Google+ Badge

quarta-feira, 17 de junho de 2015

Imprensa alienígena quer jogar Lula na lama e FHC no altar — Dois pesos e duas medidas

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre

Quando o presidente conservador, Fernando Henrique Cardoso, terminou seu segundo mandato presidencial, o tucano já tratava de questões pecuniárias sobre a criação do Instituto FHC (IFHC). A entidade para funcionar recebeu muito dinheiro, além de terem cedido um andar inteiro para que os trabalhos fossem realizados pelos seus funcionários e administradores.

A revista Época e a Veja, por exemplo, bem como os jornalões de direita e de oposição aos governos trabalhistas de Lula e Dilma, nunca trataram do assunto com conotação escandalosa, a dar uma repercussão à criação do IFHC, em uma atmosfera de ilegalidade e malfeitos, como o faz agora, partidariamente, com o Instituto Lula.

A entidade do líder petista recebeu dinheiro da empreiteira Camargo Correa, tal qual a de Fernando Henrique Cardoso, que também foi financiada pela Sabesp, uma empresa pública paulista, ou seja, o IFHC recebeu recursos provenientes de impostos e taxas, já que as estatais são sustentadas pelo dinheiro do contribuinte.

Contudo, a imprensa dos magnatas bilionários continua a trilhar por veredas repletas de perversidades e torpezas, manipulações e distorções dos fatos e das realidades, por motivo de já estar em campanha eleitoral a presidente da República desde o dia seguinte à vitória de Dilma Rousseff nas eleições de outubro do ano passado.

É assim que a banda toca nessas plagas, até porque até hoje não foi regulamentado o setor econômico de comunicação, que inclui as concessões públicas das mídias privadas, ideológicas e políticas dos magnatas bilionários de imprensa, conforme reza a Constituição deste País, que teima em empurrar certos temas com a barriga, a despeito do prejuízo causado à grande maioria da população brasileira.

O Brasil até hoje, passados 27 anos da promulgação da Carta Magna, ainda não possui um marco regulatório para o segmento midiático, cujos donos tratam o poderoso País de língua portuguesa, a sexta maior economia do mundo, como se fosse o quintal da casa (grande) deles.

É realmente o fim da picada a falta de atitude dos governos do PT quanto a regular um setor que está nas mãos de megaempresários que já demonstraram, no decorrer da história, não terem quaisquer compromissos com o Brasil, bem como, indevidamente e muitas vezes criminosamente, interferiram na política brasileira, como se fossem um partido de direita com vocação golpista. E, de fato, este processo draconiano acontece.

Por causa desse perfil e essência intervencionista, a imprensa de mercado que viceja neste País tenta emparedar o Governo Dilma, além de nos últimos meses estar repercutir uma campanha insidiosa e sem trégua contra o ex-presidente Lula, que, por intermédio de seu Instituto, tem respondido a altura às calúnias e às difamações provenientes de publicações direitistas e de oposição como a Época (Globo) e a Veja (Abril), duas empresas que há décadas vivem do dinheiro público e de empréstimos a juros baixos em bancos de fomento.

Duas pseudo-revistas de passado político deverasmente questionável, a começar pela associação de dois de seus editores-chefes que se aventuraram com o bicheiro Carlinhos Cachoeira, cujo propósito era desestabilizar o Governo Dilma e o Governo do DF de Agnelo Queiroz.

E assim foi feito durante anos, até a cassação do senador do DEM, Demóstenes Torres, o “Plutarco” da imprensa familiar, também envolvido nesse esquema criminoso, fato este que cooperou para dar fim aos ataques desse grupo ilegal às autoridades do DF e do Governo Central, sendo que muitos caíram, pois perderam seus espaços, tiveram seus nomes jogados na lama, sem direito de defesa na imprensa corporativa e alienígena, como ocorreu com o ministro do Esporte, Orlando Silva. Depois ficou comprovado que ele não cometeu quaisquer malfeitos. Porém, já era tarde. Os inimigos do Governo conseguiram concretizar seus intentos.

Este é o método fascista praticado por esses meios de comunicação pertencentes a megaempresários que tem em suas contas bilhões de reais e que lutam para pautar o País e os mandatários eleitos pela vontade soberana do povo brasileiro. Tal método é aplicado agora contra o ex-presidente Lula, por ser ele um virtual candidato à Presidência em 2018.

Seu Instituto está a ser duramente atacado. Uma forma de desconstruí-lo, desqualificá-lo e, o mais importante, criminalizá-lo. É surreal. Uma imprensa empresarial criminosa, mentirosa e manipuladora, acusada de sonegar impostos e de se partidarizar, acusa Lula de ter recebido dinheiro para fazer funcionar seu Instituto, que não incorreu em quaisquer ilegalidades e muito menos recebeu dinheiro público, como aconteceu com o Instituto de FHC, que também recebeu dinheiro da Camargo Correa.

Dois pesos para duas medidas; e muito cinismo e hipocrisia aplicados nas veias! Esta é a imprensa comercial e privada brasileira e habitada por jornalistas que vendem a alma para se darem bem na vida. E a imprensa burguesa se considera séria! Seria cômico se não fosse trágico, ridículo e surreal. O Instituto Lula recebe financiamento legal de uma empreiteira para logo virar escândalo midiático.

Por sua vez, FHC — o Neoliberal I — recebe R$ 500 mil da Sabesp (empresa pública controlada pelo PSDB) e R$ 7 milhões das empresas Camargo Correa, Suzano, Grupo Gerdau, Klabin, Odebrecht, dentre outras empresas, porque foram 12 empresários, que adentraram o Palácio da Alvorada para que o Neoliberal I pudesse passar o chapéu e, consequentemente, obter dinheiro para poder criar o Instituto FHC.

Todavia, os recursos que o Instituto Lula recebeu são escandalosos para a imprensa de direita, evidentemente. Acontece que o Instituto Lula não cometeu quaisquer malfeitos, e a verdade é que essas acusações são fakes, ou seja, farsas montadas para que a imagem de Lula seja desmerecida e desconstruída perante o povo brasileiro. Como se o povo fosse burro ou pensasse de forma deturpada e distorcida, como os coxinhas paneleiros de classe média. Ledo engano. A imprensa familiar quer jogar o Lula na lama e o FHC no altar. Dois pesos e duas medidas. Lula não cometeu crime. É isso aí.     

16 comentários:

Jorge Marcelo disse...

Davis, a gíria correta é "um peso e duas medidas"...kkkk

Davis Sena Filho disse...

Davis, você é um gênio!

Davis Sena Filho disse...

Dedicado, de forma cabotina, a você, Jorge Marcelo. Que jamais debateu ou argumentou comigo de forma séria, ponderada e educada..

Henrique R disse...

Ao povo lutador, educado e que tem memória é não a amnésia conveniente da velha mídia.

Lula: " Nós precisamos discutir política com as pessoas, explicar o que acontece. Vocês pensam que a meninada tem noção do que os pais fizeram para chegarem ao que têm hoje? Não têm noção. Acham que o prato de comida veio de graça? Sabe quantas greves nós fizemos para conseguir 2% de aumento de salário? - criticou Lula, sugerindo que os jovens perguntassem aos pais “se em algum momento o Brasil foi melhor do que é hoje. (Lula - o grande Estadista)

Henrique R disse...

Aos cabotinos - o altar que tanto eles gostam

FHC: - "Eu traí os interesses da Pátria".

"É bom ser brasileiro, que ninguém dá bola".

Henrique R disse...

À imprensa alienígena e cabotinos defensores da subserviência brasileira aos EUA

Lula teve uma grande visão ao desvincular nossa economia da economia americana.
Um dos grandes feitos do seu governo, senão já estariamos de penico na mão e com o desemprego batendo forte a nossa porta.
Não precisa ser economista, basta ter bom senso.

Davis Sena Filho disse...

Parabéns, prezado Henrique. É uma honra ler seus comentários. Um aprendizado.

Henrique R disse...

Grande Davis, eu é quem agradeço por este espaço cidadão e democrático.
Obrigado.

Henrique R disse...

'Não acredito em oposição movida a ódio'

“Saio em busca de um novo espaço que me traga motivação, uma nova compreensão deste momento ímpar que vivenciamos no país. Não acredito em uma oposição movida a ódio”.

Senadora Lúcia Vânia (GO) que confirmou no plenário, nesta quarta-feira (17) sua desfiliação do PSDB, partido ao qual estava filiada há 20 anos.

Fonte: Congresso em foco.

Jorge Marcelo disse...

Davisssssssssssssssss....há quanto tempo não nos falamos. Tudo bem, meu caro? E o Dunga na seleção, heim?! Que trabalho "excelente" ele vem fazendo nessa Copa América! E o fim dos privilégios da Globo na cobertura da seleção??? Kkkkkkkk...Não tenho visto mais nenhum repórter da emissora do Plim Plim entrando no ar ao vivo do hotel onde a seleção está concentrada. As transmissões então estão cada vez mais democráticas. SBT, Band, TV Brasil e Rede TV, todas estão transmitindo a Copa América....kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

É de dar dó...como este subser, este estorvo, este estrupício... se contenta em expor suas bizarrices...fica feliz em ser reconhecido como patético, patológico e deslocado.Estou sim, no jardim zoológico dando pipoca pra este macaco Jorge, ou dando sangue pra este vampiro. O meu lugar é aqui pois admiro e respeito o brilhante jornalista. Parece que a Veja e nem o inferno aceitaram você, que insiste em exibir asnices. Sei que estou alimentando sua carência, mas sou caridoso kkkkkkkkkkk.

Anônimo disse...

Infelizmente o que este psicopata quer é chamar a atenção, Davis, pois certamente, não possui amigos ou pessoas que o queiram bem e faz o tipo: prefiro ser ridicularizado do que ignorado.Fico triste com a situação deste "coiso".Ele jamais poderá debater ponderada, séria ou educadamente, pois não tem as mínimas condições psicológicas ou cognitivas ou intelectivas para isto, afinal, figueira só pode dar figo.Ele é deplorável e de dar dó. Não perca seu tempo em dirigir-se a ele...deixe comigo...sou masoquista kkkk

Jorge Marcelo disse...

É de dar dó...como este subser, este estorvo, este estrupício... se contenta em expor suas bizarrices sem ao menos se identificar. Tá fugindo de quem, meu caro? Seria você algum dos indiciados na operação Lava-Jato?

Marcos Lúcio disse...

Excelente , realista e irretocável. O que dizer de um sociólogo e ex-presidente que confessou: - "Eu traí os interesses da Pátria".

"É bom ser brasileiro, que ninguém dá bola".:.a não ser : que lamentável ou que canalhice?

Anônimo disse...

Para criaturas deste tipo nefasto como você (que pode até nem ter este nome de Jorge Marcelo), não há a menor necessidade de identificar-me, pois não identifico-me ou não possuo nenhuma afinidade.Mais honesto e racional, continuarmos ilustres desconhecidos, ainda bem!

Marcos Lúcio disse...

Destaco este que considero o maior problema, do brilhante post: "É realmente o fim da picada a falta de atitude dos governos do PT quanto a regular um setor que está nas mãos de megaempresários que já demonstraram, no decorrer da história, não terem quaisquer compromissos com o Brasil, bem como, indevidamente e muitas vezes criminosamente, interferiram na política brasileira, como se fossem um partido de direita com vocação golpista. E, de fato, este processo draconiano acontece".