direita da Lava Jato é fazer com que o Lula não pare de se defender até chegar as eleições de 2018, de forma que ele não se concentre e não tenha paz para disputar o certame eleitoral, além de colocarem seu nome perenemente nas mídias conservadoras, de forma que o ex-presidente seja sempre desqualificado e desconstruído perante o público.

Tais togados perderam a credibilidade, porque acusam o Lula em várias frentes, com inúmeros depoentes e testemunhas, tanto da defesa quanto da acusação. Porém, todos os que depuseram, e são dezenas de pessoas que ocupam e ocuparam cargos de relevância na iniciativa privada e no setor público, disseram que não têm quaisquer conhecimentos de que o Lula tenha cometido crimes ou ilegalidades ou pedido propinas ou favores para benefício próprio.

E esses caras da Lava Jato não param com essa ladainha repetitiva, covarde e desavergonhada, como ocorre nos casos do triplex, do sítio, dos containers, do instituto, do apartamento alugado, do Carf, dos aviões Grippen, dos incentivos fiscais que beneficiariam as montadoras Caoa e MMC. Os últimos três casos, por exemplo, são de uma falta de provas que chega a ser surreal ou tresloucado, o que denota, sem sombra de dúvida, a que ponto podem chegar servidores públicos que se tornaram, equivocadamente, políticos, pois ainda o são indelevelmente ideológicos.

O juiz Sérgio Não Vem Ao Caso Moro ainda não entendeu que as vísceras da Lava Jato ainda serão abertas, de maneira que a história do Brasil seja escrita de forma verídica e sem rodeios. Moro ainda terá de explicar sua atuação nos Estados Unidos junto a órgãos do governo, a quebra proposital de empresas brasileiras multinacionais em nome do combate à corrupção, além dos crimes cometidos contra os advogados de Lula, ao fazer escutas ilegais para saber o quê a defesa do ex-mandatário planejava como estratégias para defendê-lo.

Moro cometeu crimes ao divulgar o áudio entre Lula e Dilma ainda presidente, divulgou o áudio de conversas entre os membros da família de Lula, mandou invadir a casa do político petista, recolheu objetos e pertences, levou Lula coercitivamente a um aeroporto de São Paulo, a trancafiá-lo em uma sala para que o ex-presidente respondesse a perguntas de delegados, muitas delas idiotas, que ele já tinha respondido "quinhentas" vezes, além de outras selvagerias próprias dos fascistas, como, por exemplo, o fechamento de Instituto Lula por parte de um juizeco substituto de quinta categoria, que nem vale a pena citar seu nome.

O magistrado de primeira instância e provinciano, que, imprudente e pretensioso, frequenta convescotes de patrões de mídias privadas e de tucanos, que são inimigos dos políticos que tal juiz se acha apto a julgar, bem como é o maior responsável, juntamente com o tenebroso juiz Gilmar Mendes, pelo impedimento político de Lula de assumir a Casa Civil, quando Moro divulgou os áudios entre Dilma e Lula, conforme já relatei.

Dilma era a presidente legal e constituída e Lula um cidadão pleno de seus direitos foram impedidos de governar e de assumir cargo público, pois o juiz do PSDB do Paraná e o juiz do PSDB do Mato Grosso sabiam que Lula iria lutar para reagrupar a base parlamentar de Dilma, que estava esfacelada, porque se tratava de retaliação contra uma presidente, que, republicana, não permitiu a corrupção e não interferiu no MPF, na PF e na Lava Jato, de tal forma que os procuradores da Lava Jato, dentre eles o Carlos Fernando dos Santos Lima, afirmaram em público que os governos petistas foram os que deram condições para se combater a corrupção endêmica e secular que ocorre na sociedade e no Estado brasileiro.

Obviamente que o futuro sempre chega para todos os viventes, inclusive para os intocáveis da Lava Jato, pois quando acabar essa bagunça da qual togados e meganhas de segundo e terceiro escalão se aproveitam de seus cargos públicos pagos a preços de ouro pelo contribuinte brasileiro para fazer política e escolher lado partidário e cor ideológica, simplesmente passa a ser necessário, após toda a miscelânea que desordenou o Brasil, reordenar o sistema Judiciário, que realmente urge que ocorra uma profunda reforma desse Poder tão importante para o Brasil, o Estado Democrático de Direito e a democracia.

O problema é que o Lula, após três anos de intensas investigações, além de perseguições de carácteres sórdidos, volto a ressaltar, não cometeu quaisquer crimes e por isto nada, mas nada mesmo foi provado e comprovado pela PF e pelo MPF contra o maior político da história do Brasil, na companhia do estadista gaúcho Getúlio Vargas. O juiz Moro e os procuradores não sabem mais o que fazer, mas terão de fazer, mesmo sem provas, qualquer covardia que impeça Lula de ser candidato em 2018.

Esta é a principal missão dada à Lava Jato, que trabalha em sintonia com os interesses do establishment norte-americano e da casa grande brasileira, que é e sempre foi subordinada e subserviente à gringada colonialista. Dentre todas as responsabilidades da Lava Jato, no que é relativo às ações políticas e ideológicas em nome do combate à corrupção, a mais importante é interditar a candidatura de Lula e facilitar, no decorrer das eleições de 2018, a ascensão de uma candidatura de direita. As eleições deveriam acontecer já em 2017, a fim de pacificar a sociedade brasileira e se efetivar a retomada do desenvolvimento econômico e social.

O problema é que a direita está despedaçada porque está dividida e a brigar de forma feroz como evidencia a realidade, a exemplo da luta entre o oligopólio golpista liderado pelo Grupo Globo e o governo do usurpador e traidor *mi-shell temer, que é considerado um presidente pária e bastardo pela comunidade internacional, mas que tem o apoio dos jornais Estadão e Folha, dentre outras empresas midiáticas de menor influência, além de setores da sociedade conservadores e até de extrema direita, que são influentes e muito barulhentos, que estão a apoiar o deputado fascista, Jair Bolsonaro, bem como são favoráveis à permanência do corrupto *mi-shell temer no poder.

A candidatura da direita brasileira está suspensa no ar, e até o momento não tem um nome competitivo, que, independente de tê-lo ou não, amargará nos debates a pecha de golpista, entreguista e contrário aos pobres, queira ou não o candidato escolhido por aqueles que afundaram a economia brasileira e humilharam o Brasil, que ficou com sua imagem desgastada, pois considerado uma republiqueta bananeira e colonizada, cuja parte da população é portadora de um gigantesco complexo de vira-lata, apesar do tamanho geográfico do País, de sua enorme economia e população.

É sempre de bom tom repetir que as eleições, já em 2017, seriam fundamentais para que o Brasil pudesse estancar a crise político-institucional e, por sua vez, sacramentar ou consagrar um novo contrato social, que pacificasse a Nação, pois a Constituição e o Estado Democrático de Direito foram violados pela casa grande de índole e alma escravocrata e que odeia o Brasil e seu povo.

Sendo assim, o presidente eleito e sua equipe teriam autoridade institucional e administrativa, porque legitimados eleitoralmente pelas urnas, que, de acordo com a Constituição em seu Artigo 1º: "A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos: Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição".

A direita sabe e compreende que o procurador-geral, Rodrigo Janot, humilhou os tucanos togados da Lava Jato. Em um tempo de três meses, conseguiu inúmeras provas e muito mais contundentes e sólidas contra os políticos do PSDB, sendo que em três anos os procuradores e delegados pirotécnicos jamais conseguiram incriminar o ex-presidente Lula pelo simples e objetivo fato de que o líder trabalhista não cometeu crimes.

Pelo contrário, a falta de provas faz com que a população perceba ou sinta que Lula está a ser perseguido e injustiçado, enquanto os tucanos foram pegos com a boca na botija. Esta é a verdade, porque a verdade se baseia em provas. Ponto. Lula já obteve inúmeras vitórias no âmbito da Lava Jato, a se defender e a comprovar que não cometeu crimes, como também não os cometeu a ex-presidente Dilma Rousseff.

Os tribunais estão a atender a defesa de Lula, que se baseia na verdade dos fatos. Os desembargadores não estão a tergiversar quanto aos fatos e as provas. Não se trata da Justiça à moda juiz Catta Preta, que, em indisfarçável leviandade, saía às ruas, em Brasília, a favor do golpe contra a Dilma e depois julgava casos de relevância política em primeira instância, bem como afirmou que a queda de Dilma seria boa para ele viajar mais vezes a Miami. Tal juiz tresloucado e alienadamente coxinha poderia ir também a Orlando para visitar o Mickey e bancar o Pateta. Afinal, esses dois famosíssimos personagens são inseparáveis amigos.

Todas essas questões entrarão para a história e todos nós, cidadãos brasileiros, de certo modo ou maneira, somos testemunhas da história do Brasil neste período tão conturbado, que dividiu, insofismavelmente, a sociedade brasileira. Se o Judiciário e o consórcio de direita de caráter escravocrata e golpista impedirem Lula de concorrer às eleições presidenciais de 2018, o Brasil será alvo de uma derrocada econômica e social que pode levá-lo francamente a uma convulsão de cores explosivas sem igual em toda sua história.

O candidato das forças democráticas e populares ser impedido de se candidatar seria o fim da democracia brasileira e do Estado de Direito. Então é melhor fechar o Brasil para vivermos realmente e sem disfarces em uma ditadura a serviço dos interesses privados, com o beneplácito e a cumplicidade do Judiciário, à frente o Supremo Tribunal Federal (STF), o que seria a página mais sombria e desditosa da história da República, pois o golpe de estado de 2016 conjura com esta condição que irremediavelmente humilhou o Brasil.


Luiz Inácio Lula da Silva é candidato a presidente pelo Partido dos Trabalhadores, porque ele é cidadão que contra sua pessoa nada se provou, bem como o PT é o partido mais importante da história do País, além ser intrinsecamente e organicamente ligado aos interesses, às forças e às vozes populares, como comprovam seus 13 anos de governo, apesar de todos seus erros e acertos. O Brasil não pode continuar a ser refém de hipócritas e cretinos. Lula é candidato em 2018. É isso aí.

6 comentários:

Marco Aurélio Passos disse...

Artigo brilhante e que vai direto ao ponto. Não sei como a Lava Jato vai se virar sem provas contra o Lula, ainda mais que os tucanos estão na alça de mira e poderão ser presos, como poderá ocorrer com o Aécio Neves. Só se sabe que o Lula é forte candidato, que o TEMER é um desmoralizado e que sem as diretas o país afunda de vez. Parabéns pelo artigo. Acompanho o incansável e combativo articulista desde os tempos do Jornal do Brasil. Abraço.

Anônimo disse...

#foraTodaQuadrilha

Sonia Queiroz disse...

Ainda não tinha lido um texto tão elucidativo que apontasse os fatos como eles foram e são na realidade atual. Estou plenamente satisfeita com o que li.Parabéns,Davis Sena Filho!

Davis Serna Filho disse...

Um abraço, Sônia.

Marcos Lúcio disse...

Para variar você brilhou em mais um texto aula, absolutamente irretocável e realista. Porém só discordo nisto: "Aécio Neves, que, ironicamente, poderá ser preso amanhã, dia 20 de junho".
Não foi e, INFELIZMENTE, o mais provável é que NÃO PRENDERÃO AÉCIO. AECIM (MINÚSCULO MESMO) ameaçou DELATAR TUCANOS e JUÍZES envolvidos em toda sorte de crimes. Por sua vez, o PSDB/DEM ameaçou TEMER de deixar de apoiá-lo, o que ACABARIA COM O GOVERNO GOLPISTA. Caso Aécio fosse preso, levaria junto TEMER, JUÍZES, mais de 300 DEPUTADOS CORRUPTOS, além dos SENADORES. Seria o FIM DO GOLPE. Como os brasileiros ASSISTEM A TUDO QUIETOS, o STF se sente à vontade para fazer o que quer. É isso. QUEM NÃO LUTA PELO QUE QUER, DEVE ACEITAR O QUE VIER.
Da coluna de Lauro Jardim :
"Não foi só companheirismo que fez os tucanos agirem para proteger Aécio Neves.
A mais de um correligionário, Aécio lembrou que tem excelente memória sobre os últimos 20 anos do partido e de pecados de diferentes tamanhos de seus mais ilustres integrantes'.

MINHAS RAZÕES PARA VOTAR NO LULA!
1- O BOLSONARO ODEIA ELE
2- A DIREITA ODEIA ELE
3- O PSDB ODEIA ELE
4- A GRANDE MÍDIA ODEIA ELE
5- O DORIA ODEIA ELE
6- A CLASSE DOMINANTE ODEIA ELE
7- OS NEOLIBERAIS ODEIAM ELE
8- PARTE DO JUDICIÁRIO ODEIA ELE
9- OS FASCISTAS ODEIAM ELE
10- O MORO ODEIA ELE
Enfim, .se a coxinhada GLOBOMIDIOTIZADA, histérica, fundamentalista e paneleira, juntamente com a rede esgoto de telê (há décadas) fazem de tudo para acabar com ele...evidente está que é com ele que eu vou sambar e votar rs...até cair no chão rs.

Davis Serna Filho disse...

um abraço, prezado Marcos Lucio.