Google+ Badge

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Moro e Lava Jato querem apenas o Lula; o resto é filigrana, enquanto a quadrilha golpista assalta o País

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


Uma quadrilha de coalizão ou bandos de ladrões golpistas, que se juntaram para depor Dilma Rousseff, a presidente legítima e constitucional, tomaram o poder de assalto a exemplo dos bandidos quando estouram os caixas eletrônicos com dinamites, a não se importar com nada, a não ser com suas preocupações, como não serem presos pelos operadores da Lava Jato, que por ora estão a ser impedidos de cometer crimes, como os vazamentos seletivos dos inquéritos, dos processos em segredo de Justiça e a liberação de áudios para a imprensa de mercado parceira e corrupta.

O motivo da interrupção da farra jurídico-midiática aconteceu porque o ministro Edson Fachin, do STF, acabou com a liberdade sem limite e acima dos ditames da Constituição do juiz de primeira instância, dos procuradores e dos delegados parciais, partidários, ideológicos à direita e que se aproveitam de seus cargos públicos, pagos com o dinheiro do contribuinte para fazer política rasteira e, com efeito, utilizarem-se de Lawfare (guerra e perseguição jurídica) para derrotar e prejudicar aqueles que essa gente considera como inimigos.

Os inimigos de sempre geração após geração, diga-se de passagem, os mandatários trabalhistas, que desde os tempos de Getúlio Vargas são derrubados por uma direita criminosa e oligarca, autora de golpes de estado e de todo e qualquer crime que possa viabilizar a queda e a perseguição sistemática e perversa a todo e qualquer presidente trabalhista e de esquerda eleito pela vontade soberana do povo brasileiro.

Sempre foi assim, mas esse estado de coisas tem de um dia acabar, pois está mais do que na hora de modificar a grade de ensino e estudos de perfil fascista da academia da Polícia Federal, que remonta a ditadura civil-militar, bem como colocá-la em seu devido lugar, que é de corporação de segundo escalão e não agir e atuar politicamente e ideologicamente como se este papel estivesse definido pela Constituição. A PF e o MPF não são um dos três poderes da República. Ponto.

Os "batmans" midiáticos e sabedores de que uma escória transformou o Palácio do Planalto em um covil de lobos famintos de dinheiro e poder, mas que nada fazem e pouco se importam, porque ideológicos e, como ferrabrases que são das oligarquias e dos interesses de governos estrangeiros, cruzam os braços para a bandalheira que se tornou este País nas mãos de *mi-shell temer, Henrique Meirelles, Moreira Franco, Pedro Parente, Eliseu Padilha et caterva, que estão propositalmente a destruir a economia, a assaltar as riquezas do Brasil e a retirar, a fórceps, os direitos trabalhistas e previdenciários dos trabalhadores, dos pensionistas e dos aposentados. Vendem o patrimônio público como se fosse quinquilharia de comércio de rua. E o Judiciário cruza os braços e se cala para crimes graves de lesa-pátria e de traição à Nação.

Cala-se, porque é cúmplice e um dos protagonistas do crime de golpe de estado. O pior e mais elitista Judiciário do mundo ocidental, pois totalmente desprovido de credibilidade e de compromisso até com a Constituição e o Estado de Direito, porque permitiu que corruptos e golpistas dessem um golpe de estado contra a presidente Dilma Rousseff, que teve 54,5 milhões de votos, não cometeu crimes e agora o povo brasileiro tem de conviver com uma democracia mequetrefe e violada por uma quadrilha que tomou o poder de assalto, com a aquiescência do STF e da PGR.

Por isto, o Brasil é chamado de País das bananas, cucaracha e de macacos. Não é à toa. Depois a "elite" borra-bosta vai a Miami e volta para o Brasil com ares de civilizada, porque apenas tomou um "banho" de loja e falou inglês em um shopping qualquer, sendo que na verdade não passa de selvagem e militante do retrocesso, do preconceito e do atraso.

Depois que o Leo Pinheiro, da OAS, delatou o Lula ao ser condenado por uma penca de anos, o juiz Moro e seus procuradores do partido da Lava Jato e do Powerpoint apresentam as "novas" denúncias de Pinheiro, que cansado de cadeia e com os cabelos brancos fala qualquer coisa para não ficar mais de 20 anos na prisão, sendo que as provas apresentadas por ele não têm materialidade pelo simples fato que não existem.

O Lula, segundo ele, mandou-o rasgar as provas do triplex do Guarujá. Seria cômico se não fosse trágico. Como assim cara pálida? O Lula manda o "menino" sumir com as provas e o "menino" ingênuo e inexperiente o obedece, não guarda cópias dos documentos e muito menos as coloca em arquivos de computadores. Incrível. E o Moro e seus "intocáveis" do powerpoint mentiroso e leviano consideram que o empreiteiro disse como prova. Tá bem. Todo mundo é idiota. E assim caminha a humanidade...

E não acaba aí. Juíza de São Paulo, Maria Priscilla Ernandes Veiga Oliveira, da 4ª Vara Criminal, absolveu 12 pessoas, inclusive o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, no que tange ao processo do triplex e da Bancoop, porque o considerou irrelevante e desprovido de provas. O promotor paulista Cássio Conserino e mais dois colegas já desistiram de atacar (processo político-jurídico) o ex-presidente Lula, porque devem ter percebido que não há materialidade que comprove ser o triplex do Guarujá pertencente a Lula.

Porém, Sérgio Moro é obsessivo, não só porque sua lamentável e perniciosa atuação como juiz seria um escândalo em um País civilizado, como os EUA que ele tanto gosta e para onde viaja como se estivesse a caminho de sua casa em Curitiba, mas, sobretudo, porque Moro passou a tratar as questões de Lula como caso pessoal. É visível e transparente sua ação persecutória e sua arbitrariedade de índole arrivista.

Trata-se de um servidor público arrogante, prepotente, parcial, partidário e de direita. Sabe o que está a fazer e continua a fazê-lo porque compreende que a casa grande e seus partidos de direita, além do establishment que está a impor um programa governamental entreguista e neoliberal, não querem o Lula como candidato, pois perceberam que o político trabalhista tem enormes chances de vencer as eleições de 2018, sendo que no poder o FMI não vai dar pitacos dignos de bárbaros com verniz europeu.

O processo do triplex em São Paulo foi extinto. Guarujá fica em São Paulo, mas dos 12 absolvidos existe o 13º, o ex-presidente Lula. Somente o processo do líder petista foi para Curitiba, afinal somente ele é candidato favorito à Presidência da República. O fundador do PT e da CUT, que foi investigado e preso pela ditadura militar e que está a ser após os 70 anos de idade linchado perversamente e moralmente em praça pública pelas mídias empresariais mais corruptas do planeta, está agora a experimentar o limiar de sua fantástica carreira política, que começou, na verdade, no ventre de sua mãe no interior de Pernambuco.

Lula, se superar os repressores e os vendilhões da casa grande, tornar-se-á pela terceira vez o presidente do Brasil. No poder, Lula vai fortalecer os programas de inclusão social, recuperar o desmonte criminoso do Estado nacional, reestruturará o parque industrial, fomentará o mercado interno, a emprestar para as pequenas e médias empresas, além de garantir crédito à agricultura familiar. E não acaba aí. Lula voltará a emprestar para a classe média, a mesma traiçoeira e leviana de sempre, mas sabedor que tal classe é consumista e ajudará, por intermédio de consignados, a aquecer o comércio.

O Brasil recomeçará a gerar empregos e, com efeito, o País voltará a girar a roda da economia, em uma retomada economicamente virtuosa, onde todos ganham, inclusive os empresários burgueses e burros, que deram um tiro nos pés por meio de um golpe criminoso meramente ideológico, a "esquecerem", propositalmente, que jamais ganharam tanto dinheiro como nos governos Lula e na primeira administração de Dilma Rousseff, porque em seu segundo governo a mandatária foi impedida de governar por um bando de salafrários golpistas e covardes.

Lula lidera as pesquisas com quase o dobro de todos seus opositores juntos, o que passa a ser um fenômeno político e social digno de estudos futuros, pois o ex-presidente é perseguido ferozmente há três anos, sem ter como responder à altura, pois os magnatas bilionários de imprensa e donos de uma parafernália de negócios privados ocultos e das mais corruptas do mundo ocidental são também um dos pilares do consórcio golpista de direita, que não permite que Lula se defenda em pé de igualdade perante as acusações a ele imputadas. Só se ouve um lado e o acusado não tem como chegar ao grande público. A ele é vedado se defender de maneira objetiva e republicana. Acinte e covardia cometidos por jagunços portadores de carteiras de servidores públicos e de jornalistas.

Não sei o que o juiz Sérgio Moro vai fazer, mas sei que deverá optar por mais algum casuísmo assombroso de uma amoralidade sem igual ou sem par, de forma que o magistrado está a jogar, inclusive, com seu futuro de servidor público, pois já denunciado em inúmeros fóruns internacionais e nacionais. A verdade é nua e crua, ela é transparente e contundente e não há espaço para o denuncismo meramente político e partidário. Moro já adiou a oitiva que teria com Lula no dia 3 de maio.

A Polícia Federal disse que precisa melhorar o esquema de segurança, pois sabedora de que milhares de pessoas estarão em Curitiba para apoiar o maior presidente da República de todos os tempos, que está a ser acusado de se beneficiar por meio de corrupção, mas até hoje, após três anos de Lava Jato, nada foi comprovado contra o político trabalhista. Ipsis litteris.

Com o tempo, esse processo draconiano e covarde vai ter de chegar ao seu fim, sendo que cada ator terá seu tamanho medido pelas páginas da história. Moro terá seu galardão conforme a verdade aparecer como o sol que brilha nas manhãs claras e sem nuvens. Não há como escapar da história, porque a história não é igual às páginas dos jornais, ainda mais quando se trata dos jornais brasileiros, onde em suas redações se pratica o autêntico, o legítimo e genuíno jornalismo de esgoto, porque a imprensa de mercado deste País se tornou a mais corrupta, golpista e partidária do ocidente.

Moro tem de ponderar sobre os fatos. Ele já admite que a nova delação (modificada) por Leo Pinheiro poderá ser verdadeira ou falsa, porque em comum acordo com os procuradores, que têm grande interesse em ferrar com o Lula, mas que não dão importância alguma à venda criminosa do patrimônio público brasileiro por parte de um governo golpista formado por ladrões e bandidos de toda monta.


Este País será sempre uma republiqueta bananeira, porque não é sério, nada se faz de maneira correta e os principais atores desta crise surreal, violenta e pavorosa não estão nem aí para o Brasil e o povo brasileiro. Lula não roubou e por isto não poderá ser preso e impedido de concorrer à Presidência da República. O juiz Sérgio Moro e a Lava Jato querem apenas o Lula; o resto é filigrana, enquanto a quadrilha de golpistas assalta o País. É isso aí.

3 comentários:

Theo disse...

É isso aí Davis!

Jorge Marcelo disse...

Nem Jeová tem tanta testemunha quanto o Lula

TUCANO MAIS DO QUE FDP disse...

Falou a Voz do diabo pelo Jorge Marcelo.