Google+ Badge

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Marta é Helena, que é Cristóvam, que é Marina. Ela também trai

Por Davis Sena FilhoBlog Palavra Livre


ILUSTRAÇÃO: BESSINHA (VIA CONVERSA AFIADA)

É mais ou menos assim: Marta Suplicy sente rancor igual ao Cristóvam Buarque, que nunca perdoou o Lula por sair do Ministério da Educação por ser contrário ao programa do PT para a Pasta, além de ser considerado nada pragmático; Mas Marta, como o Cristóvam, ocupou cargos públicos de relevância, e foi senadora, ministra e prefeita de São Paulo, com o apoio do Partido dos Trabalhadores. 

Cristóvam foi governador e senador eleito pelo PT, em 2002. Atualmente está no PDT, mas tem a alma tucana. Marta é igual à Heloísa Helena, porque fala o que vem na telha sem raciocinar, porque inimiga do discernimento e divorciada da ponderação. A madame está danada, restando-lhe, porém, a verborragia e o ego do tamanho de sua ambição política, que não pôde ocupar o lugar de Fernando Haddad — o prefeito de São Paulo, cargo que a sexóloga já exerceu, a ter o PT como seu partido.

Marta é igual à Marina, pois política dissimulada sobre o que quer e o que não quer. A quase ex-petista manipula os fatos e as realidades para atacar seus correligionários e prejudicá-los politicamente, a dar combustível à imprensa da Casa Grande, que se tornou o maior e o mais poderoso partido de oposição de direita, um dos responsáveis diretos pelo golpe militar de 1964.

A madame Marta Suplicy está furiosa e não diz claramente o porquê de sua ira, apesar de todo mundo saber de seus reais motivos. Já se ela não fala abertamente, eu falo: Marta está inconformada e demonstra toda sua vocação de traidora porque não foi candidata à prefeita de São Paulo, não se entende programaticamente com a presidenta Dilma Rousseff e pretende novamente abrir as portas da imprensa de mercado e antropofágica, porque talvez possa ser candidata à Presidência da República em 2018.

A madame quase ex-petista deve pensar com seus botões: "Se a Marina Silva com aquele seu blá, blá, blá estratosférico, entediante e confuso conseguiu ser candidata a presidente por duas vezes, porque eu também, que não falo nada com coisa nenhuma não posso ser candidata?" — indaga-se, com o punho dobrado debaixo do queixo.

E completa: "Vou botar pra quebrar. Primeiro vou sair atirando, e, dessa forma, atrair o interesse da imprensa oportunista e golpista, a dizer a seus áulicos ou capatazes, que mesmo sendo uma quase ex-petista posso muito bem voltar ao meu ninho, que são as Organizações(?) Globo e todo o monopólio midiático monopolizado e cartelizado, que, se Deus quiser, não vai me faltar em um momento tão traidor da minha vida" — acredita a madame.

Dito e feito. Marta dá uma entrevista à Eliane Catanhêde, a moça da "massa cheirosa", tucana replicadora dos interesses dos magnatas bilionários de todas as mídias cruzadas, que recentemente foi demitida pela Folha de S. Paulo e automaticamente contratada pelo Estadão, dois jornais cúmplices e cooperadores dos 21 anos de ditadura civil e militar, que há 20 anos formam a base de sustentação do PSDB de São Paulo e de quem mais se juntar a seus interesses políticos, ideológicos e econômicos.

E, ferro na boneca. Marta abriu o bocão, rasgou a bandeira e subiu nos tamancos. Em parceria com a Catanhêde, a madame abre as cortinas de estreia da "massa cheirosa" no jornal da família Mesquita. Grupo familiar e financeiro tão reacionário que até hoje comemora a derrota de 1932, uma tentativa de golpe contra a Revolução de 1930 liderada pelo grande estadista e trabalhista Getúlio Vargas. Este, sim, um autêntico revolucionário até hoje odiado pela burguesia brasileira, aquela que foi a última no planeta a libertar os escravos.

O ódio aos trabalhistas é tão grande por parte da Casa Grande, que São Paulo, uma das cinco maiores cidades do mundo, com cerca de 12 milhões de habitantes não tem uma única rua com o nome do estadista, que a história e o povo brasileiro se recusam a esquecê-lo mesmo depois de 60 anos após sua morte. São Paulo é separatista. Ponto! Sua burguesia é uma das mais perversas e reacionárias do mundo. Em terras bandeirantes foi onde o DOI-CODI realmente vicejou e levou suas garras assassinas para o restante do Brasil.

Marta não se fez de rogada. E esbravejou, por intermédio de ataques à presidenta Dilma Rousseff, ao Ruy Falcão, presidente do PT, ao ministro da Cultura, Juca Ferreira, e ao ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante. Ela está realmente com fome de vingança e completamente entregue aos sentimentos de rancor e ódio.

Marta lembra Helena, que lembra Cristóvam, que lembra Marina, que lembra traição (definitiva) ao abraçar a candidatura tucana de Aécio Neves. São (ex)esquerdistas sem fundamentação ideológica e conhecimento programático. Faltam-lhes discernimento sobre a história do nosso povo e consciência política sobre os fatos e os acontecimentos que ora vicejam no Brasil.

Políticos que, a debalde, entregaram-se a devaneios pessoais, a ilusões alimentadas pela vaidade, e, consequentemente, tornaram-se "rebeldes" sem causa, porque se aliaram, voluntária ou involuntariamente, aos interesses da direita brasileira, que se resume a concentrar renda, a negar a emancipação social e econômica da população e assim manter, de forma indefinida, os interesses do establishment.

São pessoas egocêntricas e por isso consideram suas existências políticas acima dos interesses da Nação, bem como da luta dos socialistas, dos trabalhistas, dos comunistas e de seus aliados de todos os tempos, no que tange a enfrentar o status quo conquistado através dos séculos por uma burguesia que pensa que a Casa Grande é o bálsamo e o baluarte deste País, quando a verdade é a de que o povo trabalhador construiu esta Nação, a ferro e fogo, além de protegê-la e defendê-la como berço de sua vida.

Marta Suplicy é uma traidora, além de ser uma pessoa dada à politicagem e a futricas. Ousada, porque não pondera, tentou colocar em xeque a candidatura Dilma em prol de Lula, sendo que o líder trabalhista sempre deixou claro que apoiava a candidatura à reeleição da presidenta. Inacreditável a desfaçatez e a falta de sensibilidade de uma política que foi senadora e prefeita de São Paulo.

Atacou duramente seu sucessor no Ministério da Cultura, porque sabe, de antemão, que a administração de Juca Ferreira não vai ser tão leniente quanto à dela, no que concerne a atender aos interesses corporativos da classe artística dominante e ideologicamente colonizada, aos lobbies das grandes empresas midiáticas e familiares, bem como vai distribuir melhor o dinheiro destinado ao cinema, ao teatro, às artes em geral, além de democratizar o acesso da população à cultura.

Enfim, Marta Suplicy voltou à sua mais tenra origem. Para concretizar sua vontade de trair, inventa desculpas esfarrapadas e critica até a política econômica do Governo Trabalhista. Simplesmente a política que distribuiu renda, criou empregos e inseriu os filhos dos pobres nas universidades públicas. Um pão com manteiga para as mídias dos magnatas bilionários de imprensa. Marta é Helena, que é Cristóvam, que é Marina. Marta também trai. É isso aí.
       



16 comentários:

Unknown disse...

Marta é o PT de São Paulo...o PT pragmático que abandonou as diretrizes básicas
como é mesmo o nome do grupo...ah....campo majoritário

Anônimo disse...

A Ministra Marta, do PT, segundo o blogueiro era leniente com o lado coco da vida e Dilma a manteve? E não foi criticada aqui? A Marta? A Marta que fez um grande tunel em São Paulo e estava em Paris em mais uma enchente? A Marta? A Marta tão querida de Lula? Não acredito.
Será que mais um navio abandona os ratos?
E por falar em terna ou tenra origem, o blogueiro comete uma falha.
A Marta é Suplicy.
Eduardo - que não está preso, que honra as calças que veste, é Matarazzo.
babalu

Anônimo disse...

Hipocrisia pouca é bobagem para um petista......e o hospício continuar aberto!!!!!
É difícil defender o indefensável!!!!!
Desconstruir a Marta hoje e quem mais amanhã??????
Tenho nojo do PT e seus asseclas à soldo......

PS: A minha opinião não expressa a minha opinião, qualquer semelhança é mera coincidência.

Jorge Marcelo disse...

Marta Suplicy ficou muito triste ao tomar ciência das duras palavras de Davis Sena Filho perante os nove leitores de seu famoso e bem frequentado blog. Agora são nove os petistas que odeiam Marta Suplicy por conta desse brilhante, genial e muito bem fundamentado artigo, digno de mestrado em ciências políticas numa das mais prestigiadas universidades do planeta. Creio que a ex-senadora entrará em declínio em sua vida pública ao ler belíssimas e bem articuladas argumentações vindas de um jornalista de ilibada reputação.

Jorge Marcelo disse...

Papo de JOÃOZINHO e MARIAZINHA


Joãozinho: Você ouviu falar sobre o escândalo do governo PT?
Mariazinha: Aquele do mensalão?
Joãozinho: Não, aquele outro.
Mariazinha: Aquele do mensalinho?
Joãozinho: Não, aquele outro.
Mariazinha: Aquele dos aloprados?
Joãozinho: Não, aquele outro.
Mariazinha: Aquele do petrolão?
Joãozinho: Não, aquele outro.

Mariazinha: Aquele do apagão aéreo?
Joãozinho: Não, aquele outro.
Mariazinha: Aquele dos correios?
Joãozinho: Não, aquele outro.
Mariazinha:Aquele dos dólares na cueca?
Joãozinho: Não, aquele outro.

Mariazinha: Aquele do caseiro Francenildo?
Joãozinho: Não, aquele outro.
Mariazinha: Aquele da Erenice 6%?
Joãozinho: Não, aquele outro.
Mariazinha: Aquele do Palocci virar milionário da noite para o dia?
Joãozinho: Não, aquele outro.

Mariazinha: Aquele da Oi/Telemar virar sócia do filho do Lula para o papai mudar a lei e eles comprarem a BrT?
Joãozinho: Não, aquele outro.
Mariazinha: Aquele do BNDES financiar porto em Cuba?
Joãozinho: Não, aquele outro.
Mariazinha: Aquele de renegociar o contrato de Itaipu com o Paraguai?
Joãozinho: Não, aquele outro.
Mariazinha: Aquele de deixar a Bolívia do `Querido Evo' expropriar a Petrobras?
Joãozinho: Não, aquele outro.

Mariazinha: Aquele de transferir o dinheiro da saúde para Cuba contratando curandeiros?
Joãozinho: Não, aquele outro.
Mariazinha: Aquele de comprar caças superfaturados?
Joãozinho: Não, aquele outro.
Mariazinha: Aquele de alterar perfis da wikipedia de críticas ao governo?
Joãozinho: Não, aquele outro.
Mariazinha: Aquele de impor sigilo aos gastos dos cartões corporativos?
Joãozinho: Não, aquele outro.
Mariazinha: Aquele de fazer plano de previdência para os netos com cartão corporativo?
Joãozinho: Não, aquele outro.

Mariazinha: Aquele do Ministério dos Transportes?
Joãozinho: Não, aquele outro.
Mariazinha: Aquele do Ministério da Pesca?
Joãozinho: Não, aquele outro.
Mariazinha: Aquele dos gastos da Rose, `amiga' do Lula?

Joãzinho: Não, aquele outro.
Mariazinha: Aquele da refinaria de Pasadena?
Joãozinho: Não, aquele outro.
Mariazinha: Aquele dos bilhões emprestados para o Eike?
Joãozinho: Não, aquele outro.

Mariazinha: Desisto! Ah, já sei! Descobri! Aquele escândalo dos mais de 54 milhões de eleitores desinformados que recebem bolsas e benefícios governamentais financiados com nosso dinheiro e que nos prenderam de novo com a administração mais corrupta e salafrária da história do Brasil?

Joãozinho: SIM, ESSE MESMO !!!!

Anônimo disse...

Ela está igual ao seu programa sobre sexo na sonegadora, ops, globo.
Ela está dando uma de virgem.
Ela nunca foi essa ‘candura’ toda.
A ‘sexóloga’ marta quando saiu da sonegadora, ops, globo, afastou-se, também das elites e agora..............................
O ódio da marta contra a DILMA, deixa-a cega.
A DILMA foi reeleita e é petista.

Henrique

Anônimo disse...

Você se inclui, pois é o mais fiel e assíduo leitor, né? Você , com suas invejosas esquisitices e bizarrices rancorosas, é a prova definitiva de que o blogueiro tem razão. Continue prestigiando (amor e ódio se equivalem na fogueira das paixões) este blogue, mesmo que covarde e inutilmente tentando diminuí-lo. Você adora e inveja o Davis.

Anônimo disse...

Pois nós somos honrados, fazemos política pelo e para o povo. Aprendemos com nossos erros e crescemos com isso.
Somos a vanguarda desse país, acreditamos na nossa gente, na nossa cultura, na nossa musica e nos nossos costumes.

O facismo não vai vingar, nem a intolerância, nem a ignorância, nem a estupidez.



Anônimo disse...

Caríssimo Jorge Marcelo, profícuas e sabedouras palavras verteram de suas mãos limpas, cristalinas . De fato o blogueiro truncou definitavamente com suas críticas a carreira de Marta. Da Marta? Sim da Marta, que tanto ama Paris. Decerto o blogueiro tem vaga na Sorbone, em Paris.
Mas nas estrebarias....
Furunculo

Anônimo disse...

Foi ministra, do Lula, subiu a rampa quando o picolé de chuchu Geraldo, quem diria, ameaçou um segundo turno. Segundo o blogueiro, foi leniente, deu dinheiro para o império coco do mal, Dilma, do PT, a apoiou, o blogueiro nunca fez críticas a ela, exceto quando a defendeu pelo túnel e por estar em Paris com o ricardão.
Virgem quem está dando uma de é vossa senhoria.
furúnculopodre

Paulo Blanc disse...

É, Jorginho Bobalhão Marcelo, você conhece o PT e os bastidores da política tanto quanto o articulista. Se enxerga, retardado, e vê se aprende alguma coisa na merda desta tua vida. Ignorante.

Marvio disse...

Jorge Marcelo é um vagabundo de pai e mãe. Só isto.

Magda Magalhães. disse...

Artigo irretocavel. Marta suprimiu seus valores e se entregou à vaidade e a sede de poder. Este artigo é magistral.
PS: Querido, Davis, por que você ficou quase um mês sem escrever?
Aqui no interior de São Paulo e principalmente no meu trabalho quase todo mundo fica ávido à espera de seu próximo texto.
Outra curiosidade: por que seu blog está desfalcado das imagens e fotos, inclusive a foto do Congresso Nacional que ilustra a página, o blog?
Um grande abraço e que Deus o proteja dos invejosos, dos mesquinhos e dos ignorantes.

Jorge Marcelo disse...

Olha quem está de volta...

Para não perder o hábito, aí vai um vídeo do seu bordão...kkkk

https://www.youtube.com/watch?v=sTjXD7_VtZI

bento lisboa disse...

Jorge Marcelo, além de crápula, é um safado desrespeitoso. Cretino!

Anônimo disse...

Pois é Bento...se um escroto/psicótico como o Marcelinho diz não gostar do Davis e do seu blogue (e está batendo ponto em todos os posts com assiduidade britânica, imagine se gostasse...), significa que o Davis é excelente e este é o melhor endereço político. Se ele -um reacionário e perverso ignorante- é contra, é motivo mais do que suficiente para sermos, convictamente, a favor. Se ele gostasse, nós é que estaríamos em maus lençóis.[